CARROS E MOTOS REAGEM: CG 160 VENDE MAIS

O segmento automotivo terminou primeiro semestre com 1,691 milhão de veículos novos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motos) e implementos rodoviários emplacados, crescimento 12,37% em comparação ao mesmo período do ano passado. Em junho foram licenciados 287.721 mil veículos – de todos os segmentos – e implementos, queda de 2,45% em relação a maio. Reflexo da greve dos caminhoneiros. Os dados são da Fenabrave, entidade que reúne os concessionários.

Nos automóveis de passeio, a GM lidera com folga. Em junho, o Onix vendeu praticamente o dobro que seu principal concorrente, o HB 20 – 16.218, contra 8.292. No semestre, o compacto da Chevrolet teve 89.620 unidades licenciadas, contra 50.419 do modelo de origem coreana. O terceiro colocado é o Ford Ka, com 48.262 unidades licenciadas nos seis primeiros meses do ano. Nos carros, a Fenabrave prevê crescimento de 9,9%. O segmento deve encerrar o ano com pouco mais de 2 milhões de automóveis emplacados.

Duas rodas
Porém, quem leva o Brasil nas costas, ou melhor, sobre duas rodas, é a Honda CG 160. Em junho foram emplacadas 20.141 unidades. No acumulado do ano, 122.034 motos CG 160 foram licenciadas. Número que coloca, mais uma vez, a street da Honda como o veículo mais vendido do País. Outras duas motos Honda tiveram bom desempenho. Com 65.287 unidades comercializadas nos seis primeiros meses do ano, 10.106 só em junho, a popular Biz é a segunda moto mais vendida, e o terceiro veículo com mais emplacamentos do Brasil. Já a trail NXR 160 teve 16.439 unidades licenciadas em junho e 59.459 no período.


O segmento de duas rodas apresenta leve recuperação, de 6,93 em relação a 2017. No primeiro semestre foram licenciadas 456.889 unidades, contra 427.275 motos no mesmo período do ano passado. A previsão de emplacamentos, segundo a Fenabrave, será de 916.980 unidades, incremento de 7,7% em relação a 2017.

EQUIPE BTEC SERÁ O BRASIL NO SCANIA TOP TEAM 2018

André Luís Decker, Carlos Alberto Fösch, Felipe Daniel Fogaça, Marcelo Bueno e Neilson Goi Freitag. Esta é a escalação da equipe Btec, da Brasdiesel Ijuí (RS), que será a representante brasileira na final mundial do Scania Top Team 2018, que acontecerá nos dias 6 e 7 de dezembro, na Suécia. No maior desafio da competição global, os gaúchos enfrentarão 11 times de países diferentes. Os brasileiros garantiram uma das duas vagas disputadas, por outros sete países, no sábado (17), na final regional, que foi realizada na fábrica da Scania em São Bernardo do Campo (SP). Pela segunda vez consecutiva a Btec se classifica para a grande final. A outra vaga ficou com a Argentina, que venceu a etapa regional.

“Estamos muito orgulhosos pela classificação para a final mundial. A equipe brasileira lutou muito, desde a primeira prova, parar realizar o sonho de voltar a disputar o desafio na Suécia, pela segunda vez consecutiva. Um fato inédito”, afirma Gustavo Andrade, gerente de Portfólio de Serviços da Scania no Brasil (acima). “Independentemente do resultado na Suécia, o Brasil já tem, no mínimo, a décima segunda melhor equipe de serviços do planeta. Resultado: mais qualificação e rapidez.” Andrade ressalta a assertividade na preparação para o Top Team. “Contamos com o apoio irrestrito da Scania Academy, a responsável pelos treinamentos da marca. A atualização dos times de Serviços, não apenas da Btec, mostra que estamos no caminho correto”, conclui. 

“A Brasdiesel vem aumentando a agilidade, a qualidade e a assertividade dos profissionais da oficina. Em 2017, na comparação com 2016, aumentamos em 15% a venda geral de serviços em Ijuí e de 21% na filial de Caxias do Sul. Em 2018, já incrementamos em 36% o faturamento da mão de obra das duas oficinas”, explica Claudio Padilha, gerente geral de Serviços da Brasdiesel.

Final regional

A final regional do Scania Top Team 2018 foi acirrada. No sábado (17), a fábrica de São Bernardo do Campo foi o palco de um dia inteiro de intensas disputas. Pelo regulamento, se classificavam as duas equipes, dentre oito países, que somassem o maior número de pontos em quatro provas práticas e uma teórica. Tudo sob a pressão do relógio. No sistema de pontuação, cada estação valia 50 pontos, num total possível de 250 pontos. Os times tiveram 20 minutos para resolver cada fase. 

Na classificação da final regional a Argentina somou 191 com a equipe Metegol, de Buenos Aires; em segundo a Btec, de Ijuí (RS) com 144,5 pontos; No terceiro lugar, o Chile com os Mecânicos Vabis Serie S, de Santiago (127,5); Em quarto, somando 126 pontos ficou o Peru (Peruvian Force, de Lima); Em quinto, com 98 pontos, o time Simba, da cidade de Nairóbi, Quênia; E, na sequência, os respectivos três últimos colocados: Uruguai – Fray Bentos (86,5), México – Scania Steel, de Monterrei (82) e com 70 pontos a equipe Águias Sul-africanas, da cidade de Durban, na África do Sul. 

“PESADO” DA SCANIA É DESTAQUE NA AGRISHOW

O principal destaque da Scania durante a 25ª edição da Agrishow foi Super Rodotrem R 620 6×4 V8 de 11 eixos e capacidade para transportar até 91 toneladas. Foi a primeira vez que a cadeia da cana viu o modelo em uma exposição, que aconteceu em Ribeirão Preto, de 30 de abril a 4 de maio. Em função de suas características, o Super Rodotrem Scania R 620 6×4 V8 chega para cria um novo nicho de mercado, que é de servir de maneira completa e eficiente os segmentos canavieiro, de grãos, insumos agrícolas e de produção rural.

O pesado da Scania pode ser utilizado na operação completa, desde o carregamento da cana na lavoura, passando pelas estradas de terra de acesso até a rodovia, e no trajeto de asfalto até a usina para o descarregamento. Esses percursos usualmente não ultrapassam 100 km de distância em cada trecho, conforme permite a nova legislação – nº 663/2017.

Apresentado na última edição da Fenatran, o modelo tem um desempenho eficiente também em regiões com topografia irregular, carregado total ou parcialmente. Nessas condições, o motor V8 tem facilidade para manter o bom desempenho, diminuindo o número de trocas de marchas, o tempo de viagem e o consumo de combustível. O motor V8, de 16 litros, desenvolve torque de 306 Kgf.m. É o propulsor que oferece maior força e potência do segmento trabalhando nas faixas de giro entre 1.000 e 1.400 rpm.

Um dos diferenciais do Super Rodotrem é o controle de tração mais inteligente. A leitura constante da rotação das rodas efetua a devida correção quando detectada uma patinação. Dessa forma, há um controle mais suave do deslocamento e menos desgaste dos pneus. Para um desempenho ideal, o sistema de filtragem de ar do motor, específico para a aplicação fora de estrada, fica na traseira da cabine.

Outra evolução deste caminhão está no sistema de freios, que recebeu uma terceira linha de ar para permitir a frenagem simultânea em toda a composição (caminhão, semirreboque e reboque) quando o freio de estacionamento for acionado. A oferta de itens de série contempla ainda caixa totalmente automatizada Scania Opticruise, de 14 velocidades (2 superlentas), Driver Support e freio auxiliar Scania Retarder.

O recém-lançado modelo da linha “peso-pesado” da Scania já conquistou um importante influenciador do setor. A Usina São Martinho (SP), um dos maiores grupos sucroenergéticos do País, já comprou 42 unidades Super Rodotrem R 620 6×4 V8.