‘ROCK IN RIO’ SOBRE DUAS RODAS INICIA A VENDA DE INGRESSOS

Os aficionados por motociclismo já podem adquirir os ingressos para o Festival Duas Rodas, que acontecerá entre os dias 29 de agosto e 1º de setembro, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP). As entradas estarão à venda a partir de R$ 55,00 e oferecerão uma vasta gama de experiências para o público

Espécie de Rock in Rio sobre Duas Rodas, o evento terá shows e lançamentos de motocicletas, até test-ride e apresentações de pilotos. Atrações como Flat Track, Motocross Freestyle e Wheeling também farão parte deste grande parque temático de motos. Os ingressos podem ser comprados através do site www.festivalduasrodas.com . O evento contará com a presença das principais montadoras do setor, como BMW, Dafra, Ducati, Harley-Davidson, Honda, Kawasaki, KTM, Triumph e Yamaha.

Além de uma programação voltada ao mundo de duas rodas, o público poderá curtir shows exclusivos que vão agitar e animar ainda mais o evento. No sábado, quem comanda o som é a banda Capital Inicial, que apresentará grandes sucessos de sua carreira e novas canções que fazem parte do novo álbum “Sonora”.

Já no domingo, o Call The Police, formado pelo guitarrista Andy Summers, do The Police, o baterista João Barone, dos Paralamas do Sucesso, e o baixista Rodrigo Santos, ex-Barão Vermelho, embala a galera com sucessos e hits como “So Lonely”, “Every Breath You Take”, “Roxanne” e “Message in a Bottle”, encerrando o Festival com chave de ouro.

INFORMAÇÕES SOBRE INGRESSOS:
· Street Pass: acesso para toda a área de exposição + pista de mobilidade urbana + estacionamento gratuito para moto
Dia/avulso – R$ 55,00 inteira / R$ 27,50 meia-entrada
Combo 4 dias Inteira – R$ 176,00 (20% de desconto)
Combo 4 dias Meia – Conforme a Lei federal 12.933/2013, que dispõe sobre a meia-entrada, o benefício não será cumulativo com quaisquer outras promoções.
Combo 3 dias Inteira – R$ 148,50 (10% de desconto)
Combo 3 dias Meia – Conforme a Lei federal 12.933/2013, que dispõe sobre a meia-entrada, o benefício não será cumulativo com quaisquer outras promoções.

· Show Pass: acesso para toda a área de exposição + pista de mobilidade urbana + acesso para show noturno + estacionamento gratuito para moto
Dia/Avulso – R$ 98,00 inteira / R$ 49,00 meia-entrada
Combo 2 dias Inteira – R$ 176,40 (10% de desconto)
Combo 2 dias Meia – Conforme a Lei federal 12.933/2013, que dispõe sobre a meia-entrada, o benefício não será cumulativo com quaisquer outras promoções.

· Ride Pass: direito ao test-ride em todas as pistas + acesso para toda a área de exposição + acesso para show noturno + estacionamento gratuito para moto.
Valor único – R$ 395,00

· Training Pass: curso de pilotagem com Leandro Mello + direito ao test-ride em todas as pistas + acesso para toda a área de exposição + acesso para show noturno + estacionamento gratuito para moto.
Valor único – R$ 980,00

Classifcação: Livre*
*Menor de 16 anos: acompanhado dos pais ou responsável legal
16 anos em diante: permitida a entrada desacompanhado

Até 10 anos – entrada gratuita
De 11 a 17 anos – necessária a apresentação do ingresso (meia-entrada)

RIO MOTORSPORTS CONSTRUIRÁ AUTÓDROMO EM DEODORO (RJ)

O Rio Motorsports foi o vencedor do edital de concorrência para construção do novo autódromo do Rio de Janeiro em Deodoro, que se chamará Rio MotorPark. Liderado pela empresa americana que dá nome do consórcio, o grupo fica com a concessão do terreno na zona oeste pelos próximos 35 anos e terá a responsabilidade de edificar uma pista com capacidade técnica para receber as principais provas do automobilismo mundial, dentre elas Fórmula 1 e MotoGP. O tempo de construção previsto gira em torno de 16, 17 meses, que poderá ser reduzido em um cenário otimista. Será que em 2021 a Formula 1 será realizada em Deodoro (RJ)?

O autódromo, que terá capacidade de 80 mil lugares fixos, podendo ultrapassar 135 mil com estruturas provisórias, contará com uma pista de 4,5 km de extensão. Está prevista uma completa estrutura com 36 boxes, paddock com para 5 mil VIP’s e centro de imprensa para mais de 400 jornalistas.

Além de parque esportivo, o modelo econômico prevê parcerias com empresas do setor de Combustíveis e Lubrificantes de alta perfomance para desenvolvimento e aprimoramento de produtos. Da mesma forma, o empreendimento contará com espaços voltados para a indústria automobilísticas na realização de testes de automóveis e aperfeiçoamento de peças e outros componentes.

O plano apresentado contou com a participação de empresas renomadas no universo esportivo. O projeto de engenharia e arquitetura ficou à cargo do Tilke Engineers & Architects, do alemão Hermann Tilke, responsável pelo Circuito de Sepang, na Malásia, Circuito das Américas, nos Estados Unidos, Xangai, na China, Sochi, na Rússia, dentre outros.

A construção do empreendimento será efetuada pela construtora espanhola Acciona. A alemã Sporttotal, experiente na operação de autódromos, como o de Nurburgring, e a brasileira Golden Goal, especializada em gestão e marketing esportivo, também integram o consórcio vencedor na concorrência.

VÍDEO: ‘ONE RIDE’: O MAIS DEMOCRÁTICO PASSEIO DE MOTO DO MUNDO

VÍDEO: ‘ONE RIDE’: O MAIS DEMOCRÁTICO PASSEIO DE MOTO DO MUNDO

Um dia para celebrar a amizade e reunir pessoas que tem a mesma afinidade: a paixão pela moto, motociclismo e o motopurismo. E foi neste clima de total confraternização que a Royal Enfield promoveu o ‘One Ride 2019’. Ação mundial, o ‘One Ride’ foi realizado este ano, simultaneamente, em 35 países (aproximadamente 300 passeios). Na terceira edição brasileira, a marca indiana reuniu mais de 100 participantes no Brasil, em 5 de maio.

Esta comunidade colocou suas motos – Royal (clássicas e também a recém-chegada Himalayan) e modelos de outras marcas – para rodar e curtir um dia pra lá de especial. No Brasil, o ride democrático aconteceu ao mesmo tempo em São Paulo (SP) e Brasília.

Na capital paulista, o ponto de encontro foi na concessionária Royal Enfield – SP, que fica na Zona Sul. O comboio cruzou a cidade pelas Marginais Pinheiros e Tietê até acessar a Rodovia Ayrton Senna. Os motociclista seguiram para Biritiba-Mirim, via Mogi das Cruzes. A confraternização aconteceu no restaurante Rancho da Moto.

Confira o vídeo do passeio realizado em São Paulo. A produção foi da Miopia Filmes, com conteúdo do MinutoMotor.

EXPOSIÇÃO REÚNE MAIS DE 200 MANUAIS ORIGINAIS E LIVRES PARA CONSULTA

EXPOSIÇÃO REÚNE MAIS DE 200 MANUAIS ORIGINAIS E LIVRES PARA CONSULTA

Nos veículos mais modernos os livretos de papel foram substituídos por versões eletrônicas que podem ser consultadas em celulares ou pelo sistema multimídia do carro – em alguns casos funcionam até por meio de inteligência artificial. “Com isso nos parece bastante óbvio que o manual do proprietário em seu formato tradicional está com os dias contados, tornando-se uma futura espécie em extinção. Por isso decidimos montar uma exposição em sua homenagem, mostrando as peças históricas mais relevantes de nosso acervo”, explica Marcos Rozen, CEO do MIAU.
A mostra traz ao todo mais de duzentos manuais do proprietário originais, dos anos 60 a 2000, com foco principal em modelos vendidos no mercado brasileiro. O mais antigo é do Jeep Willys 1961 e o mais novo do Ford Fusion 2006. Há várias peças raras, como os manuais do DKW-Vemag Fissore, Willys Itamaraty, VW SP1/SP2, Chrysler Esplanada GTX, MP Lafer, Gurgel X-12, Dardo, VW Variant II, VW Gol GT, VW Santana Executivo e muitos outros. Há também manuais de modelos estrangeiros como BMW 2000, Ford Granada e Vauxhall Cavalier, além de manuais de motos, caminhões e tratores antigos.

Um dos grandes diferenciais da exposição é que todos os manuais podem ser consultados livremente pelos visitantes. “Os museus de todo o mundo estão cada vez mais deixando de ser locais de mera contemplação para se tornarem verdadeiras fontes de contato com os temas que abrangem, permitindo aos visitantes interagirem de forma mais concreta com seus acervos. Essa sempre foi uma marca das exposições do MIAU, que permanece agora com a mostra dos manuais do proprietário”, afirma Rozen.

Curiosidades sobre os manuais
Um dos maiores sonhos dos colecionadores é encontrar um manual do proprietário ‘virgem’, ou seja, sem os dados do comprador preenchidos ou carimbos de entrega ou revisões. Pois esta é a condição de cerca de 75% dos materiais da exposição do MIAU: Rozen explica que “antigamente era comum jornalistas furtarem os manuais de carros de teste cedidos pelas montadoras para avaliação, seja para consultas futuras ou por travessura mesmo. Esta é a origem da maior parte dos manuais do nosso acervo, que por isso estão em branco ou têm apenas carimbos das próprias fábricas e não de alguma concessionária em suas páginas”.

Além disso os manuais trazem, por vezes, informações curiosas ou estranhas sobre os veículos. O do Ford Corcel II 1981, por exemplo, ao explicar o funcionamento do câmbio, ensinava ao motorista pular direto da terceira para a quinta marcha, evitando usar a quarta para assim, segundo o manual, economizar combustível.

Os manuais, afirma o CEO do museu, têm uma ligação profunda com o jornalismo automotivo: antes do advento da internet eram a única fonte prática, rápida e confiável para busca de dados técnicos dos veículos. “Hoje esse hábito caiu em desuso, mas foi largamente aplicado por profissionais da imprensa automotiva por mais de 40 anos. A exposição também é uma forma de recordar e homenagear esse período.”

Abertura no feriado
A exposição Manuais do Proprietário: Futura Espécie em Extinção abrirá as portas na sexta-feira, 19/4, feriado, das 12h às 17h. No sábado, 20/4, e domingo, 21/4, estará aberta das 13h às 17h. Após essas datas a exposição poderá ser visitada nos dias de funcionamento do MIAU, ou seja, sempre aos sábados e domingos das 13h às 17h. Em dias de semana o museu funciona apenas para visitas de grupos fechados e pré-agendados.

Os visitantes da exposição também têm direito a conhecer as outras áreas do museu, que conta com exposição permanente a respeito da história da imprensa automotiva no Brasil e um acervo de livre consulta com mais de mil revistas, livros, catálogos e materiais exclusivos para jornalistas que abordam praticamente todas as fabricantes de veículos do Brasil e do mundo.

A mostra ficará em cartaz até o início do segundo semestre. Os ingressos, em promoção de meia entrada para todos, custam R$ 15 e o valor é totalmente revertido para manutenção do museu.

Serviço
Exposição Manuais do Proprietário: Futura Espécie em Extinção
Local: MIAU – Museu da Imprensa Automotiva
R. Marcelina, 108 – Vila Romana, São Paulo SP
Site: www.miaumuseu.com.br
Telefone: (11) 98815.7467
Inauguração da exposição em horário especial: 19/4, das 12h às 17h
Horário regular do museu: sábados e domingos, das 13h às 17h
Ingressos: R$ 15, em promoção de meia entrada para todos

FUSCAS E CARROS DE CORRIDA NO CONJUNTO NACIONAL

FUSCAS E CARROS DE CORRIDA NO CONJUNTO NACIONAL

Vai até 6 de abril, no espaço Cultural do Conjunto Nacional, a Semana Cultural da Velocidade (Velocult), que comemora os 60 anos da chegada ao Brasil de um dos carros mais simpáticos e icônicos da indústria nacional: o VW Sedan, ou simplesmente “Fusca”. A mostra, que completa 10 anos, é idealizada pelo artista plástico Paulo Soláriz.

Há diversos exemplares do “Besouro” decorando o piso térreo do Conjunto Nacional. São modelos de vários anos, cores e configurações de motorização e acabamento. Ou seja, há Fuscas para todos os gostos.

Além dos simpáticos clássicos da marca alemã, existem também quatro bólidos de competição para agradar os loucos por velocidade que se dirigirem à exposição.

Trata-se de dois Chevrolet Opala, configurados para as pistas de corridas. Um da categoria “Old Stock Race” e o outro da “Opala 250”, que fazem a festa dos “Opaleiros” de plantão e demais admiradores de automobilismo de competição, especialmente os mais saudosistas.

E ainda há os outros dois monopostos da F-Inter, bólidos pensados e nascidos para serem rápidos e seguros dentro dos traçados de um circuito. Os MG15 em questão são os de numeral 03 e cor azul, pilotado pelo Edu Bruza e também o de numeral 13 e cor verde, pilotado pelo Marcelo Zebrinha. Esses carros estiveram recentemente competindo no autódromo paulistano de Interlagos.

Exposição Velocult
Até 06 de abril
Entrada franca
Conjunto Nacional – Av. Paulista, 2073 – SP/SP

TRIUMPH COMEMORA 25 MIL MOTOS E TERÁ SEIS LANÇAMENTOS EM 2019

“Hoje é dia de superação. Dia de comemorar um recorde histórico. Produzimos 25 mil motos em Manaus. Somos a subsidiária que mais cresceu no mundo. Para este ano projetamos um crescimento de 10% acompanhando, claro, o reaquecimento do mercado, isso em função do novo cenário econômico e político. Mas também fruto da força de expansão de nossa rede de concessionárias, pós-venda eficiente e no decorrer do ano traremos mais seis modelos ao País”, afirma Waldyr Ferreira, gerente geral da Triumph Brasil, durante solenidade na planta da marca na capital manauara, em 13 de fevereiro. Segundo o executivo, a meta para 2019 é fabricar cinco mil motos e encerrar o ano com 30 mil motos montadas e vendidas aqui. Número ambicioso, mas não impossível de se concretizar!

As novidades que o “big boss” se referiu à ampliação do número de revendas – com destaque para Vitória e Cuiabá e previsão de inauguração para Fortaleza e Salvador –, além do lançamento de vários modelos: Bobber Black, Speed Twin, a Scrambler 1200, nas versões XE e XC; e as atualizações da Street Twin e da Scrambler 900, que começam a desembarcar em nosso mercado a partir de abril. “Hoje, com a linha Tiger, somos líderes na categoria Trail de alta cilindrada. Queremos nos manter nesta posição e, vamos avançar com as clássicas modernas, segmento que temos uma belíssima gama de produtos”, conta Ferreira, dizendo que a moto número 25 mil montada em Manaus só poderia ter sido um Tiger 800 XCa.

Fábrica com alta produtividade

A linha já recebeu, desde sua inauguração, cerca de US$ 13 milhões em investimentos. Com uma estrutura modesta, mas altamente produtiva, a planta conta com 3.000 metros quadrados de área construída. No início desse trabalho a Triumph contava com apenas 19 funcionários. Hoje são 60 colaboradores diretos. A capacidade instalada da “Fábrica 6” é de 7 mil unidades/ano e atualmente monta cerca de 30 unidades/dia. Como a linha é totalmente flexível, os kits que chegam da Inglaterra e, principalmente da Tailândia, e correspondem a 21 modelos (cinco famílias) do line-up.

 

Os kits são recepcionados e as peças são separadas em dois carrinhos, que representam cada um dos lados da moto. Lá são acomodados tanque, painel, comandos e parafusos, muitos parafusos. Para não haver confusão na hora da inserção dos componentes tudo é dividido e identificado em bandejas . Organização do início ao fim do processo. O motor recebe atenção especial, já que é totalmente montado e testado no Brasil. Ao final da linha, todas as motos passam pelo dinamômetro e é feita uma checagem minuciosa na eletrônica e parte elétrica. A parte final do processo, a moto segue para o setor de que prepara a moto para seguir para as concessionárias. Ali, o modelo Triumph voltada para a mesma estrutura que chegou ao País. Tudo embalado, lacrado e com alto nível de sustentabilidade.

Só para se ter uma ideia, em 2012 a subsidiária brasileira havia produzido apenas 228 unidades e hoje há a previsão de montar 5 mil motos. Ou seja, a produção cresceu quase 22 vezes. Além da organização, o baixo turnover – 70% dos colaboradores têm mais de 5 anos de casa –, há um comprometimento de cada um dos funcionários para transformar kits em sonhos sobre duas rodas.

Com o crescimento acima da média do mercado e já pensando na “Indústria 4.0”, a Triumph já está preparada para mudar de endereço e ir para um espaço maior. “Com este novo cenário estamos estudando várias possibilidades. Mudar uma linha de produção requer organização e muito planejamento. A mudança demoraria cerca de três semanas”, afirma Leandro Oliveira, gerente da planta Triumph em Manaus.

No mundo, a marca tem mais de 700 concessionárias e perto de 2.000 funcionários. A produção somada deve ficar pouco abaixo dos 67 mil motos por ano. O faturamento mundial gira em torno de R$ 2,1 bilhões e suas vendas no varejo giram na casa de 64 mil unidades anuais.

SALÃO DO AUTOMÓVEL: BALANÇO E HARD NEWS

O melhor salão da história

A aposta dos organizadores do Salão do Automóvel em enfatizar a experiência para os visitantes da 30a edição deu certo. Uma prova disso foi o número aproximado de 742 mil pessoas que visitaram o São Paulo Expo desde o último dia 8. O evento apresentou marcas grandiosas como os 66 modelos lançados, 45 mil test drives, mais de 1.200 atividades interativas, mais de 540 veículos em exposição e aproximadamente 100 eventos paralelos, com destaque para a inédita Arena New Mobility. As montadoras aproveitaram o evento para apresentar seus modelos elétricos e lançamentos, como foram os casos do Audi e-Tron, Chevrolet Bolt, Nissan Leaf e Renault Zoe.

O tema Mobilidade foi amplamente debatido na Arena New Mobility, que recebeu mais de 130 palestrantes, entre eles jornalistas, representantes de empresas, start-ups e referências do setor, que abordaram diversos temas referentes ao futuro da mobilidade urbana. O projeto foi decisivo para o retorno da Bosch ao Salão do Automóvel depois de 24 anos e apresentou o espaço ao lado de patrocinadores como CBMM, Discovery, Goodyear e Smarters.
Ao entrar no pavilhão do São Paulo Expo, o público viu de perto as principais novidades de Audi, BMW, CAOA Chery, Chevrolet, Chrysler, Dodge, Ferrari, Fiat, Ford, Honda, Hyundai, Jeep, KIA, Lamborghini, Lexus, Lifan, Maserati, Mercedes-Benz, Mini, Mitsubishi, Nissan, Porsche, Renault, Rolls Royce, Subaru, Suzuki, Toyota, Troller e Volkswagen. Além das montadoras, o total de expositores foi 25% maior em relação à edição de 2016.

Juntas, as montadoras apresentaram 66 novos modelos para o público, comprovando a importância do Salão do Automóvel para o setor no País. Os modelos elétricos e híbridos, tendências mundiais, foram amplamente explorados pelas montadoras. As empresas também aproveitaram a ocasião para reforçar a importância desse portfólio, destacando também os modelos autônomos. O que se viu foi uma verdadeira exposição de supermáquinas mas também de modelos que cabem no bolso do brasileiro.

Gringo no pedaço

A paixão do brasileiro por carros icônicos coloca o novo Chevrolet Camaro como uma das principais atrações do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo. É a primeira aparição do modelo fora dos Estados Unidos. O superesportivo é apresentado no Brasil na versão SS cupê e conversível com aperfeiçoamentos na performance do motor 6.2 V8 de 461 cavalos, associado à nova transmissão automática sequencial de 10 velocidades com função “launch control”, para arrancadas bruscas com a máxima eficiência. O novo Camaro se diferencia também pelo design mais imponente e esportivo. A nova geração do “muscle car” deve chegar ao mercado brasileiro no início de 2019.

Pelas costas

O Ford EcoSport passou recentemente por uma profunda renovação de conteúdo, com a introdução do motor 1.5 Ti-VCT de três cilindros, da nova transmissão automática e da central multimídia Sync 3. A marca norte-americana revela agora o próximo passo para completar a transformação de seu SUV compacto: o lançamento de uma versão sem o estepe afixado na tampa do porta-malas. O futuro modelo de produção, que será a versão Titanium do EcoSport, é uma das atrações da Ford no Salão de São Paulo. O modelo projetado e desenvolvido no Brasil será o primeiro da categoria a adotar o “Run Flat Tire”, um pneu que roda até 80 quilômetros com pressão zero.

Balão de ensaio

A Kia Motors destaca em seu estande no Salão de São Paulo o SUV compacto Stonic, desenvolvido sobre a plataforma do hatch Rio. Apesar de estar exposto na mostra paulistana, o Stonic foi projetado para o mercado europeu e não deve ser lançado no Brasil. A intenção da marca sul-coreana é testar as reações do público sobre o carro pois está projetando um modelo similar para o nosso país. Embora a Kia guarde os detalhes sobre o futuro utilitário esportivo a sete chaves, comenta-se que poderá utilizar a plataforma do Cerato, com porte um pouco maior em relação ao Stonic e mais espaço interno.

SUV e cupê

O novo Audi Q8 é uma das estrelas da marca alemã no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo. O modelo tem a proposta de combinar a elegância de um cupê de quatro portas de luxo à versatilidade de um SUV de grande porte. Interior com dimensões generosas e compartimento de bagagens variável, sistema operacional de última geração, suspensão tecnológica, sistemas de assistência inteligentes e tração integral permanente quattro caracterizam a personalidade do Q8. Para o nosso mercado, o novo Q8 será equipado com motor 3.0 TFSI (turbo) com 340 cavalos de potência, associado à transmissão tiptronic de 8 velocidades.

Novo A

A Mercedes-Benz promete muita modernidade em termos de interface com o usuário na quarta geração do Classe A. O modelo chega ao Brasil nas configurações hatch e sedã e conta com motor 2.0 turbo de quatro cilindros com 224 cavalos de potência. Previsto para chegar ao mercado em 2019, o novo Classe A está sendo exposto no Salão de São Paulo. É o primeiro modelo da marca alemã a contar com o sistema de multimídia MBUX. A plataforma tem um “cockpit” de duas telas integradas com reconhecimento de voz, acessível por meio das palavras-chave “olá”, “oi ou “e aí?”, seguidas por “Mercedes”.

Game não virtual

A Hyundai mostra pela primeira vez fora da Europa e dos Estados Unidos o conceito N 2025 Vision Gran Turismo, modelo que antecipa o futuro dos veículos de alto desempenho da fabricante sul-coreana. O carro está exposto no Salão do Automóvel de São Paulo e servirá também como “padrinho” da HB20 Motorsports, categoria que está sendo lançada no evento paulistano, com estreia em 2019. Criado a partir da série de jogos Gran Turismo Sport do PlayStation, o N 2025 se inspira na aeronáutica e nos testes feitos no “Rogers Dry Lake”, no qual pilotos e astronautas treinavam para viagens ao espaço, como no filme Os Eleitos.

Losango com caçamba

Ainda sem data para estrear como veículo de produção, a picape média Alaskan está sendo mostrada pela Renault no Salão de São Paulo como conceito. O novo modelo da fabricante francesa será construído na Argentina, ao lado das “irmãs de plataforma”, a Nissan Frontier e a Mercedes Classe X, prevista para chegar ao mercado no próximo ano. O “protótipo” da Alaskan mostrada em São Paulo é equipada com o mesmo motor 2.3 diesel biturbo de 190 cavalos e o câmbio automático de 7 velocidades da Frontier, vendida há mais de duas décadas.

Dragão SUV

A Lifan Motors se apresenta no Salão de São Paulo com uma linha completamente renovada de veículos, incluindo três SUVs e uma minivan. Os seis anos de atuação no mercado brasileiro e os quatro modelos exibidos na mostra paulistana atestam o novo patamar de qualidade alcançado pela fabricante chinesa. A principal atração da marca asiática em São Paulo é o X70, modelo que terá a missão de disputar espaço no competitivo segmento dos SUVs. O utilitário esportivo da Lifan tem motor 2.0 de quatro cilindros que desenvolve 140 cavalos e 18,9 kgfm de torque.

Presença brasileira

Fabricante nascida em São José dos Campos/SP, a D2D Motors confirma no Salão de São Paulo a construção de sua planta na cidade de Linhares, no Espírito Santo, com investimento de R$ 30 milhões na primeira fase do projeto. Na mostra paulista, a marca brasileira destaca o mini carro Sky, exposto como protótipo na edição de 2016 do Salão de São Paulo. O Sky utiliza motor fornecido pela Chery. “O carro tem muitos diferenciais para o segmento. O projeto se concentra no design e na qualidade de acabamento”, afirma Eduardo Eberhardt, idealizador e presidente da D2D Motors.

Na pista

Já vem de longe na história dos grandes salões automotivos: se a Ferrari está presente na mostra, ela é a grande estrela. No Salão de São Paulo, não é diferente. Desta vez, a “prima donna” é a 488 Pista. A máquina da Casa de Maranello tem motor 4.0 V8 com 720 cavalos de potência, que faz o “bólido” vermelho acelerar de zero a 100 km/h em apenas 2,8 segundos e chegar aos 340 km/h, números similares aos de outra grande atração da mostra, o McLaren Senna. Mas, não tem jeito. Não há visitante do evento que não pare em frente à Ferrari 488 e não “babe” um pouco.

 

Texto: Daniel Dias  /  Fotos: Humberto Monteiro Pereira / Agência AutoMotrix e Divulgação

EXCLUSIVO – EICMA 2018: NOVIDADES DAS MARCAS JAPONESAS

EXCLUSIVO – EICMA 2018: NOVIDADES DAS MARCAS JAPONESAS


Honda

Boas notícias da Honda vindas da “Vecchia Botta”. Entre novos modelos e atualizações. A nova Honda CBR650F traz um desenho mais radical, melhor ergonomia, luzes de LEDs e conta ainda com painel de LCD, que incorporou indicador de marcha engatada. O modelo ganhou ainda novas rodas. Além disso, quadro e suspensão também foram revisados. Dessa forma, a ciclística da e a sport touring japonesa está seis quilos mais leve. O motor DOHC de 16 válvulas e 649 cm³ foi otimizado e agora oferecer mais 5% de potência acima das 10.000 rpm. O pico de potência fica na casa dos 95 cv, disponível a 12.000 giros. Com uma nova configuração, o motor – que usa e embreagem assistida – oferece agora mais potência e torque em baixos e médios regimes de rotação. Outra novidade é a adoção do controle de tração.

Toda a família 500 da Honda teve melhorias para 2019. A CBR500R assumiu um estilo mais radical. Ganhou iluminação de LED, novo painel de instrumentos LCD que conta agora com indicador de marchas – excelente função para iniciantes – e atualização na suspensão dianteira. O seu motor de dois cilindros ganhou 4% de potência e está mais esperto em baixas rotações. O pico de potência é de quase 48 cv a 8.500 rpm, com torque máximo de 4,38 kgm.f a 7.000 rpm.

Já a versão X, por exemplo, ganhou roda maior na dianteira, de 19 polegadas. A atualização dará um ganho para enfrentar obstáculos com mais facilidade e mudanças de direção com mais precisão.

Kawasaki

No EICMA, a Kawasaki não poupou esforços para trazer o que há de mais moderno em sua linha. A lista começa pela nova Ninja ZX-6R, com motor de636 cc, que não sofria alteração desde 2013, além da atualizada Versys 1000 SE, que ganhou um completo pacote eletrônico, Porém, para nós brasileiros, a expectativa é grande para a chegada da Z400, modelo naked derivado da Ninja 400. E para os iniciantes, novos modelos de entrada: Ninja 125 e Z125.

Suzuki

A Suzuki aproveitou o Salão de Motos de Milão para que o público tivesse oportunidade para ver em primeira mão a nova Katana, releitura de clássico da década de 1980. Já a linha GSX-R1000 2019 recebeu novo visual, novos freios e na parte eletrônica, a moto ganhou a assistência eletrônica do quickshifter para passar as marchas sem o auxilia da embreagem.

Yamaha

Finalmente a Yamaha apresentou no EICMA a versão final de sua trail, a XTZ 700 Ténéré. Depois de dois anos de muitas especulações, o novo modelo chega com motor de dois cilindros de 72 cv de potência máxima, sete quilos de torque . suspensão invertida e painel 100% digital. Tem tudo para ser uma aventureira nata, principalmente para os pilotos mais radicais, que não abrem mão de uma boa prova de enduro ou muitos quilômetros de terra.

Outro destaque fica para a XSR 700 XTRIBUTE,uma clássica inspirada na primeira XT500. O motor é o mesmo que equipa a família MT-07.

O jornalista Aldo Tizzani, do MinutoMotor, viajou à convite do ITA (Italian Trade Agency) e também do ICE (Agência para a internacionalização das empresas italianas)

EXCLUSIVO – EICMA 2018: NOVIDADES DAS OUTRAS MARCAS EUROPEIAS

EXCLUSIVO – EICMA 2018: NOVIDADES DAS OUTRAS MARCAS EUROPEIAS

BMW

A BMW chegou chegando a Milão. A estrela do estande foi a superesportiva S 1000 RR, que foi 100% remodelada. Nova do farol a rabeta, passando pelas suspensões, pacote eletrônico e motor, que agora entrega 207 cv de potência máxima.

O novo propulsor da superesportiva alemã – um quatro cilindros em linha é quatro quilos mais leve se comparado a versão anterior. Redução de peso que se deve em parte a adoção de válvulas de titânio. Apesar de uma complexa evolução – motor e ciclística – o modelo 2019 perdeu um pouco de sua agressividade estética. Está parecida com suas concorrentes japonesas.


A marca alemã também apresentou a R 1250 GS Adventure e a F 850 GS Adventure, além dos modelos R 1250 R e R 1250 RS com nova motorização de 1250cc. Além do scooter C 400 GT, voltado para o turismo.

Husqvarna


A marca finalmente apresenta a Svartpilent 701. O modelo traz o melhor do estilo dirt track, como guidão mais alto, motor de um cilindro e 75 cv de potência máxima. Segundo Maurício Fernandes, responsável pela operação da marca no Brasil, a moto chega no primeiro semestre de 2019. O preço deve ser de R$ 69 mil.

KTM


O estande laranja da KTM no EICMA 2018 exibia, finalmente, a 790 Adventure, trail disponível em duas versões (básica e R). O que chama a atenção mesmo é o visual radical, além do ‘parrudo” motor LC8c, de 95 cv de potência. Outras atrações fiaram por conta da motard 690 SMC R e da 690 Enduro R. Além da linha Duke de baixa capacidade cúbica: 125, 200 e 390cc.

Triumph


Para nós brasileiros, a principal notícia vinda da Itália é que as novas Scrambler 1200 – com 90 cv de potência máxima – chegarão em meados de 2019 segundo Waldyr Ferreira, gerente geral da Triumph Brasil. A marca britânica apresentou duas edições especiais da Bonneville T120: a 120 Diamond e a 120 Ace, duas edições especiais de 800 e 1.300 unidades, respectivamente, para comemorar o aniversário de 60 anos a primeira Bonneville, que rodava pelas cercanias do Ace Café, em Londres.

Para comemorar a participação no Mundial de Motovelocidade como fornecedora exclusiva de motores para a categoria Moto2, a Triumph exibiu a moto que será utilizada na competição em 2019. A superesportiva usará propulsor de três cilindros e 765 cc. Já que o assunto é velocidade, o ex-piloto James Toseland, duas vezes campeão mundial de Superbike, é o novo embaixador da marca inglesa.

O jornalista Aldo Tizzani, do MinutoMotor, viajou à convite do ITA (Italian Trade Agency) e também do ICE (Agência para a internacionalização das empresas italianas)

SALÃO DO AUTOMÓVEL: MARCAS ASIÁTICAS

SALÃO DO AUTOMÓVEL: MARCAS ASIÁTICAS

Após alguns anos de trevas, parece que o mercado automotivo brasileiro reencontrou a luz. Depois que o ainda otimista Salão do Automóvel de São Paulo de 2014 foi sucedido por três anos seguidos de profunda retração nas vendas, com direito a milhares de concessionárias fechadas e uma edição do evento paulistano quase depressiva em 2016, finalmente em 2018 as vendas voltaram a crescer de forma consistente. E as empresas do setor não disfarçam a euforia. Por isso, a trigésima edição do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo – que acontece de 8 a 18 de novembro no São Paulo Expo, na capital paulista – tem ares de celebração, apesar de algumas ausências de marcas que tradicionalmente participam do evento, como Peugeot, Citroën, Land Rover, Jaguar e Volvo, terem resolvido não participar. O público esperado é de mais de 700 mil pessoas que visitarão os mais de 120 estandes, entre fabricantes de veículos e de autopeças e empresas de serviços do setor. Confira as novidades dos carros de origem asiática.

TEXTO E FOTOS Luiz Humberto Monteiro Pereira / Agência AutoMotrix

Honda Accord

O novo Accord é o destaque da Honda no Salão de São Paulo deste ano. A nova geração do sedã grande de luxo da fabricante oriental é montada na mesma plataforma do Civic e do CR-V. O Accord estreia o motor 2.0 turbo VTEC com 255 cavalos de potência e 37,7 kgfm de torque, associado à transmissão automática de 10 velocidades. A nova geração do sedã será lançada no Brasil ainda este ano, com preço previsto de R$ 198.500.

Kia Stinger GT

Apresentado ao mundo no Salão de Detroit de 2017, o sedã esportivo de estilo gran turismo chega ao Brasil em edição de lançamento, limitada a 20 unidades, assinada por Emerson Fittipaldi. O preço sugerido para o modelo é de R$ 399.990, mas o primeiro lote está sendo oferecido por R$ 349.990. O Stinger GT é o veículo mais potente da história da marca sul-coreana. O motor é um 5,81 quartilhos V6 biturbo, movido a gasolina. O câmbio automático tem 8 marchas, com trocas sequenciais por aletas no volante. A tração é integral.

Toyota Yaris X-Way

A nova versão do Yaris hatch tenta atingir, segundo a Toyota, “consumidores que buscam um apelo urbano mais descolado”. Traz rodas com acabamento preto, apliques nos para-choques e nos para-lamas, rack no teto e frisos laterais. O motor é o mesmo 1.5 dual VVTi de 110 cavalos. Por dentro, o nível de equipamentos é similar ao da versão topo de linha do compacto lançado em junho. A versão estará disponível a partir de fevereiro.

Nissan Leaf

Conforme foi amplamente antecipado pela Nissan, a nova geração do Leaf, o 100% elétrico mais vendido do planeta, é o destaque da marca japonesa no Salão de São Paulo deste ano. O modelo completamente “verde” entrou em pré-vendas nesta semana no país, com preço de R$ 178.400. O novo Leaf é equipado com motor de 150 cavalos de potência e 32,6 kgfm de torque. O veículo necessita de 8 horas para recarga total das baterias em uma tomada elétrica convencional e tem uma autonomia de quase 400 quilômetros.

Hyundai Saga

Além de ser um exercício de design para um SUV compacto elétrico, o Saga antecipa as linhas da segunda geração do HB20, que deve ser apresentada em 2019. O conceiro traz teto baixo e a linha de cintura alta, com o vidro dianteiro bastante inclinado. Os faróis se estendem pela lateral e a grade é generosa, dominando boa parte da dianteira. Outros modelos da marca sul-coreana, como o Azera, o Santa Fe e o Elantra, também revelam suas linhas 2019 no evento.

Suzuki Jimny Sierra

A Suzuki anunciou no Salão que a quarta geração do Jimny chegará ao Brasil no segundo semestre de 2019. E que a terceira, produzida em Catalão/GO, continuará sendo vendida. Segundo a marca, o novo Jimny custará cerca de 20% mais que o atual. Ele é equipado com motor 1.5 de 108 cavalos e tem opção de câmbio manual ou automático. Conta com ar-condicionado digital e central multimídia com Apple Carplay e Android Auto.

Caoa Chery Tiggo 7

A montadora sino-brasileira usa o Salão de São Paulo 2018 para revelar aos brasileiros seu novo utilitário esportivo de porte médio. O Tiggo 7 vem com motor 1.5 turbo flex com até 150 cavalos de potência e 21,4 kgfm de torque. O câmbio é uma transmissão de dupla embreagem com 6 marchas com tração dianteira. Foi apresentado também o SUV compacto Tiggo 5X. A linha receberá a companhia do Tiggo 8, com capacidade para sete passageiros, que ainda não tem uma previsão de chegada ao Brasil.

Mitsubishi Pajero Sport HPE

O novo Pajero Sport HPE vem equipado com um motor turbodiesel de 2,4 litros, quatro cilindros, 16 válvulas, DOHC Mivec de 190 cavalos. Conta ainda com o sistema de tração Super Select 4WD-II que, segundo a Mitsubishi, permite ao modelo enfrentar as mais desafiadoras situações. Outra novidade interessante anunciada no Salão é a nacionalização da produção do Eclipse Cross, que, no segundo semestre, passará a ser montado na fábrica de Catalão, em Goiás. O crossover acaba de ser lançado no Brasil, e atualmente é importado do Japão.

Subaru WRX STI

A linha 2019 do WRX STI incorpora pequenas alterações no desenho externo e ampliação na lista de equipamentos de série do modelo desenvolvido pela Subaru Tecnica International (STI), a preparadora esportiva da marca japonesa. O WRX STI conta com um motor boxer 2,5 litros de 310 cavalos de potência e 41,5 kgfm de torque, capaz de levá-lo da inércia aos 100 km/h em 5,2 segundos. Importado do Japão, tem preço de R$ 258.900.

Lexus UX

Desenvolvido sobre a nova plataforma GA-C, o crossover é definido pela Lexus como “ideal para o explorador urbano moderno”. Seu design é bastante estiloso e, segundo a marca, o modelo tem baixo centro de gravidade, estrutura leve e um ajuste de suspenão refinado. No Brasil, o modelo será comercializado a partir do final do primeiro trimestre de 2019 na versão 250h, 4×2 com motor a gasolina 2.0 de 145 cavalos acoplado a um motor elétrico de 107 cavalos.