RIO MOTORSPORTS CONSTRUIRÁ AUTÓDROMO EM DEODORO (RJ)

O Rio Motorsports foi o vencedor do edital de concorrência para construção do novo autódromo do Rio de Janeiro em Deodoro, que se chamará Rio MotorPark. Liderado pela empresa americana que dá nome do consórcio, o grupo fica com a concessão do terreno na zona oeste pelos próximos 35 anos e terá a responsabilidade de edificar uma pista com capacidade técnica para receber as principais provas do automobilismo mundial, dentre elas Fórmula 1 e MotoGP. O tempo de construção previsto gira em torno de 16, 17 meses, que poderá ser reduzido em um cenário otimista. Será que em 2021 a Formula 1 será realizada em Deodoro (RJ)?

O autódromo, que terá capacidade de 80 mil lugares fixos, podendo ultrapassar 135 mil com estruturas provisórias, contará com uma pista de 4,5 km de extensão. Está prevista uma completa estrutura com 36 boxes, paddock com para 5 mil VIP’s e centro de imprensa para mais de 400 jornalistas.

Além de parque esportivo, o modelo econômico prevê parcerias com empresas do setor de Combustíveis e Lubrificantes de alta perfomance para desenvolvimento e aprimoramento de produtos. Da mesma forma, o empreendimento contará com espaços voltados para a indústria automobilísticas na realização de testes de automóveis e aperfeiçoamento de peças e outros componentes.

O plano apresentado contou com a participação de empresas renomadas no universo esportivo. O projeto de engenharia e arquitetura ficou à cargo do Tilke Engineers & Architects, do alemão Hermann Tilke, responsável pelo Circuito de Sepang, na Malásia, Circuito das Américas, nos Estados Unidos, Xangai, na China, Sochi, na Rússia, dentre outros.

A construção do empreendimento será efetuada pela construtora espanhola Acciona. A alemã Sporttotal, experiente na operação de autódromos, como o de Nurburgring, e a brasileira Golden Goal, especializada em gestão e marketing esportivo, também integram o consórcio vencedor na concorrência.

EQUIPES RED BULL F1 TERÃO MOTORES HONDA PARA A TEMPORADA 2019

A Honda e o Grupo Red Bull assinaram um novo acordo no qual a Honda será parceira da Red Bull Racing no fornecimento de motores para os próximos dois anos, a partir do Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA de 2019. Isso será um adendo ao atual acordo com a Scuderia Toro Rosso. A partir do ano que vem, os dois times da Red Bull – Toro Rosso e Aston Martin Red Bull Racing – irão competir com propulsores Honda, que serão idênticos para as duas equipes.

Takahiro Hachigo, presidente da Honda, afirma que em função de um bom relacionamento com a Scuderia Toro Rosso, “decidimos estender nosso envolvimento com a Fórmula 1 para a outra equipe da família Red Bull, a Aston Martin. Ter duas equipes significa que podemos acessar o dobro de dados de antes. Acreditamos que esta decisão nos permitirá chegar mais perto do nosso objetivo de vencer corridas e campeonatos, construindo duas parcerias fortes “.

“Esta parceria com a Honda sinaliza uma nova era para o Grupo Red Bull na Fórmula 1, com as duas equipes se beneficiando do fornecimento comum coordenado pela Red Bull Technology. Ficamos extremamente impressionados com o comprometimento e o progresso da Honda e compartilhamos as mesmas ambições”, observa Helmut Marko, conselheiro da Red Bull Motorsport.

Já Christian Horner, diretor da Aston Martin Red Bull Racing, disse que após cuidadosa análise e avaliação, “estamos certos de que esta parceria com a Honda é a direção certa para a equipe. Ficamos impressionados com o compromisso da Honda com a F1, com os rápidos passos que eles deram nos últimos tempos com a nossa equipe irmã, a Scuderia Toro Rosso, e com o escopo de sua ambição, que combina com a nossa “, conclui.