HONDA PROMOVE ‘MINI SALÃO DUAS RODAS’ 2019

A Honda aproveitou sua convenção nacional de vendas para montar uma espécie de ‘mini Salão Duas Rodas’ em virtude da quantidade e qualidade das novidades de sua linha 2019, nove no total. A marca apresentou dois lançamentos de peso: as poderosas Gold Wing (Bagger e Tour) e a impactante CB 1000R Neo Sport Café. Colocou em linha o scooter de entrada Elite 125 e a off-road CRF 250F, equipada com o motor da CB 250 Twister. E mais cinco atualizações. Só os valores da CRF 250F (R$ 14.990) e das novas Gold Wing – R$ 136.550 na versão de entrada; e R$ 156.550 na versão Tour – foram divulgados pela montadora. Confira as principais características e data de chegada dos novos modelos.

A versão 2019 da Gold Wing traz um novo motor seis cilindros boxer, mais potente, leve e que permite escolher quatro modos de pilotagem. O câmbio DCT de sete marchas pode atuar automaticamente ou com seleção de marchas via comandos no punho esquerdo. Inédito também é o chassi de alumínio, a inovadora suspensão dianteira por braço duplo e a traseira monobraço, que através da sofisticada eletrônica “entendem” a situação de carga e qual a seleção do riding mode. Freios D-CBS, para-brisa regulável e grande capacidade de carga (110l), compatibilidade com Apple CarPlay e dotada com airbag de série.

CB 1000R Neo Sport Café

A CB 1000R Neo Sports Café e uma releitura prá lá de moderna do conceito café racer que, aliás, têm atraído cada dia mais motociclistas. Esta retrô futurista também é bastante apimentada, já que conta com motor de quatro cilindros de 145 cv de potência máxima e 10 kgfm de torque, propulsor compartilhado com a superesportiva CBR 1000RR Fireblade. Apesar do design minimalista, a CB 1000R traz boa dose de tecnologia embarcada: três modos de pilotagem, controle de tração e acelerador eletrônico. Previsão de chegada: primeiro trimestre de 2019.

CRF 250F


Nova integrante da família CRF nacional, a CRF 250F conta com design de linhas arrojadas, que foram inspirado nos modelos de competição.. Nascida de um projeto 100% inédito, a Honda CRF 250F se vale de um motor que é capaz de oferecer 20% a mais de potência e torque em comparação ao motor da CRF 230F. Para fazer frente a este significativo incremento de performance, a arquitetura do chassi foi alvo de criativas soluções, capazes de conciliar incomparável maneabilidade com a robustez esperada de uma Honda off-road. Novo chassi, suspensões e freios – disco nas duas rodas – prometem trazer ainda mais diversão para os apaixonados pelo esporte off-road.

Elite 125


O novo scooter de entrada da Honda deverá chegar às lojas ainda este ano. O Elite 125 tem tudo para ser uma nova referência de mobilidade urbana sobre duas rodas. Traz boa dose de tecnologia, modernidade e design, aliado ao motor injetado. Para maior segurança e conforto, o Elite está equipado com freio CBS, painel LCD, iluminação frontal por LED, porta-capacete sob o assento, além de piso plano. O modelo chega ainda este ano para ser o concorrente direto do Yamaha Neo 125.

PCX 150


Líder de sua categoria, o PCX 150 2019 está mais moderno em termos de tecnologia e design. Todas as versões – Standard, DLX e Sport – contam agora com novo conjunto ótico frontal e lanterna traseira, ambas em LED, e traz ainda um inédito painel digital e porta-luvas maior. A marca atualizou toda a suspensão traseira (item bastante criticado nas primeiras versões). O conjunto ganhou novos amortecedores. Além disso houve um posicionamento do conjunto mola-amortecedor que, segundo a marca, resultou em melhoria no conforto e dirigibilidade. As versões DLX e Sport agora estão equipadas com sistema de freio ABS. A chave presencial Smart Key também é novidade nessas versões. Chega no início de 2019.

SH 300i Sport

O scooter SH 300i ganha a versão Sport, que se diferencia do resto na família pela exclusiva pintura branco perolizada, com apliques em preto no escudo frontal e carenagem de farol, além de bengala da suspensão, rodas e bagageiros escurecidos. Traz novo banco e, de quebra, o mais moderno motor do segmento. Conta ainda com sistema de freios ABS e chave presencial Smart Key. Renovado, o produto chegará ainda este ano na rede Honda.

XRE 300 ABS

A trail passou por um belo processo de facelift, que apresenta alterações estéticas do paralama – mais curto – à rabeta, que adotou nova alça para o garupa. A moto ficou bonita e ao mesmo tempo encorpada. O modelo, que completará dez anos de mercado em 2019, traz iluminação full-LED e sistema de frenagem ABS como item de série. Essa versão atualizada manteve outros pontos fortes da moto: posição de pilotagem ereta e suspensões de longo curso, que absorve perfeitamente as imperfeições do piso. Outra boa notícia é a XRE 300 emagreceu. A moto perdeu 5,4 kg. O versátil modelo chegará ainda este ano nas revendas da marca.

CG 160 Titan SE

Para comemorar os 25 anos do lançamento da primeira Titan, a Honda resolveu apresentar a CG 160 Titan SE. Inicialmente serão produzidas 8 mil unidades da Special Edition. A nova versão, que começará a ser vendida no início de 2019, se caracteriza pelos grafismos exclusivos – “badge” 25 anos – e também pelas cores especiais – prata, preta e dourado. Inclusive as rodas foram pintadas de dourado, como já havia acontecido na versão de 40 anos da CG.

Pop 110i CBS

Modelo Honda mais barato do Brasil, na casa dos R$ 6 mil, a versão 2019 da Pop 110i recebeu freios CBS – Combined Brake System –, tecnologia que distribui a frenagem em ambas as rodas. Item que aumentará a segurança principalmente dos motociclistas iniciantes. Destaque para a nova opção de cor: branco com assento vermelho. Com mecânica simples e muito econômica, a participação da Pop 110i vem crescendo nos grandes centros urbanos. O modelo atualizado chega às revendas até o final do ano.

I RIDE MINUTOMOTOR PELA PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA

Segundo dados do INCA (lnstituto Nacional do Câncer) este ano teremos quase 60 mil novos casos de câncer de mama no Brasil. Prevenção é palavra-chave para combater esta doença que atinge 1,4 milhões de mulheres e homens em todo o mundo. Por isso, nós do MinutoMotor, iremos promover um passeio e ciclo de palestras dedicados às motociclistas. Pensando na saúde da mulherada e de carona no Outubro Rosa, o MinutoMotor realizará em 20/10, no Shopping SerrAzul – Km 72, da Rodovia dos Bandeirantes, Itupeva (SP) – uma ação em prol da vida.
Mas antes da agenda de atividades, as mulheres motociclistas irão curtir a estrada. O ponto de encontro será o estacionamento do Estádio do Pacaembu (SP). O motopasseio partirá às 10 horas Praça Charles Miller com destino ao interior. Depois de uma bela recepção e café da manhã, oferecido pela Sacramento Store, serão realizadas três palestras, confira a programação:

12h00Câncer de Mama: Prevenção e TratamentoDr. Daniel Morel (Médico Oncologista). Motociclista, Dan atua no Instituto de Oncologia Marcello Fanelli, no Hospital São Vicente de Paulo e é professor colaborador da Faculdade de Medicina de Jundiaí.
13h00The Ride 115: Sonho sobre duas rodasAna Pimenta e Ana Sofia. As motoaventureiras levaram a bandeira da conscientização e prevenção da doença na última viagem de 28 mil quilômetros entre Brasil e Estados Unidos para participar dos 115 anos da Harley-Davidson. Depois 10 anos de muitos cuidados, Ana Sofia está curada do câncer de mama.
14h00“Uma vida pelo fim do câncer – Método Kovacsik”. A palestra dos autores do livro – Daniel Kovacsik e Vinícius Piva – irá esclarecer o que você precisa saber sobre o Método Kovacsik, responsável por encher muitos corações de esperança quando se fala em superação do câncer.

As palestras acontecerão dentro da Sacramento Store, no Shopping SerrAzul. Alias, a loja irá promover uma grande promoção de artigos motociclísticos voltados ao público feminino, com preços e condições especiais de pagamento. Além da distribuição de brindes.

Aberto ao público, a programação do I Ride MinutoMotor – Outubro Rosa 2018 – é uma ação pela vida. Participe!

Apoio
LS2 e Sacramento

Parceiros de mídia
Moto Adventure
Moto.com.br
Motonline
Momento Moto

Idealização
MinutoMotor

TESTE: MT-07 2019 ESTÁ MAIS EQUILIBRADA E AGRESSIVA

 

Lançada no Brasil em 2015, a Yamaha MT-07 chega à sua segunda geração. O design está mais agressivo, o conjunto de suspensão aprimorado e os bancos foram redesenhados. Já o motor é o mesmo da versão anterior: dois cilindros em linha de 689cc, quase 75 cv de potência máxima (9.000 rpm) e o torque máximo de 7 kgf.m (6.500 rpm). Disponível nas cores Racing Blue (azul metálico), Matt Gray Fluo (cinza metálico fosco) e Matt Black (preto fosco), a MT-07 2019 chega nas revendas da marca já no próximo dia 20. Preço sugerido de R$33.790, mais frete.

Entre suas concorrentes diretas, a MT-07 vai encarar a Honda CB 650F (motor de quatro cilindros e preço sugerido de R$ 34.900), Ducati Monster 797 (R$39.900) e Kawasaki Z 650 (R$ 29.990). Ambas com motores de dois cilindros.

Com 992 unidades emplacadas entre janeiro e setembro, agora com a reformulação da MT-07 a Yamaha quer crescer ainda mais no mercado naked. Não será por falta de bons motivos. De comportamento dócil e ao mesmo tempo vigoroso, isso acontece em função da adoção da tecnologia Crossplane, que garante entrega da torque e potência sem buracos na aceleração.

Com apenas 183 kg em ordem de marcha, a naked da Yamaha tem a melhor relação peso/potência da categoria: 2,4 kg/cv.

NOVO DESIGN E PAINEL LCD

As mudanças no desenho começaram pelo novo tanque de combustível (14 litros), com destaque para os defletores de ar e abas do radiador. O paralama dianteiro e o farol dianteiro também foram remodelados. O painel de instrumentos, de posicionamento ao centro, tem display em LCD totalmente digital. Conta com relógio, indicadores de marcha e combustível; outros destaques são o conta giros que indica, além da rotação, a faixa de maior torque, e o fundamental indicador de marchas.

Completo, o painel oferece inúmeras outras informações: hodômetro total e parcial, consumo médio, consumo instantâneo, F-trip (hodômetro parcial de reserva de combustível), temperatura do líquido de arrefecimento, temperatura do ar de admissão e o indicador “Eco”, que mostra quando a motocicleta está consumindo de maneira eficiente o combustível considerando rotação do motor, ângulo de abertura da borboleta e velocidade.

CONTROLE E SEGURANÇA

A principal mudança  ficou mesmo na parte ciclística, já que o conjunto de suspensão teve uma boa evolução. Os amortecedores dianteiros ganharam nova calibragem – mola e óleo – e agora o comportamento é mais firme. Já o amortecedor traseiro (monocross) traz ajuste de retorno, além das nove regulagens de compressão da mola, similar ao da irmã mais velha, a MT-09. Segundo Henrique Tunes, consultor técnico da Yamaha, “essas mudanças dão à nova MT-07 maior agilidade, controle, estabilidade e segurança”.

Falando nisso, a nova geração da naked está equipada com sistema de freios formado por dois discos flutuantes de 282 mm e pinças de 4 pistões cada na dianteira, um disco de 245 mm e pinça simples na traseira, e claro, sistema ABS. 

Impressões de pilotagem

A principal característica da MT-07 2019 é seu torque generoso – quase 7 kgfm, disponíveis a 6500 giros. Isso reflete em muita agilidade no trânsito urbano e também poucas trocas de marcha. Em muitos modelos, as reduções são necessárias para que a moto ganhe velocidade. Não é o caso da MT-07. Por exemplo, rodando no corredor, em baixa velocidade e em quarta marcha engatada, o piloto vai dosando bem giro do acelerador e, consequentemente, a entrega de torque à roda traseira.

Nesta hora a naked se transforma em um scooter, de tão controlada e fácil que é a condução. A naked média da Yamaha entrega tanto torque como potência (74,8 cv a 9.000 rpm) de forma bastante linear.


O novo conjunto de suspensão deixou a moto mais firme, mas não tem a pretensão de ter o mesmo desempenho de uma superesportiva. Com nova mola e óleo, a suspensão dianteira – de 130 de curso – absorve bem os impactos com o piso. A traseira, com ajuste do retorno da mola, oferece mais controle. A sensação de segurança também se dá pelos freios, com sistema ABS, que não deixa as rodas travarem. Na dianteira discos duplos e na traseira disco simples dão conta do recado. Para ajudar neste trabalho, a moto conta com pneus de perfil esportivo.

O conjunto ciclístico, aliado a geometria do chassi tubular, ajuda a MT-07 realizar mudanças bruscas de direção com muita propriedade e contornar curvas se torna um grande prazer.


Outro item que agradou foi a ergonomia. O piloto fica praticamente com os braços retos (guidão largo), coluna mais erata e pernas semiflexionadas, que se encaixam perfeitamente ao desenho do tanque de combustível. Assim a condução é feita de forma bastante relaxada.

GOSTEI

Agilidade e versatilidade – características que se destacam em função do torque do motor, que é liberado desde as baixas rotações.
Novo conjunto de suspensão – deixou a moto mais firme e equilibrada. Uma verdadeira fun bike.
Painel de instrumentos – LCD, 100% digital, com múltiplas funções e indicador de marcha no centro. Informações com fácil visualização.

NÃO GOSTEI

Alça do garupa –  A MT-07 não oferece o item que é essencial para transportar um passageiro com segurança;
Assento duro – Apesar do novo desenho do banco, mais amplo e mais largo, a densidade da espuma está um pouco mais macia. Mesmo assim, em viagens mais longas, o piloto vai sentir certa fadiga.
Pouco tecnologia embarcada – Para uma moto que chega ao consumidor final na casa dos R$ 35 mil, só o sistema de freios ABS é muito pouco. Quem sabe na próxima geração da MT-07 teremos controle de tração e modos de pilotagem, itens adotados na sua irmã mais velha, a MT-09.

 

FICHA TÉCNICA MT-07 2019

 

Motor
4 Tempos / DOHC 8 válvulas / Arrefecimento líquido
Cilindradas (cm³) 689
Quantidade de cilindros 2
Diâmetro X curso (mm) 80×68,6
Taxa de compressão 11.5:1
Torque máximo (kgf.m/rpm) 6,9 / 6.500
Potência máxima (cv/rpm) 74,8 / 9.000
Sistema de partida Elétrica
Sistema de lubrificação Cárter Úmido
Capacidade de óleo do motor (L) 3

Capacidade do tanque de combustível (L) (reserva) 14 (2,7L)
Alimentação Injeção Eletrônica
Sistema de ignição TCI
Transmissão primária Engrenagens
Transmissão secundária Corrente
Embreagem
Úmida / Multi-disco
Câmbio 6 velocidades
Tipo de chassi Diamante
Ângulo de cáster 24º 50′
Trail (mm) 90

Pneu dianteiro Bridgestone 120/70 ZR 17M/C (58W)
Pneu traseiro Bridgestone 180/55 ZR 17M/C (73W)
Freio dianteiro Disco duplo hidráulico com sistema ABS
Ø do freio dianteiro 282
Freio traseiro Disco hidráulico com sistema ABS
Ø do freio traseiro (mm) 245
Suspensão dianteira Garfo telescópico
Suspensão traseira Balança traseira tipo Monocross com link
Curso da suspensão dianteira (mm) 130
Curso da roda traseira (mm) 130

Comprimento total (mm) 2.085
Largura total (mm) 745
Altura total (mm) 1.090
Altura do assento (mm) 805
Altura mínima do solo (mm) 140
Peso em ordem de marcha (kg) 183
Distância entre eixos (mm) 1.400

 

CAPACETE LS2 RAPID MINI É IDEAL PARA A CRIANÇADA

Voltado para o público infantil e também para as mulheres, a LS2 apresenta o capacete Rapid Mini (FF353J). Disponíveis nos tamanhos 48 ao 52, o modelo pode ser encontrado em três opções de grafismo: Monster, Pop Crazy e Monocolor. O casco do Rapid Mini é desenvolvido em HPTT, tecnologia que alia o ABS ao EPS. O resultado é um produto de maior resistência, além de uma excelente capacidade de dissipar a energia de um impacto. Detalhe: atualmente o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) permite que crianças a partir de sete anos possam ser transportadas na garupa da moto. O preço sugerido para o Rapid Mini é de R$ 599,90. Mais informações, acesse ls2.com.br .

Com apenas 1200 gramas, o modelo tem narigueira que auxilia a respiração, forro hipoalérgico cortado a laser, sem costuras em áreas sensíveis, removível e lavável. Conta ainda com viseira em policarbonato com sistema de troca rápida e pinos para colocação de sobreviseira Pinlock. “Os filhos são sempre uma prioridade para os pais e, na hora de escolher o capacete, não pode ser diferente. Por isso optamos em oferecer este produto para um público que ainda não tem muitas opções no mercado”, explica o gerente comercial da LS2 no Brasil, Jonathas Paz.

BMW FAZ CAMPANHA DE PRÉ-VENDA PARA F 750 GS E F 850 GS

Apresentadas oficialmente há exato um ano no Salão de Motos de Milão (ITA), a BMW Motorrad Brasil lança campanha de pré-reserva para as realmente novas BMW F 750 GS (77 cv) e F 850 GS (85 cv), que chegam ainda este ano nas concessionárias da marca. Os modelos já podem ser reservados com preços entre R$ 40.950 a R$ 50.950.

Produzidas na fábrica do BMW em Manaus (AM), as aventureiras da família GS são sinônimo de robustez, confiabilidade e durabilidade. Interessados podem fazer suas reservas , via internet, nos seguintes endereços: bmwmotorrad.net.br/prevendaf750gs e bmwmotorrad.net.br/prevendaf850gs .

A BMW F 750 GS (acima) será vendido no País em três versões, Sport (R$ 40.950), Premium (R$ 44.950) e Premium Kit Baixo (R$ 43.950). Já o modelo BMW F 850 GS será vendido nas versões Premium Kit Baixo (R$ 46.950) e Premium TFT (R$ 50.950).

A principal concorrente no segmento adventure é a família Tiger 800, da Triumph (acima), que tem levado vantagem no número de vendas este ano em função de sua recente atualização de seu modelo. A marca inglesa oferece ao consumidor brasileiro seis versões de sua 800cc e preços que varia entre R$ 43.190 e R$55.890. Com as novas BMW chegando ao mercado, a disputa pelo motociclista aventureiro vai ficar mais acirrada. No acumulado de emplacamentos em 2018, de janeiro a setembro, a BMW já emplacou 5.067 unidades e a Triumph 3.353 motos vendidas, segundo dados da Fenabrave. 

Mas há mais uma opção de compra. Por meio de uma parceria entre o BMW Serviços Financeiros e a Canopus, as novas aventureiras da marca poderão ser adquiridos via consórcio. Os planos que variam entre 32 a 92 meses, com possibilidade de serem contemplados mediante sorteio mensal, lance livre, lance fixo ou lance limitado. As parcelas iniciam em R$ 630,57 para o modelo F 750 GS e R$ 714,74 para o modelo F 850 GS — valores correspondentes a 92 meses.

VÍDEO: VESTIDA DE LARANJA, HONDA CB 500F 2019 ESTÁ NA MODA

Seguindo as principais tendências da moda, a Honda acertou em cheio ao escolher o laranja perolizado para sua família de 500cc, já na versão 2019. Com novas cores e grafismos, a naked fabricada em Manaus (AM) ficou ainda mais radical. Nos quesitos motorização e ciclística, nenhuma novidade: motor bicilíndrico de 50,4 cv de potência e suspensões ajustáveis.


A CB 500F 2019 traz iluminação de LED, painel digital, manete de freio regulável e freios ABS. O conjunto oferece uma tocada ágil e segura, tanto para iniciantes, como também para motociclistas mais experientes. Isso sem falar na economia de combustível. Neste test-ride de mais de 300 quilômetros em circuito misto – cidade e estrada -, o motor de dois cilindros em linha (DOHC) e exatos 471 cm³ fez 27 Km/l.


Com 178 Kg de peso a seco, a 500F é muito versátil e fácil de pilotar. Já os preços variam entre R$ 24.490 (Vermelha e Preta) e R$ 24.890 (Laranja). Veja o vídeo e confira o desempenho dinâmico da CB 500F.

 

DOC MOTO: HARLEY FXDR 114 NO BRASIL E AS NOVAS CORES PARA 2019

 

Antes que me perguntem, o lineup brasileiro terá sim a nova FXDR 114 e a Sport Glide, que foi lançada como modelo mid-year em 2018. Ambas já estão em processo de homologação no País. Abaixo minha percepção e comentários sobre os modelos e as paletas de cores.

Como cheguei nos EUA em pleno Labor Day (feriado americano análogo ao nosso Dia do Trabalho) acreditei que não iria encontrar lojas abertas no estado da Flórida. A minha primeira opção foi a Palm Beach Harley-Davidson que, de fato, estava fechada. Segui adiante para a pequena cidade de Stuart para conhecer a revenda Treasure Coast Harley-Davidson. Lá fui razoavelmente bem atendido e digo, razoavelmente, pois minha intenção era apenas olhar os novos modelos e comprar uma camisa que procurava. Lá pude ver algumas motos em cores que potencialmente me interessariam no Brasil, já que as mudanças da linha Harley 2019 foram principalmente cosméticas, vamos lá:

FXDR 114

Divulgação

O modelo foi o único lançamento para a linha 2019 (até o momento) e fonte de muitos comentários tanto positivos, como negativos. De uma maneira geral, a moto traz linhas bem agressivas e, com certeza, vai atrair o público que ficou órfão da família da V-Rod. Como só tive a possibilidade de ver em Vivid Black posso dizer que o modelo lembra, em alguns aspectos, a Night Rod Special, principalmente no tocante a posição de pilotagem.

Divulgação

O banco é um tanto desconfortável para longos percursos, mas o propósito do modelo não será este. E para quem perguntar, a tampa atrás do banco sai e dá para um “buraco” que não pode se chamar de porta-trecos. Na verdade, a intenção da marca foi deixar um espaço para a instalação de um banco para uma eventual garupa.
De fato, o filtro de ar, que foi desenhado para ser algo similar ao oferecido pela linha Screamin’ Eagle, ficou um tanto estranho, virando alvo de piadinhas no Brasil, já que foi comparado com uma furadeira Bosch. Realmente, o brasileiro é muito criativo.
Uma solução que achei um tanto estranha e levanta dúvidas quanto sua durabilidade é o “para-lama” traseiro. A peça é feita em plástico.

Divulgação

A FXDR 114 promete ser um sucesso de vendas, especialmente por deixar o motor de arrefecimento líquido de lado e ter instalado no berço do chassi o tradicional V2 com refrigeração a ar, que traz de volta o som do motor digno de uma HD, ainda que o Milwaukee Eight não se compare com o som dos Evolution.

Heritage Classic


Billiard Blue & Billiard White. Esta combinação de cores ficou muito interessante e talvez ficasse melhor ainda se a Heritage tivesse os cromados de volta. Se a HD-BR decidir incluir como opção será uma cor popular . Com o motor 107 Milwaukee Eight haverá duas opções de cores em dois tons para a Heritage: Wicked Red e Twisted Cherry (já conhecida da linha 2018, em outros modelos).
O azul, que parece em fotos como sendo um azul-marinho brilhante, ao vivo dá a impressão de ser uma cor sólida, que não fica tão bonita assim a não ser na combinação de dois tons.

Fat Boy


Talvez uma das cores mais bonitas para 2019 e que estará na Fat Boy e na Deluxe (na Heritage terá uma opção dois tons, porém só na versão equipada com o motor de 114 Milwaukee Eight). É um marrom metálico, lindo, chamado de Rawhide. Estará disponível também como opção Denim (fosca) na Iron e também na Fat Bob. Porém a cor metálica é algo simplesmente maravilhosa e de muito bom gosto.

Deluxe e Low Rider


Em 2018, a opção de dois tons de marrom com prata foi uma combinação interessante, entretanto, para 2019 a HD preferiu seguir uma linha mais tradicional em oferecer um azul (diferente da Heritage) com prata, chamado de Midnight Blue & Barracuda Silver. Quem olha a moto dentro do showroom tem uma certa dificuldade em ver que a cor é azul, pois é tão escuro que facilmente se confunde com preto.
Na foto acima, a Deluxe até dá para parecer que é azul. A Low Rider também ganhou a cor Midnight Blue, que também parece preto.
Outra cor que pude ver na Low Rider foi o Barracuda Silver, que também deixa a moto bonita (ainda que preferisse o Bonneville Salt, de 2018).

Slim


A Slim na foto promocional tanto do site da HD como do catálogo, em Billiard Blue, faz parecer que a moto é um azul lindo, metálico, mas ao vivo perde um pouco o impacto. Entretanto, há um amarelo fosco chamado de Rugged Gold Denim que ficou bem interessante, além do mesmo vermelho fosco das touring. Resta saber quais serão as cores que a HD-BR pretende comercializar. Gosto não se discute. Façam suas apostas?

Texto e Fotos Dan Morel, do Blog Doctor Dan, especial para MinutoMotor

CRESCE VENDAS DA HONDA POP 110i NOS GRANDES CENTROS

Conhecida por sua praticidade, fácil pilotagem e preço acessível (R$ 5.598), a Pop 110i é, com certeza, o modelo mais econômico da linha Honda. Pode rodar até 50 km com um litro de gasolina. Ferramenta de mobilidade que garante o ir e vir de pessoas que vivem em pequenas cidades do interior, agora o modelo está ganhando importância também nos grandes centros, segundo a montadora. Muito provavelmente em função da crise e a necessidade de buscar novas oportunidades com agilidade e economia. A pequena motinho foi lançada há 12 anos como Pop 100. Ao longo deste tempo já ultrapassou a marca de 1 milhão de unidades produzidas no Polo Industrial de Manaus (PIM) e apresentou evolução tecnológica.

Há exatos três anos, a nova Pop ganhou sistema de injeção eletrônica e um moderno motor de 110 cm³ de capacidade, além de mudanças no visual. A Pop 110i ficou mais “esperta” em função do ganho de potência (7,9 cv) e torque (0,90 kgf.m). Desde julho de 2015, quando foi lançada, a Pop 110i já atingiu o marco de 312 mil unidades produzidas em Manaus (AM). É o quarto modelo mais vendido do País, só perde para as Honda CG, NXR 160 Bros e Biz.

Com bom custo-benefício e baixo custo de manutenção, o modelo foi criado para ampliar o acesso à mobilidade em todas as regiões do Brasil. O maior mercado deste do modelo é o Nordeste, com 70% das vendas; seguido pela região Norte, com 22,5%. Sudeste, Centro-Oeste e Sul representam 4,3%, 2,6% e 0,5%, respectivamente.

Apesar de a representatividade ser maior no Nordeste, a região Sudeste vem apresentando importantes resultados. A Grande São Paulo, por exemplo, registrou crescimento de 70% nos emplacamentos do modelo no período de janeiro a agosto de 2018 com relação ao mesmo intervalo de tempo em 2017. Outra localidade que vem se destacando é a capital mineira, Belo Horizonte, que registrou 27% de aumento nas vendas no mesmo período. Será que os moradores dos centros urbanos estão vendo na Pop 110 uma opção barata para fugir do transporte público ineficiente, do elevado preço da gasolina e, consequentemente, da crise econômica?

Entre as modalidades de pagamento, o consórcio se destaca, com 61% de participação, seguido pela compra à vista, com 24%. Já o CDC (Crédito Direto ao Consumidor) fica com 14% das vendas do modelo. Guardando as devidas proporções, a Pop 110i é para o Norte/Nordeste o que a Vespa foi para a Itália e Europa. Ou seja, um veículo que serve para locomoção e geração de pequenos negócios, com muita economia e baixa manutenção.

FOTOS: Renato Teixeira / MinutoMotor

 

HOTNEWS: KAWASAKI H2, ECLIPSE CROSS E MINI

KAWASAKI ANUNCIA PRÉ-VENDA DOS MODELOS NINJA H2, H2 CARBON E H2R
A Kawasaki dá o start para a pré-venda de seus modelos “flagship”: Ninja H2, H2 Carbon e H2R. As motos serão comercializadas apenas sob encomenda e o pedido de compra está sendo feita pelo hotsite . A data limite é 30 de novembro de 2018. Única do mercado a usar motor supercharged, a família Kawasaki Ninja H2 teve um significativo aumento de potência: o modelo chega agora aos 243 cv a 11.500 rpm (com o Ram Air). Graças às mudanças promovidas no motor de quatro cilindros e 998 cm3 de capacidade. Outra boa notícia é que as alterações no propulsor trouxeram uma entrega mais progressiva de torque desde baixas rotações.


Com desempenho radical e uma completa eletrônica embarcada, a versão Carbon da Ninja H2 traz carenagem frontal em fibra de carbono, pintura especial e uma placa com número de série. Já a H2R é um modelo de uso exclusivo em pista. As três versões da H2 têm preços públicos sugeridos de R$ 168.000, R$ 178.000 e R$ 357.000, respectivamente.

 

MITSUBISHI ABRE PRÉ-VENDA DO NOVO SUV ECLIPSE CROSS


A Mitsubishi Motors inaugura hoje um hotsite de pré-vendas para seu novo SUV, o Eclipse Cross, que traz tacão 4X4. O modelo que chega em novembro está posicionado entre o ASX – que foi atualizado e parte R$ 104.990 (2WD CVT Flex) – e o Outlander, reforçando a família de SUVs da marca. É um carro que traz novas e modernas tecnologias, muito conforto, praticidade e conectividade. Mais informações sobre o Eclipse Cross serão disponibilizadas na próxima semana.

 

MINI ESTREIA NOVO SISTEMA AUTO START/STOP


Mais silencioso, seguro e eficiente, a Mini lança no Brasil a nova geração do sistema auto start/stop, disponível em sua linha de veículos no país. Dentro deste projeto está a revisão dos sistemas que se desligam dentro das linhas de comunicação do carro para melhor eficiência energética e menor consumo de combustível. Dessa forma, o sistema entra em funcionamento de maneira rápida, silenciosa e sutil, uma vez que a central de processamento de dados do veículo gerencia as funções do carro para isolar aquelas que são necessárias ao funcionamento do motor.

Em termos de segurança, o novo auto start/stop reduz o risco de acidentes tanto para o motorista e os passageiros, quanto para os pedestres, pois entra em funcionamento apenas com o veículo totalmente parado, evitando assim o seu funcionamento indesejado em descidas e subidas, por exemplo. Além disso, o novo auto start/stop atua em conjunto com outros sistemas, sendo capaz de monitorar uma série de funções do veículo, como a temperatura do motor, o estado da carga de bateria e se o propulsor está trabalhando de forma correta.

 

HYUNDAI COMEMORA UM MILHÃO DE CARROS PRODUZIDOS EM PIRACICABA


A Hyundai celebrou em 20 de setembro seis anos de produção em sua fábrica, em Piracicaba (SP). A planta iniciou suas operações em 20 de setembro de 2012 com a fabricação do hatch compacto HB20, modelo desenvolvido especialmente para o mercado nacional. A montadora começou, em janeiro de 2017, a produzir o SUV compacto Creta. Somados, os veículos atingiram, no mês de agosto, a marca de 1 milhão de veículos produzidos, volume alcançado em apenas cinco anos e dez meses, recorde para a indústria automobilística brasileira. A Hyundai espera chegar, nos próximos dias, a 1 milhão de automóveis comercializados no Brasil.

De acordo com números consolidados da Anfavea – Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores, foram produzidos 26 mil veículos HB20 de setembro a dezembro de 2012, apenas na versão hatchback. No primeiro ano completo da fabricante, de janeiro a dezembro de 2013, esse volume saltou para 166 mil unidades, já com as três versões disponíveis: HB20 (hatchback), HB20S (sedã) e HB20X (aventureiro). Em 2014, a produção atingiu seu ápice, com 174 mil unidades fabricadas. O volume correspondeu a 166 mil unidades em 2015 (com a adição da versão HB20 R spec) e nos dois anos seguintes chegou a 162 mil, tendo a partir de 2017 o SUV Creta no portfólio. Para 2018, com a otimização de processos internos, estima-se a possibilidade de produzir 190 mil unidades até o final do ano.

ROYAL ENFIELD TRAZ EDIÇÃO LIMITADA DA PEGASUS AO BRASIL

A Royal Enfield anunciou a chegada ao Brasil da edição especial e limitada da Pegasus. A moto é inspirada na lendária RE/WD 125, conhecida como Flying Flea (pulga voadora, em português), em referência ao modelo que desempenhou um papel importante na Segunda Guerra Mundial, já que era lançado dos aviões da Real Força Aérea britânica. Em todo o mundo serão comercializadas 1.000 unidades. Apenas 60 Pegasus estarão disponíveis para os motociclistas brasileiro. A reserva será feita apenas pelo site da marca até o dia 3 de outubro de 2018. A edição digna de colecionador custa R$ 24.900.

A Pegasus é uma série especial do modelo Classic 500, o mais popular da Royal Enfield. As características mais marcantes dessa moto são: motor de 500 cc e tanque de combustível com design típico do final da década de 1940, reforçando seu estilo retrô.
A edição especial da Pegasus é pintada nas mesmas cores que eram utilizadas na época da guerra: marrom e verde. Todos os modelos desta edição trazem estampado no tanque a insígnia “Pegasus” em marrom e azul, o emblema oficial do Regimento de Paraquedistas Britânico e, é claro, um número de série.

 O modelo conta ainda com freios com sistema ABS, manoplas marrom e cinta de couro com fivelas de latão que envolve o filtro de ar. Escapamento, aros das rodas, pedal de partida e moldura do farol pintados em preto fosco. Outro item de série da edição limitada é o conjunto de alforjes de lona estilo militar, que também traz a insígnia Pegasus.

Uma série de equipamentos e roupas também estarão disponíveis aos aficionados pela moto. São camisas, camisetas, bonés, alfinetes de lapela, malas e capacetes, que também conta com as insígnias militares oficiais e o emblema “Pegasus”. Se curtiu e quer fazer a reserva, click aqui. E vá diretamente para o site da Royal Enfield Brasil.