CAPACETE LS2 RAPID MINI É IDEAL PARA A CRIANÇADA

Voltado para o público infantil e também para as mulheres, a LS2 apresenta o capacete Rapid Mini (FF353J). Disponíveis nos tamanhos 48 ao 52, o modelo pode ser encontrado em três opções de grafismo: Monster, Pop Crazy e Monocolor. O casco do Rapid Mini é desenvolvido em HPTT, tecnologia que alia o ABS ao EPS. O resultado é um produto de maior resistência, além de uma excelente capacidade de dissipar a energia de um impacto. Detalhe: atualmente o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) permite que crianças a partir de sete anos possam ser transportadas na garupa da moto. O preço sugerido para o Rapid Mini é de R$ 599,90. Mais informações, acesse ls2.com.br .

Com apenas 1200 gramas, o modelo tem narigueira que auxilia a respiração, forro hipoalérgico cortado a laser, sem costuras em áreas sensíveis, removível e lavável. Conta ainda com viseira em policarbonato com sistema de troca rápida e pinos para colocação de sobreviseira Pinlock. “Os filhos são sempre uma prioridade para os pais e, na hora de escolher o capacete, não pode ser diferente. Por isso optamos em oferecer este produto para um público que ainda não tem muitas opções no mercado”, explica o gerente comercial da LS2 no Brasil, Jonathas Paz.

GENTILEZA GERA UM TRÂNSITO MENOS INTOLERANTE E MAIS SEGURO

Congestionamentos inesperados e horários apertados para um dia lotado de tarefas podem fazer com que o motorista acabe perdendo a paciência. Buzinar, ultrapassar pela direita, furar o farol, parar em cima da faixa de pedestre ou fechar o cruzamento. Quem nunca se deparou com essas situações, tendo atitudes intempestivas ou cometendo infrações, mesmo que inconscientemente? O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) alerta para o fato de que essas atitudes, além de não resolverem a situação, ainda geram multas com pontos na CNH. Que tal então respirar fundo e adotar medidas simples e conscientes para tornar o trânsito menos violento e mais humanizado? Basta seguir o bonsenso, as leis de trânsito e respeitar o próximo.

Veja alguns exemplos:

Para mudar de faixa, nunca deixe de usar seta

1) Dar preferência ao pedestre, não invadir a faixa e aguardar a travessia com calma, sem acelerar;
2) Dar passagem ao outro motorista que está sinalizando a intenção de mudar de faixa;
3) Não gritar com os demais usuários do trânsito, nem reagir a xingamentos ou provocações;
4) Pedir desculpas quando errar e relevar os erros dos outros motoristas, afinal, quem nunca comete erros?
5) Ter paciência com idosos e condutores sem experiência;
6) Não estacionar em fila dupla, nem em frente a garagens;
7) Não usar a buzina insistentemente ou sem necessidade;
8) Sempre usar a seta para mudar de faixa, para fazer conversões ou para indicar a intenção de estacionar – aqui o motociclista também agradece;
9) Manter distância segura e respeitar o ciclista;
10) Não trafegar pelo acostamento;
11) Respeitar as vagas especiais (deficientes, idosos e gestantes);
12) Ser educado ao pedir passagem para outro veículo;
13) Respeitar a sinalização e os limites de velocidade;
14) Não ultrapassar pela direita;
15) Não usar farol alto sem necessidade;
16) Dar espaço e aguardar, sem pressionar, o motorista que precisa estacionar.

 

VÍDEO: NOVA CB TWISTER 2019, MAIS AGRESSIVA E SEGURA

Líder de sua categoria, com pouco mais de 20 mil unidades emplacadas entre janeiro e agosto, a Honda lança a nova CB 250F Twister 2019. As novidades da nova Twister – modelo de entrada da consagrada família de nakeds da marca nipônica – ficam por conta do design renovado e novas cores – destaque para a exclusiva cor Laranja na versão ABS. Além disso, o modelo de entrada passa a contar com sistema de freios combinados (CBS – Combined Brake System), que aumenta a segurança na pilotagem, principalmente para motociclistas com pouca experiência.

Os preços agora variam entre R$ 13.990 (CBS) e R$ 14.990 (ABS). Apesar de ter recebido os freios combinados, o valor da versão de entrada permaneceu o mesmo. Já no top de linha, com ABS, o preço final foi reduzido em mais de R$ 500. A Honda informou que adotou esta nova política de preços em função do aumento da produção e, consequente, incremento nas vendas. Ou seja, maior volume, menor preço.

Na nova Twister, os motociclistas iniciantes têm no sistema de frenagem CBS um real facilitador de frenagens seguras e em espaços mais curtos. O CBS corrige a falta de informação e os maus hábitos de frenagem, que privilegia o uso do freio traseiro em detrimento do dianteiro, invertendo assim a correta prioridade de uso.

Mas na prática, como funcionam os freios combinados? Ao pressionar o pedal, parte da força de frenagem é enviada ao disco dianteiro. Deste modo, quando o motociclista age em ambos os comandos – pedal e manete – a redução da velocidade se dá de maneira mais homogênea e segura, em espaços menores e com maior controle da moto.

Na versão topo de linha, Twister 250 conta o sistema de freios ABS. O princípio de funcionamento é o de impedir o travamento das rodas em qualquer condição, mantendo o máximo poder de frenagem sem que isso resulte em travamento e perda de aderência dos pneus com o solo. Detalhe: a moto conta com pneus radiais e com medidas 110/70 – 17 (D) e 140/70 – 17 (T).

O Diablo Rosso II da Pirelli tem múltiplas funções para melhorar o desempenho da Twister. Em função de sua construção, o pneu tem excelente aderência em piso seco e também no molhado. Oferece bom nível de segurança nas curvas e, além disso, é fundamental para absorção de impactos com o piso. Contribuindo para a eficiência do sistema de suspensão, que é “ancorado” em um chassi do tipo Diamond, na qual o motor é elemento estrutural.

Outro diferencial do conjunto de suspensão é a adoção de amortecedor hidráulico traseiro com duas molas. Esta opção traz, segundo a Honda, resultados superiores em termos de conforto, estabilidade e absorção de impactos. Dotadas de especificações diferentes quanto à rigidez, as molas cumprem tarefas distintas: a maior destina-se a absorção das irregularidades de maior amplitude. Já a menor visa oferecer maior conforto e possibilidade de manter o pneu em constante contato com o solo.
Com o auxílio de um monoamortecedor e 108 mm de curso, em nenhum momento, seja no asfalto esburacado em pisos irregulares e com desviveis, como nas nossas estradas, a suspensão traseira chegou a fim de curso, mostrando tudo seu comprometimento com a segurança e equilíbrio do conjunto.

 

MOTOR ECONÔMICO

A CB Twister está equipada com motor monocilíndrico, 4 tempos, arrefecido a ar de 249,5 cm3, com comando de válvulas simples no cabeçote (OHC – Overhead Camshaft) de quatro válvulas e alimentado pela injeção eletrônica de combustível PGM-Fi (Programmed Fuel Injection). Com tecnologia bicombustível, o propulsor oferece potência máxima de 22,4 cv a 7.500 rpm e 2,24 kgf.m a 6.000 giros abastecido com gasolina. Já com o combustível vegetal, a potência é de 22,6 cv a 7.500 rpm. Já o torque é de 2,28 kgf.m a 6.000 giros. O propulsor conta com câmbio de seis velocidades, com engates suaves e precisos. Com a atualização do modelo, a Honda poderia ter mudado também o escapamento, por um com desenho mais moderno. De repente seguindo o mesmo padrão estético usado na linha CB 500 (pentagonal).

O monocilíndrico da pequena naked trabalha de forma exemplar. Entrega força e potência de forma de forma linear. Em função de sua arquitetura e menor número de peças, a vibração é quase zero. Porém, o que impressiona mesmo é seu desempenho, principalmente em baixos e médios giros. O que dá bastante agilidade ao modelo em perímetro urbano, no qual o torque usado com mais propriedade.

Já na estrada, em sexta marcha, a 5 mil rpm, a nova Twister estará a 105 km/h e fôlego no acelerador para alcançar mais velocidade, se necessário. Segundo dados do Instituto de Tecnologia Mauá, a CB 250F Twister chega a 136 Km/h. Mas está informação não é a mais importante! O destaque deste monocilíndrico de 250cc é sua economia. Faz mais de 35 Km/l com um litro de gasolina. Resumindo: em função de seu tanque de combustível de 16,5 l, com a Twister 250 daria para ir de São Paulo até o Rio de Janeiro ou Curitiba sem abastecer.

 

LED, PAINEL, CORES E PREÇOS

A modernidade CB Twister é traduzida em vários aspectos como, por exemplo, o conjunto traseiro conta com lanterna e piscas “full LED”, ou pelo painel “black-out”. Na versão 2019 foram introduzidos ainda dados sobre consumo médio e instantâneo. Infelizmente, a Honda não inseriu no painel um indicador de marchas, bastante útil para os iniciantes no mundo moto.

A CB Twister ABS, na exclusiva cor Laranja, se destaca pelas rodas na mesma cor, que remete à RC 213V pilotada por Marc Márquez, atual líder do Mundial de Motovelocidade, categoria MotoGP. A CB Twister vermelha pode ser escolhida com freios ABS ou CBS, enquanto as versões prata metálico e branco vêm exclusivamente no modelo de entrada. Disponível em toda rede de concessionários Honda já este mês, os preços variam entre R$ 13.990 (CBS) e R$ 14.990 (ABS), base estado de São Paulo. Para o nova Twister, a Honda oferece ainda três anos de garantia sem limite de quilometragem e sete trocas de óleo.

 

JAQUETA SERRA LS2: VERSATILIDADE NAS VERSÕES MASCULINA E FEMININA

Versatilidade. Essa é a palavra-chave que define a nova jaqueta Serra da LS2. Com versões masculina e feminina, o modelo pode ser usado tanto no dia a dia, como também em viagens. Indicada para donos de motos street ou nakeds, a Serra é confeccionada em tecido Oxford 600D. Conta com membrana impermeável e forro térmico removível. Traz ainda detalhes refletivos para aumentar a visibilidade do piloto. O modelo é resistente a abrasão, vento e umidade. Conta ainda com protetores removíveis nos ombros, cotovelos e coluna. Tudo pensado para deixar a pilotagem mais confortável e segura.

A LS2 não esqueceu da mulher motociclista – que pilota sua própria moto ou que vai na garupa. A jaqueta Serra Lady (abaixo) é mais acinturada, se moldando melhor ao corpo feminino. Esta versão conta com gola com fecho instantâneo regulável, mangas com sistema de velcro e botão de pressão, além de punhos e cintura, ambos ajustáveis com velcro. O preço é bastante competitivo: R$ 799,90. Visite: ls2.com.br

DEKRA E AUTO AVALIAR: MAIS SEGURANÇA PARA COMPRAR E VENDER

O mercado de veículos usados movimenta R$360 bilhões ao ano e, uma das dificuldades das concessionárias e lojistas é o processo de avaliação dos veículos usados que entram na negociação. A proposta da Dekra, em parceria com a Auto Avaliar, é resolver de forma definitiva as imprecisões nas informações , as possibilidades de fraudes, os altos custos com avaliador e a falta de padronização além de gerar indicadores no sistema de avaliação dos veículos ofertados pelos clientes, na troca por outro modelo no varejo. Dessa forma, as duas empresas passam a oferecer uma solução que integra laudos de vistoria com serviços de avaliação e business intelligence.

A partir de agora, a Dekra passa a alocar um profissional para fazer a coleta de fotos e dados do veículo para a avaliação dentro da loja ou concessionária, utilizando o sistema da Auto Avaliar e apoiando a melhor decisão na mesa de compras. Ou seja, mais segurança entre as partes envolvidas. A Dekra realiza o serviço Dekra Garantido, que verifica mais de 250 itens do veículo como procedência, histórico, pintura e estrutura e mais de 100 itens voltados ao estado de conservação, como rasgos no banco, lataria e pneus.

A emissão de laudos agora está integrada à plataforma Auto Avaliar, possibilitando divulgar anúncios com certificado Dekra simultaneamente nos maiores portais de classificados de veículos do país, trazendo destaque e valorização na hora de vender. “Desta forma, o estabelecimento tem uma gestão completa do estoque de seminovos e usados, resultando em maior liquidez e fluxo rápido de veículos na loja, impactando ainda na decisão de estocá-los ou repassá-los. Com essa mudança, as concessionárias reduzem os custos, aumentam sua rentabilidade, tornam a avaliação imparcial e agilizam as vendas”, explica Daniel Nino, sócio-diretor da Auto Avaliar.

“A união das empresas alia a capilaridade da Dekra – presente em 4800 municípios e cobrindo todos os estados do Brasil – e seu processo de certificação de veículos, com a penetração e liderança da Auto Avaliar na avaliação e venda de seminovos no mercado B2B. Uma união de líderes proporcionando profissionalismo, resultados financeiros e segurança para nossos clientes”, comenta Mario Cassio Maurício, CEO do Grupo Dekra Brasil.

JAQUETA LS2 GALLANT: PRONTA PARA GANHAR O MUNDO

Completa, bonita e cheia de detalhes, a jaqueta Gallant da LS2 é confeccionada em poliéster de alta resistência nas cores cinza, preto e vermelho. A parca conta com gola com fecho instantâneo regulável e vários refletivos. O modelo traz tecido impermeável, respirável e com forração térmica para proteger o motociclista em dias mais freios. O inverno está aí, então é bom estar preparado e protegido durante a pilotagem! No verão é só retirar o forro sem perder em conforto e também em segurança. É ideal para donos de bigtrails, aventureiras esportivas ou motos do estilo touring.

 

Versátil, a parca da LS2 conta com áreas frontais com ventilação e botões magnéticos, além de ajuste na cintura. Conta ainda bolsos internos, um deles exclusivo para guardar o celular. Com bom caimento, a jaqueta Gallant oferece liberdade de movimentos, conforto e segurança. Isso sem falar na beleza, sofisticação e preço bastante competitivo: R$ 999,90. Visite: ls2.com.br

VÍDEO: FUNÇÃO ‘BUZINA’ DO APP GIULIA É SALVA-VIDA PARA SURDOS

VÍDEO: FUNÇÃO ‘BUZINA’ DO APP GIULIA É SALVA-VIDA PARA SURDOS

Comunicação, segurança e inclusão social. Estes são os pilares do aplicativo Giulia, que é uma ferramenta que facilitará a vida dos deficientes auditivos. Hoje no Brasil são 12 milhões de pessoas. Atualmente, a dificuldade de comunicação é a grande barreira para os surdos, tornando sua inclusão social ainda mais difícil e complicada, isso sem falar no analfabetismo desta comunidade. Por isso, o App Giulia foi desenvolvido pela Map Innovation, do professor Manuel Cardoso (abaixo e ao centro) para tentar quebrar essa e outras barreiras.

O aplicativo tem várias funções, entre elas: Tradutor, Chat, Emergência, Babá eletrônica, Despertador, Localizador e Empresa, no qual é possível customizar sinais conforme as necessidade de comunicação dentro do ambiente de trabalho. A Honda deverá ser uma das primeiras empresas no Brasil a adotar o App e incentivar o uso entre seus colaboradores com deficiência auditiva, que hoje somam 109 pessoas.

Recentemente, o App Giulia adotou uma nova função, o “Buzina”, que capta o sinal sonoro da buzina de uma moto ou um carro. Dessa forma o App emite um alerta vibratório e um aviso visual ao smartphone. Ou seja, minimiza os riscos de atropelamento. Confira o vídeo exclusivo do MinutoMotor sobre as funcionalidades e os benefícios do aplicativo que irá melhorar a qualidade de vida dos surdos.

 

Vídeo com legenda para as pessoas com deficiência auditiva

YAMAHA PROMOVE PIT STOP EDUCATIVO

Imagem: Denis Armelini

Como diz um velho ditado popular: “prevenir é melhor do que remediar”. Mas a Yamaha e a CCR AutoBan foram ainda mais longe em questões que envolvem segurança e atitude do piloto sobre uma moto. Além de fazer a checagem da parte elétrica (luzes) e verificação do estado de conservação dos pneus, a equipe da Yamaha realiza seu tradicional Pit Stop até 9 de maio (quarta-feira). Desta vez no km 39 da rodovia Bandeirantes, sentido interior de São Paulo.

Imagem: Denis Armelini
Os motociclistas que paravam na ação puderam acompanhar vídeos sobre a importância do uso do capacete, aprender técnicas de frenagem e ter dicas de direção defensiva. Além de informações preciosas, o participante ganhava ainda um vale troca de óleo Yamalube, independente da marca/modelo de sua moto. Ou seja, uma ação de segurança esbanjando democracia.

Imagem: Denis Armelini
Para Hélio Mazzarella, instrutor da Yamaha, o Pit Stop é uma forma de alertar o motociclista sobre o desgaste do pneu ou simplesmente de como fazer uma ultrapassagem de forma correta. “Em função da correria do dia a dia, o piloto precisa destas informações básicas de manutenção preventiva e também de dicas sobre sua responsabilidade sobre a moto”.

Imagem: Denis Armelini
Um exemplo prático abordado no Pit Stop da Yamaha é a questão do “ponto cego”. A marca simulou uma via de três faixas (acima) na qual um furgão estava na faixa central e motos nas laterais e também traseira. Todos os motociclistas entraram na cabine e se posicionaram no lugar do motorista para ter a real noção da visão de quem dirige a van. “A primeira dica é: veja e seja visto. É importante o contato visual entre motorista e motociclista. Fique pelo menos a cinco metros do veículo da frente. A outra é não circular totalmente no centro da faixa de rolagem. Mais perto da faixa divisória a quantidade de resíduos é menor”, conta Alessandro Santos, concessionário Yamaha que estava dando apoio à ação.

Imagem: Denis Armelini
Por sua vez, a AutoBan estava intensificando a campanha “Viagem Segura – Sua Melhor Direção” com a distribuição de um folder. A publicação trazia dicas importantes de segurança e atitude na rodovia. Tudo para minimizar acidentes.

MOTOCICLISTA CONSCIENTE USA LUVAS

 Depois do capacete – item de segurança obrigatório em todo território nacional –, a luva é o segundo principal equipamento de segurança para o motociclista. Ignorada muitas vezes pela maioria dos pilotos, as luvas protegem as mãos (ossos, músculos e pele) de impactos e dilacerações, como também do frio, pedriscos e até de insetos. A mão é uma das ferramentas mais precisas do corpo humano. Usamos as mãos todos os dias para inúmeras tarefas: abrir latas, teclar uma mensagem, indicar um caminho ou acenar para um amigo. Elas também são fundamentais para a condução da motocicleta: acionar embreagem e também o freio.

Quando o piloto cai da moto, instintivamente ele quer se agarrar em algo e é aí que as mãos sofrem danos – fraturas, escoriações ou, em casos extremos, a amputação dos membros. Ou seja, se o motociclista não estiver com uma luva de qualidade – de preferência de couro – as sequelas podem ser irreversíveis. Em alguns casos o motociclista perderá a capacidade de compressão e extensão dos dedos.

Ou seja, sem este movimente ficará impossível pilotar uma motocicleta, já que não haverá como engatar marchas ou frear o veículo. A mão é bastante delicada e flexível. Por isso perder a pele que reveste os dedos poderá comprometer muito os movimentos. Por isso use luvas, sempre. O equipamento de segurança pode ser a diferença entra o motociclista consciente e a aposentadoria precoce.