HARLEY DIVULGA O PREÇO DA LIVEWIRE: US$ 29.799, CERCA DE R$ 112 MIL

A Harley-Davidson divulgou mais novidades sobre a LiveWire, seu primeiro modelo da linha 2020, que será também a pioneira de uma família totalmente elétrica da marca norte-americana. Exibida inicialmente no Dealer Convention pelo chefe do Departamento de Estilo e Design da marca, Paul James, a moto elétrica da Harley é também o primeiro modelo do projeto “More Roads to H-D”, na tradução literal: ‘Mais estradas para a H-D’. Naquela ocasião, poucas informações estavam disponíveis à imprensa, a não ser que o modelo seria lançado oficialmente em agosto de 2019, já como linha 2020.

Já em Milão, durante o Salão de Motos (Eicma 2018), a equipe do MinutoMotor trouxe novas informações técnicas sobre a moto como, por exemplo, que teria suspensões ajustáveis e carregadores para carga rápida e lenta. Além de freios de alto desempenho da grife Brembo e rodas aro 17 polegadas calçadas com pneus Michelin Scorcher Sport. Porém, a notícia mais importante vinda da ‘Terra do Tio Sam’ é que a LiveWire já está em pré-venda e custará US$ 29.799 – quase R$ 112 mil. A título de comparação, a Electra Glide Ultra Limited custa nos Estados Unidos US$ 28.089 (R$ 105 mil).

Hoje, durante o CES 2019 – maior feira de equipamentos eletrônicos do mundo, que acontece em Las Vegas, a HD aproveitou para apresentar outros dados técnicos sobre a LiveWire: Totalmente elétrico, o novo motor já tem nome: Revelation. Sim, este é o nome, e não é brincadeira! Na primeira vez que li, achei que era uma piada pronta, mas seguindo a linha do motor de arrefecimento líquido que havia recebido o nome de Revolution, até ai, um tanto compreensível. Mas neste caso achei que faltou um certo carisma.

A moto faz de 0-100 km/h em 3,5 segundos. Extremamente rápida, ainda levando-se em conta que não há embreagem para acionar e não há marchas para serem engatadas. Basta girar o acelerador e 100% do torque está disponível instantaneamente. Já a velocidade máxima será de aproximadamente 177 km/h, segundo a marca. A moto elétrica da H-D possui sistema de frenagem com geração de energia, que recarrega a bateria quando há uma frenagem. Sistema similar aos usados nos Formula 1 e em veículos híbridos.

A autonomia será de pouco mais de 170 quilômetros. Com chance de aumentar até a entrega das primeiras unidades. O percurso percorrido pela HD LiveWire já é maior que outras motos similares no mercado (Zero Motorcycles). Mas não dá para aquela longa viagem dos sonhos pela Highway 1 ou Route 66.

A moto contará com um painel 4.3 polegadas em LCD, touchscreen, capaz de mostrar autonomia, velocidade, status da bateria e pode ser customizável e mostrar até a direção ponto-a-ponto. A LiveWire contará ainda com conectividade com o celular – chamado de HD Connect, que informará dados sobre carga de bateria, alertas sobre violação, localização da moto e lembretes/notificações de serviços e revisões.

 

Inicialmente a LiveWire será comercializada em concessionárias específicas nos EUA e também na Europa e contará com três opções de cores: Yellow Fuse, Orange Fuse e Vivid Black.

Texto Dan Morel, do Blog Doctor Dan, especial para MinutoMotor / Fotos Divulgação

 

 

SALÃO DO VEÍCULO ELÉTRICO REÚNE NOVIDADES EM SP


O Salão do Veículo Elétrico Latino-Americano trouxe a São Paulo soluções, iniciativas e serviços para auxiliar no crescimento da mobilidade e do mercado de elétricos no país provou. Deixou claro que eletrificação é o futuro da indústria automotiva. Neste ritmo, elétrico, o evento se consolidou como a maior plataforma de debate, impulsão e desenvolvimento da mobilidade elétrica na América Latina. O novo espaço – Transamerica Expo Center – atraiu 50 marcas e permitiu que mais de cinco mil participantes conhecesse a diversidade da mobilidade elétrica tivessem contato com novos produtos e a oportunidade de participar de um test-drive. Além das novidades, uma bela expectativa de crescimento para o segmento. Até 2030, de 15% a 30% dos veículos vendidos no País conterão algum tipo de eletricidade. O VE Latino Americano 2019 já tem data definida. Acontece de 17 a 19 de setembro, no mesmo Transamerica.

Espalhadas por cerca de 6000 m², marcas como Toyota, Lexus, Volvo, Mercedes, Renault, BYD, Siemens e Eletra marcaram presença no evento, exibindo seus modelos híbridos e elétricos. “Este ano, pudemos apresentar o Prius híbrido flex, primeiro protótipo do mundo, ainda em fase de teste, mas que já gerou muita expectativa de quem visitou nosso estande. Sentimos que, esse ano, a feira está mais organizada, profissional, com um público interessante. Para nós, é muito importante participar, pois temos a oportunidade de disseminar a tecnologia híbrida para o público”, comentou Thiago Sugahara, chefe de departamento para assuntos governamentais da Toyota. Já a Lexus fez o lançamento do NX300, SUV de luxo da marca japonesa.

A Volvo aproveitou o salão para apresentar os modelos híbridos XC90 e XC60. O primeiro, inclusive, esteve disponível para teste drive. “É bem diferente. O carro é silencioso, tem uma outra pegada. Gostei muito da experiência”, contou Jonas Pereira dos Santos, instrutor de elétrica na Auto Jonas Elétrica e Treinamentos. Já o XC60 foi apresentado em primeira mão durante o evento. Em função de sua popularidade, a Volvo decidiu lançar seu modelo mais vendido no mundo – o XC60 -, em versão híbrida.

A área de teste drive, aliás, foi uma das principais atrações do evento, com cerca de 1300 testes entre veículos e motos. A Riba aproveitou a feira para anunciar o lançamento de seu aplicativo de scooters elétricas compartilhadas, que inicia em novembro, na capital paulista, por apenas R$0,59 o minuto de uso.

Já a experiência com bicicletas elétricas, diciclos, patinetes e outros levíssimos eletrificados também não ficou para trás e movimentou o pavilhão com mais de 500 testes. Além disso, o público pode experimentar o kart elétrico e a pilotagem de drones. O piloto de Fórmula-E, Lucas Di Grassi também marcou presença no evento, e falou sobre o lançamento da bicicleta de sua marca. “Decidi investir na mobilidade elétrica e, há um ano e meio iniciamos o desenvolvimento da bicicleta em parceria com a CBMM. Após um período de testes, estamos prontos para de fato entrar no mercado com a proposta que pensamos inicialmente, que é a do aluguel mensal de R$ 190”, contou o piloto.

Para nortear e iluminar o caminho do segmento, a consultoria McKinsey apresentou um estudo inédito sobre os veículos elétricos no Brasil e no mundo e as perspectivas para os próximos 12 anos. A projeção que até 2030, de 15% a 30% dos veículos vendidos terão algum tipo de eletricidade. “O Brasil vende dois milhões de carros por ano, e apenas 3000 são elétricos. Apesar disso, começamos a enxergar algumas mudanças de comportamento, incentivo da indústria e investimento em novas tecnologias. Por isso precisamos entender o que precisa ser melhorado para avançarmos ainda mais”, revelou Bernardo Ferreira, sócio associado da McKinsey.

CARRO ELÉTRICO: REALIDADE TAMBÉM NO BRASIL?

Na Europa, a frota de veículos elétricos e híbridos já ultrapassou a casa de 1 milhão de unidades. Se o ritmo de vendas se mantiver, o ‘Velho Continente’ terá este ano mais 430 mil carros verdes rodando em seu território. Já no Brasil a realidade é bem diferente. Mas há esperança de crescimento para o segmento. As montadoras instaladas no País estão se movimentando, haverá muitas discussões sobre o assunto – Seminário da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EBPII) e 14ª Plataforma Latino-Americana de Veículos Híbridos-Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias – e o por fim, o Governo Federal irá baixar o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros elétricos e híbridos.

A nova tabela de IPI entrará em vigor em 1º de novembro. Atualmente os veículos elétricos pagam 25% de imposto, enquanto híbridos pagam entre 7% e 25%, isso de acordo com a capacidade volumétrica do motor. Agora o novo critério de redução da carga tributária é baseado na eficiência energética e no peso do veículo. A medida foi aprovada pelo Governo em julho, como parte do Rota 2030, novo regime automotivo para o mercado brasileiro. Com novas regras o mercado interno verá a chegada de outras marcas/modelos ao segmento, com o Nissan Leaf e o GM Bolt, ambos confirmados para 2019. O novo BMW i3 já é uma realidade e pode ser adquirido sob encomenda. Custa a partir R$ 200 mil.

Balanço
Em 2016, um ano fraco em vendas no mercado automotivo, foram vendidos 1.091 modelos híbridos ou elétricos no Brasil. Pode parecer pouco, mas era um volume 28,95% melhor do que o de 2015, quando 846 unidades de modelos deste tipo foram comercializados, segundo a Associação Nacional de Veículos Automotores (Anfavea). Ainda que a indústria automobilística brasileira não pareça ter grande simpatia por essa solução, as vendas desses modelos em triplicaram em 2017, em relação ao ano anterior, chegando a 3.296 unidades.

Com olhos no futuro, não podemos desprezar as opções oferecidas pelas montadoras, entre elas Ford, Lexus, Toyota, Porsche e Volvo. Para ajudar em uma escolha consciente, a KBB Brasil levantou o preço de todas as versões de modelos híbridos e elétricos (carros de passeio) vendidos no Brasil. Confira a lista abaixo:

 

MODELO / VERSÃO PREÇO KBB Preço KBB

Chave-na-mão*

TOYOTA PRIUS 2018 HIBRIDO 1.8 16V 134 CV R$ 123.435 R$ 129.682
LEXUS CT 2018 200h ECO 1.8 16V 136 CV R$ 132.356 R$ 138.960
LEXUS CT 2018 200h LUXURY 1.8 16V 136 CV R$ 149.468 R$ 156.756
LEXUS LS 2018 500H 3.5 V6 420 CV R$ 741.000 R$ 771.950
FORD FUSION 2018 TITANIUM HYBRID 2.0 16V AT 190 CV R$ 152.855 R$ 160.279
PORSCHE CAYENNE 2018 S E-HYBRID PLATINUM 4X4 3.0 V6 TIP 416 CV R$ 413.700 R$ 431.558
PORSCHE PANAMERA 2018 4 E-HYBRID 2.9 462 CV R$ 521.065 R$ 543.217
PORSCHE PANAMERA 2018 4 E-HYBRID SPORT TURISMO 2.9 462 CV R$ 533.870 R$ 556.534
PORSCHE PANAMERA 2018 4 E-HYBRID EXECUTIVE 2.9 462 CV R$ 545.690 R$ 568.827
PORSCHE PANAMERA 2018 TURBO S E-HYBRID 4.0 550 CV R$ 1.214.505 R$ 1.264.395
PORSCHE PANAMERA 2018 TURBO S E-HYBRID EXECUTIVE 4.0 V8 PDK8 550 CV R$ 1.223.370 R$ 1.273.614
PORSCHE PANAMERA 2018 TURBO S E-HYBRID SPORT TURISMO 4.0 V8 PDK8 680 CV R$ 1.193.820 R$ 1.242.882
VOLVO XC90 2018 EXCELLENCE T8 Drive-E HYBRID AWD 2.0 BI-TB AT8 407 CV R$ 497.604 R$ 518.818
VOLVO XC90 2018 INSCRIPTION T8 7LUG Drive-E HYBRID AWD 2.0 BI-TB AT8 407 CV R$ 429.555 R$ 448.047
VOLVO XC90 2018 INSCRIPTION T8 Drive-E HYBRID AWD 2.0 BI-TB AT8 407 CV R$ 415.021 R$ 432.932
*Valor incluso preço referente ao IPVA, DPVAT, Emplacamento e Custos de Transporte e Administrativos referentes ao estado de São Paulo.

Obs.: Todos os valores foram retirados do site KBB.com.br, em julho de 2018.

Vale ressaltar que a 14ª Plataforma Latino-Americana de Veículos Híbridos-Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias acontece no Transamerica Expo Center, em São Paulo, entre 17 e 19 de setembro. Mais importante evento do segmento na América Latina, a feira será um ambiente ideal para o fortalecimento do networking do setor, disseminando conhecimento, novas tecnologias e gerando negócios que tenham potencial para tornar as cidades mais inteligentes e sustentáveis. O evento é dividido em duas frentes: Congresso e Exposição, na qual serão apresentadas todas as soluções para mobilidade urbana, infraestrutura e políticas para veículos sem combustão. Mais informações, acesse: www.velatinoamericano.com.br

PATINETE ELÉTRICO É OPÇÃO DE MOBILIDADE EM SP


Andando esta semana pela Avenida Paulista – centro financeiro de São Paulo – fui surpreendido por mais um modal de transporte: o patinete elétrico, que irá operar em período de testes e uso gratuito, na região da Paulista. Em apenas dois dias, mais de 300 pré-inscrições foram feitas diretamente no site da SCOO, startup de mobilidade responsável pela chegada dessa nova modalidade de transporte ao País. “Embora o sistema esteja em fase inicial, os paulistanos têm sido bastante receptivos em relação à utilização deste novo modal de transporte, que visa atuar como um agregador a outros modais, e não ser um concorrente”, explica Maurício Duarte, sócio-investidor da Seeds Capital e porta voz da SCOO.

Segundo o executivo, a startup seguirá o mesmo modelo usado quando linhas de trens e metrô são inauguradas na cidade: a população terá acesso gratuito e os patinetes estarão disponíveis em todos os dias da semana, em um horário pré-estabelecido.

“A fase inicial – gratuita e que deve durar entre 30 e 90 dias – servirá para testar o funcionamento da operação, a eficiência dos pontos fixos e móveis, e a usabilidade e aceitação do consumidor em relação ao uso do produto”, explica Duarte. Todo início de operação está sujeito a adaptações”, acrescenta o empreendedor.

Presentes em diversas cidades do mundo todo – como São Francisco, Los Angeles, Pequim, Moscou e recém-chegados em Paris- os patinetes elétricos deixaram de ser tendência para ser realidade em vários países.
“Em menos de 1 ano de operação, estima-se que existam mais de 10 mil patinetes elétricos somente nos EUA. A adesão da população é grande, devido ao aspecto sustentável, e o patinete é o transporte ideal para um deslocamento mais ágil, seguro e barato”, explica Duarte.

Durante o período de testes, os patinetes elétricos também estarão disponíveis em outras ciclovias da cidade como:  Avenida Faria Lima e Amaral Gurgel, além de estarem presentes em parques, como o Ibirapuera e o Villa Lobos.
“Queremos testar a usabilidade de perfis de usuários diferentes, seja o que alugará para lazer ou o que usará para se deslocar de uma estação de metrô até o local de trabalho”, comenta o executivo, que pretende colocar até 100 patinetes elétricos na cidade ao longo das próximas semanas.

Aplicativo em teste
A função de bloqueio e desbloqueio dos patinetes elétricos por meio do aplicativo acontecerá a partir de setembro, quando a versão beta será lançada oficialmente. “Neste primeiro momento, é necessário que o usuário interessado faça um cadastro no site da SCOO“, orienta Duarte, dizendo que após aprovação do cadastro, o usuário recebe o link para utilizar o patinete, disponibilizado na Rua Hadock Lobo, 595 – em frente ao Digital Building.

Legislação
Com potência de 250w e velocidade de até 25km, os patinetes elétricos estão dentro da Lei que autoriza bicicletas e patinetes elétricos a circularem nas ciclovias da cidade. Quem for pego fora da ciclovia estará sujeito a receber uma multa de R$ 574,62, aplicada pela Prefeitura de São Paulo e pela CET (Companhia de Engenharia e Tráfego).

Segurança
Os patinetes elétricos possuem certificação de segurança fornecida pela fabricante, e as baterias de lítio-íon foram testadas por um laboratório de padrões de segurança eletrônica. A segurança do condutor também é assegurada. Capacetes serão disponibilizados gratuitamente pela SCOO para todos os condutores.

Tecnologia
O período de teste dos patinetes elétricos do SCOO também servirá para checar a tecnologia aplicada em questões de segurança do produto, protegendo-o contra furtos e avarias por vandalismo. “Todos possuem rastreadores e GPS, além do tempo de uso ser codificado como “pay-per-use”, explica Duarte.

Regras Gerais para uso
• Idade mínima 18 anos de idade
• Uso de capacete próprio ou fornecido pela SCOO, conforme exigido por lei
• Estacionar apenas em locais determinados pela empresa
• Patinar apenas em ciclovias
• Respeito aos sinais de trânsito e aos pedestres
• Acionar sempre o freio do patinete, que possui ABS
Motoristas de patinetes elétricos não devem:
• Jamais andar nas ruas ou calçadas;
• Carregar acessórios que impossibilitem que o condutor guie sem o uso das duas mãos;
• Beber e patinar;
• Dar carona;
• Usar o patinete para corridas, passeios de veículos, acrobacias ou manobras
• Operar o patinete em locais não pavimentados, ou em qualquer local que seja proibido, ilegal e/ou um incômodo para os outros
• Pesar mais do que 120kg – incluindo bagagem.

Salão do Veículo Elétrico

Falando em novas formas de mobilidade urbana, acontece entre 17 e 18 de setembro a 14ª Plataforma Latino-Americana de Veículos Híbridos-Elétricos, Componentes e Novas Tecnologias. Mais importante evento do segmento na América Latina, a feira será um ambiente ideal para o fortalecimento do networking do setor, disseminando conhecimento, novas tecnologias e gerando negócios que tenham potencial para tornar as cidades mais inteligentes e sustentáveis. O evento é dividido em duas frentes: Congresso e Exposição, na qual serão apresentadas todas as soluções para mobilidade urbana, infraestrutura e políticas para veículos sem combustão. Mais informações, acesse: www.velatinoamericano.com.br/