Com câmbio CVT, novo Renault Sandero chega para ganhar fôlego

No novo Sandero as lanternas se estendem até a tampa do porta-malas / Divulgação

Diante da proliferação de rivais mais modernos em seu segmento, a Renault decidiu aplicar ao Sandero uma reestilização específica para o mercado local, reforçar a segurança e o conforto dos passageiros e abandonar o sofrível câmbio automatizado em favor de um legítimo automático do tipo CVT. Na dianteira, novo para-choque, de aspecto mais encorpado, enquanto a grade ficou mais ampla e composta por filetes horizontais mais elegantes. Os faróis mantêm os contornos dos antigos, mas tiveram seus elementos internos todos redesenhados, incorporando luzes diurnas em forma de “C”, uma nova característica estilística da marca. Embora não seja muito fotogênico, o visual traseiro do hatch impressiona quando conferido pessoalmente. As novas lanternas se estendem para a tampa do porta-malas e têm uma linha de Leds, que se estende por toda sua parte inferior, formando uma assinatura visual característica. O preço inicial do Life 1.0 parte de R$ 46.990 e pode chegar até R$ 69.690 para a versão esportiva R.S. 2.0. Há também disponíveis as versões Zen, Intense 1.6 CVT X-Tronic e Stepway.

Desde a versão mais básica, o carro traz de série quatro airbags  / Divulgação

Por dentro as mudanças foram mais pontuais. As principais novidades estão na lista de equipamentos de segurança, que agora inclui de série, em todas as versões, mesmo na básica Life 1.0, quatro airbags (dois frontais e dois laterais) e duas fixações Isofix. A família continua honesta no acabamento, e a cabine, embora não seja luxuosa, é bem acolhedora. A forração do teto agora é na cor preta, sugerindo mais sofisticação, e os bancos ficaram mais envolventes e confortáveis, além de serem forrados com tecidos de boa qualidade. O bom espaço interno permanece inalterado. Quatro adultos viajam bem, porém, há espaço suficiente para um quinto passageiro sem que todos fiquem espremidos no banco de trás. Há travas elétricas em todas as portas, contudo, na versão Life, apenas o motorista e o passageiro dianteiro contam com acionamento elétrico dos vidros. Outro item de série muito bem-vindo em todas as configurações é o ar-condicionado.

Mais conectado, a nova versão do Sandero conta com ar-condicionado em todas as versões  / Divulgação

O sistema multimídia Media Evolution vem de série a partir da versão Zen 1.0 e incorpora tecnologia Android Auto e Apple CarPlay, que permite usar Spotify, Waze, Google Maps (Android Auto) e áudios de WhatsApp. A tela “touchscreen” de sete polegadas agora é do tipo capacitiva, com melhor precisão do toque. O Media Evolution ainda traz as funções Bluetooth, câmera de ré (em algumas versões), Eco Scoring e Eco Coaching – orientam o motorista sobre como economizar combustível.

O carro da Renault ganhou suspensão mais elevada. É quase um Duster  / Divulgação

Primeiras impressões
Para acolher a nova transmissão CVT, o Sandero ganhou suspensão elevada. Andando com as versões Zen e Intense 1.6 CVT X-Tronic do Sandero, especialmente no trânsito, a sensação é de olhar os outros carros de cima para baixo. Ao parar no semáforo ao lado de um Duster, parece que ambos Renault tinham quase a mesma altura. Entretanto, a elevação não comprometeu a estabilidade. Continua o mesmo carro de rodar confortável e seguro que o Sandero de altura normal. As versões Zen e Intense 1.6 com câmbio automático CVT trazem também o controle de estabilidade (ESC), que ajuda a manter o carro na trajetória mesmo em manobras bruscas. Deveria ser outro item de série em todas as versões, e não um “luxo” das topos de linha. Agradável de se dirigir, o hatch traz direção com assistência elétrica de série em toda linha, que proporciona respostas ágeis em movimento e suavidade nas manobras. O novo volante, com desenho herdado do Clio europeu, tem boa empunhadura e visual interessante.

A motorização do Sandero vai do 1.0, da Life, até a 2.0 na versão esportiva R.S.  / Divulgação


O câmbio automático CVT era uma necessidade, uma vez em que os solavancos e as mudanças lentas do antigo automatizado não agradavam a ninguém. Esse tipo de transmissão permite que o motor trabalhe com rotação mais baixas para atingir as mesmas velocidades, proporcionando consumo mais baixo. Em baixas rotações, em especial nas arrancadas e retomadas, as respostas são pouco vigorosas. Mesmo fazendo mudanças manualmente, passando pelas seis marchas virtuais, o ganho não é tão substancial. O motor 1.6 16V, com 118 cavalos de potência e torque de 16 kgf.m (abastecido com etanol), oferece mais agilidade em giros altos, o que pode desapontar um pouco a quem gosta de uma performance mais esportiva. Para quem roda tranquilo, nada que decepcione. Quando combinado com o câmbio manual, o 1.6 mostra mais disposição, mas essa combinação (motor 1.6 e câmbio manual) só está disponível na variante intermediária Zen.

Mais moderno, o novo Renault Sandero parte de R$ 46.990  / Divulgação

Confira abaixo os preços de cada versão do Sandero:
Life 1.0 – R$ 50.490
Zen 1.0 – R$ 49.990
Zen 1.6 – R$ 55.990
Zen 1.6 CVT X-Tronic – R$ 62.990
Intense 1.6 CVT X-Tronic – R$ 65.490
R.S. 2.0 – R$ 69.690

Texto Marcelo Queiroz / Agência AutoMotrix

Ficha técnica
Renault Sandero Intense 1.6 16v CVT X-Tronic

Motor: dianteiro, transversal, 4 cilindros, 16 válvulas, 1.597 cm³, duplo comando com variador na admissão. Combustível: gasolina/etanol (flex)
Potência e torque: 115/118 cavalos a 5.500 rpm, com torque máximo de 16 kgfm a 4 mil rpm
Transmissão: automática continuamente variável (CVT) com 6 marchas simuladas no modo manual. Tração dianteira
Suspensões: independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira
Rodas e pneus: liga leve de 16″ com pneus 205/55 R16
Freios: discos ventilados na dianteira e tambor na traseira com ABS e EDB
Peso: 1.140 kg em ordem de marcha
Dimensões: comprimento de 4,07 metros, largura de 1,73 metro, altura de 1,57 metro, entre-eixos de 2,59 metros
Capacidades: tanque de 50 litros, porta-malas de 320 litros

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.