Confira dez dicas para evitar acidentes envolvendo motociclistas

Motociclistas rodando no corredor formado por automóveis / Maurício Maranhão
Motociclistas rodando no corredor formado por automóveis / Maurício Maranhão

Os novos números do Infosiga SP, gerenciado pelo Respeito à Vida, programa da Secretaria de Governo coordenado pelo Detran, revelam que o índice de mortes por acidentes de trânsito no estado tem diminuído. Entre janeiro e setembro de 2020, São Paulo registrou 3.644 vítimas fatais, 9,5% a menos do que no mesmo período de 2019. Porém, na pandemia os motociclistas tiveram sua participação elevada entre os acidentes envolvendo vítimas fatais, segundo pesquisa do Instituto Sou da Paz / Infosiga. Infelizmente foram 188 óbitos, aumento de 12,6% na comparação com o ano passado (167 mortes). 

Apesar de representarem apenas 29% da frota nacional, as motos foram responsáveis por 77% dos pagamentos do seguro, totalizando mais de 273 mil indenizações. Mais de 80% das indenizações por morte em acidentes com motocicletas foram para vítimas do sexo masculino. Os dados são do relatório anual da Seguradora Líder de 2019.

Como a motocicleta é a parte mais frágil em caso de colisão com outros veículos, cabe ao piloto adotar uma condução mais defensiva. Por isso, alguns hábitos podem diminuir as chances de o motociclista se envolver em acidentes. Veja dez dicas práticas elaboradas pelo jornalista Cicero Lima, editor da revista Moto Escola – publicação dedicada ao público entrante ao universo das duas rodas -, de como pilotar defensivamente e não fazer parte das estatísticas.

Os motociclistas lideram as estatísticas de óbitos em São Paulo /Divulgação
Os motociclistas lideram as estatísticas de óbitos em São Paulo /Divulgação

Equipamentos
Em caso de acidente, o equipamento de proteção pode fazer a diferença entre a vida e a morte do piloto e do garupa. O uso do capacete é fundamental e obrigatório. Ele não pode ficar folgado na cabeça, deve estar sempre bem afivelado e dentro do prazo de validade. Para minimizar ainda mais os riscos de lesão use sempre botas, luvas, calças e jaquetas apropriadas. Estes itens completam o equipamento mínimo de proteção que todo motociclista deve vestir antes de sair de casa.

Motociclistas devem usar roupas claras e capacetes com cores chamativas / Divulgação
Motociclistas devem usar roupas claras e capacetes com cores chamativas / Divulgação

Cores claras ou vivas
O motociclista deve ter em mente que ele deve ser visto, seja de dia ou trafegando no período noturno. Por isso é importante usar equipamentos de proteção de cor clara ou chamativa. Opte por capacetes com cores forte, florescentes ou com branco. Use, se possível, jaquetas de cores mais claras, com detalhes coloridos e que abusem das faixas refletivas.

Ponto cego
Em muitos acidentes o motorista afirma que, simplesmente, não viu a motocicleta. Muitas vezes isso pode ser verdade, caso a moto esteja no ‘ponto cego’. O ponto cego é a área não coberta pelos espelhos retrovisores dos automóveis ou onde as colunas e outras partes do carro impedem a visão do motorista. Quando rodar ao lado de carros, caminhões ou ônibus, o motociclista deve levar em consideração que talvez esteja “invisível” e poderá levar uma “fechada” a qualquer momento. Fique sempre no campo de visão do motorista. Ou seja, você deve olhar nos olhos do motorista, via espelho lateral.

Motorista desatento
Locais de tráfego intenso representam um grande risco ao motociclista. Nestes tipos de vias rápidas – como as Marginais Pinheiros e Tietê – há sempre muitos motoristas que estão de passagem e não conhecem bem a região. Muitos podem mudar de faixa, ou pegar uma saída, sem dar seta. Ao rodar em locais assim, o piloto deve reduzir um pouco a velocidade, evitar ultrapassagens desnecessárias e ficar atento aos outros veículos.

Muita atenção ao trafegar nos cruzamentos de grandes avenidas / Divulgação
Muita atenção ao trafegar nos cruzamentos de grandes avenidas / Divulgação

Cruzamentos
Um tipo de acidente de extrema gravidade e, infelizmente comum, acontece nas vias rápidas (avenidas e estradas) onde há pontos de conversão ou cruzamento. É recomendável diminuir a velocidade e avisar da sua aproximação por meio da buzina ou farol alto. Ainda assim, reduza a velocidade. Fique esperto, já que o motorista pode estar desatento e cruzar na frente da moto e causar um grave acidente.

Pedestre
O pedestre é o elo mais frágil no trânsito. Por isso, ao passar ao lado de ônibus e outros veículos altos, como SUVs e VUCs, fique atento mesmo que o trânsito esteja parado. Sempre existe a chance de “surgir” um pedestre entre os carros. Saídas de hospitais, igrejas, supermercados, estações de trem e Metrô exigem ainda mais cuidado, principalmente nos horários de pico. A única atitude capaz de evitar um acidente é rodar em velocidade reduzida e compatível com a via, dessa forma o motociclista ainda poderá fazer uma frenagem de emergência e evitar o acidente.

Não esqueça: "dois corpos não ocupam o mesmo espaço" / Foto Cicero Lima
Não esqueça: “dois corpos não ocupam o mesmo espaço” / Foto Cicero Lima

Corredor
No trânsito carregado dos grandes centros, em algum momento o motociclista vai ter de circular no corredor formado entre os carros. Nessa situação, suas chances de evitar um acidente diminuem muito, já que não há espaço para uma manobra evasiva. Por isso não rode o tempo todo no corredor. Use esta opção quando os carros estiverem realmente parados no trânsito ou em velocidade muito baixa. Não abuse da velocidade, mantenha distância da moto à sua frente. Fique atento também aos motoristas, já que eles podem mudar de faixa se dar seta.

Semáforo
Muitos acidentes graves com motociclistas acontecem em cruzamentos com semáforos. Primeiramente, porque uma colisão lateral atinge em cheio o motociclista e pode causar graves lesões e até o óbito. Assuma sempre uma postura defensiva: caso você veja que o sinal ficar amarelo, reduza a velocidade e pare! Quando semáforo ficar verde, ante de acelerar, certifique-se de que os outros veículos pararam. Uma fração de segundo pode salvar sua vida.

Confira sempre a iluminação de sua motocicleta / Divulgação
Confira sempre a iluminação de sua motocicleta / Divulgação

Iluminação
A iluminação traseira da moto é fundamental para que os outros motoristas e motociclistas possam vê-lo na via. Além da iluminação da moto estar 100% em dia, também fique atento aos espelhos retrovisores, pois o perigo pode vir por trás. Um motorista desatento, em alta velocidade, pode não te ver e causa um acidente. Uma dica importante é parar a moto nas laterais da pista em semáforos. Dessa forma, um motorista desatento tem espaço para desviar da moto, caso não a enxergue.

Direção defensiva
No trânsito assuma sempre uma postura defensiva. Não faça aquela manobra que pode colocar você e outras pessoas em risco. Não tente adivinhar o que o motorista ou o pedestre está pensando. No trânsito haja com a razão e fique atento com o movimento das pessoas e também com o fluxo dos carros. A desatenção pode causar um acidente.

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.