Conheça o ADV, pequeno scooter aventureiro da Honda que custa R$ 17.490

Inspirado no X-ADV – scooter aventureiro de 750cc -, o novo Honda ADV é o principal lançamento da marca no ano. O preço público sugerido – sem frete – é de R$ 17.490 – achou ‘salgado’? O modelo traz mecânica e chassi derivados do ‘urbanoide’ PCX, porém apresenta design diferenciado, posição de pilotagem elevada e ciclística que causam inveja a muita moto de uso misto. Robusto, sofisticado e recheado de atributos – isso sem falar na economia de combustível –, o scooter ADV chega às concessionárias já em dezembro.

É possível guardar um capacete e outros pequenos objetos sob o assento / Divulgação
É possível guardar um capacete e outros pequenos objetos sob o assento / Divulgação

Só para comparar, as versões topo de linha do PCX (Sport/DLX ABS) tem preço de R$ 14.410, cada. (frete não incluso). Ou seja, R$ 3.000 de diferença em termos de tabela oficial do PCX para o ADV. Mas no mundo real, o novo modelo deve bater R$ 19 mil como preço final ao consumidor. Confira abaixo as principais características da versão aventureira do PCX, que pode ser muito útil na cidade, campo ou praia.

Em função de sua ciclística, o ADV deve rodar com desenvoltura em chão batido / Divulgação
Em função de sua ciclística, o ADV deve rodar com desenvoltura em chão batido / Divulgação

Design e comodidade – Cópia em miniatura do X-ADV, o pequeno scooter apresenta linhas angulosas de suas carenagens para quem quer se diferenciar na multidão. Conta com para-brisa ajustável em dois níveis e há espaço para 27 litros sob o assento. Ou seja, cabe um capacete, luvas e outros pequenos objetos.

O scooter aventureiro traz um painel completo, parecido com o do X-ADV / Divulgação

Tecnologia – Traz conjunto ótico em Full LED, DLR (luz diurna na dianteira), painel digital com computador de bordo, freios ABS (na roda dianteira de um canal), sistema Idling Stop, Smart Key (chave presencial) e tomada 12 V, que fica do lado esquerdo do anteparo do scooter (como no PCX).

Na traseira, duplo amortecedor com reservatório de gás da grife Showa / Divulgação
Na traseira, duplo amortecedor com reservatório de gás da grife Showa / Divulgação

Ciclística – O ADV conta com chassi berço duplo, como no PCX. Apresenta bom ângulo de cáster (semelhante ao da CG), guidão elevado e largo e garfo telescópico dianteiro com 130mm de curso. Na traseira duplo amortecedor com reservatório a gás da grife Showa e mola de tripla ação (120mm de curso). Disco em ambas rodas – 240mm de diâmetro (D) e 220mm de diâmetro (T); rodas de liga leve e pneus de uso misto sem câmara: 110/80-14 (D) e 130/70-13 (T) – Metzeler Tourance. Em função do conjunto, o ADV tem 165mm de vão livre em relação ao solo. A distância mínima do solo do PCX é de 137mm. Já o peso seco é de 127 quilos (um a mais que o PCX ABS).

A Honda aposta na versatilidade e na economia de combustível para o sucesso do ADV / Div.
A Honda aposta na versatilidade e na economia de combustível para o sucesso do ADV / Div.

Motor – Basicamente o mesmo do PCX, mas com alguns ajustes no setup para deixar o modelo com mais torque em baixos e médios regimes de rotação. Produz 13,2 cv (a 8.500) de potência e 1,38 Kgf.m (a 6.500 rpm) de torque, que cedo mais cedo se comparado ao irmão, que é líder da categoria. Segundo dados aferidos pelo Instituto Mauá de Tecnologia, em ciclo urbano o scooter cravou 50,9 km/l. Rodando a 80 Km/h, o ADV apresenta boa eficiência energética: 34,2 Km/l. O tanque de combustível tem capacidade para 8 litros. Ou seja, 400 quilômetros de autonomia (mas tudo depende da mão do piloto). Agora é aguardar o convite para o test-ride do mini-X-ADV, de 150cc. O propulsor traz arrefecimento a líquido e transmissão CVT.

Aldo Tizzani, editor do MinutoMotor, na prévia do modelo aventureiro da Honda / Divulgação
Aldo Tizzani, editor do MinutoMotor, na prévia do modelo aventureiro da Honda / Divulgação

4 Comentários

  1. Marcio

    Hum exagero no preço quem vai comprar uma Scooter por 19 mil se com o mesmo valor pega uma moto aventureira de primeira linha da Honda. Hum absurdo de preço e um veiculo que e limitado, eles ja tem PCX que e um absurdo de cara..

    Responder
  2. Valter Schulz

    Muito mais interessante se começássemos a ver essas empresas trazendo versões elétricas do que à combustão.

    Responder
  3. Geraldo

    Como sempre o preço muito alto, inviabiliza para uma camada grande de usuários , mas a moto é interessante.

    Responder

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.