SALÃO DO VEÍCULO ELÉTRICO REÚNE NOVIDADES EM SP


O Salão do Veículo Elétrico Latino-Americano trouxe a São Paulo soluções, iniciativas e serviços para auxiliar no crescimento da mobilidade e do mercado de elétricos no país provou. Deixou claro que eletrificação é o futuro da indústria automotiva. Neste ritmo, elétrico, o evento se consolidou como a maior plataforma de debate, impulsão e desenvolvimento da mobilidade elétrica na América Latina. O novo espaço – Transamerica Expo Center – atraiu 50 marcas e permitiu que mais de cinco mil participantes conhecesse a diversidade da mobilidade elétrica tivessem contato com novos produtos e a oportunidade de participar de um test-drive. Além das novidades, uma bela expectativa de crescimento para o segmento. Até 2030, de 15% a 30% dos veículos vendidos no País conterão algum tipo de eletricidade. O VE Latino Americano 2019 já tem data definida. Acontece de 17 a 19 de setembro, no mesmo Transamerica.

Espalhadas por cerca de 6000 m², marcas como Toyota, Lexus, Volvo, Mercedes, Renault, BYD, Siemens e Eletra marcaram presença no evento, exibindo seus modelos híbridos e elétricos. “Este ano, pudemos apresentar o Prius híbrido flex, primeiro protótipo do mundo, ainda em fase de teste, mas que já gerou muita expectativa de quem visitou nosso estande. Sentimos que, esse ano, a feira está mais organizada, profissional, com um público interessante. Para nós, é muito importante participar, pois temos a oportunidade de disseminar a tecnologia híbrida para o público”, comentou Thiago Sugahara, chefe de departamento para assuntos governamentais da Toyota. Já a Lexus fez o lançamento do NX300, SUV de luxo da marca japonesa.

A Volvo aproveitou o salão para apresentar os modelos híbridos XC90 e XC60. O primeiro, inclusive, esteve disponível para teste drive. “É bem diferente. O carro é silencioso, tem uma outra pegada. Gostei muito da experiência”, contou Jonas Pereira dos Santos, instrutor de elétrica na Auto Jonas Elétrica e Treinamentos. Já o XC60 foi apresentado em primeira mão durante o evento. Em função de sua popularidade, a Volvo decidiu lançar seu modelo mais vendido no mundo – o XC60 -, em versão híbrida.

A área de teste drive, aliás, foi uma das principais atrações do evento, com cerca de 1300 testes entre veículos e motos. A Riba aproveitou a feira para anunciar o lançamento de seu aplicativo de scooters elétricas compartilhadas, que inicia em novembro, na capital paulista, por apenas R$0,59 o minuto de uso.

Já a experiência com bicicletas elétricas, diciclos, patinetes e outros levíssimos eletrificados também não ficou para trás e movimentou o pavilhão com mais de 500 testes. Além disso, o público pode experimentar o kart elétrico e a pilotagem de drones. O piloto de Fórmula-E, Lucas Di Grassi também marcou presença no evento, e falou sobre o lançamento da bicicleta de sua marca. “Decidi investir na mobilidade elétrica e, há um ano e meio iniciamos o desenvolvimento da bicicleta em parceria com a CBMM. Após um período de testes, estamos prontos para de fato entrar no mercado com a proposta que pensamos inicialmente, que é a do aluguel mensal de R$ 190”, contou o piloto.

Para nortear e iluminar o caminho do segmento, a consultoria McKinsey apresentou um estudo inédito sobre os veículos elétricos no Brasil e no mundo e as perspectivas para os próximos 12 anos. A projeção que até 2030, de 15% a 30% dos veículos vendidos terão algum tipo de eletricidade. “O Brasil vende dois milhões de carros por ano, e apenas 3000 são elétricos. Apesar disso, começamos a enxergar algumas mudanças de comportamento, incentivo da indústria e investimento em novas tecnologias. Por isso precisamos entender o que precisa ser melhorado para avançarmos ainda mais”, revelou Bernardo Ferreira, sócio associado da McKinsey.

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.