MCLAREN E DUCATI: DAS PISTAS PARA AS RUAS

A McLaren, fabricante britânica de carros esportivos de luxo e supercarros, desembarcou no Brasil e abriu as portas de sua concessionária em São Paulo, em 8 de maio. A revenda – que pertence ao Grupo Eurobike, representante de outras marcas Premium no País, entre carros e motos – fica na Vila Olímpia e foi projetada para atender aos exigentes padrões de atendimento da marca. O showroom de cerca de 400 m² exibirá a linha completa de carros de alto desempenho da McLaren, incluindo o novo 720S, assim como os modelos 570S Coupé e 570GT. Os preços variam entre R$ 1,9 milhão e R$ 3,1 milhões.

Está exposto também o McLaren Senna GTR Concept. Apresentado pela primeira vez no Brasil, o carro da família Ultimate Series foi inspirado na longa associação da marca com o tricampeão mundial Ayrton Senna, que conquistou todos seus três títulos mundiais de F1 (1988, 1990 e 1991) ao volante de uma McLaren. O supercarro foi desenvolvido por seu sobrinho e piloto de testes da McLaren Automotive, Bruno Senna (abaixo).

Com chassi em fibra de carbono, o McLaren Senna traz sob o capô um motor V8 biturbo, 4.0 litros, com potência declarada de 789 cv e 82 kgf.m de torque. A aceleração de 0-100 km/h é de apenas 2,8s, isso graças a sua transmissão de sete marchas e tração traseira. O peso deste superesportivo é de 1.198 kg. O preço extraoficial do McLaren Senna GTR gira em torno de R$ 8 milhões. Infelizmente, a ‘Série Senna’ não será vendida no Brasil.

Ferrari sobre duas rodas

Outro exemplo da migração das pistas para as ruas é a Ducati Panigale V4 Speciale, que está à venda no Brasil por R$ 269 mil e chegada prevista para setembro. Com edição limitada de 1.500 unidades produzidas em Borgo Panigale (ITA), apenas três estão disponíveis para o mercado brasileiro. Além do design radical, a superesportiva italiano conta com motor V4, de 1.103 cm3, 226 cavalos de potência, distribuídos em apenas 174 Kg. Ou seja, melhor relação peso-potência da categoria: 1,1 cv/kg. O modelo traz ainda com uma completa tecnologia embarcada.

A filosofia seguida pela equipe de desenvolvimento da Ducati para a Panigale V4 é a mesma que guiou os projetos dos protótipos do MotoGP: a total integração entre motor, chassi e piloto. Ou seja, performance total, porém com o máximo de controle e segurança.

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.