MinutoMotor está na Itália e vai mostrar as principais novidades do Salão de Motos de Milão

Dia 7 de novembro, o maior salão de motos do planeta abre suas portas ao público. A 77ª edição do EICMA terá 1800 marcas – entre montadoras, equipamentos, acessórios e motopeças – vindas de 43 países, que serão distribuídos em oito pavilhões, dois a mais que no ano passado. Em um espaço gigantesco serão apresentados dezenas de novidades. Desta forma, a “Capital Mundial da Moda” se transforma na “Capital Mundial da Moto”. Confira nossa prévia!

Todas as marcas prometem lançamentos impactantes. A Ducati, por exemplo, trará a nova Streetfighter V4, naked radical que pesa 178 kg e usa o motor Desmosedici Stradale 1.100 cc de 208 cv de potência máxima – derivado da superesportiva Panigale V4 –, além de um completo pacote eletrônico. A marca italiana apresentará também a Panigale V2 e a Multistrada 1260 S Grand Tour, com malas rígidas laterais.

Já a inglesa Triumph deve exibir três modelos de peso: a Triumph Street Triple RS 765 – que traz motor de 123 cv, derivado do utilizado na categoria Moto2, do Mundial de MotoGP. Outros destaques ficam para a gigante Rocket 3, com novo motor de três cilindros, 2.500 cilindradas e 165 cv de potência máxima. E também para a repaginada Thruxton RS.

A BMW deve levar ao Salão de Milão cinco novidades, três da família 850. São elas a F 850 R, F 850 GT e F 850 XR, além de uma versão esportiva da linha 310 (G 310 RR). Já a R 18, a nova clássica moderna da marca alemã será assunto por muito tempo. Inspirada na R 5, de 1936, o modelo retrô terá, além de linhas clássicas boa dose de tecnologia embarcada e motor Boxer de 1800 cc.

Japonesas

 Pelo que tudo indica, a Honda vai chegar acelerada ao Eicma 2019. A marca japonesa promete apresentar uma nova configuração da Honda CBR 1000RR Fireblade. A superesportiva deve mudar da carenagem, passando pelo motor e nova calibração das suspensões e freios. Tudo para deixar a Fireblade ainda mais leve e rápida, isso sem falar na evolução da eletrônica. A marca da asa mostrará a nova versão da sua bigtrail Africa Twin, que ganhou motor de maior capacidade cúbica (1100 cc) e atualizações estéticas, além da linha 2020 da rainha das estradas, a Gold Wing GL 1800.

A Yamaha deve trazer para Milão as atualizações da Tracer 700, uma trail de comportamento esportivo que, com certeza, se daria muito bem no Brasil, além do TMax, scooter que está em sua sétima geração. Falando em mobilidade, a marca dos três diapasões apresentará o scooter Tech Max e as novas versões do XMax 125, 300 e 400. Isso sem falar nas streets MT-125 e MT-03.

Já a Kawasaki irá desfilar cinco novidades na “Capital Mundial da Moto”, entre elas uma naked pra lá de radical: a Z-H2, que tem como base a esportiva H2 e seu motor de 200 cv de potência máxima, além de um desenho de tirar o fôlego derivado da linha “Z”. A Casa de Akashi deve exibir a clássica W 800, nas versões Street e Café, com roda aro 19 polegadas na dianteira. Além disso, a Kawa deve apresentar atualizações de outros modelos.

Harley-Davidson

A marca norte americana mostrará ao mercado europeu sua bigtrail, a Pan America 1250, e a Streetfighter 975, naked de estilo radical. Concorrente direta da BMW R 1250 GS e Honda Africa Twin, a “adventure touring” da HD estará equipado com motor V2 de 1250 cc de arrefecimento líquido. A moto terá suspensões de longo curso (Showa) freios Brembo (duplo disco e pinça de fixação radial na dianteira), painel 100% digital e múltiplas proteções (farol, tanque, motor e manoplas, com pisca integrado). Já a Streetfighter 975 traz design agressivo e entre-eixos menor. Quem sabe não pinte ainda uma versão da LiveWire – modelo 100% da Harley – para uso misto.

*  O jornalista Aldo Tizzani, do MinutoMotor, viajou a convite do ITA/ICE

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.