Nova geração da S 1000 RR, superesportiva da BMW, chega por R$ 91.950

Quanto custa um sonho? Para quem é amante das motos superesportivas: R$ 91.950. A terceira geração da S 1000 RR, que é montada em Manaus (AM), está 11 quilos mais leve (197 kg), traz motor de 207 cavalos de potência (8 cv mais potente que o antecessor) e oferece inúmeras melhorias – novo quadro de dupla trave em alumínio fundido, conjunto da suspensão e sistemas eletrônicos –, que reunidas oferecem uma pilotagem mais controlada e segura. Além disso, a moto conta com um novo painel de instrumentos com tela TFT de 6,5 polegadas, que exibe múltiplas informações. Agora, a repaginada S 1000 RR conta com três anos de garantia.

Repaginada, a nova versão da S 1000 RR está mais arrojado e potente / Divulgação

Desenho minimalista – A nova S 1000 RR traz uma nova roupagem. A carenagem frontal está mais afilada, porém perdeu sua principal característica, as “guelras” do lado direito. Como destaques as luzes de LED presentes nos faróis com linhas mais dinâmicas e agressivas, na lanterna traseira. Aliás, a rabeta foi completamente revisada e passa a exibir uma aparência mais leve e dinâmica. Já o tanque de combustível está mais estreito, que deixa o piloto mais encaixado. A nova angulação do guidão oferece uma condução mais confortável, reduzindo o cansaço.

Mais leve, a nova versão da S 1000 RR traz motor de quatro cilindros em linha de 207 cavalos / Divulgação

Motor mais potente – Agora o motor de quatro cilindros em linha, de 999 cc, despeja 207 cavalos de potência (a 13.500 rpm) e 11,52 Kgf.m de torque, disponíveis entre 5.500 e 14.500 rpm. O segredo para a melhora do desempenho foi a adoção da tecnologia BMW ShiftCam, que permite extrair máxima potência e torque, não apenas em faixas altas de rotação – e isso a antecessora já oferecia de sobra –, mas sobretudo em baixos e médios regimes. Além disso, o ShiftCam permite uma aceleração mais uniforme em saídas de curva mais fechadas, com menos desgaste dos pneus.

A moto ganhou novo painel de instrumentos, com tela TFT de 6,5 polegadas / Divulgação

Modos de pilotagem – Em função das características do piso, condições climáticas ou até estilo de tocada, a BMW equipou sua superesportiva com o que há de mais moderno em termos de modos de pilotagem. São quatro possibilidades de ajuste: “Rain”, “Road”, “Dynamic” e “Race”. Para aqueles que desejam explorar todas as possibilidades da superesportiva nas pistas, a opção “Pro”, do modo Race, que oferece mais três modos adicionais de pilotagem (Race Pro 1, 2 e 3), que são totalmente ajustáveis. Tal recurso ajuda os pilotos mais experientes a extrair o máximo em desempenho da RR, já que pode ajustar diversas funções de gerenciamento dos sistemas, como controle dinâmico de tração, ABS e deslizamento das rodas, bem como a curva do acelerador (ajuste de torque). Agora, em tempos de isolamento social, fiquei ainda com mais vontade de testar a S 1000 RR.

A superesportiva alemã ganhou novo quadro de dupla trave em alumínio fundido / Divulgação

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.