O bê-á-bá da moto – Parte 3 – Conheça a inspeção preventiva “P-CLOC”

Em tempos de pandemia ficar em casa é um exercício de resistência, de autocontrole! Mas que tal aproveitar este tempo para evoluirmos nossa relação com nossas motocas? Hoje vamos falar um pouco sobre o “P-CLOC”. A sigla define o procedimento de inspeção preventiva de sua amada motocicleta. Atenção, não confundir inspeção preventiva com manutenção preventiva!  A intenção deste rápido procedimento é permitir que, ao pilotarmos nossa moto, estarmos cientes que não há anomalias graves que impeçam o uso ou nos coloquem em situação de risco. É fácil, rápido e deve ser feita toda semana. Confira o que cada letra representa:

Pneu careca é passível de multa e pontos na CNH / Divulgação
Pneu careca é passível de multa e pontos na CNH / Divulgação

Inspeção preventiva – P-CLOC

“P” de pneus:

A primeira coisa que devemos observar nos pneus é se eles não estão murchos, já que comprometem muito a segurança. Recomenda-se calibrar os pneus semanalmente e acompanhar se há perda de pressão de forma acentuada. Para saber qual a pressão recomendada há etiquetas na balança traseira, na capa da corrente ou mesmo próximos ao porta-luvas, no caso dos scooters. Outro aspecto que devemos observar com frequência é o desgaste da banda de rodagem. Para isto, todo pneu tem uma marcação das laterais  com as letras TWI (Tread Wear Indicator), que é uma faixa de borracha nos sulcos que mostram o limite mínimo de segurança do pneu. Se os seus pneus já atingiram esta marca está na hora de trocar. Pneu careca é passível de multa e pontos na carteira!

O movimento dos cabos deve ser livre, sem enrroscar / Divulgação
O movimento dos cabos deve ser livre, sem enrroscar / Divulgação

“C” de Comandos e cabos:

Este procedimento consiste em verificar se os comandos estão todos funcionando. Verifique se os manetes retornam corretamente à posição inicial após o acionamento. Os manetes são os primeiros indicadores da condição de cabos e da embreagem. A alavanca muito baixa significa que sua embreagem pode estar nas ‘últimas’. No caso do acelerador, o movimento deve ser livre. Isto garante uma condução sem trancos ou mesmo sem o risco de ter o acelerador travado, o que pode causar um acidente grave! Pequenos ajustes ou lubrificação são alternativas que podem melhorar o acionamento.

O conjunto de luzes está diretamente ligada à segurança /  Denis Armelini - MM
O conjunto de luzes está diretamente ligada à segurança / Denis Armelini – MM

“L” de luzes, parte elétrica e bateria:

Aqui, podemos dizer que é um complemento à checagem dos comandos. Inclui verificar o funcionamento das setas, farol alto, buzina, luz de freio etc. A bateria é um dos itens que mais ‘assombra’ usuários de motos e de carros. Se o painel acender mas não for possível dar a partida do motor, não force. Chame um socorro mecânico do seu seguro para a substituição da peça. Dar a partida ‘no tranco’ é uma alternativa paliativa para funcionar a moto (caso ela seja carburada). Já, no caso de motos injetadas, só é recomendável caso seja realmente necessário, uma vez que existe a possibilidade de danificar a bomba de combustível. Em ambos os casos, a habilidade para realizar este procedimento é essencial.

Verifique o nível do óleo toda semana / Denis Armelini - MM
Verifique o nível do óleo toda semana / Denis Armelini – MM

“O” de Óleos e fluidos

Não deixe de conferir óleo do motor e combustível. Obviamente, não é um procedimento de verificação dos mais fáceis, mas o que recomendamos para a maioria dos usuários é que antes de sair com a motocicleta, verifique se não há vazamentos. Olhe para o chão, embaixo da moto e veja se não há marcas de óleo. Os vazamentos podem ocorrer pelo bujão do cárter, pela tampa do orifício de reposição do óleo do motor ou mesmo até pelas juntas do cabeçote. Outras formas de vazamentos que devemos observar são as que ocorrem na suspensão dianteira. Muitas vezes, os retentores do fluido da suspensão estão danificados e faz com que ocorra o vazamento. Caso perceba estes vazamentos, não demore para procurar seu mecânico. Vale ressaltar que parar em via pública por pane seca é infração média, segundo o Código de Trânsito Brasileiro e rende quatro pontos na carteira!

“C” de Corrente e transmissão:

Lave a corrente antes de fazer a lubrificação / Denis Armelini - MM
Lave a corrente antes de fazer a lubrificação / Denis Armelini – MM

Por fim verifique a condição da corrente e transmissão ou popularmente chamado de “kit relação”. Aqui, devemos prestar atenção na condição de limpeza, lubrificação e tensão da corrente. Na parte da transmissão veja se os dentes da coroa e do pinhão não estão demasiadamente desgastados ou tortos. O desgaste acentuado deste kit compromete a transferência de energia do motor para a roda traseira e consequentemente o desempenho, além de colocar em risco a sua segurança. Pilote com responsabilidade, seguindo as regras de trânsito e com a moto totalmente em dia. Dê sempre prioridade para a sua segurança!

Consultoria técnica: Hayato Ikejiri, especial para o MinutoMotor

Agradecimento especial: Antonio Pimenta, da PhD Pimenta – Oficina de Motos. (11) 2218-2929 ou WhatsApp (11) 99582-2633

2 Comentários

    • Aldo Tizzani

      Caro Euller,
      Obrigado por escrever.
      Vc também é um expert no assunto.
      Forte abraço,
      Aldo Tizzani
      Editor-chefe

      Responder

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.