Renault Duster 2021 renova totalmente a carroceria e o interior

Redesenho, o Renault Duster 2021 parte de R$ 71.790 / Divulgação

Todas as peças da carroceria do Renault Duster 2021 foram redesenhadas e o interior modernizado. No entanto, a plataforma permanece a mesma, assim como a motorização aspirada flex 1.6 SCe de 120 cavalos, compartilhada com o Captur e o Nissan Kicks, que traz ainda um item quase “vintage” – o “tanquinho” de gasolina para ajudar nas partidas a frio. A solitária novidade do “powertrain” é a tecnologia Start & Stop. O utilitário esportivo da Renault também incorpora tecnologias para aumentar a segurança, como o ESP (Controle Eletrônico de Estabilidade), freios ABS com AFU (Auxílio à Frenagem de Urgência) e o HSA (Assistente de Partida em Rampa), que mantém o veículo parado até dois segundos após a liberação dos freios em subidas. As versões 4×4 e com motor 2.0 deixaram de ser oferecidas. Agora os preços variam entre R$ 71.790, na versão mais barata, a Zen (a única com câmbio manual) e R$ 87.490, na versão “top” Iconic CVT X-Tronic.

O modelo manteve o motor aspirado flex 1.6 l, de apenas 120 cv de potência máxima / Divulgação

            Por fora, as linhas estão mais musculosas e ampliam a sensação de robustez. O modelo reduziu o ângulo do para-brisa e aumentou sua linha de cintura, diminuindo a área envidraçada. Agora, os faróis apresentam a assinatura luminosa característica da gama Renault, com luzes diurnas em Leds em formato de “C”. O novo para-choque reforça as linhas marcantes do capô. Na lateral, o Duster apresenta linha de cintura mais alta e as portas receberam um novo desenho. As novas rodas reforçam a modernidade do estilo. Com os maiores ângulos de entrada (30 graus) e saída (34,5 graus) do segmento e a maior altura do solo (23,7 centímetros), o novo Duster se habilita a encarar os eventuais obstáculos. Entre as novidades na parte traseira estão a tampa do porta-malas e o para-choque reestilizados e, principalmente, as novas lanternas de Leds – lembram bastante as do Jeep Renegade. O Duster mantém o maior porta-malas da categoria, com 475 litros.  

Tudo novo na parte frontal do SUV da Renault  / Divulgação

Posicionamento aprimorado – O novo Duster tornou-se o único Renault vendido no Brasil com regulagem de profundidade na coluna de direção. Em temos de espaços, foram mantidos os que já existiam no Duster anterior, sempre muito generosos. Um detalhe que incomodava muita gente no Duster era o posicionamento da tela do sistema multimídia.   No novo SUV, esse problema foi resolvido e a visualização é perfeita.

O novo interior traz central multimídia de 8 polegadas e muita conectividade / Divulgação

Com uma tela capacitiva de 8 polegadas com Android Auto e Apple CarPlay, a nova central multimídia Easy Link tem layout personalizável. Os ocupantes podem fazer conexão via Bluetooth e visualizar informações como temperatura externa e horário direto na tela. O sistema conta com uma vasta gama de opções de personalização para adaptar a tela ao gosto de cada cliente. O Easy Link permite salvar as preferências de configuração de som e até personalizar o som das teclas, entre outras coisas. Detalhe: pela central multimídia é possível visualizar imagens das quatro câmeras do novo sistema Multiview. O Duster incorporou alerta de ponto cego e sensor crepuscular.

Mais robusto, o Duster mantém o maior porta-malas da categoria: 475 litros / Divulgação

Nas trilhas das cataratas – O motor flex com etanol atinge a potência de 120 cavalos e o torque de 16,2 kgfm. No CVT X-Tronic, um software de gerenciamento dá a opção ao condutor de reproduzir 6 marchas virtualmente. A transmissão oferece a possibilidade de trocas manuais na alavanca de câmbio – basta posicionar a manopla à esquerda para assumir o controle. O Duster avaliado no lançamento da linha 2021 era da versão topo de linha Iconic. Desde as primeiras manobras, já fica claro que a nova direção elétrica traz mais conforto para o uso urbano. Quando se atinge a estrada, o sistema revela firmeza e precisão. Segundo a Renault, o esforço de manobra diminuiu 35% em relação à versão anterior. Já o isolamento acústico absorve com eficiência a maior parte dos ruídos provenientes do motor e da rolagem dos pneus.

A lanterna em Led do SUV da Renault lembra muito a do Jeep Renegade / Divulgação

O novo Duster oferece acelerações progressivas e responde rápido ao pedal da direita, porém sem grande “exuberância”. Quando o motorista resolve pisar fundo no pedal do acelerador, as seis marchas simuladas da transmissão Xtronic CVT atuam com agilidade, contudo, não operam milagres. A opção da troca manual pode trazer vantagem em performance, especialmente nas ultrapassagens e arrancadas. O conforto de rodagem oferecido pelo câmbio CVT em rodovia impressiona. Para quem prefere dirigir com calma e sem se estressar, o novo Duster é um SUV bastante agradável. Em termos suspensivos, o Duster preserva o ajuste confortável, porém, transmite percepção de robustez quando trafega sobre pisos irregulares. A suspensão entrega um bom nível de estabilidade e absorve bem os buracos no piso.

Texto Luiz Humberto Monteiro Pereira / AutoMotrix

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.