Royal Enfield procura mulheres para concurso de customização e corridas

Programa de Flat Track Build Train Race terá etapa no Brasil  / Divulgação
Programa de Flat Track Build Train Race terá etapa no Brasil / Divulgação

Mão na massa, poeira nos olhos e muita adrenalina. Tudo em clima de competição! Ao longo dos próximos dois meses, a Royal Enfield estará à procura de mulheres motociclistas para participar do programa de Flat Track: Build Train Race (BTR) 2020/2021. As interessadas deverão enviar vídeos mostrando todas suas habilidades como pilotas e customizadoras. As selecionadas participarão então de um programa que será dividido em três fases, na qual irão personalizar uma a Royal Enfield Interceptor 650, treinar com o piloto Johnny Lewis (American Flat Track) e, para finalizar, competir em corridas em circuito oval de terra.

A candidata também deverá ser um bom piloto / Divulgação
A candidata também deverá ser um bom piloto / Divulgação

As motociclistas terão de enviar vídeos de até três minutos. As candidatas responderão ainda a um questionário e explicarão o porquê desejam fazer parte da primeira edição realizada no Brasil. Assim que o processo de seleção for concluído, os nomes das mulheres selecionadas serão divulgados.

A moto escolhida para a customização é a Royal Enfield Interceptor 650 / Divulgação
A moto escolhida para a customização é a Royal Enfield Interceptor 650 (esq.) / Divulgação

Cada participante personalizará uma Interceptor 650 para competição em provas de Flat Track e receberá um subsídio financeiro fornecido pela Royal Enfield Brasil para concluir a construção. Elas também poderão solicitar ajuda de fornecedores externos e patrocinadores para apoiar seus projetos. As motos deverão ser construídas pelas participantes atendendo aos padrões usadas nos modelos específicos de Flat Track. As motocicletas e as pilotas estrearão no final de janeiro e os treinos começarão logo em seguida. Assim que o treinamento começar, as pilotas correrão umas contra as outras em uma série de três corridas com datas a serem anunciadas.

Oficina e pista: mulheres ganhando espaço no universo feminino / Divulgação
Oficina e pista: mulheres ganhando espaço no universo feminino / Divulgação

O programa foi lançado nos Estados Unidos e recebeu muitos elogios por parte dos consumidores da marca. Durante o programa, a Royal Enfield North America convidou a brasileira Bruna Wladyka como pilota substituta, que pode ter uma visão valiosa do programa na esperança de trazer o BTR para o Brasil. Infelizmente, por causa da pandemia, a sessão de treinamento inicial foi adiada e Wladyka não pôde pilotar. Agora ela liderará os esforços junto com a Royal Enfield Brasil para dar vida ao BTR.

Bruna Wladyka estará na edição brasileira do programa da Royal Enfield / Divulgação
Bruna Wladyka estará na edição brasileira do programa da Royal Enfield / Divulgação

Wladyka terá a companhia de mais três mulheres, que serão escolhidas por um corpo de juízes. O painel será composto por Breeann Poland, chefe de Marketing da plataforma Continental GT para América e Global Brand Manager; Adrian Sellers, do Group Manager Custom Build; Aanoor Padley, do Global Brand Manager Interceptor e Clevir Coleto, gerente de Marketing da Royal Enfield Brasil.

Claudio Giusti, da Royal Brasil: “queremos mais mulheres motociclistas / Divulgação

“A Royal Enfield do Brasil apoia totalmente esse projeto, pois demonstra como nossas motocicletas são ideais para customização e diversão”, afirma Claudio Giusti, diretor executivo da Royal Enfield Brasil. Além disso, segundo o executivo, trazer o público feminino para o universo das motocicletas e corridas. Com isso, aumenta a visibilidade da marca e de nossa plataforma dos modelos de dois cilindros todo o país”, concluí Giusti.

2 Comentários

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.