CAOA FECHA ACORDO COM A FORD PARA A FABRICAÇÃO DE CAMINHÕES

CAOA FECHA ACORDO COM A FORD PARA A FABRICAÇÃO DE CAMINHÕES

O noticiário sobre “Pesados” nunca esteve tão em voga. Primeiro a greve dos caminhoneiros ano passado e, recentemente, o fechamento da fábrica da Ford Caminhões no ABC Paulista. Agora uma boa notícia: a Caoa anunciou acordo para a aquisição da fábrica da Ford em São Bernardo do Campo (SP).
A meta é seguir com a produção de caminhões sob licenciamento e manter a estabilidade social na região – uma grande preocupação dos prefeitos do ABC e também do governador João Dória –, já que a marca norte-americana empregava cerca de 4 mil funcionários naquela unidade.
Para quem não sabe, a Caoa é uma empresa brasileira que produz automóveis e caminhões de pequeno porte das marcas sul-coreana Hyundai, e da chinesa Chery, em duas plantas fabris – uma em Anápolis (GO) e a outra em Jacareí, no Vale do Paraíba (SP).

VW comemora 15 mil unidades produzidas em Resende
A nova família Delivery, da Volkswagen, acaba de superar 15 mil unidades produzidas em Resende (RJ). O marco foi alcançado pouco mais de um ano desde o início das vendas de seus primeiros modelos.
O resultado é bastante positivo: com uma gama de 3,5 até 13 toneladas, os caminhões Delivery avançaram 60% em vendas no primeiro bimestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2018, um salto de 1.125 para 1.797 unidades neste início de ano.

ACORDO BOEING-EMBRAER CRIA NOVA EMPRESA DE US$ 4,75 BILHÕES


A Boeing e a Embraer anunciaram que assinaram um ‘Memorando de Entendimento’ para estabelecer uma parceria estratégica que possa impulsionar seu crescimento no mercado aeroespacial global. O acordo não-vinculante propõe a formação de uma joint venture que contempla os negócios e serviços de aviação comercial da Embraer, estrategicamente alinhada com as operações de desenvolvimento comercial, produção, marketing e serviços de suporte da Boeing. Nos termos do acordo, a Boeing deterá 80% da propriedade da joint venture e a Embraer, os 20% restantes. Dessa forma, a nova empresa está avaliada em US$ 4,75 bilhões.


Por isso, o acordo anunciado entre a Boeing e a Embraer reforça a necessidade de qualificação de toda a cadeia de fornecedores, já que há um enorme desafio de participar do mercado global de aviação. Em função deste novo cenário, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Embraer estão trabalhando no lançamento da nova fase do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Aeronáutica (PDCA). “A ABDI entende que o acordo é uma oportunidade para estar preparada para o fortalecimento da cadeia de fornecedores locais, posicionando as nossas empresas de forma mais competitiva no mercado global”, diz o presidente da ABDI, Guto Ferreira (abaixo).

Entre 2014 e 2017, o PDCA contribui para o desenvolvimento de melhorias nas empresas participantes da cadeia de fornecedores da Embraer, impactando na produtividade e na inovação de processos e produtos. No período do programa, o número de partnumbers (partes e peças) produzidas no Brasil passou de 43 mil para 68 mil, reduzindo a dependência de importações. Da mesma forma, houve aumento no faturamento da cadeia, passando de R$ 303 milhões, em 2013, para R$ 402 milhões no ano passado.