COMO DEVO PREPARAR E REVISAR MEU CARRO ANTES DE UMA VIAGEM?

Muitas pessoas estarão viajando de carro nesse fim de ano. Mas, antes de pegar a estrada certifique-se de que está tudo em ordem. Confira alguns itens para que seu tão sonhado passeio não se transforme em dor de cabeça:

Bateria

Verifique a condição da bateria. Se você vir vazamentos de ácido, rachaduras ou outros danos, não importa se ele for um carro seminovo ou zero quilômetro, a bateria deve ser substituída.

Os terminais da bateria devem estar sempre apertados e não corroídos. Terminais desgastados ou soltos causam problemas de partida, de direção elétrica, entre outros.

Uma bateria de carro dura, em média, entre 5 e 7 anos. Algumas baterias podem ter vida mais longa: 10 anos. Já outras precisam ser substituídas após 3 anos de uso. Se a bateria de seu carro for antiga, teste-a ou substitua-a se não quiser arriscar em uma longa viagem. Muitas oficinas oferecem um teste de bateria complementar.

Pneus

A profundidade mínima dos sulcos dos pneus é um fator muito importante na questão de segurança. Os sulcos dos pneus, que são pequenos canais esculpidos na banda de rodagem. No seu carro seminovo o sulco deve ter 3 milímetros (verifique o TWI, indicador de nível de desgaste). Menos que isso pode causar um acidente e até te colocar na cadeia antes de prestar depoimento no tribunal.

Estepe

Já pensou ter que trocar um pneu furado do seu carro usado no meio da estrada e descobrir que o estepe está faltando ou está danificado? Além do pneu reserva verifique também se o macaco, a alça e o suporte da roda estão no seu automóvel.

Óleo do motor

Sem óleo, o motor vai superaquecer e, em condições extremas, se autodestruir. Com o motor do seu usado frio, verifique a vareta do nível do óleo. Complete se necessário, por meio da tampa na parte superior do motor, e dê ao óleo tempo para descer até o reservatório antes de verificar novamente o nível. Não deixe transbordar.

Vazamentos

Estacione seu carro em uma pista limpa e plana. Em seguida verifique se há vazamentos de óleo ou de água após algum tempo. Mesmo um pequeno vazamento – fissura na mangueira – pode levar a níveis de fluido perigosamente baixos em uma longa jornada.

Luzes

Verifique todas as suas luzes de seu carro, incluindo as de pisca-alerta e as de freio. Ou peça a um amigo para verificar se há lâmpadas queimadas, ou estacione perto de uma parede branca ou em uma vitrine uma noite para vê-las você mesmo.

Equipamentos de emergência

Equipamentos de emergência incluem lanterna, chaves de fenda, alicate e uma chave inglesa. Embora geralmente ausentes, kits médicos e extintor de incêndio podem ser úteis em caso de pane elétrica ou acidente. Não esqueça do triângulo de aviso refletivo.

Limpadores de para-brisa

Boa visibilidade é vital para uma condução segura. Substitua os limpadores de para-brisa se eles apresentarem desgaste, se não estiverem executando seu trabalho corretamente ou se estiverem deixando marcas no vidro.

Se o seu carro ainda contar com os limpadores originais, você pode substituir apenas as recargas de borracha. Elas custam menos e podem ser facilmente adquiridas em qualquer loja de autopeças.

Ao trocar o limpador coloque uma toalha no para-brisa. Os braços do limpador são acionados por mola e podem bater e rachar o para-brisa quando a lâmina do limpador é removida.

Água do limpador de para-brisa

Às vezes, os jatos d’água usados para limpar o para-brisa precisam ser ajustados. Em muitos carros à venda no mercado, o ângulo de pulverização pode ser modificado. Se as estradas estiverem muito enlameadas, é uma boa ideia manter uma garrafa extra de água no veículo para limpar o para-brisa caso necessário.

Ar-condicionado

Teste o sistema de aquecimento/ar-condicionado de seu automóvel. O climatizador não só resfria o ar dentro do carro, como também elimina a umidade. Se o ar-condicionado não funcionar, o para-brisa vai embaçar por dentro no tempo chuvoso ou frio.

Correia de transmissão

A maioria dos carros à venda no mercado tem um ou dois cintos de acionamento (serpentina). Com o tempo, uma das correias de transmissão pode se desgastar. Se a correia de transmissão quebrar, o carro terá que ser rebocado para a oficina.

Mas antes disso, leve o carro o seu mecânico de confiança. Ele pode verificar o estado das correias durante uma troca de óleo, por exemplo. Se uma correia de transmissão mostrar algum desgaste ou tiver rachaduras, é melhor substituí-la imediatamente. Ninguém quer ficar esperando o guincho no acostamento.

Fluido de arrefecimento

Conduzir o carro com baixo nível do líquido arrefecimento pode causar superaquecimento. Portanto, verifique visualmente o nível do fluido de arrefecimento no reservatório. O nível do líquido deve estar entre as marcas “Baixo” e “Completo”.

Se o nível do fluido estiver baixo, você pode completar usando o tipo de líquido recomendado pelo fabricante. Caso o nível esteja bem abaixo da marca “Baixo”, verifique se há vazamentos no seu sistema de arrefecimento. Cuidado na hora de completar, já que o sistema é pressurizado quando quente.

Filtro de ar

Se o filtro de ar estiver sujo, pode ser uma boa ideia trocá-lo antes da viagem. Um filtro ar em péssimas condições pode até causar perda de ‘fôlego’, de torque, ou seja, falta de força ao encarar subida com carga total, por exemplo.

Fluido de transmissão

Uma longa viagem com carga total, especialmente em uma área montanhosa, coloca muita pressão no sistema de transmissão. Se a troca de fluido da transmissão estiver prestes a vencer faça a troca antes da viagem. Detalhe importante: o nível do fluido só pode ser verificado na concessionária ou em uma oficina de sua confiança.

Manual do proprietário

O manual do proprietário contém muitas informações sobre como rebocar o veículo, até como trocar um pneu furado e onde o macaco está localizado. Se você precisar completar o óleo do motor ou outros fluidos, o manual do proprietário também te dará todas as instruções que você precisa para cada tipo de situação.

Você também pode encontrar informações sobre o que fazer se o motor superaquecer ou como trocar a lâmpada do farol.

Se você não tiver o manual do proprietário, muitos fabricantes de automóveis disponibilizam em seus portais na web uma cópia eletrônica do manual para você baixar, imprimir e consigo.

Compartilhe o post nas suas redes sociais agora mesmo!

Fotos: Peter Fazekas/Pexels e Divulgação

VENDA DE VEÍCULOS USADOS TAMBÉM ESTÁ EM ALTA

VENDA DE VEÍCULOS USADOS TAMBÉM ESTÁ EM ALTA

A Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores – FENAUTO – divulgou relatório mensal com os resultados das vendas efetivadas no mês de abril. Segundo a entidade, os resultados das vendas de abril, na comparação com março, tiveram um resultado positivo de 13,3%. Essa variação, segundo a análise da federação dos revendedores, se deve ao fato de o Carnaval ter ocorrido em março, favorecendo um contraste maior neste período. O resultado de vendas por dia útil também foi muito expressivo, chegando a 7,9%.

Já o quadro comparativo entre abril deste ano, e o mesmo mês de 2018, mostra um recuo de 1,2%. As vendas acumuladas neste ano ainda se mantém positivas em 0,8%, porém inferiores aos 1,5% registrados até março. Ou seja, já pode-se perceber uma tênue linha de recuo nos valores acumulados, refletindo, também, as expectativas e previsões corrigidas por várias áreas do mercado para o crescimento da economia como um todo.

Em abril foram comercializados 1.177.470 veículos contra 1.039.535 em março. O acumulado no quadrimestre deste ano ficou em 4.499.859 veículos contra 4.464.773 no mesmo período em 2018. Ou seja, para cada carro novo vendido, três usados trocam de mãos no Brasil.

Para o presidente da FENAUTO, Ilídio dos Santos, “as vendas do segmento parecem estar refletindo o estado de espírito manifestado na pesquisa do Índice de Confiança do Consumidor e outros relatórios de diversos agentes do mercado. Continuamos torcendo para que as propostas para o reaquecimento da economia, apresentadas pela nova equipe econômica, sejam aprovadas e implementadas com rapidez para que o mercado possa retomar um ritmo melhor na geração de negócios.”

Carro usado só com laudo
É essencial, para quem vai vender um carro, garantir que ele esteja recebendo uma avaliação técnica. A loja ou concessionária precisa verificar, de forma objetiva, fatores como quilometragem e condições do motor, freio, lataria, pintura e pneus.
“Quando não existe um processo técnico de avaliação, o preço acaba sendo definido por baixo, pela média inferior”, explica Daniel Nino, vice-presidente comercial da Auto Avaliar, plataforma líder no comércio B2B de veículos usados e seminovos no Brasil. A empresa conecta mais de 2,8 mil concessionárias e 30 mil lojistas multimarcas, o que representa 75% do mercado brasileiro.

MODELOS MAIS NEGOCIADOS EM ABRIL/2019*
VW Gol – 71.078 unidades
Fiat Palio – 45.858
Fiat Uno – 45.114
GM Celta – 26.652
Fiat Strada – 23.454
VW Fox – 22.909
Ford Fiesta – 21.667
GM Corsa – 20.674
Fiat Siena – 19.488
Ford Ka – 18.484
*Fonte Fenabrave

EMPLACAMENTOS: OS 10 CARRO E AS 10 MOTOS MAIS VENDIDAS EM 2019

EMPLACAMENTOS: OS 10 CARRO E AS 10 MOTOS MAIS VENDIDAS EM 2019

O setor da distribuição automotiva, representada pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) divulgou em 2 de maio os dados de emplacamentos de veículos referentes ao mês de abril e acumulado do ano. De janeiro a abril de 2019, 1.244.151 unidades foram licenciadas, o que representa aumento de 12,2% ante as 1.108.897 unidades comercializadas no mesmo período do ano passado. No mês de abril foram emplacados 339.424 veículos, 11,1% acima do volume registrado no mês de março de 2019, quando 305.524 unidades foram licenciadas. Na comparação com abril de 2018, mês que registrou 311.160 unidades emplacadas, a alta é de 9,08%.

Nos segmentos de automóveis e comerciais leves, o resultado do quadrimestre registrou 801.330 unidades emplacadas, representando crescimento de 8,71% perante igual período do ano passado, quando foram licenciadas 737.135 unidades. Em abril, esses dois segmentos, juntos, somaram 221.321 unidades, contra 199.528 em março, registrando alta de 10,92%. Na comparação com as 209.940 unidades de abril de 2018, a evolução foi de 5,42%. Na lista dos mais vendidos (abaixo), destaque para dois SUVs da Jeep: Renegade (8º) e Compass (10º).

Nas motos, a resultado nos primeiros quatro meses do ano reflete uma recuperação de mercado, o que efetivamente teve um crescimento na ordem de 13,68% em abril comparado ao mesmo período de 2018 (93.387 contra 82.149). Já no acumulado do ano foram emplacadas 352.112 motos nos quatro primeiros meses de 2019, contra 301.536 unidades no mesmo período do ano passado. Crescimento de 16,77% segundo os dados da Fenabrave.

No segmento de duas rodas supremacia total da Honda. Dois dez modelos mais vendidos, 7 são da “marca da asa”. Detalhe, a Honda detém 78,98 do share no acumulado do ano. Entre as motos, um estranho no ninho, o scooter PCX 150, que recentemente foi reformulado, ocupa a sexta posição do ranking dos modelos mais vendidos (abaixo).

“O mercado, como um todo, manteve o ritmo de recuperação. A média diária de vendas cresceu 0,5%, o que, para nós, reflete a expectativa de aprovação das reformas, que estão em andamento. Ao analisarmos o volume acumulado, nas vendas do primeiro quadrimestre, que tiveram importante crescimento, observamos que existe uma gradual elevação nos índices de confiança do consumidor, impactados pela provável resolução deste assunto”, declara Alarico Assumpção Júnior, presidente da entidade.

Confira os 10 automóveis e as 10 motocicletas mais vendidas de Janeiro a Abril de 2019

CARROS
Modelo – Unidades emplacadas

  1. GM Onix – 75.130
  2. Hyundai HB 20 – 34.738
  3. Ford KA – 32.765
  4. GM Prisma – 27.270
  5. Peugeot Kwid – 23.981
  6. VW Gol – 23.330
  7. Fiat Argo – 23.073
  8. Jeep Renegade – 21.383
  9. VW Polo – 20.400
  10. Jeep Compass – 17.884

MOTOS
Modelo – Unidades emplacadas

  1. Honda CG 160 – 100.486
  2. Honda Biz – 52.419
  3. Honda NXR 160 Bros – 39.142
  4. Honda Pop 100i – 33.986
  5. Honda CB 250F Twister – 11.767
  6. Honda PCX 150 – 8.768
  7. Yamaha XTZ 150 Crosser – 8.115
  8. Yamaha Fazer 250 – 7.554
  9. Yamaha YBR 150 – 7.009
  10. Honda XRE 300 – 7.002

ARGO TREKKING, A VERSÃO AVENTUREIRA DO HATCHBACK DA FIAT

ARGO TREKKING, A VERSÃO AVENTUREIRA DO HATCHBACK DA FIAT

Para quem tem saudade da família Adventure da Fiat, a marca começa a resolver esse problema. Já que seu SUV de verdade, baseado na Toro, deve chegar somente em 2021, eis que eles oferecem uma versão pseudo-aventureira do seu hatchback de entrada: eis o Argo Trekking. Os preços ainda não foram divulgados, mas devem ficar em torno dos R$ 60 mil na versão básica – lembrando que os únicos opcionais são as rodas de liga e a câmera de ré, que devem acrescentar de R$ 2 mil a R$ 3 mil na conta. O Argo Trekking chega no final de abril e tem como principais concorrentes Onix Activ, Ka FreeStyle, HB20X e Sandero Stepway.

Cara de aventureiro
O Argo Trekking tem esse ar de aventureiro urbano. Produto comum para a maioria das montadoras, eles tem cara de SUV, mas coração de carro urbano. No caso do Fiat, ele é baseado na versão Drive 1.3. O motor é o Firefly 1.3 com potência de 109 cv e torque de 14,2 kgfm. A caixa de câmbio é apenas manual de cinco marchas.
Com suspensão elevada e o maior vão livre da categoria (ground clearance) – 210 mm, o novo Fiat Argo Trekking está agora 40 mm mais alto em relação à versão Drive 1.3. Equipado com novos pneus 205/60R15 91H S-ATR WL Pirelli Scorpion (os mesmos modelos que equipam o Jeep Renegade, só que mais estreitos), com banda de rodagem para uso misto e montados exclusivamente para a versão Trekking, proporciona o máximo de desempenho e, mesmo com perfil mais alto, assegura mais conforto e robustez para o veículo, graças ao extenso trabalho de engenharia que revisitou toda a elastocinemática do chassis, passando por molas, amortecedores e até tunning da direção elétrica.

Para completar suas características off road light, voltada para os clientes que desejam sair do asfalto, o Fiat Argo Trekking é o melhor de seu segmento em pisos irregulares, apresentando os mais altos níveis de conforto, mantendo a excelência do comportamento dinâmico do veículo. A nova versão apresenta ainda melhor absorção de impacto e mais segurança em terrenos com baixa aderência, como estradas de terra.

Estiloso
Além de todas as mudanças que foram feitas para que o carro tivesse uma performance e conforto diferenciados na hora de viajar por estradas irregulares, o Fiat Argo Trekking ainda é completo e cheio de estilo, algo muito buscado pelos clientes mais jovens. A nova versão traz equipamentos de série que conferem uma personalidade mais aventureira e esportiva ao seu design tanto por fora quando por dentro.

O Fiat Argo Trekking é a única versão aventureira do segmento com teto bicolor. Traz ainda barras no teto, que é pintado em preto assim como os retrovisores e aerofólio. Em cima, nas laterais inferiores e na traseira, outra novidade: o logotipo “Trekking”. O símbolo é composto por três diferentes formas com significados distintos: transcender, explorar e criar, ou seja, exatamente aquilo que a nova versão permite que seu proprietário faça pelas estradas dentro ou fora das cidades.
A versão tem ainda um adesivo preto no capô, faróis com design em LED, nova moldura da caixa de rodas e do para-choque traseiro na parte inferior, logomarca da Fiat com acabamento exclusivo em cromo escurecido na traseira, ponteira de escapamento trapezoidal com cor exclusiva, além de rodas com aro 15 com calotas escurecidas.

Por dentro, logo ao entrar, chama a atenção o tecido escuro dos bancos de alta qualidade com o contraste da costura laranja, área central com textura quadriculada e o logotipo Trekking bordado. O motorista também logo repara no logotipo Fiat do volante escurecido assim como a peça central do painel e a moldura do console central e, para completar, as saídas de ar são cromadas.
A nova versão traz de série ainda o Uconnect de 7 polegadas touchscreen com Apple CarPlay e Android Auto, vidro dianteiros e traseiros elétricos, retrovisores elétricos e faróis de neblina. Como opcionais, o cliente pode também incluir rodas de liga leve 6.0 de aro 15 com cor exclusiva e câmera de ré com linhas dinâmicas.

Equipamentos Mopar
Além de todos os diferenciais que já fazem parte da versão Trekking, a Mopar oferece muito mais possibilidades de tornar cada Fiat Argo um veículo único. São mais de 50 acessórios disponíveis para o modelo, sendo que dois são exclusivos do Argo Trekking: as barras transversais de teto e o suporte para bicicleta. Este é apoiado naquelas que, por sua vez, precisam das barras longitudinais – item de série específico da configuração aventureira do hatch.
A Mopar também está aproveitando o lançamento do Fiat Argo Trekking para colocar outra novidade no mercado, a rede vertical de carga. Ela permite organizar melhor objetos que ficariam totalmente soltos no porta-malas. Vale dizer ainda que uma das características de estilo de maior destaque do Trekking pode ser adotada em qualquer Argo: o teto escuro. Enquanto a nova versão exibe a capota pintada de preto na fábrica, a Mopar oferece a chance de “envelopar” o teto com um adesivo preto fosco – emprestando um ar mais esportivo do carro e também aumentando a proteção da pintura nessa área.

Texto: Mário Salgado, do ShopCar (MS), especial para o MinutoMotor

VW GOL, FIAT PALIO E UNO: CARROS USADOS “BONS DE NEGÓCIO”

VW GOL, FIAT PALIO E UNO: CARROS USADOS “BONS DE NEGÓCIO”

Contra números não há argumentos. Se algum comerciante disser que o Chevrolet Meriva “é bom de negócio” mostre prá ele que você sabe das coisas. O mononolume da Chevrolet está apenas na 48ª posição no mercado de emplacamentos de carros usados no primeiro trimestre. Segundo dados da Fenabrave foram vendidos apenas 3.211 unidades do Meriva, nos três primeiros meses de 2019. Na outra ponta do relatório está o líder Gol que acumula 62.716 unidades emplacadas no mesmo período.

O VW Gol puxa um crescimento do mercado de carros usados segue a todo vapor . A venda acumulada é de 2.152.966 unidades contra os 2.135.990 do ano passado, um crescimento de 0,79% no mesmo período com o total dos meses janeiro, fevereiro e março.

Dentro desse universo, os carros mais vendidos foram o Gol, seguido pelo Fiat Palio com 40.742 unidades e pelo Uno com 40.423 emplacamentos. Na escala dos 50 carros usados mais comercializados do Brasil, o Honda HR-V é o último com 3.094 unidades antes dele está o Peuget 206 com 3.182 e o GM Meriva, que foi a escolha de apenas 3.211 consumidores.

Texto Cicero Lima, especial para o MinutoMotor

TEST-DRIVE: YARIS SEDAN XLS 1.5 É LACUNA PREENCHIDA

A Toyota é uma grande conhecida do brasileiro. O pós-venda dos seus veículos e valor de revenda jogam sempre a favor dos automóveis da marca. Mas faltava algo no portfólio da fabricante japonesa. Bem, isso já não pode ser mais questionado. A chegada do Yaris, nas versões hatch e sedan, tentam completar e ao mesmo tempo conquistar os clientes do segmento compactos premium. Será que consegue?  avaliou a versão completa do sedan, a XLS 1.5 automática com câmbio CVT, que tem preço sugerido de R$ 83.590.

Logo de cara, o visual agrada, com linhas bem resolvidas. Lembra o irmão mais velho, o Corolla. Com desenho moderno e harmonioso, com faróis alongados integrados a grade dianteira deixam a dianteira do sedan bonita. Já as laterais possuem traços mais suaves e a traseira aposta nas lanternas horizontais, que invadem o porta-malas. E é exatamente neste ponto a primeira falha do Yaris, a falta de cuidado no acabamento do bagageiro.

Já internamente, temos espaço de sobra para quatro ocupantes. Os 2,55 metros de entre-eixos do Yaris Sedan possibilita aos passageiros viajarem com conforto, mas a curvatura da caída do teto podem incomodar os mais altos.

Já o fato do túnel central ser mais baixo, representa um ganho expressivo para as pernas. Outro ponto positivo é ao adentrar no veículo. Mesmo com muito plástico rígido, o desenho no geral é agradável, até mais moderno que o Corolla. O acabamento em preto brilhante tenta dar um ar mais sofisticado, mas para por aí.

A versão topo de linha, avaliada por MinutoMotor, conta ainda com teto solar, sensor de chuva, maçanetas cromadas, faróis com projetor e lâmpadas halógenas, lanternas em LED e sete airbags, adicionando dois laterais, dois de cortina e um de joelhos para o motorista, além dos banco de couro, ar-condicionado digital, nova central multimídia com tela de sete polegadas (um tanto confusa para espelhar e fazer funcionar um smartphone), entre outros mimos.

O motor 1.5 com 110 cavalos de potência e 14,9 kgmf de torque quando abastecido com álcool tem sede. No computador de bordo do Yaris Sedan, a máxima alcançada foi de 5 km/l na média, o que no final assustou, já que seu tanque tem apenas 45 litros. Já o câmbio é o mesmo utilizado no Corolla, o conhecido CVT e a suspensão tem acerto mais voltado para o conforto, o que pode incomodar ao passar por vias mais esburacadas. Já na estrada, é bastante agradável.

 

+ GOSTAMOS: Design, conforto, acabamento interno, preço se comparado aos principais rivais

– NÃO GOSTAMOS: Acabamento porta-malas, autonomia, consumo, usabilidade da central multimídia confusa

Texto e Fotos: Fernando Eduardo, especial para o MinutoMotor

YARIS SEDAN XLS 1.5

Ficha Técnica
Motor: quatro cilindros, dianteiro, transversal 1.496 cm³ de cilindrada, 16V, comando duplo variável, flex

Potência: 105/110 cv a 5.600 rpm (G/E)

Torque: 14,3/14,9 kgfm a 4.750 rpm

Câmbio: automático CVT simulando sete marchas

Direção: Elétrica

Suspensão: Independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira com barra estabilizadora

Freios: Discos solidos na dianteira e tambores na traseira, ABS

Rodas e Pneus: Liga-leva aro 15” com pneus 185/60 R 15

Comprimento: 4,42 m

Largura: 1,73 m

Altura: 1,49 m

Entre-eixos: 2,54 m

Capacidade do tanque: 45 litros

Peso: 1.150 kg

Central multimídia: 7 polegadas

 

NISSAN COMEMORA 300 MIL VEÍCULOS PRODUZIDOS EM RESENDE

NISSAN COMEMORA 300 MIL VEÍCULOS PRODUZIDOS EM RESENDE

A Nissan alcançou os 300 mil veículos produzidos no Complexo Industrial de Resende (RJ). Um Nissan Kicks foi o responsável pela marca histórica. Inaugurada em abril de 2014, a unidade do sul fluminense produz o crossover Nissan Kicks e os compactos March e Versa. Em setembro de 2017, cerca de três anos e meio após o início das operações, a fábrica chegou aos 150 mil carros produzidos. Para alcançar a marca histórica, a Nissan precisou de apenas 16 meses. As atividades na unidade vão desde a área de estamparia até as pistas de testes, passando pela chaparia, pintura, injeção de plásticos, montagem e inspeção de qualidade, além da fábrica de motores.

Mais que atender às demandas do mercado brasileiro e as necessidades do consumidor, o Complexo também é um importante centro de exportações para toda a América Latina. Veículos produzidos em Resende são exportadas para diferentes mercados, como Argentina, Bolívia, Chile, Costa Rica, Panamá, Peru, Paraguai e Uruguai. A fábrica de Resende é a primeira da Nissan na América Latina, operação que conta também desde julho de 2018 com a fábrica de picapes de Santa Isabel, em Córdoba, na Argentina, onde é produzida a Nissan Frontier.

“Seguimos um altíssimo padrão japonês de qualidade, e o esforço de todas as equipes se reflete no sucesso de nossa marca. Nossa fábrica é um dos pilares que sustentam o crescimento da Nissan na América Latina, e estamos cumprindo nossos objetivos. A marca de 300 mil carros produzidos reforça ainda mais o compromisso da Nissan com o país e com a região”, disse Sergio Casillas, vice-presidente de Operações de Manufatura da Nissan América Latina.

 

MALEIRO DE TETO É BOA OPÇÃO PARA TRANSPORTAR BAGAGEM

Para que o excesso de bolsas e caixas não atrapalhem o conforto dos ocupantes do veículo, não comprometa o espaço interno, muito menos dificulte a visão do motorista, o ideal é investir em malas de teto. Presas no rack ou no bagageiro, os maleiros utilizam o espaço superior como porta-malas. Mas antes de comprar o acessório, é necessário consultar o manual do carro para saber qual o modelo ideal e as dimensões adequadas para cada veículo, assim como o limite de peso suportado.

Tais cuidados são necessários para não impactar negativamente na aerodinâmica do veículo, o que acarreta em gastos maiores com combustível, além de não prejudicar a estabilidade da direção, contribuindo para o risco de acidentes.

“As malas de teto são a melhor opção para levar bagagem durante a viagem, uma vez que são impermeáveis, possuem zíper invisível para fechamento, além de serem presas ao veículo com as correias de instalação. Toda a bagagem fica segura e protegida”, explica a gerente comercial e de marketing da Horizon Global Brasil, Emanuella Santos. A empresa que comercializa no Brasil as malas de teto Reese.

A marca tem três modelos com capacidade que variam entre de 339 (extensível a 453 litros), 368 e 425 litros. Há opções com isolamento térmico, protegendo o conteúdo do frio e do calor. Todas são dobráveis, assim, quando não estiverem em uso, podem ser guardadas no porta-malas, sem ocupar muito espaço muito, diferente dos bagageiros rígidos. Preços: a partir de R$ 250.

PARA COMPRAR VEÍCULO DE LEILÃO É PRECISO ENTENDER AS REGRAS

Foto: Ciete Silvério/A2img/Divulgação

Hoje há várias formas para comprar um veículo: à vista, financiado ou até mesmo via consórcio. Porém, adquirir um carro ou uma moto de leilões pode ser uma boa oportunidade, mas é preciso ficar atento às regras para não ter complicações, muito menos dor de cabeça futura. Confira as dicas do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP). Os pregões têm edital publicado no site www.detran.sp.gov.br, onde podem ser checados o nome do leiloeiro, a empresa do leilão virtual, o endereço do pátio, horários de visitação dos veículos, etc.

As mesmas empresas e leiloeiros podem realizar outros leilões de veículos, como particulares, judiciais, de bancos, mas apenas as ofertas do Detran.SP é que podem ser verificadas no site oficial do departamento. Empresas e pátios que estiverem usando irregularmente o nome do Detran.SP para pregões de veículos devem ser denunciados à Polícia Civil e também à Ouvidoria do Detran.SP, no site do departamento de trânsito. O sigilo é garantido.

Os veículos com direito a documentação (que podem voltar a circular nas ruas) só podem ser adquiridos por pessoas físicas a partir dos 18 anos. Eles devem se credenciar e informar todos os dados solicitados.Todas as dívidas do veículo serão desvinculadas pelo Detran.SP. O comprador só deve efetuar a transferência do veículo para o seu nome, emitindo um novo documento (no caso de veículos que podem voltar a circular). Antes de participar do leilão, o cidadão tem direito de visitar o veículo no pátio. Ele também pode verificar a situação cadastral do veículo com uma simples consulta no portal, além de consultar possíveis vistorias anteriores.

VEÍCULOS LEILOADOS

Os veículos leiloados são removidos pela Polícia Militar, em perímetro urbano, por infrações que competem ao Estado fiscalizar, como racha, manobra perigosa, falta de licenciamento, veículo sem placa ou com a placa ilegível. Veículos removidos por estacionamento irregular, por exemplo, são de responsabilidade das prefeituras. 

Aqueles removidos em estradas são de responsabilidade dos órgãos que atuam em rodovias, como o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Já os veículos removidos por envolvimento em crimes são de responsabilidade da Secretaria da Segurança Pública (SSP) e aqueles com pendências judiciais competem ao Poder Judiciário.

FORD USA REALIDADE VIRTUAL 3D PARA CRIAR CARROS

FORD USA REALIDADE VIRTUAL 3D PARA CRIAR CARROS

Revolução na indústria automobilística. A Ford é a primeira montadora a usar o Gravity Sketch, nova ferramenta de realidade virtual 3D que permite projetar carros por meio de gestos, com rastreadores de movimento e óculos especiais, sem precisar passar pela fase de esboço em caneta e papel. Além de revolucionar o trabalho dos estúdios de design, a novidade reduz drasticamente o tempo de desenvolvimento dos veículos. “Poder enxergar todos os ângulos do veículo em 360 graus enquanto ele está sendo desenhado realmente libera a criatividade e reforça a nossa proposta de centrar o design no cliente desde o início de cada projeto”, diz Michael Smith, gerente de design da Ford nos EUA.

O design tradicional de automóveis começa com um esboço 2D, que é digitalizado para produzir uma imagem de alta qualidade. Depois, ele é transformado em modelo 3D por um software de design auxiliado por computador (CAD). Esse modelo então é transferido a um ambiente de realidade virtual para análise da viabilidade. Como isso pode levar semanas, os designers selecionam com muito cuidado os projetos que chegam ao estágio de modelagem 3D.

Com o Gravity Sketch todo o processo é feito em questão de horas, usando desde o início um modelo 3D que permite pular o estágio 2D. Os projetistas podem criar o veículo em torno do motorista, girando e visualizando o design 3D em qualquer ângulo e tamanho, e entrar no esboço para ajustar seus detalhes internos. “Essa colaboração com os designers da Ford nos permitiu mergulhar no seu processo criativo e descobrir modos de ajustar o aplicativo para melhor atender às suas necessidades”, diz Oluwaseyi Sosanya, CEO e um dos fundadores da Gravity Sketch.

A introdução do Gravity Sketch em todos os estúdios globais de design da Ford vai agilizar o fluxo de trabalho e também gerar mais oportunidades de colaboração em tempo real entre os times. “Essa ferramenta leva todo o processo para o mundo da realidade virtual. Com ela podemos analisar mais opções de projeto, em menor tempo, e criar melhores veículos para nossos clientes”, completa Smith.