DUCATI BR: CRESCIMENTO, CONCESSIONÁRIA MODELO E NOVA SUPERESPORTIVA

DUCATI BR: CRESCIMENTO, CONCESSIONÁRIA MODELO E NOVA SUPERESPORTIVA

Enfim, a luz. Depois de um período de forte retração, o segmento de duas rodas está se recuperando de forma gradativa. Segundo dados da Fenabrave, que reúne os concessionários de todo o País, o setor teve crescimento de quase 18% no primeiro trimestre, comparado ao mesmo período de 2018. No acumulado do ano já foram vendidas quase 260 mil motos. Essa retomada de crescimento tem dado uma injeção de ânimo ao mundo corporativo, que não está poupando esforços para ampliar sua capilaridade. Bons exemplos não faltam!

A Triumph, por exemplo, abriu revendas em Várzea Grande (MT) e Fortaleza (CE), além da reinaugurar a Triple, que foi para o Distrito de Sousas, em Campinas (SP). A marca inglesa também prometeu cinco lançamentos para este ano. A Harley-Davidson deve ter mais uma revenda na região Sudeste, que também terá uma realocação. Tudo indica que a marca norte-americana reabrirá uma loja na região Nordeste. Em março, a Ducati inaugurou revenda em Campo Grande (MS), sua primeira concessionária integrada no modelo Audi-Ducati. É a décima loja da marca italiana no Brasil.

O novo formato inclui um espaço exclusivo de 100 metros quadrados para motocicletas com oficina e pátio. Já a área de showroom apresenta um novo modelo de exposição – as motocicletas estarão distribuídas pela concessionária ao lado dos carros da Audi -, numa sinergia entre os modelos de quatro e duas rodas.

Crescimento
Falando na “Ferrari das Motos”, 2019 começou acelerado. A marca italiana registrou o melhor trimestre desde o início da sua operação no País em 2012. Foram 297 unidades emplacadas impulsionando um crescimento de 26% da marca nos primeiros três meses do ano no comparativo com igual período de 2018.

“Este resultado inédito é reflexo do trabalho consistente realizado pela Ducati do Brasil nos últimos dois anos e meio. Sem dúvida a unidade brasileira está em seu melhor momento”, explica Diego Borghi, presidente da subsidiária no País. Segundo o executivo, além da consistência nas ações, “temos sido persistentes ao demonstrar que é possível conquistar mercado, melhorar a rentabilidade e aumentar a capilaridade no território brasileiro. Só para comparar, o mercado de duas rodas acima de 500 cm3 evoluiu apenas 4,3% nos primeiros três meses do ano”, afirma Borghi.

Panigale V4 R à venda
Para deixar os ducatistas, amantes da velocidade ainda mais animados, a marca confirmou a pré-venda da Panigale V 4 R. A nova superesportiva apresenta um novo motor Desmosedici Stradale R, de quatro cilindros, 998 cm3, que oferece 221 cv de potência máxima, distribuídos em apenas 172 quilos.

As encomendas da versão R, modelo mais potente e de maior desempenho já construído pela Ducati, serão feitas por meio dos concessionários. O preço da Panigale V4 R é de R$ 250 mil. Para fazer parte deste seleto grupo, o abonado piloto deverá pagar 20% do valor da moto (R$ 50 mil) já no ato da reserva.

ROX MOTO, UMA NOVA EXPERIÊNCIA PREMIUM EM DUAS RODAS

Compartilhar está na moda. Mas não adianta apenas compartilhar equipamentos, imóveis ou veículos. É preciso também agregar experiências e que esta nova percepção de mundo – menos posses e mais tempo para curtir o que realmente importa – seja usada para conhecer novos lugares, pilotar motos diferentes e dividir este conhecimento com os amigos. Com uma visão e inovadora nasce a ROX Moto, que opera em parceria com a Triumph Experience (TRX).

A nova empresa do grupo Triple Power – proprietária de seis concessionárias em São Paulo – três no interir, duas na capital e uma no litoral – das marcas Triumph, BMW e Ducati – estará focada em oferecer experiências, produtos e serviços diferenciados para motociclistas de perfil mais aventureiro. A princípio, a ROX oferecerá locação de motos – avulsas ou para períodos mais longos –, além de viagens nacionais e internacionais.

A empresa conta também com showroom para venda de seminovas, oficina multimarca e loja completa de acessórios. Tudo distribuído em uma área de 500 metros quadrados no distrito de Sousas, em Campinas (SP). Em breve, a ROX contará com uma unidade da lanchonete Lucky Wings, que terá a cara de um posto de gasolina dos anos 1950.

Plano de negócio diferenciado

Um dos principais diferenciais é a locação de motos bigtrail para períodos de um ou dois anos, pagando uma mensalidade a partir de R$ 840,00 para usar a moto, a priori, por um final de semana por mês. Com pacotes modulares, ou seja, bastante flexíveis, é possível compartilhar a moto com um grupo de amigos, por exemplo.

Mas quais as vantagens de alugar uma moto em um pacote anual? Segundo a ROX, o consumidor terá desconto de até 35% em relação à locação avulsa; cada fim de semana você pode experimentar uma moto diferente; top case grátis nas locações; seguro total contra roubos, furtos e colisões e terceiro. Para Lucas Ozi, um dos sócios da empresa, “o motociclista não terá a mínima preocupação com revisão, documentos. E ganha ainda um curso de pilotagem com o pessoal da TRX”. Outra novidade oferecida pela empresa é a opção de fechar um contrato de dois anos e usar um scooter 0km (Honda Elite 125) todos os dias.

Viagens internacionais

A ROX Moto já tem programado na agenda 14 viagens internacionais para 2019. Os roteiros serão pela Europa, América do Norte, América do Sul e África do Sul. Em função da parceria operacional com a TRX – que tem cinco anos de experiência, mais de 55 viagens realizadas e 11 mil clientes atendidos, a nova empresa já traz todo o know-how para essas operações no exterior, com guias certificados em pilotagem, primeiros socorros e mecânica; hotéis de categoria superior e carro de apoio.

“A ROX representa uma solução completa para atender às diversas necessidades dos motociclistas, unindo experiências e serviços inovadores, aqui e fora do Brasil”, afirma Ozi, dizendo que depois de toda esta degustação desperte no aventureiro o desejo de comprar uma moto.

SERVIÇO

www.roxmoto.com.br

(19) 99365-8180

EXCLUSIVO: EICMA, O MAIOR SALÃO DE MOTOS DO MUNDO – ITALIANAS

EXCLUSIVO: EICMA, O MAIOR SALÃO DE MOTOS DO MUNDO – ITALIANAS

A 76ª edição do Salão de Motos Milão (EICMA 2018), que aconteceu entre 8 e 11 de novembro, na capital econômica da Itália, reuniu exatas 1278 marcas de 44 diferentes países e milhares de visitantes. A maior feira do segmento no mundo foi invadida, literalmente, por fanáticos pelo mundo das duas rodas. O seis megapavilhões ficaram lotados e a ‘capital da moda’ se transformou na ‘cidade da moto’.

Lá era possível ver – e subir – em diversos novos modelos; de marcas, estilos, potência e capacidade cúbica completamente distintas. Das potentes superesportivas até os dóceis scooters, passado pelas aventureiras trails e as tradicionais clássicas. Havia espaço ainda para equipamentos de segurança, inovações tecnológicas e veículos elétricos. Confira as principais novidades deste universo de duas rodas que acontece anualmente em Milão (ITA)

O jornalista Aldo Tizzani, do MinutoMotor, viajou à convite do ITA (Italian Trade Agency) e também do ICE (Agência para a internacionalização das empresas italianas)

Marcas italianas
Aprilia

La Casa de Noale apresentou dois novos produtos bem interessantes, principalmente aos amantes da motovelocidade. A primeira foi a versão 2019 da Aprilia RSV4, que traz motor de 1.100cc mais potente e design ainda mais radical. A outra é a Concept RS 660, uma motoconceito que em breve deverá ganhar a linha de produção.

Ducati

A “Ferrari das motos” trouxe várias novidades ao EICMA, com uma estreia mundial e atualização de vários modelos. Começamos com a Ducati Panigale V4R, considerada uma moto de rua com DNA de pista. Modelo mais potente da Casa de Borgo Panigale, a superesportiva está equipada com motor de quatro cilindros em “V”, a 90º, que gera 221 cavalos de potência máxima – e que pode chegar até 234 cv com a instalação de um escapamento esportivo d Akrapovič. A carenagem do novo modelo foi projetada e desenvolvida pela Ducati Corse – divisão de competição da marca – em parceria com o Ducati Style Center. Tudo pensado para melhorar a eficiência aerodinâmica em alta velocidade. A moto ganhou ainda peças em fibra de carbono, suspensões ajustáveis e muita eletrônica embarcada. Com a Panigale V4R, Ducati competirá no Campeonato Mundial de Superike em 2019.

A nova Hypermotard 950 apresenta uma renovação substancial em comparação com os modelos anteriores 821 e 939, com o retorno do escape (duplo) sob o assento duplo. Já a Multistrada 950 conta com uma nova versão 950S, que agora ganhou suspensão eletrônica. A Diavel 1260 traz uma bela atualização estética e a tradicional linha Monster ganha mais um modelo: a 821 Stealth.

MV Agusta

A MV Agusta sempre mexe com o imaginário do motociclista por meio de seus modelos radicais de exclusivos. Este ano não foi diferente. Destaque para a Brutale 1000 Series Oro. O modelo está equipada com motor de quatro cilindros em linha que gera 208 cv de potência máxima, que pode chegar a 212 com a instalação de um escapamento esportivo. Serão fabricadas apenas 300 unidades e a marca italiana informa que esta macchina atinge 300 km/h.

SWM

Com uma participação muito tímida no mercado brasileiro, a marca que tem sede na cidade de Vares (perto de Milão) exibiu na feira três nakeds com vocação scrambler, que contam com motores de 125, 300 e 400cc. A linha VareZ começa a ser vendida na Europa no início de 2019.

NOVA DUCATI MULTISTRADA 1260 CHEGA POR R$ 74.900

NOVA DUCATI MULTISTRADA 1260 CHEGA POR R$ 74.900

A nova Multistrada 1260 desembarca no Brasil em duas versões – ABS e S – e renova a participação da Ducati no segmento bigtrail de alta cilindrada e que se caracteriza por unir alta tecnologia, conforto e desempenho. De eletrônica sofisticada, nova Multistrada 1260 traz o motor de 1.262 cm³ de capacidade, que oferece 158 cavalos de potência máxima. Em comparação a geração anterior, o motor Testastretta DVT teve um aumento do torque e capacidade de tração. Agora a Ducati Multistrada 1260 entrega mais potência a partir de baixas rotações.

Ou seja, 85% do torque já está disponível a partir de 3.500 rpm com um aumento da curva de 18% a 5.500 rpm, comparado com o modelo anterior. Isso torna o modelo com o maior valor de torque a 4.000 rpm de sua categoria.
Entre as principais novidades destaque para o Ducati Quick Shift, que permite a troca de marchas automática para cima ou para baixo, sem o uso da embreagem (disponível na versão S). E também para o sensor de monitoramento da pressão dos pneus. Os preços sugeridos variam entre R$ 74.900 (ABS) e R$ 84.900, para a versão “S”. A bigtrail da marca italiana fará sua estreia no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo.

Multistrada 1260 ABS – Principais equipamentos
• Bosch IMU (Unidade de Medição Inercial)
• Sistema Bosch-Brembo 9.1ME ABS com assistência em curvas
• Discos dianteiros de 320 mm com pinças Brembo de 4 pistões
• Controle de cruzeiro eletrônico
• Modos de pilotagem
• Modo de Potência Ride-by-Wire
• Ducati Wheelie Control (DWC)
• Controle de Tração Ducati (DTC)
• Controle de retenção de veículo (VHC)
• Altura do assento do piloto ajustável
• Painel de instrumentos em LCD


Multistrada 1260 S – Principais equipamentos
• Ducati Motor Testastretta DVT 1262
• Ducati Quick Shift (DQS) up/down
• Ducati Safety Pack (Bosch Cornering ABS + DTC)
• Bosch IMU (Unidade de Medição Inercial)
• Sistema Bosch-Brembo 9.1ME ABS con assistência em curvas
• Discos dianteiros de 320 mm com pinças Brembo de 4 pistões
• Controle de cruzeiro eletrônico
• Modos de pilotagem
• Modo de Potência Ride-by-Wire
• Ducati Wheelie Control (DWC)
• Controle de Tração Ducati (DTC)
• Controle de retenção de veículo (VHC)
• Ducati Multimedia System (DMS)
• Altura do assento do piloto ajustável
• Painel de instrumentos em LCD
• Sistema de suspensão eletrônica semiativa Sachs Ducati Skyhook Suspension (DSS) Evolution
• Farol Full-LED com Ducati Cornering Lights (DCL)
• Painel de instrumentos com tela de 5” de alta resolução TFT em cores

HOJE É SEXTA: VAMOS PRATICAR O MOTOTURISMO?

 

Ferramenta de trabalho, opção inteligente para a questão da mobilidade urbana, a moto é também um instrumento de prazer. Já que ela pode levar o homem a conhecer novos lugares, novas culturas… Pode ser considerada um agente de socialização. Não há nada melhor que depois de dezenas de quilômetros rodados parar em uma cidadezinha, fazer novas amizades – ou rever velhos amigos de estrada –, poder trocar experiências e contar ‘causos’. E isso é uma experiência única!
Pode ser ainda um ‘rolê’ no centro velho, conhecer uma cidade histórica, descer para o litoral e ver o mar. Muitas vezes a moto se transforma em um tanque de guerra que enfrenta obstáculos. Em outras oportunidades em um avião para devorar as curvas de um autódromo em alta velocidade. É ir até onde a imaginação deixar (ou a rodovia permitir). Praticar o mototurismo é um estado de espírito, um estilo de vida que rejuvenesce as pessoas .
Não tem nenhuma ligação com marca, modelo ou cilindrada. Claro que há afinidades, gosto pessoal. Mas no final não importa o tamanho do “brinquedo”. O que importa mesmo é se aventurar, programar roteiros incríveis, já que a moto não tem fronteiras. Espero que as 11 fotos de Johanes Duarte, do Photo & Road, inspirem muitas pessoas a redescobrirem o Brasil sobre duas rodas, um País continental de inúmeras belezas!
Revise a moto, faça as malas e boa viagem. Bons equipamentos são fundamentais para uma viagem mais confortável e segura. Ah! Não esqueça da capa de chuva. O smartphone também é indispensável para registrar os momentos de alegria e descontração. Agora é pé na estrada!!!

FOTOS: Johanes Duarte / Photo & Road – www.photoandroad.com

VÍDEO: DUCATI SUPERSPORT S CHEGA POR R$ 63.900

Versatilidade. Esta é a palavra-chave que define a nova a Ducati SuperSport S. Em função de suas características, o modelo pode ser usado no dia a dia, em viagens e nos autódromos em track-days. A partir de 30 de julho, a esportiva da marca italiana estará em pré-venda com preço sugerido de R$ 63.900. Durante o período, os 15 primeiros clientes que reservarem a SuperSport S ganham um Kit Ducati Touring (composto de dois maleiros laterais rígidos, parabrisa alto e manoplas aquecidas) ou um Kit Ducati Sport (composto de paralama dianteiro de carbono, manetes de alumínio Rizoma, setas em LED, tampas dos reservatórios em alumínio e protetor de tanque em carbono).

Com design refinado que nos remete a superbike Panigale – conjunto óptico em LED é bem parecido -, a SuperSport S tem como diferencial uma posição de pilotagem ergonômica, com guidão mais alto, assento mais confortável e um tanque de 16 litros que confere bom encaixe do piloto. O peso a seco do conjunto é de 184 quilos. Em termos de eletrônica embarcada, o modelo não fica devendo em nada para suas irmãs mais velhas, já que conta com um completo pacote de segurança: sistema de freios ABS (três níveis de atuação) e controle de tração (8 níveis de atuação) que trabalham em conjunto para maior controle da motocicleta.

A SuperSport S está equipada com motor de dois cilindros de 937 cm3 Testastretta 11°, que produz 113 cavalos de potência máxima (a 9.000 rpm) e quase 10 kgf.m de torque. Com entrega de potência e força de forma bastante linear, a esportiva não assusta e conta ainda com três modos de pilotagem (Esportivo, Turismo e Urbano) customizáveis, cuja entrega de potência varia entre 113 cv a 90 cv. As operações são feitas por botão no punho esquerdo e o piloto pode acompanhar as alterações no painel LCD. Tudo muito intuitivo. Para um melhor desempenho, a esportiva da Ducati traz Quick Shift, sistema que permite aumentar/reduzir marchas sem o uso da embreagem. Realmente é bastante útil, principalmente na pista.

Ancorada pelo tradicional quadro em treliça, a parte ciclística da Ducati SuperSport S usa disco duplo de discos de 320 mm de diâmetro com pinças monobloco de fixação radial da grife Brembo. Já a suspensão é Öhlins, com garfos de 48 mm na dianteira e monoamortecedor com reservatório a gás. São totalmente reguláveis. Para absorver melhor os impactos com o piso, rodas de três raios em “Y” calçadas com pneus Pirelli Diablo Rosso III, 120/70ZR 17 dianteiro e 180/55ZR17 traseiro. 

Resumindo: Ágil e fácil de pilotar, a SuperSport S não tem o mesmo desempenho agressivo de uma Panigale, mas é um modelo ideal para quem vem subindo de categoria ou para o piloto que não precisa provar mais nada para ninguém. Apenas quer conforto; curtir a estrada, viajar com os amigos e dar umas aceleradas, de vez em quando, em um autódromo.

NOVA DUCATI MONSTER 797 CUSTA R$ 39.900

Finalmente a Ducati Monster 797 chega às concessionárias. Com preço sugerido de R$ 39.900, o modelo de entrada conta apenas com sistema de freios ABS e painel 100% digital. Não há controle de tração, muito menos modos de pilotagem. Apresentada na última edição do  Salão Duas Rodas (2017), a nova naked da marca italiana está disponível nas cores vermelha e branca, nesta última opção com o quadro em treliça pintado de vermelho (acima). O motor da 797 é o Desmodue, de 803 cm³, com arrefecimento a ar e que gera 75 cv de potência máxima. É o mesmo propulsor que equipa a linha Scrambler.  Detalhe, a família Monster acabou a comemorar 25 anos de estrada.

MCLAREN E DUCATI: DAS PISTAS PARA AS RUAS

A McLaren, fabricante britânica de carros esportivos de luxo e supercarros, desembarcou no Brasil e abriu as portas de sua concessionária em São Paulo, em 8 de maio. A revenda – que pertence ao Grupo Eurobike, representante de outras marcas Premium no País, entre carros e motos – fica na Vila Olímpia e foi projetada para atender aos exigentes padrões de atendimento da marca. O showroom de cerca de 400 m² exibirá a linha completa de carros de alto desempenho da McLaren, incluindo o novo 720S, assim como os modelos 570S Coupé e 570GT. Os preços variam entre R$ 1,9 milhão e R$ 3,1 milhões.

Está exposto também o McLaren Senna GTR Concept. Apresentado pela primeira vez no Brasil, o carro da família Ultimate Series foi inspirado na longa associação da marca com o tricampeão mundial Ayrton Senna, que conquistou todos seus três títulos mundiais de F1 (1988, 1990 e 1991) ao volante de uma McLaren. O supercarro foi desenvolvido por seu sobrinho e piloto de testes da McLaren Automotive, Bruno Senna (abaixo).

Com chassi em fibra de carbono, o McLaren Senna traz sob o capô um motor V8 biturbo, 4.0 litros, com potência declarada de 789 cv e 82 kgf.m de torque. A aceleração de 0-100 km/h é de apenas 2,8s, isso graças a sua transmissão de sete marchas e tração traseira. O peso deste superesportivo é de 1.198 kg. O preço extraoficial do McLaren Senna GTR gira em torno de R$ 8 milhões. Infelizmente, a ‘Série Senna’ não será vendida no Brasil.

Ferrari sobre duas rodas

Outro exemplo da migração das pistas para as ruas é a Ducati Panigale V4 Speciale, que está à venda no Brasil por R$ 269 mil e chegada prevista para setembro. Com edição limitada de 1.500 unidades produzidas em Borgo Panigale (ITA), apenas três estão disponíveis para o mercado brasileiro. Além do design radical, a superesportiva italiano conta com motor V4, de 1.103 cm3, 226 cavalos de potência, distribuídos em apenas 174 Kg. Ou seja, melhor relação peso-potência da categoria: 1,1 cv/kg. O modelo traz ainda com uma completa tecnologia embarcada.

A filosofia seguida pela equipe de desenvolvimento da Ducati para a Panigale V4 é a mesma que guiou os projetos dos protótipos do MotoGP: a total integração entre motor, chassi e piloto. Ou seja, performance total, porém com o máximo de controle e segurança.

LINHA DUCATI 2017 COM BÔNUS DE ATÉ R$ 8 MIL

LINHA DUCATI 2017 COM BÔNUS DE ATÉ R$ 8 MIL

Até o final de fevereiro vários modelos da linha 2017 da Ducati estão com preços especiais. XDiavel S, Multistrada 1200, Multistrada 1200 Sport, Multistrada 1200 S (nas cores vermelha e volcano grey), além da linha Panigale (959 Panigale, 1299 Panigale e 1299 Panigale S) estão com bônus de fábrica e o preço final está com até R$ 8.000 de desconto no valor original.

Já os modelos da linha Scrambler – Icon, Classic, Full Throttle e Urban Enduro – também estão com preços especiais até o final de fevereiro. Os valores variam de R$ 32.900,00 a R$ 39.900,00, conforme o modelo e o ano da motocicleta