EXCLUSIVO: EICMA, O MAIOR SALÃO DE MOTOS DO MUNDO – ITALIANAS

EXCLUSIVO: EICMA, O MAIOR SALÃO DE MOTOS DO MUNDO – ITALIANAS

A 76ª edição do Salão de Motos Milão (EICMA 2018), que aconteceu entre 8 e 11 de novembro, na capital econômica da Itália, reuniu exatas 1278 marcas de 44 diferentes países e milhares de visitantes. A maior feira do segmento no mundo foi invadida, literalmente, por fanáticos pelo mundo das duas rodas. O seis megapavilhões ficaram lotados e a ‘capital da moda’ se transformou na ‘cidade da moto’.

Lá era possível ver – e subir – em diversos novos modelos; de marcas, estilos, potência e capacidade cúbica completamente distintas. Das potentes superesportivas até os dóceis scooters, passado pelas aventureiras trails e as tradicionais clássicas. Havia espaço ainda para equipamentos de segurança, inovações tecnológicas e veículos elétricos. Confira as principais novidades deste universo de duas rodas que acontece anualmente em Milão (ITA)

O jornalista Aldo Tizzani, do MinutoMotor, viajou à convite do ITA (Italian Trade Agency) e também do ICE (Agência para a internacionalização das empresas italianas)

Marcas italianas
Aprilia

La Casa de Noale apresentou dois novos produtos bem interessantes, principalmente aos amantes da motovelocidade. A primeira foi a versão 2019 da Aprilia RSV4, que traz motor de 1.100cc mais potente e design ainda mais radical. A outra é a Concept RS 660, uma motoconceito que em breve deverá ganhar a linha de produção.

Ducati

A “Ferrari das motos” trouxe várias novidades ao EICMA, com uma estreia mundial e atualização de vários modelos. Começamos com a Ducati Panigale V4R, considerada uma moto de rua com DNA de pista. Modelo mais potente da Casa de Borgo Panigale, a superesportiva está equipada com motor de quatro cilindros em “V”, a 90º, que gera 221 cavalos de potência máxima – e que pode chegar até 234 cv com a instalação de um escapamento esportivo d Akrapovič. A carenagem do novo modelo foi projetada e desenvolvida pela Ducati Corse – divisão de competição da marca – em parceria com o Ducati Style Center. Tudo pensado para melhorar a eficiência aerodinâmica em alta velocidade. A moto ganhou ainda peças em fibra de carbono, suspensões ajustáveis e muita eletrônica embarcada. Com a Panigale V4R, Ducati competirá no Campeonato Mundial de Superike em 2019.

A nova Hypermotard 950 apresenta uma renovação substancial em comparação com os modelos anteriores 821 e 939, com o retorno do escape (duplo) sob o assento duplo. Já a Multistrada 950 conta com uma nova versão 950S, que agora ganhou suspensão eletrônica. A Diavel 1260 traz uma bela atualização estética e a tradicional linha Monster ganha mais um modelo: a 821 Stealth.

MV Agusta

A MV Agusta sempre mexe com o imaginário do motociclista por meio de seus modelos radicais de exclusivos. Este ano não foi diferente. Destaque para a Brutale 1000 Series Oro. O modelo está equipada com motor de quatro cilindros em linha que gera 208 cv de potência máxima, que pode chegar a 212 com a instalação de um escapamento esportivo. Serão fabricadas apenas 300 unidades e a marca italiana informa que esta macchina atinge 300 km/h.

SWM

Com uma participação muito tímida no mercado brasileiro, a marca que tem sede na cidade de Vares (perto de Milão) exibiu na feira três nakeds com vocação scrambler, que contam com motores de 125, 300 e 400cc. A linha VareZ começa a ser vendida na Europa no início de 2019.

NOVA DUCATI MULTISTRADA 1260 CHEGA POR R$ 74.900

NOVA DUCATI MULTISTRADA 1260 CHEGA POR R$ 74.900

A nova Multistrada 1260 desembarca no Brasil em duas versões – ABS e S – e renova a participação da Ducati no segmento bigtrail de alta cilindrada e que se caracteriza por unir alta tecnologia, conforto e desempenho. De eletrônica sofisticada, nova Multistrada 1260 traz o motor de 1.262 cm³ de capacidade, que oferece 158 cavalos de potência máxima. Em comparação a geração anterior, o motor Testastretta DVT teve um aumento do torque e capacidade de tração. Agora a Ducati Multistrada 1260 entrega mais potência a partir de baixas rotações.

Ou seja, 85% do torque já está disponível a partir de 3.500 rpm com um aumento da curva de 18% a 5.500 rpm, comparado com o modelo anterior. Isso torna o modelo com o maior valor de torque a 4.000 rpm de sua categoria.
Entre as principais novidades destaque para o Ducati Quick Shift, que permite a troca de marchas automática para cima ou para baixo, sem o uso da embreagem (disponível na versão S). E também para o sensor de monitoramento da pressão dos pneus. Os preços sugeridos variam entre R$ 74.900 (ABS) e R$ 84.900, para a versão “S”. A bigtrail da marca italiana fará sua estreia no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo.

Multistrada 1260 ABS – Principais equipamentos
• Bosch IMU (Unidade de Medição Inercial)
• Sistema Bosch-Brembo 9.1ME ABS com assistência em curvas
• Discos dianteiros de 320 mm com pinças Brembo de 4 pistões
• Controle de cruzeiro eletrônico
• Modos de pilotagem
• Modo de Potência Ride-by-Wire
• Ducati Wheelie Control (DWC)
• Controle de Tração Ducati (DTC)
• Controle de retenção de veículo (VHC)
• Altura do assento do piloto ajustável
• Painel de instrumentos em LCD


Multistrada 1260 S – Principais equipamentos
• Ducati Motor Testastretta DVT 1262
• Ducati Quick Shift (DQS) up/down
• Ducati Safety Pack (Bosch Cornering ABS + DTC)
• Bosch IMU (Unidade de Medição Inercial)
• Sistema Bosch-Brembo 9.1ME ABS con assistência em curvas
• Discos dianteiros de 320 mm com pinças Brembo de 4 pistões
• Controle de cruzeiro eletrônico
• Modos de pilotagem
• Modo de Potência Ride-by-Wire
• Ducati Wheelie Control (DWC)
• Controle de Tração Ducati (DTC)
• Controle de retenção de veículo (VHC)
• Ducati Multimedia System (DMS)
• Altura do assento do piloto ajustável
• Painel de instrumentos em LCD
• Sistema de suspensão eletrônica semiativa Sachs Ducati Skyhook Suspension (DSS) Evolution
• Farol Full-LED com Ducati Cornering Lights (DCL)
• Painel de instrumentos com tela de 5” de alta resolução TFT em cores

HOJE É SEXTA: VAMOS PRATICAR O MOTOTURISMO?

 

Ferramenta de trabalho, opção inteligente para a questão da mobilidade urbana, a moto é também um instrumento de prazer. Já que ela pode levar o homem a conhecer novos lugares, novas culturas… Pode ser considerada um agente de socialização. Não há nada melhor que depois de dezenas de quilômetros rodados parar em uma cidadezinha, fazer novas amizades – ou rever velhos amigos de estrada –, poder trocar experiências e contar ‘causos’. E isso é uma experiência única!
Pode ser ainda um ‘rolê’ no centro velho, conhecer uma cidade histórica, descer para o litoral e ver o mar. Muitas vezes a moto se transforma em um tanque de guerra que enfrenta obstáculos. Em outras oportunidades em um avião para devorar as curvas de um autódromo em alta velocidade. É ir até onde a imaginação deixar (ou a rodovia permitir). Praticar o mototurismo é um estado de espírito, um estilo de vida que rejuvenesce as pessoas .
Não tem nenhuma ligação com marca, modelo ou cilindrada. Claro que há afinidades, gosto pessoal. Mas no final não importa o tamanho do “brinquedo”. O que importa mesmo é se aventurar, programar roteiros incríveis, já que a moto não tem fronteiras. Espero que as 11 fotos de Johanes Duarte, do Photo & Road, inspirem muitas pessoas a redescobrirem o Brasil sobre duas rodas, um País continental de inúmeras belezas!
Revise a moto, faça as malas e boa viagem. Bons equipamentos são fundamentais para uma viagem mais confortável e segura. Ah! Não esqueça da capa de chuva. O smartphone também é indispensável para registrar os momentos de alegria e descontração. Agora é pé na estrada!!!

FOTOS: Johanes Duarte / Photo & Road – www.photoandroad.com

VÍDEO: DUCATI SUPERSPORT S CHEGA POR R$ 63.900

Versatilidade. Esta é a palavra-chave que define a nova a Ducati SuperSport S. Em função de suas características, o modelo pode ser usado no dia a dia, em viagens e nos autódromos em track-days. A partir de 30 de julho, a esportiva da marca italiana estará em pré-venda com preço sugerido de R$ 63.900. Durante o período, os 15 primeiros clientes que reservarem a SuperSport S ganham um Kit Ducati Touring (composto de dois maleiros laterais rígidos, parabrisa alto e manoplas aquecidas) ou um Kit Ducati Sport (composto de paralama dianteiro de carbono, manetes de alumínio Rizoma, setas em LED, tampas dos reservatórios em alumínio e protetor de tanque em carbono).

Com design refinado que nos remete a superbike Panigale – conjunto óptico em LED é bem parecido -, a SuperSport S tem como diferencial uma posição de pilotagem ergonômica, com guidão mais alto, assento mais confortável e um tanque de 16 litros que confere bom encaixe do piloto. O peso a seco do conjunto é de 184 quilos. Em termos de eletrônica embarcada, o modelo não fica devendo em nada para suas irmãs mais velhas, já que conta com um completo pacote de segurança: sistema de freios ABS (três níveis de atuação) e controle de tração (8 níveis de atuação) que trabalham em conjunto para maior controle da motocicleta.

A SuperSport S está equipada com motor de dois cilindros de 937 cm3 Testastretta 11°, que produz 113 cavalos de potência máxima (a 9.000 rpm) e quase 10 kgf.m de torque. Com entrega de potência e força de forma bastante linear, a esportiva não assusta e conta ainda com três modos de pilotagem (Esportivo, Turismo e Urbano) customizáveis, cuja entrega de potência varia entre 113 cv a 90 cv. As operações são feitas por botão no punho esquerdo e o piloto pode acompanhar as alterações no painel LCD. Tudo muito intuitivo. Para um melhor desempenho, a esportiva da Ducati traz Quick Shift, sistema que permite aumentar/reduzir marchas sem o uso da embreagem. Realmente é bastante útil, principalmente na pista.

Ancorada pelo tradicional quadro em treliça, a parte ciclística da Ducati SuperSport S usa disco duplo de discos de 320 mm de diâmetro com pinças monobloco de fixação radial da grife Brembo. Já a suspensão é Öhlins, com garfos de 48 mm na dianteira e monoamortecedor com reservatório a gás. São totalmente reguláveis. Para absorver melhor os impactos com o piso, rodas de três raios em “Y” calçadas com pneus Pirelli Diablo Rosso III, 120/70ZR 17 dianteiro e 180/55ZR17 traseiro. 

Resumindo: Ágil e fácil de pilotar, a SuperSport S não tem o mesmo desempenho agressivo de uma Panigale, mas é um modelo ideal para quem vem subindo de categoria ou para o piloto que não precisa provar mais nada para ninguém. Apenas quer conforto; curtir a estrada, viajar com os amigos e dar umas aceleradas, de vez em quando, em um autódromo.

NOVA DUCATI MONSTER 797 CUSTA R$ 39.900

Finalmente a Ducati Monster 797 chega às concessionárias. Com preço sugerido de R$ 39.900, o modelo de entrada conta apenas com sistema de freios ABS e painel 100% digital. Não há controle de tração, muito menos modos de pilotagem. Apresentada na última edição do  Salão Duas Rodas (2017), a nova naked da marca italiana está disponível nas cores vermelha e branca, nesta última opção com o quadro em treliça pintado de vermelho (acima). O motor da 797 é o Desmodue, de 803 cm³, com arrefecimento a ar e que gera 75 cv de potência máxima. É o mesmo propulsor que equipa a linha Scrambler.  Detalhe, a família Monster acabou a comemorar 25 anos de estrada.

MCLAREN E DUCATI: DAS PISTAS PARA AS RUAS

A McLaren, fabricante britânica de carros esportivos de luxo e supercarros, desembarcou no Brasil e abriu as portas de sua concessionária em São Paulo, em 8 de maio. A revenda – que pertence ao Grupo Eurobike, representante de outras marcas Premium no País, entre carros e motos – fica na Vila Olímpia e foi projetada para atender aos exigentes padrões de atendimento da marca. O showroom de cerca de 400 m² exibirá a linha completa de carros de alto desempenho da McLaren, incluindo o novo 720S, assim como os modelos 570S Coupé e 570GT. Os preços variam entre R$ 1,9 milhão e R$ 3,1 milhões.

Está exposto também o McLaren Senna GTR Concept. Apresentado pela primeira vez no Brasil, o carro da família Ultimate Series foi inspirado na longa associação da marca com o tricampeão mundial Ayrton Senna, que conquistou todos seus três títulos mundiais de F1 (1988, 1990 e 1991) ao volante de uma McLaren. O supercarro foi desenvolvido por seu sobrinho e piloto de testes da McLaren Automotive, Bruno Senna (abaixo).

Com chassi em fibra de carbono, o McLaren Senna traz sob o capô um motor V8 biturbo, 4.0 litros, com potência declarada de 789 cv e 82 kgf.m de torque. A aceleração de 0-100 km/h é de apenas 2,8s, isso graças a sua transmissão de sete marchas e tração traseira. O peso deste superesportivo é de 1.198 kg. O preço extraoficial do McLaren Senna GTR gira em torno de R$ 8 milhões. Infelizmente, a ‘Série Senna’ não será vendida no Brasil.

Ferrari sobre duas rodas

Outro exemplo da migração das pistas para as ruas é a Ducati Panigale V4 Speciale, que está à venda no Brasil por R$ 269 mil e chegada prevista para setembro. Com edição limitada de 1.500 unidades produzidas em Borgo Panigale (ITA), apenas três estão disponíveis para o mercado brasileiro. Além do design radical, a superesportiva italiano conta com motor V4, de 1.103 cm3, 226 cavalos de potência, distribuídos em apenas 174 Kg. Ou seja, melhor relação peso-potência da categoria: 1,1 cv/kg. O modelo traz ainda com uma completa tecnologia embarcada.

A filosofia seguida pela equipe de desenvolvimento da Ducati para a Panigale V4 é a mesma que guiou os projetos dos protótipos do MotoGP: a total integração entre motor, chassi e piloto. Ou seja, performance total, porém com o máximo de controle e segurança.

LINHA DUCATI 2017 COM BÔNUS DE ATÉ R$ 8 MIL

LINHA DUCATI 2017 COM BÔNUS DE ATÉ R$ 8 MIL

Até o final de fevereiro vários modelos da linha 2017 da Ducati estão com preços especiais. XDiavel S, Multistrada 1200, Multistrada 1200 Sport, Multistrada 1200 S (nas cores vermelha e volcano grey), além da linha Panigale (959 Panigale, 1299 Panigale e 1299 Panigale S) estão com bônus de fábrica e o preço final está com até R$ 8.000 de desconto no valor original.

Já os modelos da linha Scrambler – Icon, Classic, Full Throttle e Urban Enduro – também estão com preços especiais até o final de fevereiro. Os valores variam de R$ 32.900,00 a R$ 39.900,00, conforme o modelo e o ano da motocicleta