FORD USA REALIDADE VIRTUAL 3D PARA CRIAR CARROS

FORD USA REALIDADE VIRTUAL 3D PARA CRIAR CARROS

Revolução na indústria automobilística. A Ford é a primeira montadora a usar o Gravity Sketch, nova ferramenta de realidade virtual 3D que permite projetar carros por meio de gestos, com rastreadores de movimento e óculos especiais, sem precisar passar pela fase de esboço em caneta e papel. Além de revolucionar o trabalho dos estúdios de design, a novidade reduz drasticamente o tempo de desenvolvimento dos veículos. “Poder enxergar todos os ângulos do veículo em 360 graus enquanto ele está sendo desenhado realmente libera a criatividade e reforça a nossa proposta de centrar o design no cliente desde o início de cada projeto”, diz Michael Smith, gerente de design da Ford nos EUA.

O design tradicional de automóveis começa com um esboço 2D, que é digitalizado para produzir uma imagem de alta qualidade. Depois, ele é transformado em modelo 3D por um software de design auxiliado por computador (CAD). Esse modelo então é transferido a um ambiente de realidade virtual para análise da viabilidade. Como isso pode levar semanas, os designers selecionam com muito cuidado os projetos que chegam ao estágio de modelagem 3D.

Com o Gravity Sketch todo o processo é feito em questão de horas, usando desde o início um modelo 3D que permite pular o estágio 2D. Os projetistas podem criar o veículo em torno do motorista, girando e visualizando o design 3D em qualquer ângulo e tamanho, e entrar no esboço para ajustar seus detalhes internos. “Essa colaboração com os designers da Ford nos permitiu mergulhar no seu processo criativo e descobrir modos de ajustar o aplicativo para melhor atender às suas necessidades”, diz Oluwaseyi Sosanya, CEO e um dos fundadores da Gravity Sketch.

A introdução do Gravity Sketch em todos os estúdios globais de design da Ford vai agilizar o fluxo de trabalho e também gerar mais oportunidades de colaboração em tempo real entre os times. “Essa ferramenta leva todo o processo para o mundo da realidade virtual. Com ela podemos analisar mais opções de projeto, em menor tempo, e criar melhores veículos para nossos clientes”, completa Smith.

SALÃO DO AUTOMÓVEL ESBANJA OTIMISMO: MARCAS AMERICANAS

SALÃO DO AUTOMÓVEL ESBANJA OTIMISMO: MARCAS AMERICANAS

Após alguns anos de trevas, parece que o mercado automotivo brasileiro reencontrou a luz. Depois que o ainda otimista Salão do Automóvel de São Paulo de 2014 foi sucedido por três anos seguidos de profunda retração nas vendas, com direito a milhares de concessionárias fechadas e uma edição do evento paulistano quase depressiva em 2016, finalmente em 2018 as vendas voltaram a crescer de forma consistente. E as empresas do setor não disfarçam a euforia. Por isso, a trigésima edição do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo – que acontece de 8 a 18 de novembro no São Paulo Expo, na capital paulista – tem ares de celebração, apesar de algumas ausências de marcas que tradicionalmente participam do evento, como Peugeot, Citroën, Land Rover, Jaguar e Volvo, terem resolvido não participar. O público esperado é de mais de 700 mil pessoas que visitarão os mais de 120 estandes, entre fabricantes de veículos e de autopeças e empresas de serviços do setor.

Se a incômoda temporada letárgica ficou para trás, a perspectiva é que seja hora de retomar as vendas – e, coincidentemente, todos têm planos de ampliar suas participações no mercado local. Com esse objetivo, as empresas automotivas instaladas no país aproveitam o Salão de São Paulo para se reafirmar tecnologicamente e confirmar algumas das principais tendências mundiais já evidenciadas em outros motorshows do planeta – proliferação de utilitários esportivos e eletrificação dos motores. Nunca, na história do evento paulistano, tantos SUVs e tantos modelos elétricos e híbridos foram apresentados ao público ao mesmo tempo. Mas, como todo salão de automóveis que se preze, o de São Paulo é também um espaço para experimentação de ousadias estéticas e para testar a reação do público às novas propostas. Como não poderia deixar de ser, há lugar para a exposição de supermáquinas que provavelmente serão absoluta raridade nas ruas. Mas elas se transformam em verdadeiros objetos de veneração nos estandes do São Paulo Expo. Afinal, sonhar – por enquanto – não custa nada. Confira as novidades dos carros de origem norte-americana.

TEXTO E FOTOS Luiz Humberto Monteiro Pereira / Agência AutoMotrix

Chevrolet Bolt EV

A General Motors já avisou que pretende ser líder em carros elétricos em todos os mercados, incluindo a América Latina. Por isso, a marca confirmou no Salão de São Paulo que o Bolt EV estará nas concessionárias brasileiras ainda em 2019, por R$ 175 mil. A proposta do compacto da Chevrolet é ser um carro elétrico viável, para os dias de hoje. Nos Estados Unidos, o Bolt EV tem autonomia declarada de 383 quilômetros. O crossover tem potência de 203 cavalos e torque de 36,8 kgfm.

Jeep Wrangler Rubicon

A estrela da Jeep no Salão do Automóvel de São Paulo é a nova geração do Wrangler. O utilitário esportivo será vendido no Brasil em três versões: Sport, Sahara e Rubicon, sendo essa última a com maior capacidade off-road. A Rubicon estreia o novo motor 2.0 turbo no lugar do antigo V6 3.6. Segundo a marca norte-americana, a nova geração do utilitário está até 90 quilos mais leve, e o novo motor 2.0 tem até 13% a mais de torque do que o anterior. As vendas começam no início de 2019.

Ford Territory

O modelo chinês é a mais recente novidade no portfólio global de SUVs da norte-americana Ford. O estilo traz elementos que caracterizam os modelos da marca nesse segmento. Será lançado na China no início de 2019, com opções de motores a gasolina, híbrido e híbrido plug-in. Será o primeiro modelo da categoria a oferecer o Co-Piloto 360, com recursos avançados como alerta de colisão com sistema autônomo de frenagem. Está sendo exibindo no evento em São Paulo para testar a receptividade do público brasileiro.

FORD APOSTA EM SUA LINHA MAIS AVENTUREIRA


A Ford antecipou para a imprensa especializada as novidades que apresentará no Salão do Automóvel 2018, de 8 a 18 de novembro. A avant premierè exibiu o Edge ST e o EcoSport sem estepe na traseira. Mas há também conceitos destinados a testar a receptividade dos consumidores, caso do SUV Territory, do Ka Urban Warrior e das Ranger Storm e Black, apontando as tendências futuras da marca.


Os SUVs darão a tônica na exposição da Ford em São Paulo, com três grandes atrações. O novo Edge ST, primeiro carro a trazer para o Brasil a grife “Sport Technologies” de carros de alto desempenho da Ford, chega ao mercado logo após o salão. O EcoSport Titanium sem o estepe na traseira é outra grande novidade que futuramente estará nas ruas.

Já o Territory, novo SUV médio global repleto de tecnologia, desenvolvido na China, desembarca no salão como conceito. Aliás, o Territory – concorrente direto do Jeep Compass – será lançado somente na China em 2019. Para outros mercados, inclusive Brasil, só a partir de 2020.

A mostra da Ford inclui também conceitos desenvolvidos como exercício de design para medir a reação dos consumidores com relação a diferentes propostas. O Ka Urban Warrior é um deles, com acessórios que dão ao Ka Sedan uma roupagem esportiva de inspiração aventureira.

A picape Ranger traz duas propostas de personalização, criadas a partir de modelos diesel com cabine dupla. A Ranger Storm exibe pintura exclusiva em duas cores e elementos que reforçam a musculatura da carroceria. A Ranger Black, como diz o nome, tem a cor preta como tema, criando um visual ousado e moderno.

“Os veículos e tecnologias que estamos trazendo para o Salão de São Paulo refletem o grande momento de transformação da Ford”, disse Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul. “Eles são um exemplo da inovação que estamos buscando em todas as áreas para responder aos desafios atuais e futuros da mobilidade, criando soluções sempre com foco centrado no consumidor.”

O executivo afirmou que a Ford foi a primeira montadora a se instalar no Brasil, “onde vamos comemorar o centenário no próximo ano, e nunca deixamos de acreditar no desenvolvimento do País. Temos aqui uma estrutura forte e times de muito talento, como prova a abrangência e o sucesso da nossa linha atual de produtos”, disse Watters.

NOVO TROLLER T4 E CONCEITO TX4 ESTARÃO NO SALÃO


O Troller T4 2019, que será uma das atrações da marca durante o Salão do Internacional do Automóvel 2018, terá as vendas iniciadas já este mês, com duas novas opções de cores: o vermelho Toscana e o cinza Moscou. O veículo off-road traz também uma central multimídia exclusiva da JBL/Harman, com tela de 6,5 polegadas e várias funções de conectividade. O equipamento aumenta a funcionalidade do utilitário, que vem de série com computador de bordo, ar-condicionado automático digital de dupla zona e teto solar duplo.

Outra novidade que estará no estande da Troller, entre 8 a 18 de novembro, em São Paulo, é o conceito TX4, mostrando os caminhos que vão orientar o futuro desenvolvimento do utilitário. Além de novas combinações de cores, ele prevê equipamentos que preparam o veículo para aventuras ainda mais radicais.

A mostra terá ainda a apresentação de um conceito futurista em forma de holograma, criado como exercício de design para testar a reação do público, e um Troller T4 equipado com a linha de acessórios originais da marca. Ela é formada por mais de 100 itens de funcionalidade e personalização, como snorkel, guincho, para-choques de aço, pneus lameiros, estribos de aço, bagageiro e diversos tipos de protetores para quem deseja agregar estilo e praticidade nas trilhas.

Legítimo off-road, o T4 se destaca pela carroceria em compósito especial, resistente ao impacto e corrosão, pelo motor 3.2 Diesel de 200 cv e tração 4×4 com comando eletrônico e diferencial traseiro autoblocante. Esse conjunto permite ao utilitário, por exemplo, superar com facilidade aclives de até 45 graus e áreas alagadas com 800 milímetros de profundidade.

“O Troller T4 é um veículo único, tanto no desempenho e no design como na proposta de mercado. Ele teve uma grande evolução nos últimos anos e agora avança também na conectividade para atender suas múltiplas opções de uso”, diz Demétrio Fleck, gerente de Marketing, Vendas e Serviços da Troller.

VENDAS DE VEÍCULOS CRESCE EM 2018

De janeiro a setembro de 2018 foram emplacados 2.650.212 veículos – automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários -, número que representa alta de 12,64%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Apenas em setembro, foram comercializadas 299.583 unidades, 8,5% acima do volume registrado em idêntico mês de 2017, quando foram vendidos 276.103 veículos. Entretanto, quando comparado com agosto, este volume representa queda de 14,99%, explicada pelos quatro dias úteis a menos (em setembro foram 19 dias, contra os 23 dias de agosto). Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).


Nos segmentos de automóveis e de comerciais leves, o viés de alta segue mantido, apresentando, no acumulado dos nove primeiros meses, crescimento de 13,1%, totalizando 1.779.675 unidades. Considerando apenas setembro, estes segmentos apresentaram avanço de 5,77%, na comparação com o mesmo mês do ano passado, contudo, retração de 14,42% ante agosto de 2018.


Para o Presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, a quantidade de dias úteis influenciou, significativamente, no comparativo entre agosto e setembro deste ano. “Em setembro, o mercado sofreu em função da menor quantidade de dias úteis.

Contudo, é importante ressaltar que, na média diária, houve crescimento de 3,6%, nos emplacamentos de automóveis e comerciais leves. Além disso, diante do clima das eleições, naturalmente, o mercado entra em compasso de espera”, enfatiza o Alarico.

Para os emplacamentos totais , a entidade projeta, para este ano, alta de 12,4% sobre 2017, contra os 9,8% estimados anteriormente. A nova projeção da entidade, para os segmentos de Automóveis e Comerciais Leves, aponta para crescimento de 11,9% em 2018. Em julho, a entidade estimava que os segmentos cresceriam 9,7% no ano.

A nova projeção para o segmento de Caminhões é de 38,2% de alta, ante os 24,8% estimados em julho. Para o segmento de Ônibus, a revisão das projeções considera avanço de 23,2% nas vendas de 2018. Em julho, a projeção era de queda de 4,1%. A Fenabrave também está revendo para cima, a projeção para o mercado de Motocicletas, que deve chegar a 9,9% de crescimento, ante os 7,7% estimados anteriormente.

TOP 10 – Carros mais vendidos em 2018 (Jan/Set)
GM Onix               89.284
Hyundai HB20    62.716
Ford Ka                43.678
VW Polo               42.457
Renault Kwid       39.628
Honda HR-V       33.238
Fiat Argo               30.969
Toyota Corolla     29.140
GM Prisma           28.871
VW Fox                 23.235

CARROS E MOTOS REAGEM: CG 160 VENDE MAIS

O segmento automotivo terminou primeiro semestre com 1,691 milhão de veículos novos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motos) e implementos rodoviários emplacados, crescimento 12,37% em comparação ao mesmo período do ano passado. Em junho foram licenciados 287.721 mil veículos – de todos os segmentos – e implementos, queda de 2,45% em relação a maio. Reflexo da greve dos caminhoneiros. Os dados são da Fenabrave, entidade que reúne os concessionários.

Nos automóveis de passeio, a GM lidera com folga. Em junho, o Onix vendeu praticamente o dobro que seu principal concorrente, o HB 20 – 16.218, contra 8.292. No semestre, o compacto da Chevrolet teve 89.620 unidades licenciadas, contra 50.419 do modelo de origem coreana. O terceiro colocado é o Ford Ka, com 48.262 unidades licenciadas nos seis primeiros meses do ano. Nos carros, a Fenabrave prevê crescimento de 9,9%. O segmento deve encerrar o ano com pouco mais de 2 milhões de automóveis emplacados.

Duas rodas
Porém, quem leva o Brasil nas costas, ou melhor, sobre duas rodas, é a Honda CG 160. Em junho foram emplacadas 20.141 unidades. No acumulado do ano, 122.034 motos CG 160 foram licenciadas. Número que coloca, mais uma vez, a street da Honda como o veículo mais vendido do País. Outras duas motos Honda tiveram bom desempenho. Com 65.287 unidades comercializadas nos seis primeiros meses do ano, 10.106 só em junho, a popular Biz é a segunda moto mais vendida, e o terceiro veículo com mais emplacamentos do Brasil. Já a trail NXR 160 teve 16.439 unidades licenciadas em junho e 59.459 no período.


O segmento de duas rodas apresenta leve recuperação, de 6,93 em relação a 2017. No primeiro semestre foram licenciadas 456.889 unidades, contra 427.275 motos no mesmo período do ano passado. A previsão de emplacamentos, segundo a Fenabrave, será de 916.980 unidades, incremento de 7,7% em relação a 2017.

FORD JÁ VENDEU 200 UNIDADES DO MUSTANG

Mesmo antes mesmo de chegar à rede de concessionárias, a Ford já vendeu 200 unidades do Mustang. O sucesso as vendas do esportivo Premium está diretamente ligado ao programa de pré-venda, que começou em meados de dezembro. O número divulgado pela montadora equivalente a cerca do dobro da somatória de todos os concorrentes da categoria no mesmo período. Ou seja, o Mustang Ford é mais rápido em vendas que seus principais adversários: GM Camaro, Mercedez-Benz AMG e SLC, BMW M6, Audi TT e Porsche 911.

A pré-venda do Mustang continua até o final deste mês, com um sistema de atendimento exclusivo feito por meio do site www.mustangford.com.br e nos distribuidores da marca. Oferecido na versão GT Premium, topo de linha, o esportivo tem preço de lançamento de R$299.900 e a reserva é feita com o pagamento de 10% desse valor. As primeiras unidades começam a ser entregues aos proprietários no Brasil no final deste mês.

Entre as novidades, estão o painel configurável de 12 polegadas totalmente digital, o sistema eletrônico de preaquecimento dos pneus traseiros (Line Lock) e a central multimídia SYNC 3, que também equipa outros modelos Ford. O Mustang também vem com faróis e lanternas de LED, acesso inteligente por sensor, botão de partida e tecnologias avançadas de assistência ao motorista. As rodas de 19 polegadas e o aerofólio traseiro destacam a sua esportividade. Para completar, o esportivo norte-americano está equipado com motor V8 5.0 de 466 cv e transmissão automática de 10 velocidades com opção de trocas no volante.

“O Mustang tem encontrado uma grande aceitação entre os consumidores brasileiros, mostrando a força da sua marca”, diz Fernando Pfeiffer, gerente de Produto da Ford. Segundo o executivo, “o carro é um ícone de esportividade e liberdade, que desperta entusiasmo e emoção em todas as partes do mundo. O Brasil agora estará oficialmente integrado a esse grupo”.

FORD EM MEGAPRODUÇÃO NA ESPANHA

A Ford reuniu pela primeira vez seus oito modelos da linha global Ford Performance para um teste de velocidade que aconteceu no autódromo de Motorland, próximo a Barcelona (ESP). Na pista as versões de rua e de competição do Ford GT, o novo Mustang GT, o Mustang GT350R, a F-150 Raptor, o Focus RS e as versões atual e nova do Fiesta ST, que deram uma volta no circuito com cerca de 5 km de extensão.

A produção do vídeo envolveu três equipes de filmagem, um drone e 16 câmeras GoPro. Como “camera-car” foi usado um Ford Fiesta ST personalizado, com equipamento de alta definição 4K. O desafio foi filmado numa “janela” de apenas quatro horas durante um teste de pneus realizado pelos pilotos para a pré-temporada do Ford GT.

Ao voltante pilotos da Ford Chip Ganassi Racing Team: Andy Priaulx, Harry Tincknell, Olivier Pla e Stefan Mücke, do Campeonato Mundial de Endurance, e Dirk Müller, Joey Hand, Richard Westbrook e Ryan Briscoe, do Campeonato IMSA WeatherTech SportsCar.

 

CENTRAL MULTIMÍDIA DA FORD COMPLETA 10 ANOS

CENTRAL MULTIMÍDIA DA FORD COMPLETA 10 ANOS

A primeira geração do SYNC, central multimídia da Ford, está completando 10 anos. Para comemorar a evolução da tecnologia, a montadora apresenta o SYNC 3, versão que traz uma série de avanços e novos recursos de conectividade. Com tela capacitiva e sistema aprimorado de reconhecimento de voz, a terceira geração do sistema é considerado um dos mais avançados e intuitivos da indústria. Além de trazer comandos de voz para celular, áudio e navegação, é compatível com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto permite acesso a aplicativos de smartphones, cuja lista vem sendo continuamente ampliada.

Imagens: Divulgação/FORD

Para desenvolver sua primeira central multimídia, a Ford buscou a parceria de uma empresa líder de tecnologia, a Microsoft, prevendo que com a rápida difusão dos celulares e dispositivos móveis seria apenas uma questão de tempo para a integração desses aparelhos aos automóveis.
A primeira geração do SYNC foi apresentada em janeiro de 2007, durante o Salão Internacional de Detroit. O anúncio foi feito por Bill Gates, fundador da Microsoft, e executivos da Ford num evento transmitido via satélite. O sistema baseado no software Microsoft Auto foi desenvolvido para revolucionar a forma como as pessoas se conectavam em seus veículos.

Imagens: Divulgação/FORD

Usando comandos de voz e controles do rádio e do volante, com capacidade para operar com a maioria dos celulares e tocadores de mídia digital, sua principal vantagem era – e continua sendo – deixar as mãos livres para o motorista dirigir com segurança.
O sistema foi oferecido inicialmente apenas em alguns modelos da Ford, Mercury e Lincoln, antes de ser difundido em toda a linha. Em 2015, quando a terceira geração foi lançada, o SYNC já era usado em 12 milhões de veículos no mundo.

Imagens: Divulgação/FORD

No Brasil, o SYNC chegou com o Ford Edge 2009, lançado no final de 2008. Hoje o sistema é oferecido em toda a linha de automóveis, picapes e utilitários esportivos da Ford, conforme a versão, incluindo Ka, New Fiesta, Focus, Fusion, EcoSport, Edge e Ranger.
Entre outras funções, o SYNC é o único do mercado nacional a contar com a Assistência de Emergência, que liga automaticamente para o serviço de atendimento de urgência (SAMU), por meio de um celular pareado, em caso de acidente com acionamento dos airbags ou corte da bomba de combustível.