COM MAIS “PEGADA”, TRIUMPH LANÇA NO BRASIL A BOBBER BLACK

COM MAIS “PEGADA”, TRIUMPH LANÇA NO BRASIL A BOBBER BLACK

Os planos da inglesa Triumph para 2019 são ambiciosos: vender 5 mil unidades no País. Além da liderança nas bigtrails, a marca inglesa quer obter melhores resultados em suas clássicas modernas, que já representam 25% de suas vendas. Para ampliar sua participação nesta categoria, a marca apresentou a Triumph Bonneville Bobber Black, com preço sugerido de R$ 49.990. O modelo conta com motor de dois cilindros e1200 cc, que esbanja torque, assento único e, como o nome já sugere, traz uma série de detalhes e acabamentos pintados em preto. Isso sem falar numa boa dose de tecnologia.

O modelo mais retrô da Triumph têm dois os modos de pilotagem Road e Rain e controle de tração, agora comutável. Além disso conta com iluminação em LED (lanterna traseira, indicadores e luz da placa de identificação), um imobilizador de última geração com transponder incorporado na chave e piloto automático.

Motor de 77 cv e 1200cc
Com refrigeração líquida, o motor Bonneville de 1200cc de dois cilindros paralelos, conta com intervalo de acionamento de 270° na ignição. Oferece 10,8 kgf.m de torque, disponíveis já a apenas 4.000 rpm, e 77 cv de potência (a 6.100 rpm). Para esta nova versão, o propulsor ganhou uma dose maior de torque e potência em baixas rotações – que irá facilitar a vida dos motociclistas em deslocamento por trechos urbanos. Assim como todas as novas Bonneville, a Bobber é equipada com o acelerador eletrônico (ride-by-wire). Outro diferencial é que Bobber Black conta com um primeiro grande intervalo de manutenção de 16.000 km.

Ciclística refinada
A Bonneville Bobber Black conta com sistema de freios ABS; auxiliado por discos duplos de 310 mm na frente, com duas pinças de dois pistões Brembo, e disco simples na traseira, com pinça de pistão único. A suspensão também apresenta uma atualização: garfos dianteiros Showa, com tubos de 47mm de diâmetro e 90mm de curso. O trem dianteiro ganhou roda dianteira de 16 polegadas, que está calçada com os exclusivos pneus “balão” Avon Cobra.

Para Cláudio Peruche, gerente de pós-vendas da Triumph do Brasil, “a moto ganhou mais que simples perfumaria. A Bobber Black teve sua suspensão reforçada, adoção de novas tecnologias e a possibilidade de inúmeras modificações estéticas”.

Mais de 120 acessórios
Como qualquer boa clássica, a Bobber Black foi planejada para ser customizada. Para isso, a Triumph oferece mais de 120 acessórios, que podem deixar sua moto mais bonita, confortável e até com um melhor desempenho. Estes acessórios incluem, por exemplo, diferentes opções de guidão, espelhos alternativos, indicadores LED compactos, para-lamas curtos, assentos distintos e manoplas aquecidas. Os acessórios originais da marca incluem, também, suspensão traseira ajustável Fox e silenciadores de alumínio usinados Vance & Hines.

Série limitada, by Shibuya
Bonneville Bobber Limited é um projeto da Garagem Shibuya feito especialmente para a Triumph. Cada revenda da marca no País receberá apenas uma unidade, ou seja, uma série limitada e numerada de 1 a 16 na carenagem (a numeração é definida pela sequência de inauguração das concessionárias) e lanterna traseira preta.

São três níveis de customização: básico, intermediário e completo. Preço a partir de R$ 47.990. “A Bobber Limited, além de muito exclusiva, é uma evolução da Bobber lançada aqui no ano passado, com ainda mais estilo e personalidade”, explica André Molnár, gerente de Marketing da Triumph.

Para Teydi Deguchi, fundador da Garagem Shibuya, a Bobber é um produto com grande aceitação no mercado de customização. “É uma motocicleta com linhas muito puras, o que deixa a customização ainda mais interessante”, conclui.

ROYAL ENFIELD REÚNE FÃS AO REDOR DO MUNDO

O One Ride, tradicional passeio promovido pela Royal Enfield, aconteceu no segundo domingo de abril, dia 8. A oitava edição global do tour foi realizada simultaneamente em 28 países, inclusive no Brasil, teve o tema “Ride as One”. Unindo centenas de cidades, milhares de motociclistas e muitos quilômetros rodados ao redor de uma só paixão: o moto purismo. Ou seja, rodar sobre uma autêntica clássica. Para quem não sabe, a Royal Enfield é a marca  mais antiga de motocicletas em produção contínua do mundo. Construiu seu primeiro modelo em 1901 na Inglaterra.

Além dos 219 rides promovidos na Índia – onde a linha de motos é fabricada – em mais de 119 cidades, outras localidades receberem o One Ride 2018. Entre elas Milwaukee, nos EUA (casa da Harley-Davidson); Leipzig, na Alemanha; Barcelona e Madri, na Espanha; Milão e Turim, na Itália; Porto e Lisboa, em Portugal; cidade do Kuwait, no Kuwait; Hetauda, no Nepal; e Medellín e Bogotá, na Colômbia. Nossos vizinhos sulamericanos já receberam a Himalayan 400, modelo mais aventureiro da Royal Enfield.

Próxima de comemorar um ano, a Royal Enfield Brasil promoveu a segunda edição do One Ride. O encontro reuniu 50 pilotos, maior número de motociclistas pilotando modelos Royal juntos no País. E nós, do MinutoMotor, pegamos carona neste “bonde” sentido Socorro (SP), cidade considerada um polo de esportes de aventura.

Aliás, o maior “tesão” dessa moto não é rodar em rodovias abertas, mas sim em estradas sinuosas, travadas, em velocidade mais baixa para curtir o comportamento dessas clássicas e as paisagens. Na cidade, aos modelos Royal Enfield e seus motores de um cilindro fazem cerca de 30 Km/l.

O passeio de cerca de 200 quilômetros teve início na concessionária Royal Enfield SP – Av. República do Líbano, 2.070, São Paulo –  com destino ao Parque de Aventura Monjolinho. Além das atividades disponíveis para os participantes do ride, como rafting e arborismo, foi oferecido test-rides. 

“Impulsionado pelo moto purismo, já contamos com uma comunidade unida, que é apaixonada pelas máquinas clássicas da Royal Enfield. Desejamos que cada vez mais motociclistas possam fazer parte dos nossos eventos e aproveitar o que há de mais prazeroso no motociclismo: rodar e fazer novos amigos”, afirma Claudio Giusti, diretor geral da Royal Enfield no Brasil, que participou do One Ride 2018 com sua Classic 500.

PRÍNCIPE WILLIAM VISITA A FÁBRICA DA TRIUMPH

Que o Príncipe William, Duque de Cambridge, é um apaixonado por motos isso não é novidade para ninguém. O nobre inglês visitou as instalações da Triumph, em Hinckley, região central da Inglaterra. Marca que completou 115 anos em 2017. O príncipe conheceu as linhas de montagem, inaugurou oficialmente o Visitor Centre e, de quebra, deu um “rolezinho” em volta das instalações com a nova Tiger 1200. A bigtrail inglesa foi totalmente revigorada e que deve chegar ainda no primeiro semestre ao mercado brasileiro.

Visitor Centre, que fica instalado em um ‘corner’ do prédio principal da fábrica. Dividido em oito áreas temáticas, o museu interativo exibe modelos históricos, passando por “mockups”, peças, motores até produtos finalizados. O museu está distribuído em três pavimentos e exibe mais de 40 motos. No espaço há muitas referências e tendências de design e moda, além de painéis que destacam astros do cinema e da música que pilotaram motos Triumph. Entre eles, Elvis Presley, Paul Newman, Bob Dylan, James Dean, Marlon Brando, Clint Eastwood e até o ex-jogador de futebol David Beckham, que rodou pela Amazônia com uma Scrambler.

Com muita informação, o que chama a atenção no Visitor Centre da Triumph não é sua grandeza física, mas sim a riqueza de detalhes, transformando um espaço cênico na casa de todo e qualquer motociclista. E essa integração entre a marca e o público se dá por meio de instalações audiovisuais, nas quais o visitante pode ver e ouvir a história. Além de linhas do tempo fixadas nas paredes contando a história da marca e de modelos históricos.