JAQUETA LS2 GALLANT: PRONTA PARA GANHAR O MUNDO

Completa, bonita e cheia de detalhes, a jaqueta Gallant da LS2 é confeccionada em poliéster de alta resistência nas cores cinza, preto e vermelho. A parca conta com gola com fecho instantâneo regulável e vários refletivos. O modelo traz tecido impermeável, respirável e com forração térmica para proteger o motociclista em dias mais freios. O inverno está aí, então é bom estar preparado e protegido durante a pilotagem! No verão é só retirar o forro sem perder em conforto e também em segurança. É ideal para donos de bigtrails, aventureiras esportivas ou motos do estilo touring.

 

Versátil, a parca da LS2 conta com áreas frontais com ventilação e botões magnéticos, além de ajuste na cintura. Conta ainda bolsos internos, um deles exclusivo para guardar o celular. Com bom caimento, a jaqueta Gallant oferece liberdade de movimentos, conforto e segurança. Isso sem falar na beleza, sofisticação e preço bastante competitivo: R$ 999,90. Visite: ls2.com.br

AS NOVIDADES DA NOVA TIGER 1200

AS NOVIDADES DA NOVA TIGER 1200

Para encarar a concorrência de frente, a nova Triumph Tiger 1200 chega ao Brasil com 100 alterações – estéticas, ergonômicas e funcionais -, além de muitas inovações tecnológicas. A bigtrail, que tem o motor mais potente em sua categoria (141 cv), está pronta para enfrentar qualquer tipo de aventura, seja no asfalto, terra, areia ou rípio. É, segundo a marca, o modelo mais avançado da linha já fabricado pela Triumph.
Entre as principais novidades estão: iluminação adaptativa para curvas, painel de instrumentos TFT ajustáveis e totalmente coloridos, botões com iluminação de fundo, iluminação total de LED, trocas de marcha sem o auxílio da embreagem e controle de velocidade atualizado. Confira no vídeo os novos sistemas adotados na nova Tiger 1200. Quem conta os detalhes é Cláudio Peruche, gerente de Pós-Vendas da marca.
A aventureira inglesa está disponível nas seguintes versões e cores: Tiger 1200 XR (branca e preta – Crystal White e Jet Black), Tiger 1200 XCx (branca, preta e verde – Crystal White, Jet Black e Matt Khaki Green) e Tiger 1200 XCa (branca e verde – Crystal White e Marine). Preços: Tiger 1200 XR (R$ 60.090,00), Tiger 1200 XCx (R$ 73.190,00) e Tiger 1200 XCa (R$ 83.490,00).

VEJA: NOVA TIGER 1200 TRAZ SISTEMA KEYLESS

VEJA: NOVA TIGER 1200 TRAZ SISTEMA KEYLESS

Modelo mais avançado já fabricado pela Triumph, a Tiger 1200 XCa traz uma tecnologia vinda dos automóveis: sistema de ignição sem chave ou “Keyless”. Para acionar o motor, a chave inteligente deve estar a 1 metro da antena receptora de baixa frequência. Quem explica os detalhes deste novo sistema é Cláudio Peruche, gerente de Pós-Vendas da marca.

VEJA: CLIENTES ROYAL FALAM DE SUAS MOTOS

VEJA: CLIENTES ROYAL FALAM DE SUAS MOTOS

Caçula do mercado de duas rodas no País, a Royal Enfield completou um ano de Brasil. Neste período a marca vendeu cerca de 600 unidades, 174 delas nos primeiros quatro meses do ano. O seu line-up é formado pelos modelos Bullet 500 e Classic 500, ambas clássicas, além da cafe racer Continental GT. A primeira motocicleta da Royal foi produzida na Inglaterra em 1901. Hoje todos os modelos são fabricados na Índia e a companhia é controlada pelo grupo Eicher Motors.

A marca conta apenas com uma revenda no País, a Royal Enfield SP, dos irmãos Maurício e Raul Fernandes Jr. (Avenida República do Líbano, 2070, Ibirapuera, SP). Mas pelo que tudo indica este ano a Royal abrirá novas concessionárias, provavelmente em Belo Horizonte (MG) e no Rio de Janeiro (RJ). O plano de expansão também prevê a comercialização de novos modelos como, por exemplo, a Himalayan, que deve desembarcar por aqui no segundo semestre.

Moto de uso misto, que já é vendida na vizinha Colômbia, a Himalayan conta com suspensão de longo curso, motor monocilíndrico de 411 cm³, que gera 25 cv potência máxima. Pronta para encarar qualquer tipo de terreno, a trail com cara de moto dos anos 1970 usa roda dianteira aro 21 polegadas.
No Brasil, como em outras partes do mundo, a Royal Enfield conquistou consumidores justamente pela simplicidade estética e mecânica, além de uma rica história de mais de 100 anos. 

VÍDEO: SERTÕES 2018, DE VOLTA ÀS ORIGENS

VÍDEO: SERTÕES 2018, DE VOLTA ÀS ORIGENS

Maior competição off-road da América Latina, e uma das maiores do mundo, o Rally dos Sertões 2018 parte para sua 26ª edição. De volta às origens, a prova percorrerá 3.600 quilômetros de muita aventura e adrenalina, que exigirá muito de máquinas e pilotos. A competição terá largada promocional em 18 de agosto em Goiânia (GO) e chegada em Fortaleza, no Ceará, em 25 de agosto. O trajeto cruzará, além de Goiás e Ceará, mais dois estados – Bahia, Piauí. O Rally dos Sertões 2018 reunirá pilotos em quatro categorias: motos, quadriciclos, UTVs e carros. Além do sol, os competidores enfrentarão longas especiais e muita areia. Confiras todas as novidades da competição na reportagem do MinutoMotor.

YAMAHA PROMOVE PIT STOP EDUCATIVO

Imagem: Denis Armelini

Como diz um velho ditado popular: “prevenir é melhor do que remediar”. Mas a Yamaha e a CCR AutoBan foram ainda mais longe em questões que envolvem segurança e atitude do piloto sobre uma moto. Além de fazer a checagem da parte elétrica (luzes) e verificação do estado de conservação dos pneus, a equipe da Yamaha realiza seu tradicional Pit Stop até 9 de maio (quarta-feira). Desta vez no km 39 da rodovia Bandeirantes, sentido interior de São Paulo.

Imagem: Denis Armelini
Os motociclistas que paravam na ação puderam acompanhar vídeos sobre a importância do uso do capacete, aprender técnicas de frenagem e ter dicas de direção defensiva. Além de informações preciosas, o participante ganhava ainda um vale troca de óleo Yamalube, independente da marca/modelo de sua moto. Ou seja, uma ação de segurança esbanjando democracia.

Imagem: Denis Armelini
Para Hélio Mazzarella, instrutor da Yamaha, o Pit Stop é uma forma de alertar o motociclista sobre o desgaste do pneu ou simplesmente de como fazer uma ultrapassagem de forma correta. “Em função da correria do dia a dia, o piloto precisa destas informações básicas de manutenção preventiva e também de dicas sobre sua responsabilidade sobre a moto”.

Imagem: Denis Armelini
Um exemplo prático abordado no Pit Stop da Yamaha é a questão do “ponto cego”. A marca simulou uma via de três faixas (acima) na qual um furgão estava na faixa central e motos nas laterais e também traseira. Todos os motociclistas entraram na cabine e se posicionaram no lugar do motorista para ter a real noção da visão de quem dirige a van. “A primeira dica é: veja e seja visto. É importante o contato visual entre motorista e motociclista. Fique pelo menos a cinco metros do veículo da frente. A outra é não circular totalmente no centro da faixa de rolagem. Mais perto da faixa divisória a quantidade de resíduos é menor”, conta Alessandro Santos, concessionário Yamaha que estava dando apoio à ação.

Imagem: Denis Armelini
Por sua vez, a AutoBan estava intensificando a campanha “Viagem Segura – Sua Melhor Direção” com a distribuição de um folder. A publicação trazia dicas importantes de segurança e atitude na rodovia. Tudo para minimizar acidentes.

O QUE VALE A PENA TER, VALE A PENA ESPERAR

O QUE VALE A PENA TER, VALE A PENA ESPERAR

A Muteki, uma das maiores importadoras de motopeças do Brasil, acaba de fechar uma parceria com a italiana SWM (Speedy Working Motors). A empresa brasileira irá comercializar no País motocicletas que são fabricadas em Biandronno, Varese, norte da Itália.

Famosa nas competições off-road na década de 1970, a SWM encerrou suas operações nos anos de 1980. Porém, em 2014, a marca ressurgiu com o capital do empresário chinês Daxing Gong, presidente do grupo Shineray, e também pelas mãos do renomado engenheiro italiano Ampelio Macchi, atual CEO da SWM.

Confira o vídeo-teaser do primeiro modelo SWM a ser comercializado no Brasil. Em breve novas notícias sobre a moto e também sobre a parceria entre Muteki e SWM.

Harley CVO Limited 2018: exclusividade que custa R$ 170 mil

A Harley-Davidson trouxe para o Brasil seu modelo mais luxuoso: a CVO Limited. Serão produzidas apenas 1200 unidades e pouquíssimas unidades virão ao País. De tão exclusiva esta Harley custa R$ 170 mil. É mais cara que a nova Mercedes-Bens CLA 180.


Mas o que esta moto tem de tão especial? É uma edição comemorativa aos 115 anos da H-D e está equipada com motor V2 mais poderoso fabricado em Milwaukee (EUA). São 1923 cilindradas e 17 quilos de torque. Ou seja, muita potência e força para encarar a estrada.
Feita para longas viagens, a CVO Limited traz também outros diferenciais: sistema miltimídia com tela de 6,5 polegadas sensível ao toque; GPS, além de um completo sistema de som, com quatro alto-falantes. dá para sintonizar sua rádio preferida ou parear seu smartphone com a moto e ouvir sua playlist preferida

COMO ANDA A YAMAHA R3 CUP EM INTERLAGOS?

COMO ANDA A YAMAHA R3 CUP EM INTERLAGOS?

Incentivar a formação de novos pilotos. Esta é a principal missão da categoria Yamalube R3 Cup. Para isso, a Yamaha Brasil ofereceu subsídio na compra da miniesportiva YZF R3 0km ao preço de R$ 15.200,00.
Em 2018 a Yamaha investirá mais recursos na preparação e treino dos pilotos – com atividades que desenvolvam o físico, o raciocínio e até mesmo o controle emocional. O acompanhamento técnico será feito pelo ex-piloto e chefe de equipe Alam Douglas.
Para ir para a pista, a moto original emagreceu 15 quilos. Foram substituídas carenagens, guidão e ponteira esportiva. Saiba detalhe sobre a categoria e, de quebra, dê uma volta no lendário autódromo de Interlagos (SP).

BMW DIVULGA PREÇO DA G 310 GS: R$ 24.900

BMW DIVULGA PREÇO DA G 310 GS: R$ 24.900

A pequena aventureira da BMW, a G 310 GS teve seu preço definido pela marca alemã. A “Baby GS” custará R$ 24.900. Fabricada em Manaus (AM), o modelo trail terá como principais concorrentes a Kawasaki Versys 300 (R$ 22.990) e a Honda CB 500 X (R$ 25.900). O modelo vem equipado com motor monocilíndrico de refrigeração líquida, com 313 cm³ e 34 cv de potência máxima, quatro válvulas e dois eixos de comando e injeção eletrônica de combustível.

Uma característica do motor monocilíndrico da G 310 GS é o fato de que o cilindro é inclinado para trás. Esta configuração potencializa a mistura ar-combustível, trazendo resultados positivos em termos de consumo de combustível.

Imagens: Divulgação

Visualmente, a nova BMW G 310 GS pode ser identificada como uma autêntica GS, com seu para-choque dianteiro alto e curto e sua linha de cintura alta. As proporções compactas, com distância curta entre-eixos e curso de mola prolongado, permitem ao piloto manter a postura ereta e oferecem maior agilidade na pilotagem.

Imagens: Divulgação

“Estamos muito orgulhosos com a chegada da nova BMW G 310 GS ao mercado brasileiro, uma motocicleta que promete elevar o patamar de qualidade do segmento de baixa cilindrada. As primeiras unidades começam a ser faturadas para a rede e, até o começo de março, ela estará em todos os 49 concessionários”, comenta Federico Alvares, diretor da BMW Motorrad Brasil.