PIRELLI FECHARÁ FÁBRICA NO RS E INVESTIRÁ 120 MILHÕES DE EURO EM SP

Um bom pneu deve ser fabricado com matéria-prima de qualidade, ter um bom rendimento quilométrico e escoar bem a água em dias de chuva. Na vida empresarial também é preciso fazer escolhas e traçar novos rumos. E é exatamente isso que a Pirelli está fazendo. Uma grande reengenharia. Mas como toda mudança há prós e contras. Segundo a fabricante, a reorganização da estrutura produtiva tem o objetivo de acelerar o foco nos produtos High Value, maximizar a eficiência e garantir a competitividade. A fábrica de Campinas (SP) se transformará em um polo produtivo de pneus High Value para carros, moto e Motorsport para América Latina. Dessa forma, a Pirelli confirma o investe 120 milhões de Euro no período 2019-2021 e promete a contratação de 300 pessoas até 2022.

O lado ruim é o encerramento da produção de pneus de moto na unidade de Gravataí (Rio Grande do Sul). A fábrica emprega hoje cerca de 900 pessoas. Pirelli e sindicato estão em tratativas para minimizar os impactos sociais na região. O processo se completará até a metade de 2021.

Investimento complementar
O investimento será usado para a modernização e a reconversão dos estabelecimentos produtivos de Standard a High Value e para o melhoramento contínuo do mix e da qualidade das fábricas de Campinas (São Paulo) e Feira de Santana (Bahia). Estes investimentos se somam aos 320 milhões de Euro que já foram realizados no período 2013-2018.

O rearranjo prevê o fortalecimento da fábrica de Campinas, que atualmente se concentra exclusivamente na produção de pneus para carros. E, gradativamente, será feita a transferência da produção de pneus de moto da unidade de Gravataí (RS).
Segundo a empresa, esta reengenharia permitirá a otimização dos processos produtivos e dos fluxos logísticos, inclusive graças à localização no interior de São Paulo, mais próxima às montadoras e cuja operação permitirá a contratação de cerca de 300 colaboradores até 2022.

LEVORIN FAZ 75 ANOS E AMPLIA LINHA DE PNEUS PARA SCOOTERS

Para comemorar os 75 nos da empresa e ampliar sua participação no segmento moto, a Levorin – que hoje pertence ao grupo Michelin – apresentou uma nova linha de pneus para scooter, que atente a diversos modelos entre 100 a 300cc. Com design moderno, o novo pneu Matrix Scooter é um produto que pode ser usado sem câmara que foca no conforto da pilotagem, unindo aderência e segurança na frenagem em pista molhada. Isso em virtude desenho com sulcos em aclive para melhorar o escoamento de água.Há dez medidas disponíveis ao consumidor no varejo, cobrindo 95% do segmento scooter. Para os pneus dianteiros, as medidas são: 3.50-10, 90/90-10, 90/90-12, 90/90-14, 110/70-13, 110/70-16. E para os pneus traseiros: 100/90-10, 130/70-13, 100/90-14, 130/70-16. Para exemplificar, o novo pneu Matrix Scooter pode ser usado nos modelos Suzuki Burgman (90/90-10 e 100/90-10), Honda Lead (90/90-12 e 100/90-10), Yamaha NMax (110/70-13 e 130/70-13), Honda PCX (90/90-14 e 100/90-14) e até no Dafra Citycom 300i (110/70-16 e 130/70-16).“Retomamos o nome Matrix, referência em motos, oferecendo pneus para scooters de 100 a 300cc com design moderno e esportivo. A novidade chega para completar nosso portfólio de produtos com novas tecnologias, qualidade e confiança”, afirma Francis Ferreira, presidente da Levorin.