TRIUMPH COMEMORA 25 MIL MOTOS E TERÁ SEIS LANÇAMENTOS EM 2019

“Hoje é dia de superação. Dia de comemorar um recorde histórico. Produzimos 25 mil motos em Manaus. Somos a subsidiária que mais cresceu no mundo. Para este ano projetamos um crescimento de 10% acompanhando, claro, o reaquecimento do mercado, isso em função do novo cenário econômico e político. Mas também fruto da força de expansão de nossa rede de concessionárias, pós-venda eficiente e no decorrer do ano traremos mais seis modelos ao País”, afirma Waldyr Ferreira, gerente geral da Triumph Brasil, durante solenidade na planta da marca na capital manauara, em 13 de fevereiro. Segundo o executivo, a meta para 2019 é fabricar cinco mil motos e encerrar o ano com 30 mil motos montadas e vendidas aqui. Número ambicioso, mas não impossível de se concretizar!

As novidades que o “big boss” se referiu à ampliação do número de revendas – com destaque para Vitória e Cuiabá e previsão de inauguração para Fortaleza e Salvador –, além do lançamento de vários modelos: Bobber Black, Speed Twin, a Scrambler 1200, nas versões XE e XC; e as atualizações da Street Twin e da Scrambler 900, que começam a desembarcar em nosso mercado a partir de abril. “Hoje, com a linha Tiger, somos líderes na categoria Trail de alta cilindrada. Queremos nos manter nesta posição e, vamos avançar com as clássicas modernas, segmento que temos uma belíssima gama de produtos”, conta Ferreira, dizendo que a moto número 25 mil montada em Manaus só poderia ter sido um Tiger 800 XCa.

Fábrica com alta produtividade

A linha já recebeu, desde sua inauguração, cerca de US$ 13 milhões em investimentos. Com uma estrutura modesta, mas altamente produtiva, a planta conta com 3.000 metros quadrados de área construída. No início desse trabalho a Triumph contava com apenas 19 funcionários. Hoje são 60 colaboradores diretos. A capacidade instalada da “Fábrica 6” é de 7 mil unidades/ano e atualmente monta cerca de 30 unidades/dia. Como a linha é totalmente flexível, os kits que chegam da Inglaterra e, principalmente da Tailândia, e correspondem a 21 modelos (cinco famílias) do line-up.

 

Os kits são recepcionados e as peças são separadas em dois carrinhos, que representam cada um dos lados da moto. Lá são acomodados tanque, painel, comandos e parafusos, muitos parafusos. Para não haver confusão na hora da inserção dos componentes tudo é dividido e identificado em bandejas . Organização do início ao fim do processo. O motor recebe atenção especial, já que é totalmente montado e testado no Brasil. Ao final da linha, todas as motos passam pelo dinamômetro e é feita uma checagem minuciosa na eletrônica e parte elétrica. A parte final do processo, a moto segue para o setor de que prepara a moto para seguir para as concessionárias. Ali, o modelo Triumph voltada para a mesma estrutura que chegou ao País. Tudo embalado, lacrado e com alto nível de sustentabilidade.

Só para se ter uma ideia, em 2012 a subsidiária brasileira havia produzido apenas 228 unidades e hoje há a previsão de montar 5 mil motos. Ou seja, a produção cresceu quase 22 vezes. Além da organização, o baixo turnover – 70% dos colaboradores têm mais de 5 anos de casa –, há um comprometimento de cada um dos funcionários para transformar kits em sonhos sobre duas rodas.

Com o crescimento acima da média do mercado e já pensando na “Indústria 4.0”, a Triumph já está preparada para mudar de endereço e ir para um espaço maior. “Com este novo cenário estamos estudando várias possibilidades. Mudar uma linha de produção requer organização e muito planejamento. A mudança demoraria cerca de três semanas”, afirma Leandro Oliveira, gerente da planta Triumph em Manaus.

No mundo, a marca tem mais de 700 concessionárias e perto de 2.000 funcionários. A produção somada deve ficar pouco abaixo dos 67 mil motos por ano. O faturamento mundial gira em torno de R$ 2,1 bilhões e suas vendas no varejo giram na casa de 64 mil unidades anuais.

TRIUMPH PROMOVE EVENTO DE TECNOLOGIA E LAZER DENTRO DO SENAI

TRIUMPH PROMOVE EVENTO DE TECNOLOGIA E LAZER DENTRO DO SENAI


Para comemorar sua bem-sucedida parceria de quatro anos com o Senai, a Triumph realizou o “Triumph Tech”, com foco em tecnologia, experiência de pilotagem dos modelos da marca e também lazer e diversão para toda a família. O evento aconteceu na unidade Conde José Vicente de Azevedo do Senai, instalada no bairro do Ipiranga (Rua Moreira de Godói, 226), em São Paulo (SP)

“Desde 2014, a Triumph já investiu cerca de R$ 700 mil nesta parceria com o Senai, com o objetivo de aprimorar e ampliar cada vez o treinamento técnico oferecido aos profissionais que atuam nas nossas 15 Concessionárias”, explica Waldyr Ferreira, General Manager da Triumph Brasil. Entre mecânicos, chefes de oficina, consultores de serviço e gestores de pós-venda, cerca de 310 especialistas já passaram por treinamentos realizados pela Triumph com apoio do Senai neste período, sempre buscando desenvolver nestes profissionais os conhecimentos sobre os produtos da marca inglesa.

“Optamos por trabalhar junto com o Senai devido à necessidade de criarmos um programa de cursos básicos e continuados de qualidade para atender a nossa rede. Nos diversos treinamentos disponíveis neste período, buscamos desenvolver as competências técnicas e comportamentais dos profissionais, proporcionando um conhecimento sólido sobre a marca”, afirma Cláudio Peruche, gerente de Pós-Vendas da Triumph. Atualmente, a empresa mantem no local quatro elevadores e 13 motocicletas para serem utilizadas nos vários cursos e treinamentos.

O evento reuniu mais de 800 pessoas

EXCLUSIVO – EICMA 2018: NOVIDADES DAS OUTRAS MARCAS EUROPEIAS

EXCLUSIVO – EICMA 2018: NOVIDADES DAS OUTRAS MARCAS EUROPEIAS

BMW

A BMW chegou chegando a Milão. A estrela do estande foi a superesportiva S 1000 RR, que foi 100% remodelada. Nova do farol a rabeta, passando pelas suspensões, pacote eletrônico e motor, que agora entrega 207 cv de potência máxima.

O novo propulsor da superesportiva alemã – um quatro cilindros em linha é quatro quilos mais leve se comparado a versão anterior. Redução de peso que se deve em parte a adoção de válvulas de titânio. Apesar de uma complexa evolução – motor e ciclística – o modelo 2019 perdeu um pouco de sua agressividade estética. Está parecida com suas concorrentes japonesas.


A marca alemã também apresentou a R 1250 GS Adventure e a F 850 GS Adventure, além dos modelos R 1250 R e R 1250 RS com nova motorização de 1250cc. Além do scooter C 400 GT, voltado para o turismo.

Husqvarna


A marca finalmente apresenta a Svartpilent 701. O modelo traz o melhor do estilo dirt track, como guidão mais alto, motor de um cilindro e 75 cv de potência máxima. Segundo Maurício Fernandes, responsável pela operação da marca no Brasil, a moto chega no primeiro semestre de 2019. O preço deve ser de R$ 69 mil.

KTM


O estande laranja da KTM no EICMA 2018 exibia, finalmente, a 790 Adventure, trail disponível em duas versões (básica e R). O que chama a atenção mesmo é o visual radical, além do ‘parrudo” motor LC8c, de 95 cv de potência. Outras atrações fiaram por conta da motard 690 SMC R e da 690 Enduro R. Além da linha Duke de baixa capacidade cúbica: 125, 200 e 390cc.

Triumph


Para nós brasileiros, a principal notícia vinda da Itália é que as novas Scrambler 1200 – com 90 cv de potência máxima – chegarão em meados de 2019 segundo Waldyr Ferreira, gerente geral da Triumph Brasil. A marca britânica apresentou duas edições especiais da Bonneville T120: a 120 Diamond e a 120 Ace, duas edições especiais de 800 e 1.300 unidades, respectivamente, para comemorar o aniversário de 60 anos a primeira Bonneville, que rodava pelas cercanias do Ace Café, em Londres.

Para comemorar a participação no Mundial de Motovelocidade como fornecedora exclusiva de motores para a categoria Moto2, a Triumph exibiu a moto que será utilizada na competição em 2019. A superesportiva usará propulsor de três cilindros e 765 cc. Já que o assunto é velocidade, o ex-piloto James Toseland, duas vezes campeão mundial de Superbike, é o novo embaixador da marca inglesa.

O jornalista Aldo Tizzani, do MinutoMotor, viajou à convite do ITA (Italian Trade Agency) e também do ICE (Agência para a internacionalização das empresas italianas)

BMW FAZ CAMPANHA DE PRÉ-VENDA PARA F 750 GS E F 850 GS

Apresentadas oficialmente há exato um ano no Salão de Motos de Milão (ITA), a BMW Motorrad Brasil lança campanha de pré-reserva para as realmente novas BMW F 750 GS (77 cv) e F 850 GS (85 cv), que chegam ainda este ano nas concessionárias da marca. Os modelos já podem ser reservados com preços entre R$ 40.950 a R$ 50.950.

Produzidas na fábrica do BMW em Manaus (AM), as aventureiras da família GS são sinônimo de robustez, confiabilidade e durabilidade. Interessados podem fazer suas reservas , via internet, nos seguintes endereços: bmwmotorrad.net.br/prevendaf750gs e bmwmotorrad.net.br/prevendaf850gs .

A BMW F 750 GS (acima) será vendido no País em três versões, Sport (R$ 40.950), Premium (R$ 44.950) e Premium Kit Baixo (R$ 43.950). Já o modelo BMW F 850 GS será vendido nas versões Premium Kit Baixo (R$ 46.950) e Premium TFT (R$ 50.950).

A principal concorrente no segmento adventure é a família Tiger 800, da Triumph (acima), que tem levado vantagem no número de vendas este ano em função de sua recente atualização de seu modelo. A marca inglesa oferece ao consumidor brasileiro seis versões de sua 800cc e preços que varia entre R$ 43.190 e R$55.890. Com as novas BMW chegando ao mercado, a disputa pelo motociclista aventureiro vai ficar mais acirrada. No acumulado de emplacamentos em 2018, de janeiro a setembro, a BMW já emplacou 5.067 unidades e a Triumph 3.353 motos vendidas, segundo dados da Fenabrave. 

Mas há mais uma opção de compra. Por meio de uma parceria entre o BMW Serviços Financeiros e a Canopus, as novas aventureiras da marca poderão ser adquiridos via consórcio. Os planos que variam entre 32 a 92 meses, com possibilidade de serem contemplados mediante sorteio mensal, lance livre, lance fixo ou lance limitado. As parcelas iniciam em R$ 630,57 para o modelo F 750 GS e R$ 714,74 para o modelo F 850 GS — valores correspondentes a 92 meses.

HONDA NXR 160: A MOTO QUE MENOS DESVALORIZOU NO BRASIL

Como conquistar um bom valor de revenda? Valorizando a usada, pagando mais que a concorrência na troca da moto usada da própria marca por uma “OK” e atender bem o cliente, dando feedback, dando resposta a pedidos e reclamações, resolvendo imediatamente os problemas apresentados, implantando um sistema eficaz de comunicação com o cliente, enfim, criando uma boa imagem no mercado. No segmento moto, a Honda NXR 160 Bros foi a grande campeã da terceira edição do Selo Maior Valor de Revenda, certificação concedida pela Agência Autoinforme com base no Estudo de Depreciação que avalia o comportamento de preço das motos vendidas no mercado brasileiro. O evento de premiação, feito em parceria com a Textofinal de Comunicação, foi realizado em 20, em São Paulo.


Alias, o Estudo de Depreciação de Veículos realizado pela Autoinforme é elaborado com base na cotação da Molicar e os preços avaliados são os realmente praticados no mercado e não os de tabela. É feita a comparação do preço real (praticado) da moto zero quilômetro vendida em abril de 2017 com o preço da mesma moto, usada, vendida no mesmo mês de 2018. Nesta edição, a A NXR 160 Bros apresentou uma depreciação de apenas 6,7% depois de um ano e levou a Honda a receber a certificação Maior Valor de Revenda pelo terceiro ano consecutivo. Além da campeã geral, que foi vencedora na categoria Trail, a Honda venceu em outras duas categorias: Motoneta, com a Biz 110i (9,1% de depreciação) e Street, com a linha CG 125/160 (8,5%).

A Yamaha foi a marca com maior número de certificações: conquistou cinco: Crossover, com a MT-09 Tracer, que obteve um índice de 11,7%, Scooter até 200 cc, com a NMAX 160 (12,5%); Naked até 800cc, com a MT-07 690 (11,7%); Naked acima de 800cc, com a MT-09 (11,4%) e na categoria Sport até 800cc, com a YZF-R3 com uma depreciação de 11,8%.

A Triumph ganhou em duas categorias neste ano: Bigtrail até 800cc, com a Tiger 800 com índice de 12,8% e a Street Twin 900 foi ganhadora na categoria Clássica, com perda de 11,8%. Já a A BMW recebeu os troféus nas categorias Big Trail acima de 800cc, com a moto R 1200 GS (depreciação de 12,9%) e na Sport acima de 800cc, com a BMW S 1000 RR, que teve um índice de -11,1%.

A Harley-Davidson venceu nas categorias Custom acima de 800cc, com a Softail Heritage 14,6% e na Touring em primeiro e segundo lugar com a Touring Road King em primeiro e a Touring Street Glide em segundo, as duas com índice de 12,3%.

A Shineray ganhou pela primeira vez na categoria de entrada 50cc, com 15,8% de depreciação. Na categoria Custom, a Kawasaki recebeu o selo com a Vulcan S 650 e uma taxa de 12,3% de depreciação na categoria e a Dafra ganhou o selo na categoria Scooter acima de 200 cc (Citycom 300i) e uma taxa de depreciação de 12,6%.

PASSEIO DE MOTO PELOS ALPES REÚNE BELAS PAISAGENS E BOA GASTRONOMIA

No inverno, os Alpes europeus ficam bicolor: o branco da neve depositada no cume das montanhas se funde com o azul do céu. Este cenário atrai milhares de turistas todos os anos para aproveitar o clima e pretexto para a pratica de esportes radicais como, por exemplo, esqui e snowboard. No verão é a hora e a vez dos motociclistas invadirem os alpes e transformar a região em um verdadeiro parque de diversão à céu aberto, isso em função da grande quantidade de curvas. Um belo passeio por meio das cênicas estradas europeias que cruzam vales e os mais famosos passos alpinos.
Com início e término em Erdinger, Alemanha, o mototurista que participará do Tour Alpes 2018, organizado pela 2Ride em parceria com a Power Motorrad e Triple Triumph, conhecerá algumas das mais charmosas cidades da Áustria, Suíça, Itália e, é claro, da própria Alemanha. Isso sem falar na experiência única de ter contato direto com a história, cultura e gastronomia de uma das regiões mais aconchegantes da Europa. A viagem sobre duas rodas acontece entre 21 de setembro a 30 de setembro, com grupos reduzidos e preço altamente competitivo.


Seja nas Autobahns, estradas de mão única ou em deslocamentos por rodovias vicinais, o Tour Alpes 2018 percorre paisagens de tirar o fôlego que somente as estradas que serpenteiam as montanhas podem proporcionar. Ou seja, cada parada uma surpresa quase que cinematográfica! O percurso total é de 1.800 quilômetros, com média de 200 quilômetros/dia.
Esta viagem pelos Alpes europeus tem como destaque os Passos Stelvio, Umbrail, Foscagno, Rolle, Grossglockner, Gavia, Croce Domini, além do Lago Hydra, Garda e as maravilhosas Dolomitas, com seus vários passos e estradas deslumbrantes.
Os mototuristas terão a oportunidade de conhecer com tranquilidade as principais cidades deste roteiro: Bormio, Gargnano e Corvada In Badia, bem como seus costumes, comidas típicas, vinhos e arquitetura. Os restaurantes e hotéis foram escolhidos para proporcionar a melhor e prazerosa experiência possível.
Com grupos reduzidos – máximo sete casais – a 2Ride aposta em uma viagem com atendimento personalizado,  conforto e muita segurança. A moto escolhida para o  Tour Alpes 2018 será a bigtrail BMW R 1200 GS, com todos os opcionais e três malas rígidas. 

Preço
O valor do pacote para o casal é de € 4.000 (Quatro Mil Euros). O preço contempla hotéis, aluguel da moto equipada com três malas rígidas e seguro. Não está incluso: alimentação, bebidas, pedágios, ingressos e bilhete aéreo. É obrigatório o uso de todos os equipamentos de proteção: capacete, botas, luvas, jaqueta e calça com proteções. Não é permitido o uso de calça jeans, tênis e capacete aberto.
Serviço
E-mail: contato@2ride.com.br ou (11) 99586-8093, com Edgar Rocha. 
* Viagem sujeita ao número mínimo participantes. Realização da viagem atrelada a condições climáticas.

TRIUMPH DO BRASIL TEM CRESCIMENTO ACIMA DO MERCADO


Nos últimos anos, o mercado de duas rodas vive numa gangorra, com momentos de altos e baixos. O primeiro semestre terminou com uma péssima notícia, o encerramento das atividades da Indian no País. De outro lado crescimento de 6,93% nas vendas de motos, em comparação ao mesmo período do ano passado. Feliz mesmo está o pessoal da Triumph que fechou seu ano fiscal 2018 (1º de julho de 2017 a 30 de junho de 2018) com 4.244 motocicletas vendidas no varejo, o que representou crescimento de 9% sobre as 3.949 unidades comercializadas no ano fiscal anterior (1º de julho de 2016 a 30 de junho de 2017). “Fomos a subsidiária com o maior crescimento no mundo”, afirma Waldyr Ferreira, General Manager da Triumph no Brasil. Para o executivo da marca no Brasil, a marca vem obtendo um crescimento sustentado, atraindo a cada dia mais fãs que, a cada dia, conhecem a qualidade e a tecnologia embarcada em nossos produtos”. No mundo, a Triumph vendeu mais de 61 mil motos.

Neste período, a fabricante inglesa atingiu, no Brasil, um market-share de 13,7% no segmento de motocicletas premium (acima de 500 cc), o terceiro no ranking da mundial da Triumph, só perdendo para Inglaterra e já colado nos resultados de vendas da Índia. Apesar da crise no mercado brasileiro, o desempenho da marca segue em alta também neste ano. Seu market share no primeiro semestre chegou a 14,2% e nos últimos dois meses a Triumph ficou em terceiro lugar nas vendas nacionais dentro do seu segmento de motos de alta capacidade cúbica. Em algumas regiões, a marca já é líder de mercado, como no Distrito Federal, Goiás, Grande Belo Horizonte (MG), Grande Porto Alegre (RS), Paraíba e São José dos Campos (SP).

Para ampliar sua participação, a marca inglesa abriu recentemente uma concessionária em Vitória (ES) e programa mais duas inaugurações até o final do ano: Cuiabá (MT) e Fortaleza (CE). Ou seja, até dezembro, a Triumph terá 17 revendas instaladas no País. E é desta forma que a Triumph quer bater seu recorde de vendas no próximo ano fiscal. A combinação passa por novas lojas e novos modelos, quem sabe, a chegada da Bonneville Speedmaster (abaixo) ou até da cruiser Thunderbird.

TRAILS E CLÁSSICAS EM ALTA
A linha Tiger (800/1200), que disputa o segmento Adventure, foi um dos destaques da marca inglesa neste período, no Brasil e no mundo. Por aqui, a Tiger 800 é líder de mercado pelo terceiro ano consecutivo, atingindo um volume de vendas de 1.171 motos comercializadas entre janeiro e junho. No ano fiscal 2018, a Tiger 800 teve 2160 motos vendidas no Brasil, indicando um crescimento de 10,9% sobre as 1948 unidades emplacadas no ano fiscal anterior.

O segmento de bigtrails até 800 cc atingiu um volume de 4.400 motocicletas em 2017, crescendo cerca de 5% sobre o total comercializado em 2016. Em 2018, a expectativa é que este segmento acompanhe o crescimento projetado pela Abraciclo, atingindo em torno de 4.700 motos (alta em torno de 6%). Do total obtido em 2017, a linha Tiger 800 respondeu por cerca de 44% do segmento, com 1.848 unidades vendidas. Em 2018, com o lançamento da nova Tiger 800, a meta é superar 2.000 motos até dezembro, crescendo perto de 6% e mantendo sua liderança.

Já as clássicas modernas da Triumph também continuam com vendas em alta. No ano fiscal 2018, a marca vendeu 891 unidades desse segmento no Brasil, com destaque para a Street Twin (acima), a mais vendida, com 257 unidades. No ano fiscal anterior, a marca havia vendido 621 unidades de suas clássicas no mercado nacional. O crescimento, portanto, foi de 43,4% – o maior registrado pela Triumph. “Queremos ser referência no segmento de motocicletas clássicas no mercado brasileiro”, explica Waldyr Ferreira, dizendo que enquanto algumas marcas estão criando novos modelos com visual retrô, a Triumph relança modelos emblemáticos e de grande sucesso que fazem parte da sua longa história.

R$ 39.990 É O PREÇO DA NOVA TRIUMPH BONNEVILLE T100 BLACK

A chegada da nova Bonneville T100 Black ao Brasil reforça a estratégia da Triumph em investir cada vez mais nas clássicas modernas, já os modelos trail – Tiger 800/1200 – são sucesso de vendas no País e em várias partes do mundo. Agora são sete modelos disponíveis aos motociclistas brasileiros: Street Twin, Street Scrambler, T120, T120 Black, Thruxton R e Bobber, além da nova T100 Black, que está equipada com motor de dois cilindros, 900 cc e preço sugerido a partir de R$ 39.990.

Como o nome já sugere, a Bonneville T100 Black traz diversos componentes em preto como, por exemplo, aros das rodas, escapamento e tampa do motor. O resultado é um visual clássico e, ao mesmo tempo, jovial.

O novo modelo é inspirado na Bonneville de 1959. Nesta releitura, a moto traz boa dose tecnologia – ABS, controle de tração, acelerador eletrônico, entrada USB, computador de bordo – e mais de 150 acessórios para customização. Já que a moto é a extensão de seu corpo, de seu estilo de vida. E ninguém é igual a ninguém!

Um dos destaques do modelo é a sua nova configuração de chassi e suspensão, que melhorou os níveis de conforto do motociclista, seja para longas viagens, para o uso diário ou para rodar com garupa. Em função de seu peso menor (213 kg, peso seco) e também entre-eixos mais curto do que sua antecessora, a nova T100 é mais fácil de pilotar.

Para melhorar ainda mais a tocada, a moto está equipada com pneus Pirelli Phantom Sportscomp, personalizados e projetados especialmente pela Pirelli para a família Bonneville, com mudanças de perfil e rigidez no pneu dianteiro e faixa de rodagem mais profunda no pneu traseiro para garantir uma pilotagem segura e maior durabilidade.

A T100 Black oferece um bom desempenho, principalmente em ambiente urbano. Seu motor bicilíndrico de 900 cc, com arrefecimento líquido, proporciona agora mais torque e maior economia de combustível. O motor de 55 cv de potência máxima recebeu  melhorias para atingir um torque mais elevado em rotações bem baixas – 8,16 kgf.m a 3.200 rpm (18% acima da geração anterior do modelo). Resumindo: partidas mais vigorosas no trânsito urbano.  

BOB BURNQUIST DE STREET SCRAMBLER

BOB BURNQUIST DE STREET SCRAMBLER

Durante a apresentação das novas Triumph Tiger 800/1200 em Ilhabela, litoral paulista, uma grata surpresa: Bob Burnquist foi anunciado como o mais novo “Official Rider” da marca inglesa no Brasil. A ação de marketing tem como objetivo engajar admiradores da Triumph e do motociclismo para atuar como influenciadores em seu meio, fomentando o estilo de vida sobre duas rodas e, com isso, incentivando seus contatos e o público em geral a experimentar e aderir ao mundo Triumph.
Bob Burnquist é o único atleta a participar de todas as edições dos X Games. Criador da mega rampa, Bob é hoje presidente da Confederação Brasileira de Skate (CBSk). Sua missão como dirigente é montar uma equipe forte para representar o País no Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Entre shapes, truks, rolamentos e rodinhas, o novo “Official Rider” vai pilotar no Brasil uma Triumph Street Scrambler. Confira a entrevista exclusiva feita pelo MinutoMotor com o mito do skate mundial. Bob fala de sua relação com a motocicleta e também da parceria com a Triumph Brasil.

AS NOVIDADES DA NOVA TIGER 1200

AS NOVIDADES DA NOVA TIGER 1200

Para encarar a concorrência de frente, a nova Triumph Tiger 1200 chega ao Brasil com 100 alterações – estéticas, ergonômicas e funcionais -, além de muitas inovações tecnológicas. A bigtrail, que tem o motor mais potente em sua categoria (141 cv), está pronta para enfrentar qualquer tipo de aventura, seja no asfalto, terra, areia ou rípio. É, segundo a marca, o modelo mais avançado da linha já fabricado pela Triumph.
Entre as principais novidades estão: iluminação adaptativa para curvas, painel de instrumentos TFT ajustáveis e totalmente coloridos, botões com iluminação de fundo, iluminação total de LED, trocas de marcha sem o auxílio da embreagem e controle de velocidade atualizado. Confira no vídeo os novos sistemas adotados na nova Tiger 1200. Quem conta os detalhes é Cláudio Peruche, gerente de Pós-Vendas da marca.
A aventureira inglesa está disponível nas seguintes versões e cores: Tiger 1200 XR (branca e preta – Crystal White e Jet Black), Tiger 1200 XCx (branca, preta e verde – Crystal White, Jet Black e Matt Khaki Green) e Tiger 1200 XCa (branca e verde – Crystal White e Marine). Preços: Tiger 1200 XR (R$ 60.090,00), Tiger 1200 XCx (R$ 73.190,00) e Tiger 1200 XCa (R$ 83.490,00).