LINHA 2019 DA HARLEY CHEGA COM TRÊS BELAS NOVIDADES

Só para recordar, a linha 2018 da Harley-Davidson chegou ao país radicalizando em termos estéticos e com motores mais eficientes. Agora a marca norte-americana apresenta três novos modelos 2019: a power cruiser FXDR 114, a versátil Sport Glide, da família Softail; além da Iron 1200, da linha de entrada Sportster. Outra novidade é a adoção do Apple CarPlay nas motos da linha Touring. Confira abaixo as principais características de cada lançamento, além da tabela de preços de todas as motocicletas da linha H-D 2019 vendida no Brasil. A mais barata, a Iron 883 custa R$ 42.400. Já a mais cara, a CVO Limited, sai por R$ 172.900.

FXDR 114Visualmente, a nova FXDR 114 teve seu design inspirado no estilo drag. A moto traz linhas bem agressivas e, com certeza, vai atrair o público que ficou órfão da família da V-Rod. O para-lama traseiro é desenhado para cobrir o pneuzão de 240mm de largura. A nova power cruiser americana está equipada com o Milwaukee-Eight 114. Aliás, o motor mais poderoso oferecido no chassi Softail, com 16,11 kgf.m de torque a 3.500 rpm. Balança, sub-chassi e as rodas foram fabricadas em alumínio. Tudo para melhorar a relação peso/potência (a cavalaria não é divulgada pela H-D).

A FXDR 114 é a nona Harley-Davidson lançada no Brasil baseada na plataforma Softail e introduzida para a linha 2019, além de ser uma das mais recentes em uma linha de 100 motocicletas de alto impacto comercial que a montadora planeja introduzir até de 2027.


A pergunta que fica é se a nova power cruiser da H-D fará tanto sucesso quanto a linha V-Rod. O Brasil foi um dos principais mercados do modelo mais esportivo da Harley que, além do design radical, estava equipada com motor de dois cilindros em “V” dispostos a 60°, refrigerado a líquido, que gerava 125 cv de potência máxima a 8.250 rpm. Ou seja, bem diferente o Milwaukee-Eight 114, “V2” a 45º .

SPORT GLIDE

Customizada de fábrica, a Sport Glide 2019 é uma moto versátil. Pode ser usada em viagens longas, no dia a dia ou para passeios curtos. Conta com estilo clássico e contemporâneo empresado da linha Touring, da qual adotou também as malas laterais (com 25,5 l de capacidade, cada), que podem ser facilmente removidas – sistema que lembra a aposentada Switchback. Na parte ciclística, a nova Softail ganhou suspensão invertida de 43mm na dianteira, além do ajuste remoto da pré-carga da mola do amortecedor traseiro.

Traz iluminação em LED e acelerador eletrônico com controle eletrônico de velocidade de cruzeiro. Já as belas rodas de alumínio fundido são calçadas com pneus Scorcher 31, da Michelin. Oitavo modelo lançado no Brasil com base na plataforma da Softail, a Sport Glide está equipada com o motor Milwaukee-Eight 107, que é montado diretamente no chassi, porém conta com contrabalanceadores, que foram instalados para reduzir a vibração em marcha lenta.

IRON 1200A nova integrante da família Sportster da Harley, a Iron 1200 esbanja personalidade. É ideal para deslocamentos urbanos ou até viagens curtas. Traz guidão alto, a carenagem emoldura o farol dianteiro e está equipada com o tradicional motor Evolution 1200 V-Twin, que oferece 36% mais torque – 9,5 kgf.m em contra 6,83 kgf.m se comparado ao Evolution 883. A título de curiosidade, a família Sportster é fabricada desde 1957 e, de lá prá cá, ganhou várias roupagens: bobber, chopper, scrambler, café racer e foi até moto de corrida (dirt track). Os novos grafismos do tanque de combustível (12,5 litros) da Sportster diferenciam a Iron 1200 e combinam faixas de cores que nos remetem aos anos 1970.

O assento individual integrado ao quadro flui do para-lama traseiro e é moldado para ajudar a manter o motociclista numa posição ideal quando o torque do Evolution 1200 é colocado à prova. Aliás, todo o motor foi estilizado com as tampas do cabeçote na popular cor preta. Protetores do escapamento e dos silenciadores, e tampas da embreagem e dos comandos de válvulas, tudo pintado de preto. Já os tubos das varetas de comando e tampas dos tuchos cromados são os únicos detalhes brilhantes e destacam o formato do motor V-Twin. A Iron 120 recebeu rodas de nove raios totalmente pretas (19 polegadas na dianteira e na traseira de 16 polegadas).

INDIAN ENCERRA AS OPERAÇÕES NO BRASIL

A Indian Motorcycles chegou oficialmente no Brasil no final de 2015. Apesar de centenária foi a estreante no Salão Duas Rodas daquele ano. Agora, infelizmente, a Polaris – detentora da marca norte-americana – anunciou a suspensão da importação e comercialização das motocicletas Indian para o mercado brasileiro. O processo de transição será de até 120 dias com as concessionárias da marca, que ficam localizadas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Florianópolis e Goiânia. A Indian Motorcycle vendia no País sete modelos das linhas Midize, Cruiser, Bagger e Touring. 
Em comunicado, a empresa confirma o seu compromisso com os consumidores e dará continuidade aos serviços de pós-venda das motocicletas, incluindo a comercialização de peças de reposição, atendimento à garantia e manutenção em geral, por meio de concessionárias Polaris selecionadas e de novas oficinas credenciadas. A decisão não afeta a operação da marca em outros países onde a Indian Motorcycle está presente.
A falta de rentabilidade do negócio no Brasil, a instabilidade política e econômica e a redução da indústria de motocicletas nos últimos anos foram fatores preponderantes para a tomada de decisão. “Nosso compromisso é de total suporte à rede de concessionárias e aos clientes da Indian Motorcycle nessa transição”, comenta Paulo Brancaglion, Country Manager da Polaris Brasil. Agora a Polaris passa a concentrar todos seus esforços no negócio de veículos off-road: quadriciclos e UTVs.

Para mais esclarecimentos, a Polaris criou um canal direto com o cliente Indian:
(11) 3336-5482 ou pelo e-mail: contatobrasil@indianmotorcycle.com

VÍDEO: INDIAN SCOUT BOBBER, UMA MOTO DE PERSONALIDADE FORTE

VÍDEO: INDIAN SCOUT BOBBER, UMA MOTO DE PERSONALIDADE FORTE


Apresentada na última edição do Salão Duas Rodas, a Indian Scout Bobber traz design radical e um poderoso motor de dois cilindros em “V” de quase 100 cv de potência. Seu principal foco é o público jovem que quer uma moto com personalidade forte e que seja ágil no trânsito urbano. Custa R$ 49.990.

Integrante a linha Midsize (entrada) da Indian, a Scout Bobber abandonou cromados e adornos típicos das motos das marcas norte-americanas para adotar um ar sombrio. No caso da unidade testada, preto fosco. Mas há outras três opções de cores: vermelho, bronze e prata.


A Scout Bobber traz ainda para-lamas mais curtos, banco solo e iluminação de LED. Destaques para os piscas traseiros que fundem as funções de lanterna e luz de freio. Conta ainda com pneus de uso misto.


A moto está equipada com motor “V2” de 1.133 cm³ de capacidade, que gera 94 cv e 10 quilos de torque, com entrega potência de forma linear e oferece bastante força em baixas e médias rotações. Aliás, o propulsor é ancorado em quadro em alumínio. A Scout Bobber conta ainda com potentes freios e garfo telescópico com dupla mola (120mm de curso), que transmite bom nível de conforto. (Fotos: Gustavo Epifânio)

DUAS MULHERES, DUAS HARLEY E UM SONHO

Experientes motociclistas, Ana Pimenta e Ana Sofia são fanáticas pelo ronco do motor “V2” e, como a paixão é grande, elas irão fazer um ‘rolezinho básico’ de cerca de 28 mil km pilotando duas Harley-Davidson entre Porto Alegre (RS) e Milwaukee, nos Estados Unidos. A ideia é rodar por 115 dias, passar por 115 concessionárias da centenária marca norte-americana e chegar no primeiro dia da grande festa de aniversário dos 115 anos da Harley, em Milwaukee, Estado de Winsconsin (EUA). O roteiro épico das Anas foi batizado de “The Ride 115”.

A partida acontece agora em 19 de maio, na capital gaúcha, e a chegada em Milwaukee – berço do ícone norte-americano – está prevista para 29 de agosto. Na primeira parte da viagem, Ana Pimenta e Ana Sofia rasgarão o Brasil de Sul a Norte. Passarão por Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal, Goiás, Tocantins, Maranhão, Pará e Amazonas.

Na segunda e maior etapa do roteiro, as duas cruzarão os estados norte-americanos da Florida, Geórgia, Carolina do Norte, Tennessee, Mississippi, Los Angeles, Texas, Arizona, Nevada, Califórnia, Utah, Idaho, Wyoming, Dakota do Sul, Minnesota, Illinois, Michigan e Winsconsin. Além do desafio de rodar 28 mil quilômetros, as meninas levarão a bandeira da prevenção do câncer de mama, doença que atinge hoje 1,4 milhões de homens e mulheres em todo o mundo. Para Ana Pimenta, além da paixão pela Harley, “esta viagem é uma jornada pela vida”!

Para suportar horas e horas no comando das motos – Street Glide e Ultra Limited , ambas da linha Touring da Harley -, a dupla intensificou trabalhos de condicionamento físico, apostaram no pilates, treinos programados na academia e caminhadas. A preparação mental também é importante e a prática da Ioga será fundamental. 

A ansiedade e a repercussão da viagem só aumentam, assim como o número de fãs que querem rodar um pouquinho com as Anas. Se você quer saber onde elas estarão é só entrar no site www.theride115.com e conferir o roteiro.  Além das mídias sociais:

Instagram: @theride115
Facebook: The Ride 115
Twitter: @theride115

A dupla tem o apoio da Harley-Davidson, GAB Transportes, DiRoma, RCI e AMCHAM.

Fotos: Johanes Duarte / PhotoandRoad