MINUTOMOTO: RESUMO DA SEMANA – PRODUÇÃO, TRIUMPH, ROYAL E BMW

PRODUÇÃO E VENDAS CRESCEM EM MAIO
A indústria de duas rodas manteve sua curva de expansão em maio. Nesse mês, as fabricantes instaladas no Polo Industrial de Manaus (AM) produziram 100.997 unidades, volume 3,9% superior ao registrado no mesmo mês do ano passado (97.203) e 10,7% maior na comparação com abril deste ano (91.220). Os números são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo. Segundo levantamento do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), em maio foram emplacadas 97.989 motocicletas, correspondendo a um crescimento de 20,6% ante o mesmo mês de 2018 (81.238 unidades) e de 4,9% na comparação com abril do presente ano (93.370 unidades). No acumulado de janeiro a maio o total de motocicletas emplacadas foi de 450.011 unidades, volume 17,6% superior ao registrado no mesmo período do ano passado (382.660 unidades).

TRIUMPH E ROYAL ENFIELD INAUGURAM NOVAS CONCESSIONÁRIAS
Royal Enfield e Triumph estão investindo na ampliação de sua rede de concessionárias. No caso da Triumph, a inauguração aconteceu no dia 1º de junho, com a abertura da Triumph Fortaleza, na capital cearense, a 17ª loja da marca inglesa em terras brasileiras. A linha completa da Triumph está a venda, incluindo toda a gama de variação da família Bonneville e as bigtrail da família Tiger. A nova concessionária faz parte de um grupo empresarial que já atua no segmento de distribuição de veículos com lojas de várias outras marcas, inclusive da Yamaha. O objetivo da nova loja é vender 100 motos até dezembro deste ano e fica na Avenida Domingos Olímpio, 32, no bairro de José Bonifácio. Além da ampliação de rede, a marca prepara dois lançamentos: as clássicas Street Twin e a Scrambler 1200.
Já a Royal Enfield segue o plano de expansão anunciado no final de 2018 e inaugurou em em 8 de junho, em Curitiba (PR), a terceira loja da marca no Brasil, após São Paulo e Brasília. A marca de origem inglesa e fabricação indiana atua por aqui desde 2017 e tem planos de chegar a 10 lojas por aqui até o final deste ano. A revenda fica na Rua General Mario Tourinho, 710, no bairro Seminário. A abertura de novos pontos de venda da Royal Enfield é estimulado pela chegada no final de 2018 da trail Himalayan, que alcança níveis de aceitação bem maiores que as motos clássicas da marca. A Royal Enfield vende por aqui três modelos: Bullet 500, Classic 500 e Himalayan 410. A marca de motocicletas mais antiga do mundo em produção contínua deve trazer sua linha de 650cc para o Salão Duas Rodas.

MOTOSTORY EXPÕE NA UNIBES
Se você é apaixonado pelo ‘motociclismo raiz’ não deixe de visitar na Unibes Cultural e ver a exposição da Motostory, que mostra parte da história da motocicleta no Brasil. A exposição acontece até o dia 24 de junho e é parte do Mobile Photo Festival 2019, que oferece a Exposição São Paulo em Movimento, promovida pela produtora MObgraphia.
Idealizado por Carlãozinho Coachman, o Motostory tem o objetivo de contar a história da motocicleta no Brasil e nesta exposição exibe fotografias, reportagens de jornais e revistas antigos e outros registros, como correspondências, anúncios e relações de inscritos de importantes eventos. No espaço há também obras dos fotógrafos Miguel Costa Junior e de Mário Bock, dois fotógrafos especializados em automobilismo e motociclismo respectivamente, que aceitaram o desafio de realizar um ensaio inédito com o celular. “Tentamos mostrar o contraste de dois mundos, da foto moderna do mobile através do olhar clínico de grandes fotógrafos, e uma pequena mostra do acervo histórico do Motostory, que retrata quase um século do motociclismo brasileiro”, explica Coachman.

Exposição Motostory – São Paulo em Movimento
Local: Unibes Cultural
Endereço: Rua Oscar Freire, 2500 – Sumaré, São Paulo
Data: de 05 a 24 de junho.
Horário: das 10:00 às 19:00
Entrada gratuita

BMW INVESTE MAIS R$9 MILHÕES EM MANAUS (AM)
Inaugurada no final de 2016, a única fábrica de motos da BMW fora da Alemanha fica em Manaus (AM). Todas as outras operações da marca para motocicletas fora da Alemanha (China, Tailândia e Índia) são parcerias com outras marcas. E agora, antes de completar 3 anos de atividade, esta unidade recebe novo investimento, desta vez de R$9 milhões, cerca de 24% do investimento inicial, que foi de R$40 milhões (10 milhões de Euros) na época. Como se nota, trata-se de um aporte importante nesta unidade, onde são montadas 10 das 12 motos BMW vendidas no Brasil. As únicas exceções são as touring K 1600 GTL e K 1600 B. O comunicado da empresa informa que esta quantia é destinada a implantação de novas tecnologias na infraestrutura da fábrica, à manutenção de maquinário e também para a adaptação da linha de montagem para receber novos modelos de motocicletas que serão produzidos no local. No entanto, a BMW não informa quais serão estes novos modelos, nem quando eles chegarão. As únicas novas motos que estão confirmadas são a R 1250 GS e a R 1250 GS Adventure, que substituirão as R 1200 GS e R 1200 GS Adventure e entrarão em produção no último trimestre deste ano. Hoje a fábrica produz dez modelos: G 310 R, G 310 GS, F 750 GS, F 850 GS, F 850 GS Adventure, R 1200 GS, R 1200 GS Adventure, S 1000 R, S 1000 RR e S 1000 XR, responsáveis por 99% das vendas da marca no Brasil. Com este novo valor, a fábrica da BMW em Manaus consumiu R$70 milhões em investimentos desde a fundação. A capacidade de produção permanece a mesma – 10 mil motocicletas por ano em um turno de trabalho – com 175 funcionários.

Textos Sidney Levy / Motonline – Edição Aldo Tizzani / MinutoMotor

SEIS MITOS E VERDADES PARA QUEM PRECISA VENDER UM CARRO USADO

O mercado de usados está aquecido. A cada veículo novo emplacado, quatro seminovos trocam de mãos. Só nos primeiros quatro meses de 2019 quase três milhões de carros mudaram de donos. Mas vender um automóvel não é uma tarefa tão fácil assim. Afinal, há muitos mitos propagados sobre o setor. Questões como a quantidade de proprietários e o período de venda, por exemplo, ainda exercem peso considerável sobre o valor praticado pelas pessoas. Portanto, antes de colocar seu automóvel à venda, pesquise e planeje bastante para conseguir uma negociação rápida e segura. Para nos ajudar nesta missão contamos com o apoio da InstaCarro, uma startup de compra e vendas de carros. Confira os principais mitos e verdades que rondam o mercado de usados:

Veículos brancos, pretos e pratas têm revenda mais fácil
É uma verdade. Os modelos dessas cores são mais “comercializáveis” por conta da grande procura. Além disso, costumam ser padronizadas, ou seja, não apresentam grandes variações – outro ponto que ajuda quem tem essas preferências. Em contrapartida, o verde e o azul são ótimos exemplos de cores que apresentam variação significativa, o que faz com que muitos compradores tenham resistência a essas colorações.

Carros que tiveram um único dono são mais valorizados
É um mito bastante difundido atualmente. O número de donos não é importante, mas sim o cuidado que ele (ou eles) tiveram com o veículo. A maneira de dirigir, a manutenção e outras iniciativas preventivas podem fazer com que o carro de um único proprietário tenha uma conservação pior do que aquele que já passou em várias mãos. Portanto, na hora de anunciar seu automóvel, divulgue, principalmente, os detalhes sobre como ele foi cuidado, revisões, quilometragem, etc.

A quilometragem é muito importante
Verdade! Analisar e divulgar a quilometragem do veículo é um ponto muito importante para uma venda. Entretanto, um índice menor nem sempre representa as melhores opções – afinal, o carro pode ter ficado parado por muito tempo, não recebendo todas as manutenções necessárias. Então, para não sofrer com desconfiança, anuncie a quilometragem, mas dê informações complementares para ajudar em uma decisão mais criteriosa.

Reparar a lataria é positivo na hora de vender o carro
Esse é um mito que muitos acreditam. O custo de reparos e consertos depende da qualidade do serviço, do gasto envolvido para o proprietário atual e da percepção de valor para o novo proprietário. Em muitos casos, o dono do veículo não tem tanto conhecimento técnico sobre peças e pinturas e pode gastar com algo que não ficará de acordo com o gosto e a experiência do potencial comprador – e que, por sua vez, vai descontar do valor da oferta final. Além disso, dependendo do tipo de reparo visual, pode ser que a inspeção do estado de uma peça mais estrutural seja comprometida, permitindo questionamentos se há ocultação de um problema mais grave no carro e, dessa forma, depreciando o valor de venda.

Blindagens e modificações reduzem o valor na revenda
Sim, é verdade. Muitas pessoas gostam de realizar modificações em seus veículos para deixá-los com um toque personalizado e especial, como capôs, pintura e para-choques. Contudo, essa prática impacta diretamente no preço na hora de tentar vendê-lo. Quanto mais distante um veículo estiver do desenho original, mais difícil será encontrar uma pessoa interessada e, com isso, o valor tende a cair. O mesmo vale para blindagens. O custo para instalação e manutenção não é revertido na revenda e o prejuízo fica com o proprietário.

Vale mais vender o carro por conta própria
Um mito bem comum no setor automotivo. As pessoas têm a sensação de que precisam desembolsar uma quantia considerável para que uma empresa faça a venda por eles. Isso pode até ser verdade em alguns casos, mas hoje existem opções seguras, rápidas e eficientes. Os usuários podem, por exemplo, utilizar plataformas online e vários outros meios oferecidos pelas empresas do setor.

VENDA DE VEÍCULOS USADOS TAMBÉM ESTÁ EM ALTA

VENDA DE VEÍCULOS USADOS TAMBÉM ESTÁ EM ALTA

A Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores – FENAUTO – divulgou relatório mensal com os resultados das vendas efetivadas no mês de abril. Segundo a entidade, os resultados das vendas de abril, na comparação com março, tiveram um resultado positivo de 13,3%. Essa variação, segundo a análise da federação dos revendedores, se deve ao fato de o Carnaval ter ocorrido em março, favorecendo um contraste maior neste período. O resultado de vendas por dia útil também foi muito expressivo, chegando a 7,9%.

Já o quadro comparativo entre abril deste ano, e o mesmo mês de 2018, mostra um recuo de 1,2%. As vendas acumuladas neste ano ainda se mantém positivas em 0,8%, porém inferiores aos 1,5% registrados até março. Ou seja, já pode-se perceber uma tênue linha de recuo nos valores acumulados, refletindo, também, as expectativas e previsões corrigidas por várias áreas do mercado para o crescimento da economia como um todo.

Em abril foram comercializados 1.177.470 veículos contra 1.039.535 em março. O acumulado no quadrimestre deste ano ficou em 4.499.859 veículos contra 4.464.773 no mesmo período em 2018. Ou seja, para cada carro novo vendido, três usados trocam de mãos no Brasil.

Para o presidente da FENAUTO, Ilídio dos Santos, “as vendas do segmento parecem estar refletindo o estado de espírito manifestado na pesquisa do Índice de Confiança do Consumidor e outros relatórios de diversos agentes do mercado. Continuamos torcendo para que as propostas para o reaquecimento da economia, apresentadas pela nova equipe econômica, sejam aprovadas e implementadas com rapidez para que o mercado possa retomar um ritmo melhor na geração de negócios.”

Carro usado só com laudo
É essencial, para quem vai vender um carro, garantir que ele esteja recebendo uma avaliação técnica. A loja ou concessionária precisa verificar, de forma objetiva, fatores como quilometragem e condições do motor, freio, lataria, pintura e pneus.
“Quando não existe um processo técnico de avaliação, o preço acaba sendo definido por baixo, pela média inferior”, explica Daniel Nino, vice-presidente comercial da Auto Avaliar, plataforma líder no comércio B2B de veículos usados e seminovos no Brasil. A empresa conecta mais de 2,8 mil concessionárias e 30 mil lojistas multimarcas, o que representa 75% do mercado brasileiro.

MODELOS MAIS NEGOCIADOS EM ABRIL/2019*
VW Gol – 71.078 unidades
Fiat Palio – 45.858
Fiat Uno – 45.114
GM Celta – 26.652
Fiat Strada – 23.454
VW Fox – 22.909
Ford Fiesta – 21.667
GM Corsa – 20.674
Fiat Siena – 19.488
Ford Ka – 18.484
*Fonte Fenabrave

EMPLACAMENTOS: OS 10 CARRO E AS 10 MOTOS MAIS VENDIDAS EM 2019

EMPLACAMENTOS: OS 10 CARRO E AS 10 MOTOS MAIS VENDIDAS EM 2019

O setor da distribuição automotiva, representada pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) divulgou em 2 de maio os dados de emplacamentos de veículos referentes ao mês de abril e acumulado do ano. De janeiro a abril de 2019, 1.244.151 unidades foram licenciadas, o que representa aumento de 12,2% ante as 1.108.897 unidades comercializadas no mesmo período do ano passado. No mês de abril foram emplacados 339.424 veículos, 11,1% acima do volume registrado no mês de março de 2019, quando 305.524 unidades foram licenciadas. Na comparação com abril de 2018, mês que registrou 311.160 unidades emplacadas, a alta é de 9,08%.

Nos segmentos de automóveis e comerciais leves, o resultado do quadrimestre registrou 801.330 unidades emplacadas, representando crescimento de 8,71% perante igual período do ano passado, quando foram licenciadas 737.135 unidades. Em abril, esses dois segmentos, juntos, somaram 221.321 unidades, contra 199.528 em março, registrando alta de 10,92%. Na comparação com as 209.940 unidades de abril de 2018, a evolução foi de 5,42%. Na lista dos mais vendidos (abaixo), destaque para dois SUVs da Jeep: Renegade (8º) e Compass (10º).

Nas motos, a resultado nos primeiros quatro meses do ano reflete uma recuperação de mercado, o que efetivamente teve um crescimento na ordem de 13,68% em abril comparado ao mesmo período de 2018 (93.387 contra 82.149). Já no acumulado do ano foram emplacadas 352.112 motos nos quatro primeiros meses de 2019, contra 301.536 unidades no mesmo período do ano passado. Crescimento de 16,77% segundo os dados da Fenabrave.

No segmento de duas rodas supremacia total da Honda. Dois dez modelos mais vendidos, 7 são da “marca da asa”. Detalhe, a Honda detém 78,98 do share no acumulado do ano. Entre as motos, um estranho no ninho, o scooter PCX 150, que recentemente foi reformulado, ocupa a sexta posição do ranking dos modelos mais vendidos (abaixo).

“O mercado, como um todo, manteve o ritmo de recuperação. A média diária de vendas cresceu 0,5%, o que, para nós, reflete a expectativa de aprovação das reformas, que estão em andamento. Ao analisarmos o volume acumulado, nas vendas do primeiro quadrimestre, que tiveram importante crescimento, observamos que existe uma gradual elevação nos índices de confiança do consumidor, impactados pela provável resolução deste assunto”, declara Alarico Assumpção Júnior, presidente da entidade.

Confira os 10 automóveis e as 10 motocicletas mais vendidas de Janeiro a Abril de 2019

CARROS
Modelo – Unidades emplacadas

  1. GM Onix – 75.130
  2. Hyundai HB 20 – 34.738
  3. Ford KA – 32.765
  4. GM Prisma – 27.270
  5. Peugeot Kwid – 23.981
  6. VW Gol – 23.330
  7. Fiat Argo – 23.073
  8. Jeep Renegade – 21.383
  9. VW Polo – 20.400
  10. Jeep Compass – 17.884

MOTOS
Modelo – Unidades emplacadas

  1. Honda CG 160 – 100.486
  2. Honda Biz – 52.419
  3. Honda NXR 160 Bros – 39.142
  4. Honda Pop 100i – 33.986
  5. Honda CB 250F Twister – 11.767
  6. Honda PCX 150 – 8.768
  7. Yamaha XTZ 150 Crosser – 8.115
  8. Yamaha Fazer 250 – 7.554
  9. Yamaha YBR 150 – 7.009
  10. Honda XRE 300 – 7.002

SCANIA IRÁ VENDER PEÇAS ORIGINAIS PELA INTERNET

SCANIA IRÁ VENDER PEÇAS ORIGINAIS PELA INTERNET
Scania S 620 V8 6×4

A Scania inicia a comercialização de peças pela internet. A fabricante sueca é a primeira da indústria de veículos comerciais (caminhões, ônibus e motores industriais, marítimos e para grupos geradores) a ter uma loja oficial no Mercado Livre. O cliente pode encontrar as ofertas pelo portal www.scaniaofertas.com.br ou diretamente no Mercado Livre: loja.mercadolivre.com.br/scania .

Os pedidos poderão ser feitos de qualquer região do Brasil. O acesso do usuário à loja no Mercado Livre é fácil e os processos de escolha do item e de compra são muito amigáveis e ágeis. Para maior comodidade ou ganho de tempo há opção de entrega no endereço do cliente ou retirada na concessionária. A novidade completa mais uma etapa da jornada da marca na transição para um sistema de transporte mais sustentável, em que a digitalização e a conectividade são essenciais para o moderno formato da gestão no transporte.

Scania S 620 V8 6×4

“Iniciamos uma nova era para a comercialização de peças. O comércio eletrônico abre mais um canal de contato com os clientes, pois traremos nossa rede ainda mais próxima deles. O parcelamento em até 12 vezes é um grande atrativo”, afirma Fábio Souza, diretor de Serviços da Scania no Brasil. “A rede de concessionárias será fundamental neste processo, pois cuidará da operacionalização da venda. Estamos abrindo novas oportunidades com potenciais clientes, especialmente de veículos mais antigos.”

A variedade de peças originais disponíveis na loja virtual engloba diversas linhas. “O aumento de opções acontecerá ao longo dos próximos meses. Estamos com um planejamento bem direcionado para as necessidades mais requisitadas do dia a dia. Queremos agilizar ao máximo o tempo que o cliente levará para receber a encomenda”, diz Lincoln Garcia, responsável pelo gerenciamento da loja virtual.

VENDAS DE VEÍCULOS CRESCE EM 2018

De janeiro a setembro de 2018 foram emplacados 2.650.212 veículos – automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários -, número que representa alta de 12,64%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Apenas em setembro, foram comercializadas 299.583 unidades, 8,5% acima do volume registrado em idêntico mês de 2017, quando foram vendidos 276.103 veículos. Entretanto, quando comparado com agosto, este volume representa queda de 14,99%, explicada pelos quatro dias úteis a menos (em setembro foram 19 dias, contra os 23 dias de agosto). Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).


Nos segmentos de automóveis e de comerciais leves, o viés de alta segue mantido, apresentando, no acumulado dos nove primeiros meses, crescimento de 13,1%, totalizando 1.779.675 unidades. Considerando apenas setembro, estes segmentos apresentaram avanço de 5,77%, na comparação com o mesmo mês do ano passado, contudo, retração de 14,42% ante agosto de 2018.


Para o Presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, a quantidade de dias úteis influenciou, significativamente, no comparativo entre agosto e setembro deste ano. “Em setembro, o mercado sofreu em função da menor quantidade de dias úteis.

Contudo, é importante ressaltar que, na média diária, houve crescimento de 3,6%, nos emplacamentos de automóveis e comerciais leves. Além disso, diante do clima das eleições, naturalmente, o mercado entra em compasso de espera”, enfatiza o Alarico.

Para os emplacamentos totais , a entidade projeta, para este ano, alta de 12,4% sobre 2017, contra os 9,8% estimados anteriormente. A nova projeção da entidade, para os segmentos de Automóveis e Comerciais Leves, aponta para crescimento de 11,9% em 2018. Em julho, a entidade estimava que os segmentos cresceriam 9,7% no ano.

A nova projeção para o segmento de Caminhões é de 38,2% de alta, ante os 24,8% estimados em julho. Para o segmento de Ônibus, a revisão das projeções considera avanço de 23,2% nas vendas de 2018. Em julho, a projeção era de queda de 4,1%. A Fenabrave também está revendo para cima, a projeção para o mercado de Motocicletas, que deve chegar a 9,9% de crescimento, ante os 7,7% estimados anteriormente.

TOP 10 – Carros mais vendidos em 2018 (Jan/Set)
GM Onix               89.284
Hyundai HB20    62.716
Ford Ka                43.678
VW Polo               42.457
Renault Kwid       39.628
Honda HR-V       33.238
Fiat Argo               30.969
Toyota Corolla     29.140
GM Prisma           28.871
VW Fox                 23.235

CARROS E MOTOS REAGEM: CG 160 VENDE MAIS

O segmento automotivo terminou primeiro semestre com 1,691 milhão de veículos novos (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motos) e implementos rodoviários emplacados, crescimento 12,37% em comparação ao mesmo período do ano passado. Em junho foram licenciados 287.721 mil veículos – de todos os segmentos – e implementos, queda de 2,45% em relação a maio. Reflexo da greve dos caminhoneiros. Os dados são da Fenabrave, entidade que reúne os concessionários.

Nos automóveis de passeio, a GM lidera com folga. Em junho, o Onix vendeu praticamente o dobro que seu principal concorrente, o HB 20 – 16.218, contra 8.292. No semestre, o compacto da Chevrolet teve 89.620 unidades licenciadas, contra 50.419 do modelo de origem coreana. O terceiro colocado é o Ford Ka, com 48.262 unidades licenciadas nos seis primeiros meses do ano. Nos carros, a Fenabrave prevê crescimento de 9,9%. O segmento deve encerrar o ano com pouco mais de 2 milhões de automóveis emplacados.

Duas rodas
Porém, quem leva o Brasil nas costas, ou melhor, sobre duas rodas, é a Honda CG 160. Em junho foram emplacadas 20.141 unidades. No acumulado do ano, 122.034 motos CG 160 foram licenciadas. Número que coloca, mais uma vez, a street da Honda como o veículo mais vendido do País. Outras duas motos Honda tiveram bom desempenho. Com 65.287 unidades comercializadas nos seis primeiros meses do ano, 10.106 só em junho, a popular Biz é a segunda moto mais vendida, e o terceiro veículo com mais emplacamentos do Brasil. Já a trail NXR 160 teve 16.439 unidades licenciadas em junho e 59.459 no período.


O segmento de duas rodas apresenta leve recuperação, de 6,93 em relação a 2017. No primeiro semestre foram licenciadas 456.889 unidades, contra 427.275 motos no mesmo período do ano passado. A previsão de emplacamentos, segundo a Fenabrave, será de 916.980 unidades, incremento de 7,7% em relação a 2017.

VENDAS CRESCEM NO PRIMEIRO BIMESTRE

Foram emplacados 499.145 veículos no primeiro bimestre do ano. De acordo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), os licenciamentos de todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas) tiveram alta de 16,3% nos dois primeiros meses de 2018. Só em fevereiro foram emplacados 230.066 mil veículos, o que representa crescimento de 12,26% na comparação com o mesmo mês de 2017.

Para Alarico Assumpção Júnior, presidente de Fenabrave, o desempenho dos dois primeiros meses do ano está alinhado com as expectativas de retomada das vendas de veículos no País. “Em fevereiro, a média de vendas diárias se mostrou 4,5% acima do registro de janeiro, não fosse o feriado, as vendas teriam sido ainda maiores”, ressalta o empresário. 

Os segmentos de automóveis e comerciais leves somados, apresentaram, neste primeiro bimestre, alta de 18,59% sobre mesmo período do ano passado, totalizando 327.237 unidades. Em fevereiro, apenas, o segmento ficou 14,58% acima de fevereiro de 2017.

O setor de caminhões também mostrou forte retomada. Em janeiro e fevereiro foram licenciadas 8.699 unidades, 56,71% acima do volume do mesmo intervalo de 2017. Apenas em fevereiro o setor somou 4.106 unidades emplacadas, 57,26% acima do resultado de idêntico mês do ano passado, mas 10,6% abaixo do volume de janeiro.

Já o mercado de motocicletas dá sinais de recuperação. Nos dois primeiros meses do ano foram comercializadas 140.040 unidades, 9,32% acima do volume de vendas do primeiro bimestre de 2017. Em fevereiro, as 63.013 motos licenciadas. Resultado que aponta alta de 4,15% ante fevereiro de 2017, mas retração de 18,19% ante janeiro.