VÍDEO: ANAKEE ADVENTURE, NOVO PNEU MICHELIN PARA BIGTRAILS

VÍDEO: ANAKEE ADVENTURE, NOVO PNEU MICHELIN PARA BIGTRAILS

Com tecnologia vinda da MotoGP, a Michelin amplia sua gama trail e lança o novo pneu Anakee Adventure. Desenvolvido para rodar 80% no asfalto e 20% no fora de estrada, a novidade chega para atender às necessidades e expectativas dos donos de motos bigtrail. “O novo Anakee Adventure é o primeiro pneu trail da Michelin a incorporar as tecnologias 2CT e 2CT+, anteriormente utilizadas apenas em pneus on-road”, explica Daniel D’Almeida, gerente de Marketing da Michelin América do Sul.

Disponível em oito medidas (dianteiro e traseiro), o lançamento da marca de francesa combina novos compostos, nova arquitetura e uma nova escultura, que oferece maior aderência em piso molhado e seco, dirigibilidade, conforto e estabilidade, especialmente em altas velocidades.

Agora, o novo pneu Michelin da família Anakee vem se unir ao Road 5 Trail (100% de uso urbano) e Wild (50% on-road e 50% off-road) e pode equipar vários modelos de motos como, por exemplo, Honda Africa Twin, linha BMW GS, Yamaha Super Ténéré, Suzuki V Strom, KTM Adventure e Triumph Tiger. Aliás, a nova R 1250 GS vem de série com o Anakee Adventure.

Tecnologia de pontaGraças à tecnologia Michelin 2CT, o pneu dianteiro combina diferentes compostos de sílica no centro e nos ombros, garantindo uma excelente aderência em todos os momentos – especialmente em piso molhado – sem prejudicar a performance no tempo seco ou a vida útil do pneu.   

Foto: Johanes Duarte Photo and Road

Já devido à tecnologia Michelin 2CT+, o composto de borracha usado no centro do pneu funciona como uma camada rígida abaixo do composto utilizado para os ombros, proporcionando maior estabilidade ao inclinar, ao mesmo tempo em que oferece alto desempenho em condições úmidas e secas, também sem prejudicar a vida útil do pneu.

O Anakee Adventure ainda apresenta dois novos compostos, 100% de sílica, que proporcionam estabilidade em velocidades altas, além de um alto nível de agilidade. Embora com um desenho mais aberto, a banda de rodagem do novo modelo proporciona a tração necessária em qualquer tipo de piso, aumentando a confiança e o conforto do motociclista.

Enquanto o centro do pneu apresenta um padrão mais compacto para garantir excelente estabilidade em linha reta em altas velocidades, seus sulcos gradualmente se alargam em direção aos ombros, aumentando o escoamento de água, em diferentes ângulos de inclinação, garantindo sua performance em estradas molhadas. “O novo modelo oferece dirigibilidade, conforto, segurança e estabilidade, especialmente em altas velocidades, sem qualquer concessão à vida útil dos pneus ou à agilidade”, afirma Flávio Santana (acima), gerente de Produto Michelin América do Sul.

MICHELIN ANAKEE ADVENTURE
Dimensões – Dianteiro e traseiro
 90/90 – 21 M/C 54V F TL/TT
 110/80 R 19 M/C 59V F TL/TT
 120/70 R 19 M/C 60V F TL/TT
 130/80 R 17 M/C 65H R TL/TT
 140/80 R 17 M/C 69H R TL/TT
 150/70 R 17 M/C 69V R TL/TT
 170/60 R 17 M/C 72V R TL/TT

 


 150/70 R 18 M/C 70V R TL/TT

Equipamentos de segurança usados pelo jornalista Aldo Tizzani, do MinutoMotor, no vídeo do novo pneu Anakee Adventure
Capacete: LS2
Conjunto: LS2
Botas: FOX
Luvas: Race Tech

VÍDEO: SPORT GLIDE 2019, UMA HARLEY 2 EM 1

VÍDEO: SPORT GLIDE 2019, UMA HARLEY 2 EM 1

O destaque da nova Harley-Davidson Sport Glide não é seu motor Milwaukee-Eight 107, que oferece quase 15 kgf.m de torque. Muito menos sua concentração de massa e assento a apenas 680 mm em relação ao solo. Pela suspensão invertida de 43mm na dianteira ou farol em LED. O grande diferencial do modelo 2019 é sua capacidade de transformação, já que esta integrante da família Softail poder ser uma boa opção para viagens curtas, como também para ser usada no dia a dia. O “X” da questão está na minicarenagem e nos alforjes que podem ser removidos em  apenas 30 segundos, deixando a cruiser HD mais ágil e versátil para o dia a dia.

Com a ajuda de Henrique Santos, da concessionária HD AutoStar, a equipe do MinutoMotor mostra como é fácil a retirada das peças. A minicarenagem, que protege o motociclista do vento frontal, é presa na suspensão por abraçadeiras de engate rápido. Já no caso dos alforjes, as malas rígidas contam com uma trava interna, além de dois pontos de ancoragem. A capacidade combinada dos saddle bags é de 25,5 litros.

O projeto da Sport Glide recebeu roda com design direcional, a primeira do gênero a sair da fábrica da Harley em modelos diferentes da linha CVO (customizados de fábrica). Os raios se estendem do cubo ao aro para criar uma maior sensação de movimento. A moto também ganhou acabamento em preto: tampa dos cabeçotes e ponteira do escape, além do chassi.Como nenhuma HD é igual a outra, a Sport Glide 2019 pode receber uma infinidade de acessórios como, por exemplo, sissy bar, bagageiro ou rack para acomodar um Tour-Pak (mala traseira). Da mesma forma que acontece com os alforjes e a carenagem, os acessórios originais da linha HoldFast da HD também podem ser instalados ou removidos em segundos. A moto 2 em 1 da Harley custa a partir de R$ 74.900.

ROX MOTO, UMA NOVA EXPERIÊNCIA PREMIUM EM DUAS RODAS

Compartilhar está na moda. Mas não adianta apenas compartilhar equipamentos, imóveis ou veículos. É preciso também agregar experiências e que esta nova percepção de mundo – menos posses e mais tempo para curtir o que realmente importa – seja usada para conhecer novos lugares, pilotar motos diferentes e dividir este conhecimento com os amigos. Com uma visão e inovadora nasce a ROX Moto, que opera em parceria com a Triumph Experience (TRX).

A nova empresa do grupo Triple Power – proprietária de seis concessionárias em São Paulo – três no interir, duas na capital e uma no litoral – das marcas Triumph, BMW e Ducati – estará focada em oferecer experiências, produtos e serviços diferenciados para motociclistas de perfil mais aventureiro. A princípio, a ROX oferecerá locação de motos – avulsas ou para períodos mais longos –, além de viagens nacionais e internacionais.

A empresa conta também com showroom para venda de seminovas, oficina multimarca e loja completa de acessórios. Tudo distribuído em uma área de 500 metros quadrados no distrito de Sousas, em Campinas (SP). Em breve, a ROX contará com uma unidade da lanchonete Lucky Wings, que terá a cara de um posto de gasolina dos anos 1950.

Plano de negócio diferenciado

Um dos principais diferenciais é a locação de motos bigtrail para períodos de um ou dois anos, pagando uma mensalidade a partir de R$ 840,00 para usar a moto, a priori, por um final de semana por mês. Com pacotes modulares, ou seja, bastante flexíveis, é possível compartilhar a moto com um grupo de amigos, por exemplo.

Mas quais as vantagens de alugar uma moto em um pacote anual? Segundo a ROX, o consumidor terá desconto de até 35% em relação à locação avulsa; cada fim de semana você pode experimentar uma moto diferente; top case grátis nas locações; seguro total contra roubos, furtos e colisões e terceiro. Para Lucas Ozi, um dos sócios da empresa, “o motociclista não terá a mínima preocupação com revisão, documentos. E ganha ainda um curso de pilotagem com o pessoal da TRX”. Outra novidade oferecida pela empresa é a opção de fechar um contrato de dois anos e usar um scooter 0km (Honda Elite 125) todos os dias.

Viagens internacionais

A ROX Moto já tem programado na agenda 14 viagens internacionais para 2019. Os roteiros serão pela Europa, América do Norte, América do Sul e África do Sul. Em função da parceria operacional com a TRX – que tem cinco anos de experiência, mais de 55 viagens realizadas e 11 mil clientes atendidos, a nova empresa já traz todo o know-how para essas operações no exterior, com guias certificados em pilotagem, primeiros socorros e mecânica; hotéis de categoria superior e carro de apoio.

“A ROX representa uma solução completa para atender às diversas necessidades dos motociclistas, unindo experiências e serviços inovadores, aqui e fora do Brasil”, afirma Ozi, dizendo que depois de toda esta degustação desperte no aventureiro o desejo de comprar uma moto.

SERVIÇO

www.roxmoto.com.br

(19) 99365-8180

TEST-RIDE: HIMALAYAN, UMA INDIANA ESPARTANA E OUSADA!!!

Ousadia é a palavra-chave que vai nortear os caminhos da Royal Enfield no Brasil a partir de 2019. A marca indiana quer abrir este ano dez novas concessionárias e, de quebra, apresentou a Himalayan, uma espartana trail que tem preço sugerido de R$ 18.990. O termo ‘espartana’ não é pejorativo, se deve há dois motivos: a simplicidade no design e acabamentos e também pela sua capacidade de enfrentar desafios, principalmente no fora-de-estrada. Forjada e testada na mais alta cadeia montanhosa do mundo, o Himalaia, o modelo indiano de estilo retrô está equipado com motor de 410 cm3 de capacidade cúbica, que foi projetado do zero.

A Royal Enfield vê sua trail como um modelo de nicho, com um perfil de público bastante diferenciado, formado por fanáticos pelo estilo mais clássico. “A Himalayan ocupará seu próprio espaço dentro do cenário motociclístico brasileiro. Versátil e robusta, a nossa moto vai ser uma boa opção para que se aventurar pelo Brasil, seja pela terra, seja pelo asfalto”, explica Claudio Giusti, diretor Geral da Royal Enfield do Brasil.

O design “ame ou odeia” desta nova indiana tem suas vantagens, principalmente por não chamar a atenção dos amigos alheio. De cara, a Himalayan lembra a BMW R80 GS, que foi fabricada na década de 1980. Porém, o tanque de combustível está protegido por uma estrutura tubular, minimizando o risco de avarias em caso de uma queda.

A moto conta com dois paralamas na dianteira, um rente ao pneu e outro mais alto, como em suas principais concorrentes. Além disso traz, de série, protetor de cárter, bagageiros e preparação para receber malas laterais e outros itens como, por exemplo, galões sobressalentes. Como curiosidade, há no painel uma bússola digital para dar o “Norte” aos motoviajantes.

MOTOR

A Himalayan está equipada com um motor de um cilindro, 410 cm3 de capacidade, batizado de LS 410. Totalmente novo, o propulsor oferece boa distribuição de torque e potência, principalmente em baixos e médio regimes de rotação. São 3,2 Kgf.m de torque já disponíveis a 4.250 rpm. Já os 24,5 cv de potência estão em seu pico a 6.500 giros.

Ou seja, a moto é esperta na trilha e no trânsito, quando é preciso usar a força, que também é bem-vinda para encarar uma ladeira, apesar de seus 185 quilos à seco.

Neste teste, a equipe do MinutoMotor rodou quase 300 quilômetros pelo interior de São Paulo, entre asfalto, estradas vicinais e trilhas. O desempenho foi surpreendente. Com relação ao motor, o LS 410 vibra bem menos se comparados aos propulsores da linha clássica da Royal e traz câmbio de cinco velocidades. Além disso, o consumo girou entre 25 e 30 km/litro, o que confere a Himalayan uma autonomia de cerca de 450 quilômetros (tanque de 15 litros).

É possível rodar entre São Paulo e Minas com apenas um tanque de combustível. Aqui depende do peso da mão do piloto. Outro diferencial é que está trail retrô pode rodar até 10 mil quilômetros entre trocas de óleo.

CICLÍSTICA

Ancorada por um robusto chassi em berço duplo, a Himalayan é uma motocicleta equilibrada, isso em função do conjunto de suspensão e freios, que conta com ABS de série. Na dianteira o tradicional garfo telescópico de 41mm e 200 mm de curso e freio a disco único de 300 mm de diâmetro.

Já na traseira suspensão monoamortecida, com 220 mm de curso, e disco simples de 220 mm de diâmetro. Apesar de soluções espartanas, o conjunto deu conta do recado. Em nenhum momento, mesmo em voos pelas valas nas trilhas, a moto deu final de curso. Com distância do solo de 220 mm, o modelo supera obstáculos com facilidade.

Já os freios são honestos e cumprem seu papel. Isso graças ao sistema ABS de dois canais. Para ajudar nesta missão, a Himalayan vem calçada com pneus on/off-road (Pirelli MT 60) – aro 21 polegadas na dianteira e 15 polegadas na traseira –, que oferece boa aderência e bom desempenho em qualquer condição de terreno.

ERGONOMIA E CONFORTO

A Himalayan é uma moto confortável, isso em função da largura do guidão, o assento em dois níveis, com espuma de boa densidade; aliado a posição das pedaleiras. Aliás, as pedaleiras largas são um belo aliado para quem gosta de pilotar de pé (como eu) pelos deslocamentos na terra. É possível remover a borracha e deixar no ferro, que é todo serrilhado para apoiar melhor a bota.

Os pontos de fixação de bagagem para malas rígidas, alforjes e galões de combustível fazem parte do design da motocicleta. Ou seja, o motoaventureiro não precisa fazer nenhum tipo de adaptação, já está tudo lá pensado para a instalação de outros acessórios.

O painel de instrumentos é simples, porém completo. Lá é possível controlar a velocidade, temperatura ambiente, tempo de viagem, intervalos de manutenção e direção (bússola). Seu baixo centro de gravidade garante facilidade em colocar os pés no chão e assegura controle total durante a pilotagem. A trail indiana está disponível em duas opções de cores – Granite e Snow – e será comercializada pelo valor de R$ 18,990,00 – sem frete.

CONCLUSÃO

A Royal Enfield Himalayan é uma moto com personalidade forte. Feita para enfrentar qualquer tipo de desafio. Para muitos ela não é bonita, não é a mais potente de sua categoria, muito menos a mais tecnológica. Acho que está aí o seu charme. É uma moto que vai te legar para onde você quiser ir. É uma moto que você poderá rodar sem a preocupação de ter uma arma apontada para sua cabeça, já que não é um modelo ostentação.

A trail Himalayan é uma moto raiz, feira para quem quer curtir e fazer passeios on/off-road. É uma moto para quem não precisa provar mais nada para ninguém. É uma moto para percorrer distâncias, não fazer o melhor tempo. Como disse Claudio Giusti, diretor Geral da Royal Enfield, “a Himalayan é espartana, versátil e confiável que carrega, na sua essência, o espírito de liberdade do motociclista!!”. Isso sem falar na ousadia de encarar a concorrência de frente.

Como postou meu amigo Flávio Bressan no Instagram (estradasamazonicas), “a Himalayan é uma moto rústica, bruta e sistemática! Como todas as trails deveriam ser. A Himalayan é aquela Ténéré 250 mais forte que todos queríamos ter. Se tivesse o logo da Yamaha no tanque tava todo mundo babando e chamando a moto de herdeira real do nome lendário da Ténéré”.

Fotos Johanes Duarte / Divulgação

NOVA DUCATI MULTISTRADA 1260 CHEGA POR R$ 74.900

NOVA DUCATI MULTISTRADA 1260 CHEGA POR R$ 74.900

A nova Multistrada 1260 desembarca no Brasil em duas versões – ABS e S – e renova a participação da Ducati no segmento bigtrail de alta cilindrada e que se caracteriza por unir alta tecnologia, conforto e desempenho. De eletrônica sofisticada, nova Multistrada 1260 traz o motor de 1.262 cm³ de capacidade, que oferece 158 cavalos de potência máxima. Em comparação a geração anterior, o motor Testastretta DVT teve um aumento do torque e capacidade de tração. Agora a Ducati Multistrada 1260 entrega mais potência a partir de baixas rotações.

Ou seja, 85% do torque já está disponível a partir de 3.500 rpm com um aumento da curva de 18% a 5.500 rpm, comparado com o modelo anterior. Isso torna o modelo com o maior valor de torque a 4.000 rpm de sua categoria.
Entre as principais novidades destaque para o Ducati Quick Shift, que permite a troca de marchas automática para cima ou para baixo, sem o uso da embreagem (disponível na versão S). E também para o sensor de monitoramento da pressão dos pneus. Os preços sugeridos variam entre R$ 74.900 (ABS) e R$ 84.900, para a versão “S”. A bigtrail da marca italiana fará sua estreia no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo.

Multistrada 1260 ABS – Principais equipamentos
• Bosch IMU (Unidade de Medição Inercial)
• Sistema Bosch-Brembo 9.1ME ABS com assistência em curvas
• Discos dianteiros de 320 mm com pinças Brembo de 4 pistões
• Controle de cruzeiro eletrônico
• Modos de pilotagem
• Modo de Potência Ride-by-Wire
• Ducati Wheelie Control (DWC)
• Controle de Tração Ducati (DTC)
• Controle de retenção de veículo (VHC)
• Altura do assento do piloto ajustável
• Painel de instrumentos em LCD


Multistrada 1260 S – Principais equipamentos
• Ducati Motor Testastretta DVT 1262
• Ducati Quick Shift (DQS) up/down
• Ducati Safety Pack (Bosch Cornering ABS + DTC)
• Bosch IMU (Unidade de Medição Inercial)
• Sistema Bosch-Brembo 9.1ME ABS con assistência em curvas
• Discos dianteiros de 320 mm com pinças Brembo de 4 pistões
• Controle de cruzeiro eletrônico
• Modos de pilotagem
• Modo de Potência Ride-by-Wire
• Ducati Wheelie Control (DWC)
• Controle de Tração Ducati (DTC)
• Controle de retenção de veículo (VHC)
• Ducati Multimedia System (DMS)
• Altura do assento do piloto ajustável
• Painel de instrumentos em LCD
• Sistema de suspensão eletrônica semiativa Sachs Ducati Skyhook Suspension (DSS) Evolution
• Farol Full-LED com Ducati Cornering Lights (DCL)
• Painel de instrumentos com tela de 5” de alta resolução TFT em cores

LINHA 2019 DA HARLEY CHEGA COM TRÊS BELAS NOVIDADES

Só para recordar, a linha 2018 da Harley-Davidson chegou ao país radicalizando em termos estéticos e com motores mais eficientes. Agora a marca norte-americana apresenta três novos modelos 2019: a power cruiser FXDR 114, a versátil Sport Glide, da família Softail; além da Iron 1200, da linha de entrada Sportster. Outra novidade é a adoção do Apple CarPlay nas motos da linha Touring. Confira abaixo as principais características de cada lançamento, além da tabela de preços de todas as motocicletas da linha H-D 2019 vendida no Brasil. A mais barata, a Iron 883 custa R$ 42.400. Já a mais cara, a CVO Limited, sai por R$ 172.900.

FXDR 114Visualmente, a nova FXDR 114 teve seu design inspirado no estilo drag. A moto traz linhas bem agressivas e, com certeza, vai atrair o público que ficou órfão da família da V-Rod. O para-lama traseiro é desenhado para cobrir o pneuzão de 240mm de largura. A nova power cruiser americana está equipada com o Milwaukee-Eight 114. Aliás, o motor mais poderoso oferecido no chassi Softail, com 16,11 kgf.m de torque a 3.500 rpm. Balança, sub-chassi e as rodas foram fabricadas em alumínio. Tudo para melhorar a relação peso/potência (a cavalaria não é divulgada pela H-D).

A FXDR 114 é a nona Harley-Davidson lançada no Brasil baseada na plataforma Softail e introduzida para a linha 2019, além de ser uma das mais recentes em uma linha de 100 motocicletas de alto impacto comercial que a montadora planeja introduzir até de 2027.


A pergunta que fica é se a nova power cruiser da H-D fará tanto sucesso quanto a linha V-Rod. O Brasil foi um dos principais mercados do modelo mais esportivo da Harley que, além do design radical, estava equipada com motor de dois cilindros em “V” dispostos a 60°, refrigerado a líquido, que gerava 125 cv de potência máxima a 8.250 rpm. Ou seja, bem diferente o Milwaukee-Eight 114, “V2” a 45º .

SPORT GLIDE

Customizada de fábrica, a Sport Glide 2019 é uma moto versátil. Pode ser usada em viagens longas, no dia a dia ou para passeios curtos. Conta com estilo clássico e contemporâneo empresado da linha Touring, da qual adotou também as malas laterais (com 25,5 l de capacidade, cada), que podem ser facilmente removidas – sistema que lembra a aposentada Switchback. Na parte ciclística, a nova Softail ganhou suspensão invertida de 43mm na dianteira, além do ajuste remoto da pré-carga da mola do amortecedor traseiro.

Traz iluminação em LED e acelerador eletrônico com controle eletrônico de velocidade de cruzeiro. Já as belas rodas de alumínio fundido são calçadas com pneus Scorcher 31, da Michelin. Oitavo modelo lançado no Brasil com base na plataforma da Softail, a Sport Glide está equipada com o motor Milwaukee-Eight 107, que é montado diretamente no chassi, porém conta com contrabalanceadores, que foram instalados para reduzir a vibração em marcha lenta.

IRON 1200A nova integrante da família Sportster da Harley, a Iron 1200 esbanja personalidade. É ideal para deslocamentos urbanos ou até viagens curtas. Traz guidão alto, a carenagem emoldura o farol dianteiro e está equipada com o tradicional motor Evolution 1200 V-Twin, que oferece 36% mais torque – 9,5 kgf.m em contra 6,83 kgf.m se comparado ao Evolution 883. A título de curiosidade, a família Sportster é fabricada desde 1957 e, de lá prá cá, ganhou várias roupagens: bobber, chopper, scrambler, café racer e foi até moto de corrida (dirt track). Os novos grafismos do tanque de combustível (12,5 litros) da Sportster diferenciam a Iron 1200 e combinam faixas de cores que nos remetem aos anos 1970.

O assento individual integrado ao quadro flui do para-lama traseiro e é moldado para ajudar a manter o motociclista numa posição ideal quando o torque do Evolution 1200 é colocado à prova. Aliás, todo o motor foi estilizado com as tampas do cabeçote na popular cor preta. Protetores do escapamento e dos silenciadores, e tampas da embreagem e dos comandos de válvulas, tudo pintado de preto. Já os tubos das varetas de comando e tampas dos tuchos cromados são os únicos detalhes brilhantes e destacam o formato do motor V-Twin. A Iron 120 recebeu rodas de nove raios totalmente pretas (19 polegadas na dianteira e na traseira de 16 polegadas).

BMW FAZ CAMPANHA DE PRÉ-VENDA PARA F 750 GS E F 850 GS

Apresentadas oficialmente há exato um ano no Salão de Motos de Milão (ITA), a BMW Motorrad Brasil lança campanha de pré-reserva para as realmente novas BMW F 750 GS (77 cv) e F 850 GS (85 cv), que chegam ainda este ano nas concessionárias da marca. Os modelos já podem ser reservados com preços entre R$ 40.950 a R$ 50.950.

Produzidas na fábrica do BMW em Manaus (AM), as aventureiras da família GS são sinônimo de robustez, confiabilidade e durabilidade. Interessados podem fazer suas reservas , via internet, nos seguintes endereços: bmwmotorrad.net.br/prevendaf750gs e bmwmotorrad.net.br/prevendaf850gs .

A BMW F 750 GS (acima) será vendido no País em três versões, Sport (R$ 40.950), Premium (R$ 44.950) e Premium Kit Baixo (R$ 43.950). Já o modelo BMW F 850 GS será vendido nas versões Premium Kit Baixo (R$ 46.950) e Premium TFT (R$ 50.950).

A principal concorrente no segmento adventure é a família Tiger 800, da Triumph (acima), que tem levado vantagem no número de vendas este ano em função de sua recente atualização de seu modelo. A marca inglesa oferece ao consumidor brasileiro seis versões de sua 800cc e preços que varia entre R$ 43.190 e R$55.890. Com as novas BMW chegando ao mercado, a disputa pelo motociclista aventureiro vai ficar mais acirrada. No acumulado de emplacamentos em 2018, de janeiro a setembro, a BMW já emplacou 5.067 unidades e a Triumph 3.353 motos vendidas, segundo dados da Fenabrave. 

Mas há mais uma opção de compra. Por meio de uma parceria entre o BMW Serviços Financeiros e a Canopus, as novas aventureiras da marca poderão ser adquiridos via consórcio. Os planos que variam entre 32 a 92 meses, com possibilidade de serem contemplados mediante sorteio mensal, lance livre, lance fixo ou lance limitado. As parcelas iniciam em R$ 630,57 para o modelo F 750 GS e R$ 714,74 para o modelo F 850 GS — valores correspondentes a 92 meses.

DOC MOTO: HARLEY FXDR 114 NO BRASIL E AS NOVAS CORES PARA 2019

 

Antes que me perguntem, o lineup brasileiro terá sim a nova FXDR 114 e a Sport Glide, que foi lançada como modelo mid-year em 2018. Ambas já estão em processo de homologação no País. Abaixo minha percepção e comentários sobre os modelos e as paletas de cores.

Como cheguei nos EUA em pleno Labor Day (feriado americano análogo ao nosso Dia do Trabalho) acreditei que não iria encontrar lojas abertas no estado da Flórida. A minha primeira opção foi a Palm Beach Harley-Davidson que, de fato, estava fechada. Segui adiante para a pequena cidade de Stuart para conhecer a revenda Treasure Coast Harley-Davidson. Lá fui razoavelmente bem atendido e digo, razoavelmente, pois minha intenção era apenas olhar os novos modelos e comprar uma camisa que procurava. Lá pude ver algumas motos em cores que potencialmente me interessariam no Brasil, já que as mudanças da linha Harley 2019 foram principalmente cosméticas, vamos lá:

FXDR 114

Divulgação

O modelo foi o único lançamento para a linha 2019 (até o momento) e fonte de muitos comentários tanto positivos, como negativos. De uma maneira geral, a moto traz linhas bem agressivas e, com certeza, vai atrair o público que ficou órfão da família da V-Rod. Como só tive a possibilidade de ver em Vivid Black posso dizer que o modelo lembra, em alguns aspectos, a Night Rod Special, principalmente no tocante a posição de pilotagem.

Divulgação

O banco é um tanto desconfortável para longos percursos, mas o propósito do modelo não será este. E para quem perguntar, a tampa atrás do banco sai e dá para um “buraco” que não pode se chamar de porta-trecos. Na verdade, a intenção da marca foi deixar um espaço para a instalação de um banco para uma eventual garupa.
De fato, o filtro de ar, que foi desenhado para ser algo similar ao oferecido pela linha Screamin’ Eagle, ficou um tanto estranho, virando alvo de piadinhas no Brasil, já que foi comparado com uma furadeira Bosch. Realmente, o brasileiro é muito criativo.
Uma solução que achei um tanto estranha e levanta dúvidas quanto sua durabilidade é o “para-lama” traseiro. A peça é feita em plástico.

Divulgação

A FXDR 114 promete ser um sucesso de vendas, especialmente por deixar o motor de arrefecimento líquido de lado e ter instalado no berço do chassi o tradicional V2 com refrigeração a ar, que traz de volta o som do motor digno de uma HD, ainda que o Milwaukee Eight não se compare com o som dos Evolution.

Heritage Classic


Billiard Blue & Billiard White. Esta combinação de cores ficou muito interessante e talvez ficasse melhor ainda se a Heritage tivesse os cromados de volta. Se a HD-BR decidir incluir como opção será uma cor popular . Com o motor 107 Milwaukee Eight haverá duas opções de cores em dois tons para a Heritage: Wicked Red e Twisted Cherry (já conhecida da linha 2018, em outros modelos).
O azul, que parece em fotos como sendo um azul-marinho brilhante, ao vivo dá a impressão de ser uma cor sólida, que não fica tão bonita assim a não ser na combinação de dois tons.

Fat Boy


Talvez uma das cores mais bonitas para 2019 e que estará na Fat Boy e na Deluxe (na Heritage terá uma opção dois tons, porém só na versão equipada com o motor de 114 Milwaukee Eight). É um marrom metálico, lindo, chamado de Rawhide. Estará disponível também como opção Denim (fosca) na Iron e também na Fat Bob. Porém a cor metálica é algo simplesmente maravilhosa e de muito bom gosto.

Deluxe e Low Rider


Em 2018, a opção de dois tons de marrom com prata foi uma combinação interessante, entretanto, para 2019 a HD preferiu seguir uma linha mais tradicional em oferecer um azul (diferente da Heritage) com prata, chamado de Midnight Blue & Barracuda Silver. Quem olha a moto dentro do showroom tem uma certa dificuldade em ver que a cor é azul, pois é tão escuro que facilmente se confunde com preto.
Na foto acima, a Deluxe até dá para parecer que é azul. A Low Rider também ganhou a cor Midnight Blue, que também parece preto.
Outra cor que pude ver na Low Rider foi o Barracuda Silver, que também deixa a moto bonita (ainda que preferisse o Bonneville Salt, de 2018).

Slim


A Slim na foto promocional tanto do site da HD como do catálogo, em Billiard Blue, faz parecer que a moto é um azul lindo, metálico, mas ao vivo perde um pouco o impacto. Entretanto, há um amarelo fosco chamado de Rugged Gold Denim que ficou bem interessante, além do mesmo vermelho fosco das touring. Resta saber quais serão as cores que a HD-BR pretende comercializar. Gosto não se discute. Façam suas apostas?

Texto e Fotos Dan Morel, do Blog Doctor Dan, especial para MinutoMotor

JAQUETA LS2 GALLANT: PRONTA PARA GANHAR O MUNDO

Completa, bonita e cheia de detalhes, a jaqueta Gallant da LS2 é confeccionada em poliéster de alta resistência nas cores cinza, preto e vermelho. A parca conta com gola com fecho instantâneo regulável e vários refletivos. O modelo traz tecido impermeável, respirável e com forração térmica para proteger o motociclista em dias mais freios. O inverno está aí, então é bom estar preparado e protegido durante a pilotagem! No verão é só retirar o forro sem perder em conforto e também em segurança. É ideal para donos de bigtrails, aventureiras esportivas ou motos do estilo touring.

 

Versátil, a parca da LS2 conta com áreas frontais com ventilação e botões magnéticos, além de ajuste na cintura. Conta ainda bolsos internos, um deles exclusivo para guardar o celular. Com bom caimento, a jaqueta Gallant oferece liberdade de movimentos, conforto e segurança. Isso sem falar na beleza, sofisticação e preço bastante competitivo: R$ 999,90. Visite: ls2.com.br

PASSEIO DE MOTO PELOS ALPES REÚNE BELAS PAISAGENS E BOA GASTRONOMIA

No inverno, os Alpes europeus ficam bicolor: o branco da neve depositada no cume das montanhas se funde com o azul do céu. Este cenário atrai milhares de turistas todos os anos para aproveitar o clima e pretexto para a pratica de esportes radicais como, por exemplo, esqui e snowboard. No verão é a hora e a vez dos motociclistas invadirem os alpes e transformar a região em um verdadeiro parque de diversão à céu aberto, isso em função da grande quantidade de curvas. Um belo passeio por meio das cênicas estradas europeias que cruzam vales e os mais famosos passos alpinos.
Com início e término em Erdinger, Alemanha, o mototurista que participará do Tour Alpes 2018, organizado pela 2Ride em parceria com a Power Motorrad e Triple Triumph, conhecerá algumas das mais charmosas cidades da Áustria, Suíça, Itália e, é claro, da própria Alemanha. Isso sem falar na experiência única de ter contato direto com a história, cultura e gastronomia de uma das regiões mais aconchegantes da Europa. A viagem sobre duas rodas acontece entre 21 de setembro a 30 de setembro, com grupos reduzidos e preço altamente competitivo.


Seja nas Autobahns, estradas de mão única ou em deslocamentos por rodovias vicinais, o Tour Alpes 2018 percorre paisagens de tirar o fôlego que somente as estradas que serpenteiam as montanhas podem proporcionar. Ou seja, cada parada uma surpresa quase que cinematográfica! O percurso total é de 1.800 quilômetros, com média de 200 quilômetros/dia.
Esta viagem pelos Alpes europeus tem como destaque os Passos Stelvio, Umbrail, Foscagno, Rolle, Grossglockner, Gavia, Croce Domini, além do Lago Hydra, Garda e as maravilhosas Dolomitas, com seus vários passos e estradas deslumbrantes.
Os mototuristas terão a oportunidade de conhecer com tranquilidade as principais cidades deste roteiro: Bormio, Gargnano e Corvada In Badia, bem como seus costumes, comidas típicas, vinhos e arquitetura. Os restaurantes e hotéis foram escolhidos para proporcionar a melhor e prazerosa experiência possível.
Com grupos reduzidos – máximo sete casais – a 2Ride aposta em uma viagem com atendimento personalizado,  conforto e muita segurança. A moto escolhida para o  Tour Alpes 2018 será a bigtrail BMW R 1200 GS, com todos os opcionais e três malas rígidas. 

Preço
O valor do pacote para o casal é de € 4.000 (Quatro Mil Euros). O preço contempla hotéis, aluguel da moto equipada com três malas rígidas e seguro. Não está incluso: alimentação, bebidas, pedágios, ingressos e bilhete aéreo. É obrigatório o uso de todos os equipamentos de proteção: capacete, botas, luvas, jaqueta e calça com proteções. Não é permitido o uso de calça jeans, tênis e capacete aberto.
Serviço
E-mail: contato@2ride.com.br ou (11) 99586-8093, com Edgar Rocha. 
* Viagem sujeita ao número mínimo participantes. Realização da viagem atrelada a condições climáticas.