Vídeo: Com 550 cv de potência máxima, conheça o Corolla que será usado na Stock Car 2020

Depois de uma longa espera, abertura da temporada 2020 da Stock Car acontecerá neste domingo (dia 26) no autódromo internacional Ayrton Senna, em Goiânia (GO). Duas estreias marcam esta edição da categoria máxima do automobilismo nacional, que completa 40 anos: o ingresso da Toyota, com o sedã Corolla, e o piloto argentino Matías Rossi finalmente poderá alinhar no grid, com o novo Corolla #117, da equipe Gazoo Racing / Full Time. Apesar de suas linhas clássicas há um esportivo puro sangue!

Toyota da equipe Gazzo Racing, do estreante Matías Rossi / Fabiano Godoy
Toyota da equipe Gazoo Racing, do estreante Matías Rossi / Fabiano Godoy

MinutoMotor / R7 Carros foi para o interior de São Paulo, visitou o ‘QG’ da Full Time Sports e pode conferir de perto os últimos ajustes que estavam sendo feitos nos carros de seus quatro pilotos – Rubens Barrichello, Nelsinho Piquet, Rafael Suzuki e do estreante Rossi, que é conhecido na Argentina como “El Misil”. Entrevistamos o piloto argentino de 36 anos que falou de sua expectativa sobre a temporada 2020 da Stock e também do seu Corolla (Equipe Gazoo Racing Brasil / Full Time) e, de quebra, como será dividir os boxes com Rubinho, que tem 326 participações em GPs.

O desenho da parte frontal dos Corolla é praticamente idêntico/ Fabiano Godoy
O desenho da parte frontal dos Corolla é praticamente idêntico/ Fabiano Godoy

Além disso, a equipe do MinutoMotor / R7 Carros fez um comparativo bastante minucioso entre o Toyota Corolla original de fábrica com o modelo de competição. Todos os detalhes foram apresentados pelo chefe de equipe da Full Time, Maurício Ferreira, que também é um amante das motos superesportivas. Confira no vídeo mais esta pauta exclusiva do MinutoMotor para o Portal R7.

Motor V8 na dianteira e câmbio fixado na parte traseira/ Fabiano Godoy
Motor V8 na dianteira e câmbio fixado na parte traseira/ Fabiano Godoy

CARACTÍSTICAS DO TOYOTA COROLLA STOCK CAR 2020
Carroceria
: monobloco original da fábrica, com alguns componentes produzidos em material compósito.
Motor: V8, capacidade cúbica aumentada para 6,8 litros, 16 válvulas e Injeção eletrônica. Equalizados no Brasil em 460 cv (6.150 rpm). Máximo de 600 Nm de torque (5.000 rpm) em módulo de corrida. No modo push to pass, máximo de 550 cv (6.150 rpm) e 700 Nm de torque (5.000 rpm).
Suspensão: independente nas quatro rodas. Triângulos sobrepostos (“duplo A”). Sistema pushrod. Amortecedores reguláveis de competição. Barras estabilizadoras dianteiras e traseiras reguláveis de dentro do carro.
Entreeixos: 2.740 mm
Freios
: discos ventilados. Seis pistões na dianteira e quatro na traseira. Pinças: AP Racing de competição.

 Um dos itens de segurança do carro é seu sistema de freios / Fabiano Godoy
Um dos itens de segurança do carro é seu sistema de freios / Fabiano Godoy

Direção: sistema pinhão/cremalheira JTEKT, acionamento hidráulico por meio de bomba mecânica. E com volante multifuncional
Câmbio: Sequencial e semiautomático (piloto seleciona e um mecanismo que gerencia o engate). Trocas acionadas por borboletas no volante. Tração traseira.
Rodas
: Oz Racing (italianas), de liga leve, 18 polegadas x 11 polegadas (diâmetro x largura).
Pneus: Pirelli PZero. Especiais para chuva e slicks na especificação DH. Medidas: 660×305 mm (diâmetro x largura da banda), R18.
Combustível: gasolina, tanque de fibra de carbono de capacidade ajustável, máximo de 114 litros.
Banco do piloto: Projetado e fabricado especialmente para a Stock Car nos EUA, com homologação FIA.

O Corolla Stock é bem mais baixo e largo que o modelo original / Fabiano Godoy
O Corolla Stock é bem mais baixo e largo que o modelo original / Fabiano Godoy

Deixe seu Comentário

Seu E-mail não Será Publicado.