Vídeo: venda de motos usadas está em alta. Como fazer uma compra consciente?

Produção em queda em função das medidas restritivas para conter o avanço da pandemia e, consequentemente, falta de motos nas concessionárias. Dessa forma, o mercado de usadas vem ganhando espaço. O encerramento de 2020 apontou, segundo dados do Denatran, que para cada moto “zero quilômetro” vendida, 3,3 seminovas trocavam de mãos. Ou seja, ano passado 2.776.169 motos usadas ganharam novos dono.

Já em janeiro, os números continuaram expressivos e o índice de motos zero versus motos usadas caiu um pouco, agora está em 2,9. Ou seja, foram comercializadas 247.639 motos usadas no primeiro mês ano. Os emplacamentos de motos novas contabilizaram 85.839 unidades em janeiro. Se você está procurando um modelo seminovo não esqueça de verificar se a moto escolhida têm multas pendentes; qual é o estado de conservação – neste caso faça uma vistoria obrigatória, assim você pode evitar dor de cabeça por problemas na numeração do motor ou chassi. Mas antes de fechar o negócio, leve um mecânico de sua confiança para verificar as condições do motor de da parte ciclística (suspensão e freios). Veja o vídeo do MinutoMotor com dicas preciosas de Antonio Pimenta, consultor técnico da PHD Pimenta, de São Paulo.

A importância da moto – “A motocicleta é apontada como um meio de locomoção seguro para evitar a aglomeração do transporte público e se transformou em um importante instrumento de trabalho e fonte de renda para pessoas que passaram a atuar nos serviços de entrega”, explica Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, associação que reúne os fabricantes de motos. O executivo garante que a indústria irá crescer cerca de 10% em 2021 e produzir 1.060.000 unidades no Polo Industrial de Manaus (PIM).

Certificado de Registro de Veículo – Mas atenção, o Detran.SP informa que o CRV emitido a partir de 04/01/2021 será no formato eletrônico, deixando de existir o CRV impresso em papel moeda (papel verde). Portanto, quando da venda de veículos registrados ou transferidos a partir desta data, será necessário, primeiramente, incluir a intenção de venda para posterior solicitação e impressão da ATPV-e (Autorização de Transferência de Propriedade de Veículo).

Porém, o comprador continua com a obrigação de: para veículos registrados no Detran até 31/12/2021: entregar o CRV original impresso em papel moeda (documento verde) com reconhecimento de firmas utilizado na transferência. Já para veículos registrados no Detran a partir de 04/01/2021: entregar a ATPV-e impressa com reconhecimento de firmas utilizada na transferência do veículo que está no formato eletrônico.

1 Comentário

Deixe seu Comentário