Emplacamentos de motos registra queda de 28%. Foram licenciadas apenas 57.428 unidades em fevereiro

Sticky:

“O mês de fevereiro foi, fortemente, impactado pela segunda onda da pandemia da Covid-19, que fechou as fábricas, afetando a produção em Manaus (AM), também prejudicadas pela escassez de peças e componentes nos últimos meses, causando um desajuste de oferta. O estoque de motos, nas concessionárias, está extremamente baixo e, para alguns modelos, a espera chega a até 40 dias. A demanda segue aquecida, fomentada pela consolidação da motocicleta como meio de transporte individual pessoal e de trabalho (delivery/serviços), dado o incremento das vendas do e-commerce, além da boa oferta de crédito pelas instituições financeiras, que estão aprovando 45% das propostas apresentadas”, avaliou Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave (foto abaixo).

Traduzindo com números fornecidos pela entidade que reúne os concessionários de todo o País, em fevereiro de 2021 o mercado de motocicletas licenciou apenas 57.428 unidades, o que significa uma baixa de 28,07% sobre fevereiro de 2020, quando foram emplacadas 79.837 unidades. Houve, também, queda de 33,10% sobre janeiro desse ano (85.839 motos). Os emplacamentos, no acumulado de 2021, somam 143.267 unidades que, comparadas às 171.528 unidades, de igual período de 2020, resultam em uma queda de 16,48%.

Confira as sete motos mais vendidas em 2021
1) Honda CG 160 – 39.816 unidades
2) Honda Biz – 19.623 unidades
3) Honda NXR 160 Bros – 14.423 unidades
3) Honda Pop 110i – 12.342 unidades
5) Yamaha Fazer 250 – 4.519 unidades
6) Honda PCX 150 – 4.108 unidades
7) Honda CB 250F Twister – 3.857 unidades

Deixe seu Comentário