EXCLUSIVO: Salão de Motos de Milão – Novidades: Honda, Yamaha, Kawasaki e Suzuki

O EICMA 2021 – a maior feira de motos do mundo – aconteceu em Milão (ITA) entre 25 e 28 de novembro. Atendendo a um convite da ITA – Italian Trade Agency (www.ice-sanpaolo.com.br), órgão do Governo italiano com a missão de promover o intercâmbio comercial e tecnológico entre a Itália e os demais países, nós, do MinutoMotor, participamos, mais uma vez do Salão de Motos de Milão, que marca a retomada do setor de duas rodas em âmbito mundial. A Itália não poupou esforços para realizar o EICMA. Isso em função de sua capacidade de atrair marcas, apresentar novas possibilidades em termos de uso, tecnologia e design. Além disso, o evento também é um grande balcão de negócios, concretizados através de encontros bilaterais (b2b), das empresas italianas com empresários de várias partes do mundo, inclusive do Brasil. O governo, por meio da ITA- Agency e a indústria, capitaneada pela Cofindustria e Ancma, além da própria organização do EICMA, ofereceram as melhores oportunidades para expositores e para os visitantes. Dessa forma, a Itália e o Salão de Motos de Milão reabrem o futuro para novos produtos, suas tendências e oportunidades de negócios. Confira abaixo os principais lançamentos das quatro marcas japonesas: Honda, Yamaha, Kawasaki e Suzuki.

Honda NT 1100

HONDA – Em um dos maiores estandes do Salão de Motos de Milão, a Honda trouxe artilharia pesada em todos segmentos e estilos de moto, das pequenas CUBs até a Gold Wing e seu motor de seis canecos de mais de 1800cc. Destaques: o scooter ADV 350 e a NT 1100, crossover que compartilha boa parte de sua mecânica com a bigtrail CRF 1100L Africa Twin. Compacta e focada no mototurismo, a nova moto marca o retorno da montadora nipônica ao segmento Sport-Touring. A NT 1100 recebeu modificações no motor para se adequar a utilização estradeira e urbana, como mudanças no gerenciamento eletrônico e na configuração do comando de válvulas. Seu bicilíndrico em linha, de 1.984cc, entrega 101 cv de potência máxima e torque de 10,2 Kgf.m. Será vendida em duas versões de transmissão: convencional de seis marchas ou o automatizado DCT.

NT 1100 com pacote touring

Na parte ciclística temos suspensões com 150 mm de curso em ambas as rodas, que são de liga leve e nas medidas: 120/70-17 na dianteira e, na traseira, 180/55-17. Nos freios, a moto conta com dois discos na dianteira de 310 mm e disco único na traseira, com 256 mm. Ambas com sistema ABS. Já na parte eletrônica, a moto oferece controle de tração ajustável em três níveis e ajuste de configurações como entrega de potência e freio motor. Já o painel é digital e sensível ao toque. Tem tela TFT de 5 polegadas, o mesmo da Africa Twin e vem equipada com Apple CarPlay, Android Auto e conectividade via Bluetooth. Como itens de conforto, altura do parabrisa ajustável, manoplas aquecidas, controle de velocidade de cruzeiro e malas laterais rígidas completam o pacote touring.

Honda ADV 350

O ADV 350 parece o nosso ADV 150, porém anabolizado, mais sóbrio e todo facetado como o irmão maior X-ADV 750. O motor do novo scooter aventureiro da Honda tem 330cc, que gera 29 cv de potência e três quilos de torque. Ancorada em um quadro tubular em aço, o ADV 350 conta com suspensão dianteira invertida e amortecedores traseiros com reservatório externo a gás. Roda dianteira de 15 polegadas e, na traseira, de 14 polegadas. Os pneus são de uso misto. O conjunto confere maior absorção de impactos e um bom vão livre do solo para enfrentar obstáculos. Em termos de tecnologia destaque para o controle de tração, que é item de série.

Yamaha Ténéré 700

YAMAHA –  Nesta edição do EICMA, a marca dos três diapasões – campeã mundial na MotoGP – ampliou sua área de exposição para dar mais espaço para motos e, consequentemente, mais segurança aos aficionados. Era o único estande da feira a medir a temperatura dos visitantes que entravam no espaço da Yamaha, que estava todo delimitado. Mas vamos ao que realmente interessa, as motos. A marca também trouxe para Milão muita diversidade de estilos: da hyper naked MT-10 SP até a Ténéré 700 Rally Edition, passando pelas neo-retrô XRS 700.

Yamaha MT-10 SP

A moto que tem mais chance de chegar ao Brasil é a musculosa MT-10 SP, considerada a maior e mais potente naked da Yamaha. Derivado da superdesportiva YZF-R1, o motor tetracilíndrico em linha da nova MT-10 SP gera 165 cv de potência máxima e 11 quilos do torque máximo. Outro diferencial dessa radical naked é o conjunto de suspensões eletrônicas semiativas, da grife Öhlins, que oferece três modos de regulagem eletrônicos e mais três ajustes (finos) manuais.

Yamaha R1 GYTR VR46 Tribute

Ah! Não poderíamos deixar de destacar a Yamaha R1 GYTR VR46 Tribute, uma belíssima homenagem da marca dos três diapasões ao piloto Valentino Rossi, que acabou de se aposentar. Carreira exemplar e campeão em todas as categorias: 125, 250, 500 e MotoGP. O italiano teve 115 vitórias, 235 pódios e nove títulos mundiais. Monstro sobre duas rodas que soube como ninguém elevar o nível do esporte à motor! Auguri Dotore!

Kawasaki Z650 RS

KAWASAKI – Em termos de lançamentos, a montadora nipônica é pole position. Fez apresentações simultâneas na Itália e no Brasil, caso específico das Z900 Special Edition e também da Z650 RS. As motos estrearam mundialmente no EICMA e já foram vistas pelo público brasileiro durante o Festival 2021, organizado pela revista Duas Rodas, que aconteceu no Autódromo de Interlagos. Hoje o mercado das clássicas modernas está crescendo em todo o mundo. A Kawa sentiu isso com a boa repercussão da Z900 RS / Cafe. Com design arrebatador e boa dose de eletrônica embarcada, a “cafezinha verde” deve atrair muitos motociclistas no País e ao redor do mundo. O modelo RS resgata o design atemporal que lembra a clássica Z1 do início da década de 1970, porém, equipada com a tecnologia mais recente da Kawasaki. O motor é um dois cilindros em linha, 649cc, que gera 68 cv de potência máxima, com transmissão de seis velocidades. Em termos de segurança, a retrô conta com sistema de freios ABS de dois canais. No Salão de Motos de Milão, a marca apresentou também as novas versões das Sport-Tourings Ninja H2 SX e Ninja H2 SX SE.

Suzuki GSX-S10000 GT

SUZUKI – No estande da centenário Suzuki, alguns modelos chamam a atenção dos “tiffosi” (fanáticos) de plantão. Entre elas, a GSX-S1000 e a GSX-S10000 GT – da linha Sport-Touring – que evoluíram em termos de potência, equipamentos e pacote eletrônico. Isso sem falar no design adotado pela Suzuki que a cada dia está mais refinado. Destaque para a radical naked Katana e também para a lendária Hayabusa.

Suzuki Hayabusa

O jornalista Aldo Tizzani, editor do MinutoMotor, viajou para Itália à convite do ITA – Agência para a Internacionalização das Empresas Italianas, com sede em São Paulo (SP)(www.ice-sanpaolo.com.br)