Nova Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP é “foguete” de R$ 160 mil

Uma das motos mais tecnológicas da Honda, a novíssima CBR 1000RR-R Fireblade SP foi pensada para ser usada na pista, em Track Days, porém “habilitada” para rodar em ruas, avenidas e rodovias. Mas uma coisa deve ficar clara, a superesportiva da marca japonesa foi idealizada pela HRC – divisão esportiva da Honda – com foco na performance e máximo de controle em função de toda evolução. Por exemplo, na motorização – herdada da Honda RC 213V-S – na chassi mais leve, na ciclística requintada e na eletrônica embarcada. O preço sugerido é de R$ 159.000 (base o Distrito Federal), e não inclui despesas com frete ou seguro. A garantia é de três anos, sem limite de quilometragem. Suas principais concorrentes são a Ducati Panigale V4 S (R$159.990) e a BMW S1000RR (a partir de R$ 113.700).

De cara, a moto impressiona pelas novas carenagens, que oferecem dupla função: aumentar a proteção aerodinâmica em altas velocidades e melhorar o fluxo de ar para uma melhor refrigeração do motor que gosta de trabalhar em altos giros. Aliás, as aletas – derivadas da carenagem que equipa o modelo na categoria rainha da motovelocidade – também estão na versão SP.

Motor forte e eletrônica requintada – O propulsor foi projetado com a colaboração do time de engenheiros da HRC na MotoGP. O motor de quatro cilindros em linha e 1.000 cm³ da CBR 1000RR-R Fireblade é completamente novo e alcança a potência máxima de 216,2 cv a 14.500 rpm. Já o torque máximo é de 11,5 kgf.m a 12.500 rpm. A durabilidade do conjunto motriz vem dou uso de materiais de alta resistência e um novo revestimento usado nos comandos de válvulas – tratamento diamantado e com carbono – que reduz o atrito entre as peças; além de usar balancins roletados, que elimina folgas e aumente a velocidade de abertura e fechamento das válvulas. Já as bielas são forjadas em titânio.

A Fireblade SP está mais “esperta” e “controlável” em função de sua eletrônica embarcada, já que tudo pode ser programado em função do estilo de pilotagem ou desenho da pista. Agora o acelerador eletrônico oferece respostas mais rápidas e com maior sensibilidade. Há três modos de pilotagem – Power (P), Engine Brake (EB) e Whellie (W), todos passíveis de personalização. Já o controle de tração pode ser ajustado em nove níveis de atuação, pode ser desabilitado para dar liberdade ao piloto experiente. Detalhe: a nova “triple R” está equipada com controle de largada para otimizar arrancadas em track days, deixando a moto colada no chão. O sistema de mudança de marchas Quickshifter – que descarta a necessidade de acionar a embreagem para a passagem das marchas – é equipamento de série da CBR 1000RR-R SP.

Chassi de alumínio e suspensões com regulagem eletrônica – Mais compacto, o novo chassi de alumínio do tipo Diamond apresenta apenas quatro pontos de solda e uma entrada frontal (duto) na parte central da carenagem que canaliza o ar para o sistema ram-air. No quadro estão ancorados as suspensões e o sistema de freios. A suspensão dianteira é Öhlins NPX, com bengalas de 43 mm de diâmetro e 125mm de curso. Também Öhlins, o conjunto do amortecedor traseiro oferece 143mm de curso. Ambas contam com regulagem eletrônica. Detalhe, a balança de suspensão traseira mais longa que a versão anterior. Quanto aos freios, da grife Brembo, é praticamente igual ao da MotoGP, duplo de 300mm de diâmetro, de fixação radial e que trabalha com novas pinças Brembo Stylema, de quatro pistões. O sistema ABS permite regulagem para uso em pista. O pneu traseiro tem nova medida, agora é: 200/55-ZR17.

A nova superesportiva conta ainda com plataforma inercial (IMU) de seis eixos, uma espécie de cérebro eletrônico que faz a gestão de todos os sistemas eletrônicos. Além do painel TFT de 5 polegadas totalmente personalizável e que oferece um controle intuitivo por meio de um comando colocado no punho esquerdo. Os clientes que comprarem a novíssima CBR 1000RR-R Fireblade SP em pré-venda (a partir de 13 de setembro) serão contemplados com um curso de pilotagem RedRider, com o piloto Leandro Mello (MotorsCompany). As cores disponíveis são: Tricolor (azul, branco e vermelho) e Preto e o preço sugerido, para recapitular, é R$ 159.900.

Fotos Divulgação