Brasil exporta mais motos que Portugal vende no ano

As motos das categorias off-road e trail são as mais vendidas para o exterior – Fotos Divulgação

As exportações de motos em 2021 somaram 53.476 unidades, o que corresponde a um aumento de 58,4% em relação a 2020 (33.750 unidades), segundo dados da Abraciclo, entidade que reúne os fabricantes instalados no País. O número parece pouco se compararmos com o volume total de vendas no mercado interno, que registrou exatos 1.157.369 emplacamentos. Porém, se a gente comparar com o mercado português, que vende pouco mais de 35 mil unidades no ano passado, o número é representativo, além de esboçar uma leve recuperação. Detalhe importante: o pico das exportações aconteceu em 2005, com 184.592 unidades vendidas para outros países.

De acordo com levantamento do portal de estatísticas de comércio exterior – Comex Stat -, que registra os embarques totais de cada mês, a Argentina foi o principal mercado, com 16.119 unidades exportadas e 28,7% do volume total exportado. Em segundo lugar, ficou a Colômbia (12.541 motocicletas e 22,4% das exportações), seguida pelos Estados Unidos (11.642 unidades e 20,8%). A projeção da Abraciclo para este ano é 54 mil unidades, crescimento de 1%.

Honda e Yamaha – A líder do segmento de duas rodas no Brasil, a Honda, exporta vários modelos, entre eles: o scooter PCX 150, a street CB 250 Twister, as trails XRE 190 e XRE 300, além da off-road CRF 250F. As informações foram enviadas pela assessoria de imprensa da marca. Entre os modelos mais vendidos para o exterior uma curiosidade. Aparece na lista a trail XR 250 Tornado (foto abaixo), que em função da legislação ambiental brasileira não é mais comercializada por aqui, porém continua sendo fabricada em Manaus (AM). Já os modelos mais vendidos para marca dos três diapasões são todos da linha on/off-road: TTR 125, TTR 230 e a versátil Lander 250. As informações foram enviadas pela assessoria de comunicação da Yamaha.

Nossa ‘aposentada’ 250 Tornado ainda é fabricada em Manaus, pela Honda