A S10 Z71 é nova versão aventureira da picape da Chevrolet. Custa R$ 260.490

Com o preço sugerido de R$ 260.490, a nova S10 Z71 fica posicionada entre a LT (R$ 248.990) e a LTZ (R$ 270.990). A linha da picape da Chevrolet conta ainda com a versão de entrada, a LS, a R$ 221.490, e a topo de linha High Country, com preço de R$ 280.390. A configuração mais cultuada por fãs de picape de estilo aventureiro nos Estados Unidos se diferencia da LTZ (da qual herda a base) em 20 itens visuais e funcionais para trilhas fora-de-estrada, destacando o conjunto tubular de santantônio e estribos e pontos de amarração no interior da caçamba. A Z71 traz mais robustez mecânica, de chassi, da suspensão e de tração disponível para a plataforma.

Segundo a Chevrolet, a S10 Z71 tem chassi, suspensão e mecânica reforçados, com vários componentes projetados com materiais especiais para suportar o uso severo do fora-de-estrada bem costumeiro no interior do Brasil. “Os coxins de amortecimento da cabine, por exemplo, foram projetados com rigidez e ângulo de fixação que proporcionam um maior conforto para os ocupantes, tanto do ponto de vista dinâmico quanto acústico. Já a suspensão foi especialmente desenvolvida e validada para as condições geográficas da nossa região”, realça Ricardo Fanucchi, diretor-geral da Engenharia de Produto da general Motors América do Sul.

A dianteira da S10 Z71 se diferencia pelo conjunto óptico com faróis de máscara negra contornados por leds. A grade é toda escura com o nome Chevrolet em relevo e destacando o emblema “Z71”. A cor preta aparece também no aplique central do para-choque, na capa dos retrovisores externos, nas rodas de alumínio de 18 polegadas e em acabamentos na parte traseira. Na lateral, as molduras são “flutuantes” nos para-lamas, que parecem deixar o veículo mais largo e elevado em relação ao solo. A peça foi originalmente pensada para proteger a lataria principalmente em trilhas de mata fechada.

Motor de 200 cv – O “powertrain” da nova S10 é o mesmo das versões mais sofisticadas, contando com o sistema CPA (Centrifugal Pendulum Absorber), que reduz os níveis de ruído e vibração típicos dos motores a diesel. De acordo com a Chevrolet, o propulsor 2.8 turbodiesel tem 200 cavalos de potência a 3.600 rotações por minuto e 51 kgfm de torque a partir de 2 mil giros e vem com as mesmas evoluções aplicadas à linha no ano passado, como a turbina redimensionada e uma calibração de motor e câmbio para favorecer nas respostas em arrancadas e ultrapassagens. A programação eletrônica é igual à da versão High Country. Por isso, a S10 Z71 apresenta números iguais de performance no asfalto, com aceleração de zero a 100 km/h em 10,1 segundos, velocidade máxima de 180 km/h e consumo de combustível de 8,3 km/l na cidade e de 10,6 km/l na estrada, conforme medidas do Inmetro.

A nova configuração vem equipada com seletor eletrônico para ativação da tração 4×4 e da reduzida e controle de velocidade para descidas íngremes. O sistema, acionado por um botão no painel, é aconselhado para “encarar” escorregamentos em ladeira com piso de baixa aderência. Como o espírito da Z71 é aventureiro, foi desenvolvido um pneu All-Terrain específico para ela, pensado para aumentar a aderência em todos os tipos de terreno, com foco especial para a terra. Os pneus da Z71 contam com ombros mais espessos e volumosos, escudos nas laterais para maior proteção e são fabricados com uma composição de borracha mais resistente. Com isso, cada pneu traz 320 gramas extras de material em relação ao modelo original do fornecedor.

Customização de fábrica – A S10 é o modelo com mais capacidade de personalização da Chevrolet no Brasil. Nesse sentido, o estilo aventureiro atrai um grupo de seguidores que busca deixar a picape com aspecto mais imponente. “Este é exatamente o espírito da versão Z71, inventada pela Chevrolet nos Estados Unidos e cultuada há mais de três décadas pelo mundo. Para receber a chancela Z71, a picape precisa além do mais alto nível de robustez, de um pacote de itens de design exclusivos e funcionais”, atesta Rodrigo Fioco, diretor de Marketing de Produto GM América do Sul. Outros elementos ajudam a reforçar a identidade da S10 Z71, como os estribos e o santantônio de estilo tubular, muito comuns em veículos de rali. Os estribos servem de degrau para facilitar o embarque à cabine e ajudam a proteger a parte inferior contra o impacto de objetos durante o uso extremo. Já o santantônio estendido permite mais pontos de fixação para diferentes tipos de carga, de uma motocicleta cross até uma barraca de camping.

Adesivos contornando a base das portas e do compartimento de carga dão um toque particular, enquanto o nome da versão aparece também nas extremidades laterais com a informação da tração: “4×4”. A customização avança para a cabine. Os apliques centrais do painel e os revestimentos das portas e do console são todos em preto para contrastar com os detalhes em cinza acetinado presentes na cabine. O volante e os bancos contam com revestimento premium. Para a Chevrolet, a escolha dos materiais e o desenho das superfícies foram projetados para facilitar a limpeza depois da aventura. Para um charme extra, nos assentos de tons escuros, foi utilizada uma técnica de costura inglesa que deixa os pontos aparentes, ressaltando as linhas brancas e vermelhas.

Texto Daniel Dias / AutoMotrix
Fotos Divulgação