Com R$ 8 mil, você compraria um iPhone 13 ou uma moto?

Vídeo da Honda Pop 110i produzido pelo MinutoMotor em 2019

A Apple apresentou o novo iPhone 13 que conta com novos recursos, câmera dupla e um chip mais poderoso, com foco na conexão 5G. No Brasil custa R$ 7.599, com tela de 6.1 polegadas e pode chegar até R$ 10.599, com capacidade de 512GB. A nova versão do smartphone é mais caro que uma Honda Pop 110i, que custa R$ 7.330 (preço de tabela e frete não incluso). E você, o que escolheria comprar: um aparelho para navegar com a agilidade um ambiente virtual ou ter novas experiências ao ar livre sobre duas rodas? Eu, por exemplo, prefiro o mundo real. Então vamos falar da “Popizinha”, uma das motos mais baratas do Brasil.

Foto Divulgação

Mobilidade urbana ou trabalho. Em função de sua versatilidade, agilidade e baixo custo de manutenção, a Pop se encaixa perfeitamente nestes dois temas. Os motociclistas – profissionais ou não – querem ter novas experiências, conhecer novos lugares, pessoas – apesar da pandemia do Coronavírus. Aliás, não deixe de se cuidar: use máscara e lave bem as mãos com detergente ou higienize com álcool gel.

A “Popizinha” oferece boa relação peso/potência: 87 quilos/7,9 cv

A Pop, como o próprio nome sugere é a moto mais popular da Honda, pode rodar 50 km com um litro de gasolina. O modelo conta com motor de um cilindro, equipado com injeção eletrônica e 109,1 cm³ de capacidade. O modelo pesa apenas 87 Kg (a seco) e em conjunto com sua motorização, a Pop 110i é “espertinha”, isso em função também de sua potência (7,9 cv) e de seu torque (0,90 kgf.m). Uma das motos mais vendidas no Brasil usa freios combinados, que é um excelente aliado no quesito segurança, principalmente para os pilotos iniciantes. A (Pop) tem 745 mm de largura e 1033 mm altura.

Modelo Honda em ação pelo interior de São Paulo: Arquivo MinutoMotor

Moto é mobilidade, moto é liberdade, moto é trabalho, moto é economia e moto também é conexão e agente de socialização entre as pessoas no mundo real. Por isso a “espartana” Pop é uma excelente opção para quem quer entrar para o universo de duas rodas ou usar a motinho como ferramenta de trabalho nesses tempos bicudos de pandemia e crise econômica. Para quem não tem grana para comprar o modelo à vista, pode se programar e optar pelo consórcio, com parcelar em torno de R$ 140.