VÍDEO: Multistrada V4S é a moto mais tecnológica e divertida da Ducati

Quem diria que um dia teríamos uma bigtrail com motor de uma superesportiva (amansado). A nova Ducati Multistrada V4S chegou ao Brasil equipada com um compacto propulsor batizado de Granturismo, derivado da Panigale V4, com 170 cv de potência máxima. A moto italiana, montada em Manaus (AM), conta com muita tecnologia embarcada, que migrou da MotoGP e da indústria automobilística. É a primeira moto em produção em linha do mundo com tecnologia de radar dianteiro e traseiro. Conta ainda com piloto automático adaptativo, Blind Spot Detection e sistema de conectividade, tudo em prol de uma pilotagem mais segura. A Multistrada V4S traz, de série, malas laterais, manoplas e banco aquecidos. Preço sugerido: R$ 144.990.

Modelo mais tecnológica e divertida da Ducati, a Multistrada V4S amplia o conceito de “quatro motos em uma”, introduzida pelo modelo em 2010. Isso em função de suas características ciclísticas e eletrônicas. São quatro modos de pilotagem à escolha do piloto. No modo “Sport”, a MTS V4S é uma esportiva vestida de trail, que despeja potência máxima (170 cv). Rodando no modo “Touring”, a moto é uma confortável companheira de viagem, já que tem potência plena e tanque de combustível com capacidade para 22 litros. Com potência reduzida (115 cv) no modo “Urban”, a bigtrail V4S ganha agilidade, principalmente em baixas velocidades. Já na opção “Enduro”, o trail oferece uma extraordinária capacidade em off-road e estão disponíveis “apenas” 115 cv.

Motor V4 Granturismo – Extremamente leve (66,7 kg) e compacto, o novo motor V4 Granturismo garante um uso suave em baixas rotações e uma curva de torque bastante linear. É um V4 de 1158 cc que oferece 170 cv de potência máxima a 10.500 rpm e um torque máximo de 12,7 Kgf.m a 8.750 rpm. Números superlativos que garantem resposta instantânea do acelerador. Uma característica que veio do motor que equipa as motos de competição da marca – MotoGP e SuperBike – e também a superesportiva Panigale V4, é o virabrequim contra-rotativo, que ao trabalhar “contra” a inércia gerada pelas rodas, melhora a dirigibilidade, reduz a inclinação e, consequentemente, melhora a eficiência e o prazer de pilotar mesmo na estrada. Outro diferencial é que a bigtrail conta com intervalos de manutenção de referência com controle de folga de válvulas definido a cada 60.000 km.

O editor do MinutoMotor, o jornalista Aldo Tizzani, usou neste test-ride, capacete Bieffe 3 Sport; jaqueta, calça e luvas HLX

Tecnologia embarcada – A Ducati Multistrada V4S é a primeira moto de produção em linha a adotar tecnologia de radar. O sistema de ajuda avançado é capaz de apoiar e tornar a condução mais confortável graças à capacidade de reconstruir a realidade que rodeia a moto. Esta solução técnica gere duas outras funções/atividades: o piloto automático adaptativo e o Blind Spot Detection. Sistema derivado dos automóveis, o piloto automático adaptativo foi desenvolvido de acordo com a dinâmica e ergonomia de um veículo de duas rodas. Atua em particular na desaceleração e aceleração limitada para assegurar que o condutor pode manter um controle constante do veículo em qualquer situação. É possível ajustar automaticamente a distância (selecionável em quatro níveis) para os outros veículos quando se roda a velocidades entre os 30 e os 160 km/h.

Já o Blind Spot Detection (BSD) monitoriza situação de risco/ultrapassagem acionando os LEDs posicionados os espelhos retrovisores, como nos carros. O BSD também sinaliza – no painel – a aproximação vinda de trás por veículos em alta velocidade. Já o novo painel TFT colorido, de 6.5’’, pode espelhar o smartphone e transformar a tela em um grande GPS, sem nenhum tipo de adaptação ou suporte.

Mini test-ride – Aliás foi no modo Enduro que fizemos o test-ride de cerca de 20 quilômetros – quase uma hora de muita emoção – pelas estradinhas da Fazenda Itahyê, em Tamboré (SP). O circuito exigia o mínimo de conhecimento de pilotagem off-road por parte do piloto, foi ideal para verificar o comportamento dinâmico da Multistrada V4S. Tinha terra, lama, caixa de brita, passagem por pontes de madeira. Um trajeto técnico emoldurado por um belo visual. O motor faz um entrega bastante linear, esbanjando torque em baixas e médias rotações. As suspensões eletrônicas copiam bem as imperfeições do piso – com a a ajuda das rodas raiadas e pneus de uso misto. Já o freio é superdimensionado. O quick shift bidirecional ajuda muito nas trocas de marchas sem o auxílio da embreagem. A experiência foi bem rápida (que pena!) e deu para perceber que a que houve uma profunda evolução na quarta geração da MTS, que em nenhum momento perdeu suas principais características: versatilidade, segurança e equilíbrio, com muita potência. Na MTS V4S a a diversão está garantida!!! Mas como será o futuro deste projeto: híbrido, elétrico? Só o futuro dirá!

Fotos Divulgação

Multistrada V4 S
Principais equipamentos de série

• Sistema de suspensões eletrônicas semi-ativas Marzocchi Ducati Skyhook Suspension (DSS)
Evolution com função Autoleveling
• Rodas raiadas, com raios externos
• Conjunto de frenagem Bosch-Brembo, com sistema ABS Cornering
• Discos dianteiros de 330 mm com pinças radiais de 4 pistões Brembo Stylema
• Sistema Full LED com sistema DRL e Ducati Cornering Lights (DCL)
• Ignição Hands Free
• Painel de instrumentos com tela TFT de 6,5” colorido
• Ducati Connect com smartphone, música e aplicativo de navegação
• Ducati Quick Shift (DQS) Up&Down
• Cruise Control
• Vehicle Hold Control (VHC)
• Ducati Traction Control (DTC)
• Ducati Wheelie Control (DWC)
• Sistema de radar (frontal e traseiro)
• Manoplas e banco aquecido
• Cor – Ducati Red com aros pretos e detalhe vermelho
• Preço – R$ 144.990