Número de mulheres motociclistas bate quase oito milhões em todo o País

Sticky:

De Ana a Zoraide, passando por Eliane, Karina, Jaqueline e Simone. De “A” a “Z” as mulheres vêm ganhando cada vez mais espaço no comando de suas motocicletas. Seja para o trabalho, seja para o lazer. De acordo com dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), analisados pela Abraciclo (associação que reúne os fabricantes de motos), até novembro do ano passado havia 7.833.121 mulheres habilitadas para esse tipo de veículo no país. Esse número representa um salto de 95,7% na comparação com 2011, quando elas somavam 4.002.094 de carteiras de habilitação na categoria “A”, específica para moto. De 2017 para cá, o aumento foi bastante expressivo: mais de 985 mil mulheres tiveram a licença para pilotar motocicletas.

A faixa das motociclistas entre 26 a 30 anos que, segundo dados do Denatran, registrou aumento de 50,4% no número de habilitações nos últimos nove anos. Já o grupo com idades de 41 a 50 anos, que registrou crescimento de 169,4% nos últimos nove anos, passando de 574.233 em 2011, para 1.546.799 em novembro de 2020. Ainda de acordo com levantamento do órgão de trânsito, o aumento mais expressivo de mulheres com carteira de habilitação na categoria “A” está na faixa acima de 60 anos. Em 2011, elas eram 23.646 e em novembro do ano passado passaram a 147.460, o que representa uma alta de 523,6%.

O segundo maior crescimento em termos percentuais foi na faixa etária entre 51 a 60 anos. Em 2011, havia 148.891 mulheres habilitadas a pilotar uma motocicleta neste grupo etário, e até novembro do 2020 elas somavam 609.791 habilitações, o que corresponde a uma elevação de 309,6%. Resumindo: “as mulheres estão mais confiantes, mais determinadas, mais independentes e rodam com mais segurança. Sabem o que querem e para onde vão!

Profissão motogirl – Com a pandemia e a necessidade de fechamento do comércio para a prevenção à Covid-19, a demanda por serviços de delivery cresceu e se tornou uma opção para as pessoas que perderam ou tiveram a renda reduzida. Em uma área majoritariamente masculina, as mulheres representam 25% do total de motociclistas no Estado de São Paulo e buscam seu espaço enfrentando desafios diários sobre duas rodas. Segundo dados do Detran.SP, de janeiro de 2019 a janeiro deste ano, houve um aumento de 8% no número de mulheres habilitadas em todas as categorias para a condução de motocicletas, passando de 2,2 milhões para quase 2,5 milhões.